ACM rebate críticas por sumiço diante das enchentes e diz que optou por não fazer ”politicagem”

/ Política

”A minha obrigação eu cumpri”. Foto: Prefeitura/Salvador

O pré-candidato ao governo da Bahia, ACM Neto (DEM/UB), reagiu às críticas da qual foi alvo no final do ano. Os opositores do democrata aproveitaram sua viagem à Europa durante a tragédia causada pelas chuvas que atingiram grande parte do estado para atacá-lo.

Quando questionado sobre o assunto, em entrevista coletiva realizada nesta quarta-feira (26), o ex-prefeito de Salvador subiu o tom contra os adversários.

”Qual era a minha obrigação? Eu sou governador? Eu sou senador? Eu sou ministro? Não sou. A minha obrigação eu cumpri no limite do que eu sou hoje, que foi conversar com os prefeitos, mobilizar doações, viabilizar recursos, cestas básicas, material de higiene, água para muitas cidades, mas fiz isso em silêncio. E lamento ter que dizer agora que fiz, e tenho testemunho e a prova de prefeitos de muitas cidades”, disse Neto.

”Fiz uma opção por não fazer politicagem em um momento tão dramático e tão sério. Rui Costa, Jaques Wagner, João Roma e os perfeitos não fizeram nada mais do que a obrigações deles, que têm mandato”, disparou o democrata.

 Apesar de evitar polêmica em relação às enchentes, ainda em dezembro, Neto sugeriu um auxílio de três salários mínimos para as famílias que tiveram prejuízos e perderam as casas por conta das chuvas. ”É fundamental ter solidariedade, proximidade, união de todas as autoridades, de todo o poder público, para chegar junto, para dar toda assistência”, disse na época. Com informações do site Bahia Notícias

Os comentários estão fechados.