Prefeito de Maracás antecipa pagamento do décimo-terceiro dos servidores; ”honrar compromissos”

/ Economia

Prefeito Soya fala em equilíbrio da gestão. Foto: Divulgação

Depois de anunciar a antecipação da folha dos servidores, referente ao mês de novembro, no último dia 27/11, o prefeito Soya Novaes determinou, nesta quinta-feira, 08, que o pagamento da segunda parcela do décimo-terceiro salário dos trabalhadores da Prefeitura aconteça nesta sexta-feira.

 

Segundo Soya, o objetivo é, mais uma vez, fazer uma homenagem ao funcionalismo público no mês natalino. ”Isso é fruto de um esforço coletivo e do equilíbrio da gestão através da Secretaria de Administração e Finanças. Apertamos o cinto, cortamos desperdícios para honrar compromissos. Por tanto, nada melhor do que fazer mais essa homenagem aos servidores, que são peças importantes nesse processo”.

 

Com a antecipação, serão injetados R$1.132.000,00 (um milhão, cento e trinta e dois mil reais) no comércio de Maracás para aquecer as vendas natalinas.

Prefeito nomeia nova secretária de Saúde de Feira de Santana, a odontóloga Cristiane de Souza Campos

/ Saúde

A odontóloga Cristiane de Souza é secretária. Foto: Acorda Cidade

O prefeito Colbert Martins Filho exonerou a odontóloga Cristiane de Souza Campos do cargo de Chefe da Divisão de Vigilância Sanitária, e a nomeou para o cargo de Secretária Municipal de Saúde, símbolo NE.

O decreto de exoneração e nomeação foram publicados em edição extra do Diário Oficial do Município, nesta quinta-feira (8). Também foi publicada a exoneração da servidora Fernanda Botto de Barros da Silveira.

Ela é chefe de gabinete da secretaria e estava respondendo pelo cargo de secretária interina e cumulativamente, desde 30 de julho deste ano, por conta das férias e posterior afastamento do ex-secretário de Saúde Marcelo Britto. As informações são do site Acorda Cidade

Ministro da Educação, Victor Godoy diz que bolsas da Capes serão pagas até terça-feira

/ Educação

O ministro da Educação, Victor Godoy, afirmou nesta quinta-feira (8) que o MEC (Ministério da Educação) conseguiu a liberação de R$ 460 milhões para o pagamento de despesas da educação, incluindo bolsas de pós-graduação da Capes (Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior).

O pagamento de mais de 200 mil bolsas da Capes foi paralisado devido ao congelamento de verbas do MEC, aprovado há uma semana pelo Ministério da Economia. De acordo com o ministro, as bolsas serão pagas até a próxima terça (13).

”Em articulação com órgãos do governo federal, Ministério da Economia e Casa Civil, garantimos a liberação financeira de R$ 460 milhões”, escreveu Godoy, no Twitter. ”Quanto às bolsas da Capes, o pagamento está garantido e acontecerá até próxima terça-feira, 13 de dezembro.”

Na quarta (7), em meio a protestos de estudantes contra os cortes, a Capes informou que estava em contato com o governo para tentar a desobstrução dos recursos. O órgão é responsável pelo fomento, regulação e avaliação da pós-graduação brasileira.

O bloqueio também agravou a crise orçamentária das universidades federais pelo país, deixando reitorias sem recursos para serviços essenciais. Em seu post, o ministro disse ainda que, dos R$ 460 milhões, ”já foram viabilizados R$ 300 milhões para o repasse de recursos às entidades do MEC, destacando-se o pagamento de 100% da bolsa assistência estudantil, bolsas PET, bolsa permanência Prouni, entre outros”.

Dirigentes de universidades disseram à Folha que a verba de R$ 300 milhões pode ser a mesma liberada na terça (6) por meio de uma portaria. Nesse mecanismo, a pasta da Economia apenas permitiu que o MEC utilizasse o valor, antes destinado a despesas obrigatórias, para gastos discricionários (não obrigatórios), como pagamento de bolsas e repasses para universidades arcarem com custos de manutenção. Indagada, a pasta não respondeu até a publicação desta reportagem. Com informações do site Bahia Notícias

Taxista de 70 anos é amarrado e espancado até a morte em Maracás; carro da vítima foi levado

/ Polícia

José Antonio da Graça Saraiva, de 70 anos, foi encontrado morto

Um taxista de 70 anos, que estava desaparecido em Maracás foi encontrado morto na manhã desta quinta-feira (08), em uma estrada vicinal, na região do Povoado de Água Branca, na área rural do Município. Familiares procuravam por José Antonio da Graça Saraiva desde as 08h de quarta-feira (07).

