Após investigação, polícia conclui que foi falsa a comunicação de crime de estupro em Maracás

/ Polícia

A Polícia Civil de Maracás concluiu que foi falsa a denúncia de uma mulher da cidade que relatou que foi vítima de um estupro. Segundo a Delegacia Territorial, através de release divulgado pelo delegado Moab Macedo, nesta quarta-feira (28), foi realizada uma investigação e, após busca de elementos de informação, verificou-se que o crime não ocorreu, fato que levou à inquirição da suposta vítima, a qual acabou por confessar que registrou o boletim no último dia (30/08), a fim de evitar problemas pessoais.

Ainda de acordo com a informação policial, a Delegacia não divulgará detalhes para preservar a imagem da pessoa envolvida.  Entretanto. alerta à população que ”a comunicação falsa de crime está configurado como ilícito penal, tendo a pena prevista de detenção de um a seis meses e em caso de instauração de inquérito policial ou outro procedimento poderá incorrer no crime de denunciação caluniosa, cuja pena é de reclusão de dois a oito anos, sendo aumentada em seis vezes se a pessoa se valer do anonimato ou invenção de nome”.

Os comentários estão fechados.