Acidente entre ônibus e caminhão deixa seis feridos na BR-101, em Santo Antônio de Jesus

/ Trânsito

Seis pessoas ficam feridas em acidente na BR-101 — Foto: BATV Subaé

Seis pessoas ficaram feridas em um acidente na BR-101, nesta quinta-feira (15), próximo a Santo Antônio de Jesus, cidade do Recôncavo Baiano. A batida foi entre um ônibus e um caminhão que carregava adubo, conforme informações da Polícia Rodoviária Federal (PRF).

Quatro vítimas tiveram ferimentos leves e as outras duas ficaram em estado grave, devido às perfurações causadas por pedaço de madeira da carroceria do caminhão. Parte do veículo de carga ficou destruído após a batida.

Segundo a PRF, a motorista do ônibus contou que aguardava no acostamento da pista quando foi atingido pelo caminhão, que estava desgovernado. O motorista do caminhão disse que houve um problema mecânico que travou a caixa de direção. Com informações do G1

Bahia registra 424 casos de Covid-19 e um óbito nas últimas 24 horas, diz boletim da SESAB

/ Bahia

Na Bahia, nas últimas 24 horas, foram registrados 424 casos de Covid-19 e uma morte. De acordo com a Secretaria da Saúde do Estado da Bahia (Sesab), de 1.691.828 casos confirmados desde o início da pandemia, 1.660.539 são considerados recuperados, 604 encontram-se ativos e 30.685 pessoas foram a óbito.

Segundo a Sesab, o boletim epidemiológico desta quinta-feira (15) contabiliza ainda 2.019.282 casos descartados e 359.798 em investigação. Na Bahia, conforme a secretaria, 68.466 profissionais da saúde foram confirmados para Covid-19.

Vacinação

A Sesab ainda informa que a Bahia contabiliza 11.651.808 pessoas vacinadas com a primeira dose, 10.814.462 com a segunda ou dose única, 7.263.982 com a de reforço e 2.146.012 com o segundo reforço. Do público de 5 a 11 anos, 1.040.319 crianças foram imunizadas com a primeira dose e 670.092 tomaram também a segunda. Do grupo de 3 e 4 anos, 44.471 tomaram a primeira e 5.942 tomaram a segunda dose.

Após anúncio de cortes, Otto Alencar defende o programa Farmácia Popular; ”não aceito o fim”

/ Política

Otto

Médico e considerado como ”o senador da saúde”, sobretudo após sua atuação aguerrida na CPI da Covid, Otto Alencar (PSD-BA), candidato à reeleição, criticou mais um corte, desta vez de quase 60% no programa social Farmácia Popular, que atende a 22 milhões de pessoas. Ao contrário da verba de R$ 2,04 bilhões deste ano, para 2023 a previsão do governo Bolsonaro é de apenas R$ 804 milhões, uma redução superior a R$ 1 bilhão.

”É um absurdo o que o governo federal está propondo, e colocará muita gente em risco. O programa é da maior importância, pois atende a pessoas que fazem uso de medicação continuada, como hipertensos, asmáticos e diabéticos. Não aceito o fim do programa e vou continuar lutando pela sua manutenção”, adverte.

Pelo corte anunciado, 13 princípios ativos de remédios usados no tratamento continuado de hipertensão, asma e diabetes, justamente as doenças apontadas pelo Ministério da Saúde como as que mais acometem a população, sofrerão uma queda drástica na oferta gratuita pelo Farmácia Popular. Além disso, o corte incluirá fraldas geriátricas, preservativos e medicamentos para outras doenças cobertas pelo programa social, criado em 2004, na primeira gestão do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT).

Olhar atento
Presidente da Comissão de Assuntos Econômicos do Senado (CAE), Otto Alencar diz que o colegiado terá papel decisivo na discussão sobre os recursos previstos para 2023, com um olhar atento à perda de valores destinados aos programas sociais. “E o Farmácia Popular é uma política pública de saúde da maior importância para a população de menor poder aquisitivo, pois distribui, gratuitamente, medicamentos vitais para o tratamento de doenças que ainda matam muitas pessoas no Brasil”, alerta o senador.