Na manhã de hoje, o Centro Integrado de Comunicações (Cicom) informou à Delegacia Territorial que o corpo de um homem havia sido encontrado no Povoado, quando equipes das Polícia Civil e Técnica foram acionadas e, no local, constaram a veracidade, identificando a vítima, que teria sido amarrada e espancada até a morte.

De acordo com o delegado que apura o caso, Dr. Moabe Macedo, os autores praticaram o crime para subtrair o veículo da vítima, que ainda não foi encontrado. O corpo foi encaminhado ao Instituto Médico Legal de Jequié para realização dos serviços periciais e buscas pelos criminosos estão sendo feitas pelas polícia Civil e Militar de Maracás. Na cidade, populares lamentam o caso nas redes sociais e pedem justiça.

Construtora G3 comemora sucesso de vendas de lotes no primeiro condomínio de Jaguaquara

/ Jaguaquara

Condomínio fica na Rua Pedro Tavares Cafezeiro. Foto: Iago Teles

As obras do primeiro condomínio fechado de Jaguaquara, iniciadas neste ano pela empresa G3 Construtora, que é responsável pela instalação do novo empreendimento imobiliário da cidade, o ‘Palmeira Imperial’, estão avançando a cada dia e a direção comemora a acentuada procura por lotes/terrenos, alcançando R$ 15 milhões em vendas até esta quinta-feira (08).

Segundo Cristiano Figueiredo, a procura por lotes revela o êxito de um projeto que se deu em razão de estudo sobre o potencial econômico da região, que coloca Jaguaquara com maior potencial de desenvolvimento no Vale do Jiquiriçá: ”Estamos avançando com as obras e, a cada dia, cresce também a procura por lotes, através de pessoas que buscam conhecer o espaço e apostam em um projeto arrojado para a realização de seus sonhos. Escolhemos Jaguaquara por ser uma cidade promissora e nós trouxemos pra cá um conceito inovador em moradia, com um projeto incorporado aos sistemas mais modernos, que vai garantir aos moradores qualidade de vida e segurança, na parte alta da cidade, com vista privilegiada”, destacou Cristiano Figueiredo.

Lançado em maio, na Rua Pedro Tavares Cafezeiro, no bairro Palmeira, o ‘Palmeira Imperial’ tem atraído a atenção de compradores pelas facilidades de pagamento e também pela magnitude da obra, que após sua conclusão irá proporcionar valorização para o bairro, descentralizando de serviços e possibilitará crescimento residencial e comercial na área. Em breve, um trecho de 600 metros de acesso a obra e ainda em estrada de chão será pavimentado, conforme garantiu a construtora.

De acordo com o empresário, o empreendimento contará com portaria 24h, área de lazer com 1722, m², piscina adulto e infantil, varanda gourmet, espaço gourmet, playground, salão de festa, academia, brinquedoteca, salão de jogos e quadra poliesportiva.

Vídeo mostra vereadora sendo beijada à força por colega em sessão da Câmara em Santa Catarina

/ Política

Uma vereadora foi abraçada e beijada à força durante uma sessão da Câmara Municipal de Florianópolis (SC). Câmeras que transmitiam a sessão mostraram a importunação cometida pelo vereador Marquinhos da Silva (PSC) contra a colega Carla Ayres (PT).

Segundo o G1, o fato ocorreu nesta quarta-feira (7). Os vereadores discutiam um projeto de lei quando Marquinhos da Silva abordou a legisladora, puxando-a pelo braço. Mesmo com a recusa, o vereador ainda a abraça por trás e beija o rosto da colega à força.

Após o caso, a vereadora publicou as imagens nas redes sociais, acusando assédio do edil. A vereadora ainda declarou que vai registrar um boletim de ocorrências por importunação sexual e violência de gênero. Em nota, o vereador pediu desculpas pelo ocorrido.

