Tragédia na BR-116: três pessoas da mesma família morrem a caminho de velório no trecho de Conquista

/ Trânsito

Acidente travou o trânsito na BR-116. Blog do Anderson

Três pessoas da mesma família morreram vítimas de um trágico acidente ocorrido na tarde deste domingo (04), no trecho do município de Vitória da Conquista.

Segundo informações do Blog do Anderson, as vítimas, uma mulher identificada como Fabiana de Jesus e dois jovens estavam a bordo de um carro EcoSport que teria colidido com uma carreta tanque nas proximidades do distrito de São Sebastião.

Com o impacto da batida, os veículos pegaram fogo e as vítimas não resistiram. O Serviço de Atendimento Móvel de Urgência, Resgate da ViaBahia, 7º Grupamento de Bombeiros Militar, Polícia Rodoviária Federal e o Departamento de Polícia Técnica foram acionados. Os dois sentidos da pista ficaram interditados e foram liberados no final da tarde.

Provas do concurso do Departamento de Polícia Técnica serão realizadas dia 11 de dezembro

/ Polícia

O Governo da Bahia publicou no Diário Oficial do Estado (DOE) desta sexta-feira (2) a convocação dos candidatos aptos a fazerem as provas objetivas e discursiva do concurso do Departamento de Polícia Técnica (DPT). As provas serão aplicadas em Salvador no dia 11 de dezembro e o cartão de convocação contendo o local, a sala, e o horário de realização está disponível no site da organizadora do certame, o IDECAN (www.idecan.org.br), na aba ”Local de Prova”, também a partir desta sexta-feira (2).

Os candidatos devem comparecer aos locais de provas uma hora antes do fechamento dos portões munidos de documento de identificação com foto, caneta esferográfica de tinta azul ou preta, cartão de convocação, máscara e comprovação do ciclo vacinal completo contra a covid-19 (incluindo doses de reforço). As provas objetivas terão 100 questões de múltipla escolha, abordando conhecimentos gerais e específicos. A prova discursiva será composta de um texto dissertativo

O concurso público para o DPT, unidade subordinada à Secretaria da Segurança Pública (SSP), oferece 456 vagas de nível superior, sendo 166 para perito criminal, 103 para perito médico legista, 10 para perito odonto-legal e 177 para perito técnico. As carreiras integram quadro de pessoal da Polícia Civil e terão carga horária semanal de 40h.

Após o resultado final e a homologação do certame, os candidatos serão convocados a realizar exames pré-admissionais (teste de aptidão física, exames médicos e exames psicológicos) e investigação social. Os considerados aptos serão convocados a realizar Curso de Formação de Policiais Civis. As vagas serão preenchidas de acordo com a classificação final e de acordo com o interesse da administração pública.

PRF recupera veículo Hyundai/HB20, cumpre mandado de prisão e apreende entorpecente

/ Trânsito

PRF recupera veículo Hyundai/HB20 de cor prata. Foto: Divulgação

Na manhã deste domingo (04), a Polícia Rodoviária Federal (PRF) prendeu um foragido da justiça acusado de homicídio, além de apreender 550 gramas de cocaína e recuperar um veículo roubado. A ação ocorreu no Km 609 da BR 324, próximo ao município de Simões Filho (BA).

Era por volta das 09 horas quando a equipe deu ordem de parada a um veículo Hyundai/HB20 de cor prata. Ao solicitar os documentos do veículo e do condutor, este informou que não possuía RG ou CNH e que só possuía consigo a certidão de nascimento. Após uma verificação detalhada, foi possível constatar que o homem tinha expedido contra si um mandado de prisão por homicídio. Os policiais também localizaram meio tablete de cocaína em uma bolsa dentro do veículo, além de constatar que o carro possuía restrição de roubo registrada em Salvador em 22/10/2022.

Questionado, o homem afirmou que tinha comprado o carro por R$ 3.000,00 em Feira de Santana. Sobre as drogas, informou que pegou o entorpecente na cidade de Cruz das Almas (BA) para ser entregue em Salvador.

Diante dos fatos, o homem, as drogas e o veículo foram levados à Delegacia de Polícia Civil competente para adoção das medidas cabíveis.

