Acusado de matar idosa de Jequié no Itaigara, em Salvador, é condenado a mais de 27 anos

/ Justiça

Acusado de matar uma idosa no Itaigara, em Salvador, o marceneiro Max William Simões Santos, foi condenado a 27 anos, 11 meses e 25 cinco dias de prisão, nesta quarta-feira (5) . O crime, que resultou na morte da jequieense  Rita Maria Britto Fragoso e Silva, de 64 anos, dentro do apartamento em que ela morava,  aconteceu em maio deste ano.

Segundo a decisão do juiz da 12ª Vara Criminal da Comarca de Salvador, Ricardo Schmitt, o réu, que confessou o crime, demonstrou brutalidade e frieza na ação. Outro agravante para a decisão foi à vítima ter mais de 60 anos. A confissão do marceneiro foi considerado um atenuante.

Além da prisão, Max William Simões Santos foi condenado a pagar 287 dias-multa, cada um equivalente a um trigésimo do salário mínimo. O marceneiro vai começar a cumprir a pena em regime fechado, sem direito a recorrer em liberdade.

O marceneiro foi preso no dia 19 de maio, no bairro do Arraial do Retiro. Segundo a Polícia Civil, ele prestou serviço no apartamento da vítima meses antes do crime.

A polícia informou que ele confessou que matou a idosa e roubou alguns pertences dela, para vender. Um notebook foi recuperado com uma terceira pessoa, que havia comprado com o suspeito.

Os comentários estão fechados.