Marquinhos da Silva disse também que estava triste pela ”acusação de assédio”, mas admitiu que a abordagem foi ”inconveniente” e sem a autorização da vereadora. Vídeo mostra vereadora abraçada e beijada à força em sessão da Câmara em Santa Catarina.

 

Bolsonaro deve entregar faixa presidencial a Lula e provocá-lo, defende o atual vice, Mourão

/ Brasília

Atual vice-presidente Hamilton Mourão. Foto: Agência Câmara

Após o presidente Jair Bolsonaro (PL) revelar a pessoas próximas o motivo para não comparecer à cerimônia da entrega da faixa presidencial, marcada para o próximo dia 1º de janeiro, quando passaria simbolicamente o cargo para o presidente eleito Lula (PT), o atual vice-presidente Hamilton Mourão (Republicanos) defendeu que o mandatário brasileiro marque presença no ato.

”Sou um fã do Winston Churchill, ele disse que na vitória nós temos que ser magnânimos e na derrota temos que ser altivos e desafiadores. Então, o presidente em um gesto altivo e desafiador entregue a faixa ao novo presidente, ao Lula e diga no ouvidinho dele: ‘fica atento que eu vou tá olhando tudo aquilo que você tá fazendo”, disse Mourão, em entrevista à CNN, nesta quarta-feira (7).

Câmara dos Deputados aprova projeto que tipifica o crime de injúria racial coletiva; Antonio Brito é relator

/ Brasília

A proposta teve como relator Antonio Brito. Foto: Agência Câmara

A Câmara dos Deputados aprovou, ontem (7), o projeto que inclui agravantes para o crime de injúria racial, cuja pena é aumentada para 2 a 5 anos. A proposta, que teve como relator o deputado federal Antonio Brito (PSD-BA), seguirá para sanção presidencial.

O texto aprovado é um substitutivo, cuja construção contou com a colaboração da Comissão de Juristas para o Combate ao Racismo, formada por nomes como o ministro do STJ, Benedito Gonçalves; o jurista Silvio Almeida; e o vereador Edvaldo Brito.

O PL 4566/21 tem a autoria dos ex-deputados baianos Tia Eron e Bebeto. Outra novidade na redação proposta é que todos os crimes previstos nessa lei terão as penas aumentadas de 1/3 até a metade quando ocorrerem em contexto ou com intuito de descontração, diversão ou recreação.

”A proposta tem o escopo de conferir maior efetividade ao desejo constitucional de combate ao racismo, até mesmo para coibir os delitos frequentes presenciados no esporte”, destacou Antonio Brito, fazendo referência aos episódios de racismo ocorridos no futebol, inclusive na Copa do Mundo no Qatar. Com informações do site Bahia Notícias

O que são cuidados paliativos e por que eles não são ”exclusivos” aos pacientes em estado terminal

/ NOTÍCIAS

Submetido a procedimentos paliativos em decorrência de um câncer em metástase que atinge o intestino, o pulmão e o fígado, o ex-craque da seleção brasileira de futebol Pelé lançou luz sobre uma forma de assistência médica ainda cercada de dúvidas e mitos.

Indicada para pessoas que estão em estado terminal ou pacientes com doenças crônicas que ameacem a vida, o tratamento envolve uma equipe multidisciplinar e tem como intuito a melhoria da qualidade de vida do indivíduo submetido ao procedimento e de seus familiares.

”Temos estudos recentes que mostram que quando os cuidados paliativos são feitos junto com o tratamento oncológico, no caso do paciente com câncer, por exemplo, há a capacidade de aumentar a sobrevida do paciente e, quando não aumenta a sobrevida, melhora-se a qualidade de vida”, salta a médica clínica e paliativista Renata Carriço.

Convidada pelo Bahia Notícias para falar sobre o assunto, a profissional conta que essa não é primeira vez que o assunto ganha espaço na mídia devido a sua aplicação no período póstumo ao tratamento oncológico.

Segundo ela, a aplicabilidade dos cuidados é muito comum em casos de diagnóstico de cânceres metastáticos, que demandam um tratamento mais prolongado, ou em pessoas com esclerose lateral amiotrófica (ELA), mas também em situações em que outros cânceres mais agressivos, como o de pâncreas e ovário, que independem de um quadro de metástase, são rastreados.