Outra preocupação de Otto é em relação às consequências que essa interrupção nos tratamentos pode causar no Sistema Único de Saúde (SUS), já que muitos beneficiários do sistema terão que recorrer muito mais aos serviços dos hospitais públicos e clínicas conveniadas. “Isso será inevitável, são 22 milhões de pessoas que não terão como comprar esses medicamentos nas farmácias privadas”, observa.

Outras doenças – Além dos medicamentos gratuitos para hipertensão, diabetes e asma, o Farmácia Popular oferece mais 11 itens com preços até 90% mais baratos, utilizados no tratamento de dislipidemia, rinite, mal de Parkinson, osteoporose e glaucoma, além de contraceptivos e fraldas geriátricas para incontinência urinária.

Após cortes no Farmácia Popular, Jair Bolsonaro diz que governo pode recompor valores em 2023

/ Brasília

O presidente Jair Bolsonaro (PL) indicou que trabalhará para reverter o corte de 50% das verbas da Farmácia Popular (veja aqui) que consta na proposta de Orçamento para 2023 enviada pelo governo ao Congresso.

A ideia de reduzir o programa acendeu um alerta na equipe de campanha à reeleição do mandatário, que reagiu e disse que ”ninguém será prejudicado” em seu governo.

”Temos recursos porque não roubamos, tem dinheiro sobrando para atender a tudo isso. E será refeito agora pelo parlamento brasileiro e, se não for possível, nós acertaremos essa questão ano que vem”, afirmou em entrevista à CNN divulgada nesta quinta-feira (15).

O chefe do Executivo disse que ”ninguém precisa ficar preocupado porque jamais” abandonaria os “mais humildes na busca de um remédio na Farmácia Popular”.

Está previsto no orçamento para o próximo ano elaborado pelo Executivo o corte de ao menos 50% no Farmácia Popular e também e no programa Mais Médicos e na saúde indígena.

A medida orçamentária atingirá programas centrais no atendimento à população e deflagrou o temor de repercussão negativa nas urnas. Bolsonaro decidiu acionar os ministros Marcelo Queiroga (Saúde) e Paulo Guedes (Economia) para tentar rever o corte no Farmácia Popular.

Diante da repercussão negativa das reduções, Guedes saiu a campo e citou o programa ao sinalizar, nesta quarta-feira (14), uma recomposição dos recursos da Saúde por meio de mensagem modificativa do orçamento.

Apesar do pedido de Bolsonaro e da sinalização de Guedes, ainda não foi enviada qualquer comunicação formal ao Congresso. Técnicos ressaltam que isso só deve ser feito após as eleições.

A redução significativa nos recursos do Mais Médicos -rebatizado pelo atual governo de Médicos pelo Brasil- também já entrou no radar do Ministério da Saúde como um ponto de alerta, embora os dois programas não sejam os únicos atingidos.

Como mostrou a Folha, a verba da Saúde para custeio e investimentos sofreu um corte de 42% na proposta para 2023. Para cumprir o gasto mínimo assegurado pela Constituição, o Executivo vai depender das chamadas emendas de relator, instrumento usado como moeda de troca nas negociações com o Congresso. Procurada, a pasta não se manifestou sobre os cortes.

AtlasIntel / A Tarde: ACM Neto e Jerônimo Rodrigues aparecem empatados em nova pesquisa

/ Política

Pesquisa foi contratada pelo jornal A Tarde. Foto: Reprodução

A nova rodada da pesquisa AtlasIntel, contratada pelo jornal A Tarde e divulgada nesta quinta-feira (15), mostra empate entre os candidatos ao Governo da Bahia ACM Neto (União) e Jerônimo Rodrigues (PT).