Após quatro dias de interdição, BR-101 é liberada na região do Extremo Sul da Bahia

/ Trânsito

Obras para recuperação do trecho que desmoronou. Foto: Radar 64

O trânsito no km 670 da BR 101, entre os municípios de Itapebi e Itagimirim, no Extremo Sul da Bahia, foi liberado por volta do meio-dia deste domingo (04), após quatro dias de interdição total.

Houve uma erosão neste trecho da rodovia, devido às chuvas que atingem a região, e uma cratera se abriu na pista por volta das 18h da última quarta-feira (30), levando ao bloqueio da principal ligação entre o Norte e o Sul do país.

Segundo o Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit), após a liberação do tráfego equipes devem permanecer no local para a execução de serviços finais, que não interferem na circulação dos veículos, mas que só serão concluídos quando o tempo estabilizar, pois envolvem processo de secagem.

O chefe do órgão na região, o engenheiro Aldo Apolônio, orienta que os motoristas fiquem atentos às sinalizações e respeitem o limite de velocidade no trecho. As informações são do site Radar 64

Estudante de enfermagem teve rosto cortado quando dormia em viagem de ônibus para Salvador

/ Trânsito

Stefani Firmo, de 23 anos, teve o rosto cortado. Foto: Reprodução

Uma passageira relatou ter sido esfaqueada durante uma viagem de ônibus com destino a Salvador. Segundo relato da jovem, publicado em rede social neste sábado (3), o fato ocorreu quando o veículo trafegava próximo à cidade do Conde, no Litoral Norte. O transporte tinha saído de Recife (PE) às 18h15 com previsão de chegada a Salvador às 7h40. Já por volta das 5h, a passageira disse que dormia quando acordou com uma forte dor no rosto.

Ela tinha sido atacada naquele instante. ”Ao passar a mão, verifiquei que estava coberta de sangue. Alguém havia me cortado violentamente no rosto. Logo após tomar ciência do ocorrido, fui até a poltrona de uma amiga, que também estava viajando comigo, que me ajudou com os primeiros socorros e acordou os demais passageiros”, disse.

Após o ocorrido, a jovem e os outros passageiros foram até a delegacia do Conde, onde a ocorrência foi registrada. Conforme o Mais Região, parceiro do Bahia Notícias, todos os passageiros foram ouvidos, mas nenhum afirmou ter visto a ação.

Uma faca foi localizada com uma passageira e o objeto foi encaminhado à perícia. As câmeras de segurança do ônibus já foram solicitadas e devem ser analisadas em breve. A vítima foi levada para um hospital da região e foi liberada em seguida. A situação aconteceu na última terça-feira (29).

Homem de 29 anos foi morto a tiro na noite de sábado (03), em via pública de Maracás

/ Polícia

Vítima sofre apenas um disparo, fatal, no tórax. Foto: BMFrahm

Um homem de 29 anos foi morto com um tiro no tórax na noite deste sábado (03), no bairro Ayrton Sena, em Maracás, no Vale do Jiquiriçá. A vítima foi identificada como Elenilton Marques Gama, cujo corpo foi encontrado em decúbito dorsal trajava bermuda colorida e camisa preta.

Equipes das polícias Civil, Técnica e Militar estiveram no local e providenciaram o encaminhamento do cadáver ao Instituto Médico Legal de Jequié.  A autoria e motivação serão investigadas.

Motorista morre ao sofrer mal súbito em boleia de caminhão em trecho da BR-135, no Oeste baiano

/ Trânsito

Um caminhoneiro, de 49 anos, foi encontrado morto dentro do veículo que trabalhava em Barreiras, no Extremo Oeste baiano. O fato ocorreu por volta das 16h40 deste sábado (3). Segundo o Blog do Braga, parceiro do Bahia Notícias, Paulo Monteiro da Silva Filho teria sofrido um mal súbito e não resistiu. O motorista passava na altura do trecho da BR-135 do bairro Arboreto, saída para o Piauí, quando começou a passar mal.

Ele ainda conseguiu estacionar o veículo, ligar o pisca-alerta e pedir ajuda, mas não resistiu. Natural de Bonito (PE), o motorista dirigia um caminhão tanque com destino a Feira de Santana. Antes, ele teria almoçado em Luís Eduardo Magalhães, na mesma região, e seguiria viagem até Ibotirama, também no Oeste do Estado, quando parou em Barreiras.