”Os cuidados paliativos fazem parte de uma área da medicina voltada para qualidade de vida de pacientes com doenças raras e crônicas, mas que potencialmente ameacem a vida”, explica Carriço.

Numa equipe multidisciplinar, o profissional paliativista atua como um gestor, atuando de maneira conjunta com fonoaudiólogos, fisioterapeutas, terapeutas ocupacionais e outros especialistas.

”Precisamos dessa equipe multidisciplinar para poder tornar a vida do paciente a melhor possível, diante dessa doença que ele tem”, elenca a médica.

Além da qualidade de vida, intervenções como quimioterapias, radioterapias e cirurgias, que comumente apresentam efeitos colaterais como náuseas, dores e outros desconfortos, podem ter os sintomas reduzidos através desta forma de assistência.

Renata avalia que, apesar desta ser uma área crescente, ainda é muito recente, o que faz com que os próprios médicos tendam a só indicar em último caso. ”Quando eu estudei Medicina, e não faz tanto tempo assim, eu não tive nenhuma aula de cuidados paliativos durante o curso. Se você não faz uma formação de cuidados paliativos desde os estudantes de Medicina, é como se você não estudasse cardiologia, ou nefrologia. Os estudantes saem da faculdade sem saber sobre uma área completa, o que dificulta muito, porque eles não vão saber indicar o início do tratamento paliativo. E a gente precisa de indicação de outros profissionais para começar a atuar nos casos”, 

Ao longo do tempo em que trabalha com pacientes nesta situação, a médica diz observar um comportamento diferente nos atendidos durante o processo. “É muito comum ver gente se redimindo de rixas históricas, por exemplo. É com os cuidados paliativos que a gente conhece a essência do ser humando, porque junto da morte ou perante ela não há espaço para a falsidade ou até mesmo para a política”, avalia.

O processo humanizado, destaca ela, faz com que o paliativista tenha uma certa implicação com a história da pessoa atendida. ”Você entra na vida da pessoa e passa a fazer parte da dinâmica familiar do paciente. Isso de maneira muito complexa”, aponta. Do Bahia Notícias

 

Mulher de 59 anos é resgatada após 34 de trabalho análogo à escravidão em cidade do interior da Bahia

/ Bahia

Caso ocorreu na cidade de São Gonçalo dos Campos. Foto: Divulgação

Uma mulher de 59 anos que vivia em situação análoga à escravidão foi resgatada na última quarta-feira (30) pela Auditoria Fiscal do Trabalho, na cidade de São Gonçalo dos Campos, a 115 km de Salvador. Ela trabalhava como empregada doméstica e residia no local há quase 35 anos.

De acordo com a Superintendência Regional do Trabalho e Emprego na Bahia, a mulher fazia manutenção da casa da família empregadora sem receber salário ou ter acesso a direitos trabalhistas. Os empregadores afirmaram que os serviços domésticos não eram trabalho, mas uma colaboração voluntária no âmbito familiar.

O órgão fez a inspeção no local de moradia e pegou depoimentos dos membros da família para quem a mulher prestava os serviços, além de pessoas que a conheciam. Houve relatos de maus-tratos, violências psicológicas e diversas violações de direitos.

De acordo com o Ministério do Trabalho e Previdência, a ação de fiscalização ainda não terminou e segue em aberto a negociação para pagamento dos salários e direitos atrasados.

A família chegou a aposentar a doméstica judicialmente por invalidez e a fazer contribuições previdenciárias em nome da empregada como contribuinte individual, mas, desde a concessão do benefício, ela nunca administrou a quantia.

Eram eles também que administravam as contas bancárias e repassavam valores em torno de R$ 50 a R$ 100 por mês para a mulher, para utilização em despesas com higiene pessoal, vestuário e comida.

Desde o resgate, ela está em um abrigo para o acolhimento e cuidados necessários, de acordo com a Auditoria. O órgão informou que ela poderá morar com a própria família logo que estiver em condições para isso.

ANTECEDENTE

De acordo com a fiscalização, a mãe e o irmão da resgatada também prestaram serviços domésticos, sem salários, para essa mesma família da cidade de São Gonçalo, em período anterior à chegada dela à casa.

