Aécio pede ao Supremo mais prazo para apresentar resposta a inquérito sobre corrupção passiva

/ Justiça

Aécio é investigado por corrupção. Foto: Wilson Dias/Agência Brasil

O senador Aécio Neves (PSDB-MG) pediu um prazo maior ao Supremo Tribunal Federal (STF) para apresentar sua resposta em inquérito que o investiga pelos supostos crimes de corrupção passiva e obstrução de Justiça, instaurado em maio de 2017, com base na delação da JBS. O pedido foi feito ao relator do inquérito na Corte, ministro Marco Aurélio de Mello. ”Aécio Neves da Cunha, por seus advogados, nos autos do Inquérito supramencionado, respeitosamente vem à presença de Vossa Excelência requerer a concessão de prazo em dobro para apresentação de Resposta, nos termos do art. 229 do CPC c.c. o art. 3º do CPP”, requer a defesa. Também são investigados no inquérito Andrea Neves da Cunha, irmã de Aécio, Frederico Pacheco de Medeiros, primo do senador, e Mendherson Souza Lima, ex-assessor parlamentar do senador Zezé Perrella (MDB-MG). De acordo com a defesa, a concessão do prazo em dobro é necessária por se tratar de um caso com quatro investigados, representados por procuradores distintos. Os advogados de Aécio ainda pedem que, se assim não for entendido pelo ministro, que seja o prazo estendido ao menos até 15 de fevereiro, quando vence o prazo para Andrea responder à Justiça. ”Tampouco há que se falar em prejuízo ao processo, considerando que a análise das Respostas será feita por Vossa Excelência na mesma oportunidade, após sua apresentação por todos os acusados”, argumenta a defesa.

Os comentários estão fechados.