Uma ambulância do Samu foi acionada e os socorristas tentaram a reanimação, mas o condutor não tinha sinais de vida. Depois de passar pelo Departamento de Polícia Técnica (DPT) de Barreiras, o corpo foi liberado para sepultamento na cidade pernambucana de Catende.

Tite confirma retorno de Neymar para confronto contra a Coreia, às 16h desta segunda-feira

/ Esporte

Neymar deve jogar contra Coreia do Sul. Foto: Lucas Figueiredo

Durante uma coletiva de imprensa realizada neste domingo (4), o treinador da seleção brasileira, Tite, confirmou que Neymar vai entrar em campo contra a Coreia do Sul, nesta segunda-feira (5), em partida válida pelas oitavas de final da Copa do Mundo do Catar.

Tite não confirmou, no entanto, se o atacante será titular da seleção. O confronto está marcado para às 16h (horário de Brasília) e será realizado no estádio 974.

Na sequência, o treinador explicou que Neymar treinará normalmente com os companheiros nesta tarde. ”Em relação ao Neymar, ele vai treinar hoje à tarde e, em treinando, vai estar no jogo. Vou esperar o treino. Não gosto de antecipar para não passar uma informação que não seja verdadeira. Quero credibilidade. Ele vai treinar, estando bem, vai para o jogo. Os outros dez eu não escalo”, afirmou.

A transmissão de Brasil x Coreia do Sul nesta segunda-feira, às 16h (de Brasília), será realizada pela TV Globo, no SporTV, no Ge e no Globoplay, além do canal de Casimiro no Youtube.

Equipe de Lula quer sintonizar comunicação do futuro governo com agilidade da internet

/ Política

Deputado federal André Janones (Avante-MG) faz parte da equipe

A comunicação do governo Luiz Inácio Lula da Silva (PT) precisará se sintonizar com a rapidez das redes sociais, ampliar o monitoramento das conversas na internet, criar uma estratégia de distribuição de informações articulada com ministros e deputados e intensificar a relação com influenciadores digitais, segundo diagnóstico do grupo de transição para a comunicação social do petista.

O principal desafio que está sobre a mesa da equipe é montar um plano que modernize a comunicação petista e coloque integrantes do governo como interlocutores no debate público.

”Bolsonaro criou o método do cercadinho e as lives de quinta-feira. O estilo de Lula é outro e não se pode esperar que seja um Janones”, diz João Brant, ex-secretário executivo do Ministério da Cultura, que coordena o grupo técnico de comunicação social.

”Será preciso criar capacidade de compreender o que acontece e reagir em tempo real, criar uma estrutura para girar em uma nova frequência.” Segundo Brant, o grupo discute como conciliar a impessoalidade exigida da administração pública com a necessidade de ter uma comunicação de redes sociais que gere engajamento.

”É preciso estar preparado para uma campanha permanente, que é como se dá a comunicação hoje, mas mantendo a institucionalidade da comunicação, que não pode ultrapassar algumas linhas”, diz. ”Ao mesmo tempo, se a comunicação do governo for puramente institucional, oficial, não vai viralizar, nem terá grande alcance.”

O combate à desinformação também está nas discussões, mas ainda não há um modelo concreto de proposta e a equipe tem evitado divulgar informações a respeito devido à sensibilidade do tema. O grupo é responsável por analisar a situação de áreas como a EBC (Empresa Brasileira de Comunicação) e a Secom (Secretaria de Comunicação Social) —desta última parte a estratégia de comunicação do governo federal.

Além de Brant, a equipe tem nomes como Helena Chagas, ex-chefe da Secretaria de Comunicação Social da Presidência, Manuela d’Ávila, ex-deputada federal (PC do B-RS), o deputado federal André Janones (Avante-MG) e o cientista político Emir Sader, militante histórico do PT.

Outro grupo, o GT de Comunicação, cuida de propostas para regulação de internet, universalização do acesso a banda larga e radiodifusão. É coordenado pelo ex-ministro do Planejamento e das Comunicações Paulo Bernardo. Conforme antecipou a Folha, o grupo propôs a criação de uma Secretaria de Serviços e Direitos Digitais nos primeiros cem dias do governo Lula.