A mãe trabalhava em uma fazenda da mãe da empregadora. Quando faleceu, a filha continuou a trabalhar para a família. O irmão da resgatada trabalhou na residência, mas conseguiu fugir da situação aos 27 anos de idade.

Aos 24 anos, a resgatada se mudou para a residência da atual proprietária para realizar serviços domésticos. Ao todo, eles serviram a duas gerações da família.

Aos auditores, familiares da vítima e vizinhos confirmaram que ela era tratada como empregada doméstica pelos moradores da casa e não como um membro da família. Segundo eles, a empregadora controlava visitas e telefonemas, dificultando o contato com o mundo externo.
O resgate foi coordenado pela Auditoria-Fiscal do Trabalho na Bahia e contou com a participação do Ministério Público do Trabalho, da Defensoria Pública da União, da Polícia Militar da Bahia e do Serviço de Assistência Social do Estado da Bahia, que garante o atendimento psicossocial. *Folhapress

 

 

Por 64 votos a 13, Senado aprova a chamada PEC da Transição; matéria vai a Câmara  dos Deputados

/ Brasília

O Senado aprovou na noite de hoje (7), em dois turnos, a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) chamada de PEC da Transição. Em primeiro turno, o placar foi  64 votos a 16 e, no segundo turno, 64 votos a 13. A matéria vai a Câmara  dos Deputados. A proposta visa garantir recursos para programas sociais no Orçamento da União de 2023, como a continuidade do pagamento do Auxílio Brasil de R$ 600 e o aumento real do salário mínimo a partir de janeiro. 

A PEC traz uma espécie de expansão do teto de gastos, criado em 2016 no governo Michel Temer. A proposta, de interesse do presidente eleito Lula, é expandir esse teto em R$ 145 milhões para, com esse dinheiro, viabilizar o pagamento do Auxílio Brasil, que voltará a se chamar Bolsa Família em 2023. O teto de gastos foi criado para limitar as despesas do governo, reduzir o gasto público e evitar que esse gasto fosse maior que a arrecadação no ano.

A previsão da PEC é pagar o valor de R$ 600 mensais, mais R$ 150 por criança de até 6 anos a partir de janeiro de 2023. Além disso, a PEC também prevê um valor “extra-teto” para pagamento do auxílio, cifras extras para despesas com programas socioambientais e de combate às mudanças climáticas. O texto foi alinhado ontem (6) na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ), quando foi aprovado e de onde seguiu para o plenário da Casa.

Um ponto alvo de debates no plenário foi o prazo de duração da expansão dos gastos. O futuro governo quer dois anos, e assim ficou no relatório do senador Alexandre Silveira (PSD-MG). Outros senadores, ligados ao atual governo ou considerados independentes, pediam um prazo menor, de um ano. O texto seguiu com os dois anos propostos pelo relator.

No seu parecer apresentado em plenário, Silveira incluiu todas as Instituições Científicas, Tecnológicas e de Inovação (ICTs), e não apenas a Fundação Oswaldo Cruz, como estava no relatório aprovado ontem na CCJ. O trecho da proposta prevê que não está incluído no limite do teto de gastos as despesas custeadas com receita própria, doações ou convênios de instituições federais de ensino e ICTs.

O relatório também prevê o alongamento do prazo para os municípios continuarem usando, no ano que vem, os recursos já recebidos do Fundo Nacional de Saúde e pelo Fundo Nacional de Assistência Social diretamente aos fundos de saúde para combate à pandemia de covid-19.

Assim como firmado na CCJ, a PEC prevê que o presidente da República deverá encaminhar ao Congresso Nacional, até 31 de agosto de 2023, uma nova proposta de regime fiscal, chamado de ”âncora fiscal”, que, na prática, substituirá o teto de gastos e, segundo a PEC, garantiria a estabilidade econômica do país.

Matéria atualizada às 23h24 para acréscimo de informação, da Agência Brasil

Suspeitos armados invadem casa, atiram em dois homens matam bebê de um ano em Jaguaquara

/ Jaguaquara

Polícia e SAMU acionados após barbárie. Foto: Blog do Marcos Frahm

A ocorrência de um crime violento chocou a população e tirou a vida de uma criança de apenas 01 ano, no final da noite de quarta-feira (07), no Loteamento Jabotá, bairro Casca, em Jaguaquara.