Nesse período, o grupo também propõe a apresentação ao Congresso de projeto de regulação da internet semelhante às leis aprovadas na União Europeia, a Lei dos Serviços Digitais (DSA, na sigla em inglês) e a Lei dos Mercados Digitais (DMA, na sigla em inglês).

As plataformas de internet receberam as propostas com bastante preocupação. A atuação polêmica de Janones nas redes, que funcionou como uma máquina de propaganda antibolsonarista e sensacionalista no fim da campanha do petista, não será replicada de modo institucional, apesar de suas contribuições à equipe de transição.

Alguns elementos do estilo Janones, no entanto, foram bem-vindos, como a capacidade de gerar intimidade com o público e a intensidade de publicações na internet. ”Mas, obviamente, nem o Janones defende que seu estilo de comunicação seja o modelo para a Secom”, afirmou Brant.

O que o grupo pretende fazer se assemelha, em parte, com a estratégia da equipe do deputado federal eleito Guilherme Boulos (PSOL-SP) na campanha, que criou o que chamava de ”gabinete do amor”, a criação e a distribuição de conteúdos para pautar o debate e não ficar refém da máquina digital bolsonarista.

O idealizador da bem-sucedida estratégia digital de Boulos foi o cineasta Gabriel Gallindo, o Gallo, que já havia conseguido galvanizar a militância digital orgânica na campanha do psolista para a Prefeitura de São Paulo, em 2020.

Gallo, que foi estrategista também da campanha de reeleição da deputada Talíria Petrone (PSOL-RJ), foi integrado à campanha de Lula em julho deste ano. Mas, em meio a disputas internas por espaço, acabou se concentrando em Boulos e Petrone.

O governo de Dilma Rousseff (PT) teve uma comunicação engessada na internet, demorando a adotar análises e monitoramento de redes sociais e sem uma presença constante para se comunicar com a população.

O mandato de Jair Bolsonaro (PL), por outro lado, ficou conhecido por uma grande articulação em grupos de WhatsApp e Telegram, além do chamado gabinete do ódio, responsável por fazer circular fake news e ataques pessoais em escala.

*por Paula Soprana e Patrícia Campos Mello, Folhapress

Presidente da Câmara, Arthur Lira dribla Lula e Bolsonaro para manter poder do centrão

/ Brasília

Lira deu início ainda a uma série de movimentos. Foto: Reprodução

Arthur Lira (PP-AL) fez dois telefonemas na noite de 30 de outubro, assim que a contagem de votos selou o resultado da eleição. Primeiro, ligou para Jair Bolsonaro (PL) e, numa conversa breve, cumprimentou o presidente derrotado. Logo depois, falou com Lula (PT) pela primeira vez na vida.

O presidente da Câmara deu início ainda naquele domingo a uma série de movimentos para preservar seu poder no novo cenário político. Em minutos, Lira reconheceu publicamente o resultado e derrubou qualquer respaldo institucional à investida do aliado Bolsonaro contra as urnas eletrônicas. Ao mesmo tempo, o deputado começou a reposicionar seu grupo político para o futuro governo Lula.

Os primeiros lances de Lira, segundo parlamentares e auxiliares, tiveram o objetivo de unificar o centrão e descolar o bloco da derrota de Bolsonaro, apesar do apoio inconteste à reeleição do presidente. O plano era virar a página rapidamente para manter influência sobre as decisões políticas do país –o que inclui o comando da Câmara e o controle de ferramentas como a distribuição de verbas do Orçamento.

Lira assistiu à apuração do segundo turno com um pequeno grupo de deputados, na residência oficial da presidência da Câmara. De acordo com relatos dos participantes, o presidente da Câmara não comemorou a largada de Bolsonaro na dianteira ou lamentou a virada de Lula, na segunda metade da contagem dos votos. Um dos deputados descreveu o comportamento de Lira como ”muito frio”. Logo após os telefonemas a Lula e Bolsonaro, o presidente da Câmara revisou com aliados a nota em que reconheceria o resultado do segundo turno. Trocou uma camisa polo por terno e gravata e fez um pronunciamento na porta da residência oficial.

Lira foi uma das primeiras autoridades de Brasília (e o primeiro bolsonarista de peso) a se manifestar publicamente sobre a apuração. Ele desenhou um limite em sua aliança com o então presidente ao dizer que a vontade da maioria ”jamais deverá ser contestada”. Alguns aliados de Bolsonaro relataram, nos dias seguintes, que a frase irritou o presidente. A declaração deixou o chefe do Executivo institucionalmente isolado, de saída, para uma conspiração séria contra o resultado das urnas —o que contribuiu para o silêncio subsequente do presidente.

Não houve rompimento por conta do episódio. Lira esteve no Palácio da Alvorada durante o período agudo da reclusão de Bolsonaro. Os dois estiveram juntos por cerca de 30 minutos no dia 8 de novembro. Incomodou ao presidente da Câmara, no entanto, que grupos bolsonaristas tenham passado a tratá-lo como traidor —ainda que Lira tenha se mantido ao lado do presidente mesmo em momentos de crise, engavetando mais de cem pedidos de impeachment.

Na prática, o descolamento de Lira da campanha contra as urnas deixou ao lado de Bolsonaro nessa investida apenas integrantes radicais de sua base. Também deslocou para o PL, partido do presidente, a missão de sustentar as falsas suspeitas de fraude. Quando o chefe do PL, Valdemar Costa Neto, anunciou que acionaria o TSE (Tribunal Superior Eleitoral) para contestar o resultado das urnas, o próprio presidente da Câmara entrou em campo para tentar demovê-lo.

Em 2021, Lira chegou a dar espaço a um movimento de Bolsonaro para atacar a credibilidade das urnas eletrônicas com a proposta de implantação do voto impresso. O presidente da Câmara concordou com a tramitação do projeto e declarou que via com bons olhos a criação de ”uma auditagem, seja lá de que maneira for”. Com a derrota da proposta, Lira deu o assunto por encerrado, mas Bolsonaro jamais abandonou os ataques.

Um aliado de Lira explica o cálculo feito, agora, para distanciar o centrão de ameaças de ruptura: esses políticos têm mais a ganhar num quadro de democracia, com um Congresso forte —o que não seria o caso numa escalada autoritária com Bolsonaro. A opção foi construir um caminho para concentrar poder durante o governo Lula. Lira se apressou para aglutinar o centrão, expandir sua influência e melhorar as condições políticas do grupo. Esse caminho passava necessariamente pela consolidação de uma maioria para reeleger o presidente da Câmara.

Nos dias seguintes à vitória de Lula, os petistas procuraram potenciais aliados para avaliar a disposição e a musculatura de partidos de centro para enfrentar Lira na disputa. União Brasil (59 deputados eleitos) e MDB (42) se mostraram dispostos a embarcar na empreitada. O presidente da Câmara reagiu. Graças à distribuição de verbas sob controle do Congresso, Lira tem influência razoável sobre deputados desses dois partidos. Ele trabalhou para fortalecer dissidências internas e ofereceu uma alternativa aos dirigentes das legendas. Ciro Nogueira, ministro da Casa Civil de Bolsonaro e presidente licenciado do PP, participou das conversas.

Segundo a lógica da oferta, esses partidos poderiam negociar espaços no próximo governo para fazer parte da base aliada de Lula, mas ganhariam ainda mais benefícios se também apoiassem um presidente da Câmara independente. Teriam, além dos ministérios, espaço em comissões importantes na Câmara e acesso ao dinheiro do Orçamento. Quando Lula e Lira tiveram seu primeiro encontro presencial, no dia 9 de novembro, a conta da reeleição já estava praticamente fechada. A União Brasil sinalizava apoio ao presidente da Câmara, e o MDB aparecia dividido.

Lira antecipou em mais de dois meses a montagem de uma maioria para a eleição na Câmara, que só acontece no início de fevereiro. Ele usou o tempo a seu favor, uma vez que a principal moeda de Lula para expandir sua coalizão (a distribuição de ministérios) ainda deve demorar a ser gasta. A movimentação deixou o PT sem opções. O partido tirou o time de campo nas negociações por uma candidatura alternativa e, naquela reunião de 9 de novembro, Lula deu o sinal de que não entraria em bola dividida.

O apoio oficial do PT a Lira só ocorreria semanas depois. A sigla ainda hesitou porque aderir à reeleição do presidente da Câmara significaria ficar atrás de legendas que chegaram mais cedo ao bloco, como o PL, e teriam mais espaço nas comissões e na direção da Casa.Lira teria uma maioria para se reeleger mesmo sem o apoio do PT e de outros partidos de esquerda. Ele disse a aliados, no entanto, que manteria as portas abertas ao novo governo porque era mais valioso ter um diálogo com o Palácio do Planalto do que trabalhar como adversário do presidente da República.