Era por volta da meia-noite quando indivíduos armados invadiram uma casa na área onde são instaladas unidades habitacionais do Programa Minha Casa, Minha Vida, e deflagraram diversos tiros que alvejaram W.F.S, de 20 anos, o seu filho, Gabriel Levi Agostinone da Silva, que teria completado 01 ano no dia do crime e um amigo da família, D.F.F, morador no bairro São Jorge.

Familiares contaram à polícia que o alvo dos atiradores era D.F.F, este que já possuía passagem pela polícia, que teria sido vítima de disparo de arma de fogo há cerca de um mês e que estaria no sofá da sala, quando os autores arrombaram a porta, tendo o mesmo buscado se proteger, indo em direção ao quarto onde estavam pai e filho, que acabam baleados.

De acordo com informações preliminares da PM, a criança foi atingida na cabeça. Após o atentado, as vítimas foram socorridas em um caminhão ao Hospital Municipal de Jaguaquara – HMJ, com a criança dando entrada sem sinais vitais e os outros envolvidos com vida, o pai de Gabriel em estado grave e o amigo atingido na virilha.

Informados sobre o fato, policiais militares da 3ª Cia foram ao local minutos depois, fizeram buscas na área, mas não encontraram os autores nem vestígios que contribuam para indicar o local da fuga.

Duas ambulâncias foram usadas para o socorro de duas vítimas

Uma Unidades de Suporte Avançado (USA) do SAMU de Jequié foi acionada pelo Hospital para a transferência das vítimas, que foi concluída sob escolta policial em direção ao Hospital Prado Valadares e com apoio do SAMU de Jaguaquara por volta das 02h50 desta quinta-feira.

A avó paterna do bebê, além da mãe do menino, que segundo apurou a PM não estaria convivendo com o filho estiveram no Hospital aos prantos. A busca pelos suspeitos continua e até a publicação desta reportagem, ninguém havia sido preso. O caso será apurado pela Delegacia Territorial local. *Com informações do Blog do Marcos Frahm

Menino morre afogado em Jitaúna

Em Jitaúna, no Médio Rio de Contas, horas antes do atentado em Jaguaquara, um garoto, também de um ano, e coincidentemente tem o sobrenome de Levi, morreu afogado quando estaria na companhia de um irmão às margens do Rio de Contas. O corpo foi resgatado e encaminhado ao Instituto Médico Legal de Jequié, que acionou a Polícia Civil de Jitaúna para que busque esclarecimentos sobre o caso.

Everaldo toma posse na 7ª Ciretran como diretor da 3ª Retran de Jaguaquara, sob indicação da prefeita

/ Jaguaquara

Ricardo Tuacha empossa Everaldo Júnior. Foto: BMFrahm

A direção da 3ª Retran de Jaguaquara, órgão vinculado ao Departamento Estadual de Trânsito mudou pela terceira vez, neste ano de 2022. Tomou posse do cargo, nesta quarta-feira (07), em Jequié, Everaldo Nunes Santos Júnior, sargento da reserva da Polícia Rodoviária Estadual.

O novo diretor foi empossado pelo coordenador da 7ª Ciretran, Ricardo Tuacha. Everaldo é viúvo da ex-diretora do órgão, Marleide de Novaes Nunes, que ocupou o mesmo cargo até o último mês de janeiro e faleceu à época vítima de acidente de trânsito.

De lá pra cá, a direção era ocupada por Eder Jorge Castro, sob indicação da prefeita Edione Agostinone (PP) e que pediu exoneração da pasta, sendo substituído por Everaldo, outro indicado da mandatária de Jaguaquara ao Governo do Estado.

Rui deve cumprir última agenda como governador em Jequié ao entregar ampliação do HGPV

/ Jequié

Rui cumpre agenda em Jequié no próximo sábado. Foto: BMFrahm

O governador Rui Costa (PT) deve cumprir agenda no exercício do cargo pela última vez em Jequié, terra natal da sua esposa Aline Fernanda, no sábado (10), quando entregará importantes obras na cidade.

Rui entregará a ampliação do Hospital Geral Prado Valadares – HGPV, a construção de uma Areninha Society no Centro Social Urbano – CSU do bairro Jequiezinho, além da pavimentação de ruas em paralelepípedo no bairro Curral Novo , obras viabilizadas pela SEDUR e CONDER.