Com o centrão unido, Lira transferiu a Lula uma dependência antecipada em relação ao presidente da Câmara, que começou a ser exibida nas negociações da PEC (Proposta de Emenda à Constituição) que amplia gastos do governo. Sem maioria no plenário da Casa, os petistas aceitaram a desidratação da proposta e a abertura de uma brecha para garantir o pagamento das emendas de relator ainda nos meses finais da gestão Bolsonaro —cujo crédito político caberá exclusivamente a Lira.

*por Bruno Boghossian, Folhapress

Covid-19: Brasil registra 24.227 casos e 35 mortes provocadas pela doença em 24 horas

/ Brasil

O Brasil registrou 24.227 casos e 35 mortes por covid-19 em 24 horas, segundo o boletim epidemiológico do Ministério da Saúde. Desde o início da pandemia, foram registrados 35,36 milhões de casos e 690.109 óbitos pela doença.

Os números divulgados pelo ministério não trazem os dados da Bahia, do Distrito Federal, de Minas Gerais, do Mato Grosso do Sul, do Mato Grosso, do Pernambuco, do Rio de Janeiro, do Rio Grande do Norte, de Roraima, de São Paulo, de Piauí, de Maranhão e do Tocantins.

Segundo o boletim, 34,26 milhões de pessoas se recuperaram da covid-19, o que representa 97% dos infectados. Há ainda 413.424 casos em acompanhamento, o que dá 1,1% dos casos.

Estados

São Paulo é a unidade da Federação que registra o maior número de casos e de mortes, com 6,2 milhões e 176.356, respectivamente. Em seguida, em relação ao maior número de casos, aparece Minas Gerais (3,93 milhões) e Paraná (3,79 milhões). Os menores números de casos foram registrados no Acre (154.671), Roraima (179.519) e Amapá (181.738).

Em relação ao número de mortes, o segundo estado com maior número de óbitos é o Rio de Janeiro (76.143) seguido por Minas Gerais (63.995). Os menores índices estão no Acre (2.032), Amapá (2.165) e Roraima (2.177).

Vacinação

Segundo o Ministério da Saúde, foram aplicadas 494,33 milhões de doses de vacina contra a covid-19. Desse total, 181,03 milhões são de primeira dose, 163,5 milhões da segunda dose e 5,02 milhões de dose única. A dose de reforço foi 101,48 milhões, a segunda dose de reforço foi 38,38 milhões e a dose adicional de 4,91 milhões. Da Agência Brasil

Após votação, sócios do Bahia aprovam proposta de venda da SAF ao Grupo City por R$ 1 bilhão

/ Esporte

Bellintani discursou durante a confirmação. Foto: Felipe Oliveira/ EC Bahia

Os sócios do Bahia aprovaram a venda da Sociedade Anônima do Futebol (SAF) ao Grupo City. O conglomerado de investidores pagará R$ 1 bilhão por 15 anos de controle do departamento de futebol do Tricolor. A votação aconteceu neste sábado (3), na Arena Fonte Nova, e o ”Sim” venceu a disputa nas urnas por 12.920 votos, contra 183 que disseram ”Não”. Foram 10 abstenções. O resultado também marcou o recorde de votação, sendo maior, inclusive, da que definiu a mudança do estatuto. Foram 13.113 votos totais.

Com a aprovação da proposta, o Grupo City se comprometerá a investir R$ 1 bilhão. A quantia será dividida em três montantes. Serão R$ 500 milhões para a compra de jogadores, R$ 300 milhões para o pagamento de dívidas e outros R$ 200 milhões em infraestrutura, categorias de base e capital de giro. No entanto, este último item não é obrigatório.

Na expectativa da ”nova era” do clube, como muitos tricolores estão chamando, diversos torcedores do Esquadrão de Aço foram à Arena Fonte Nova para participar de perto do momento histórico do Bahia. Ao longo de toda a expectativa pelo resultado, os torcedores entoavam cânticos, principalmente o hino do clube.  Durante a apuração, os torcedores vaiaram os votos ”não” e vibraram a cada voto pelo ”sim”. Com informações do site Bahia Notícias