De acordo com o levantamento, Neto recuperou os 4,1 pontos perdidos desde julho e surge novamente na liderança com 40,8%, 1,1 ponto acima das intenções registradas na primeira pesquisa. Já o petista que na pesquisa anterior tinha 38% avançou para 40,3%. A diferença entre os dois é de meio ponto percentual. João Roma (PL) mantém a terceira colocação, mas apresentou queda nas intenções de voto de 14,7% para 12,3%.

Na simulação do segundo turno. Neto aparece com 47,5% contra 42,9% de Jerônimo, uma vantagem 0,6 ponto acima da margem de erro de dois pontos percentuais para mais ou para menos.

A corrida para o Senado, Otto Alencar (PSD) candidato à reeleição na chapa liderada por Jerônimo, aparece com 50% das intenções de voto, mais de três vezes o percentual da segunda colocada, Raissa Soares (PL), candidata bolsonarista, que ostenta 14,6% da preferência dos eleitores. Cacá Leão (PP), candidato de ACM Neto, aparece com 11,9%.

A pesquisa também ouviu a preferência dos eleitores baianos para a Presidência da República. Neste cenário, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) lidera com mais do dobro dos votos do principal concorrente, o presidente Jair Bolsonaro (PL). No levantamento, o petista aparece com 63,3% e Bolsonaro com 25,4%

A pesquisa ouviu 1.600 pessoas no período de 10 a 14 de setembro, com coleta de dados via recrutamento digital aleatório. A margem de erro é de dois pontos percentuais para mais ou para menos, com nível de confiança de 95%. O levantamento está registrado no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) sob o número BA-02878/2022. Com informações do Bahia Notícias

Pesquisa inédita aponta mais de 5 mi de vítimas de ameaças por posições políticas partidárias no Brasil

/ Política

Pesquisa inédita da Rede de Ação Política pela Sustentabilidade (RAPS) e do Fórum Brasileiro de Segurança Pública (FBSP) mostra que os brasileiros estão com medo da violência política e que uma parte da população relata ter sofrido casos de violência política por conta de suas escolhas políticas e partidárias.

De acordo com a pesquisa “Violência e Democracia: panorama brasileiro pré-eleições de 2022”, 3,2% dos entrevistados, o equivalente a cerca de 5,3 milhões de brasileiros com 16 anos de idade ou mais, disseram que foram vítimas de ameaças por motivos políticos nos 30 dias anteriores ao levantamento. Outros 67,5% dos entrevistados afirmaram que sentem medo de serem agredidos fisicamente em razão de suas escolhas políticas ou partidárias.  A pesquisa foi encomendada ao Datafolha pelas duas organizações e realizou mais de 2.100 entrevistas em todas as regiões do Brasil, entre os dias 3 e 13 de agosto de 2022.

Os resultados apontam para um quadro preocupante, em especial às vésperas do primeiro turno das eleições de 2022, e diante da escalada da violência política que tem atingido eleitores, candidatos e candidatas em várias regiões do país.

A boa notícia é que quase 90% dos entrevistados concordam que o vencedor das eleições nas urnas deve ser empossado em 1º de janeiro de 2023; 89,3% concordam com a frase “O povo escolher seus líderes em eleições livres e transparentes é essencial para a democracia”, e 88,5% concordam que ”O povo ter voz ativa e participar nas principais decisões governamentais é essencial para a democracia”.

Para compreender a percepção da população brasileira acerca da agenda de direitos – típica das democracias –, da adesão a valores autoritários e da satisfação e apoio ao próprio regime democrático, a pesquisa repete a investigação de dois indicadores criados pelo FBSP em 2017 – Índice de Propensão ao Apoio a Posições Autoritárias e Índice de Propensão ao Apoio à Agenda de Direitos Civis, Humanos e Sociais – e cria um novo índice: Índice de Propensão à Democracia. Os índices têm escala de 0 a 10 e são formados por diferentes dimensões com base em um conjunto de afirmações que medem o grau de concordância ou discordância do entrevistado.

O resultado do Índice de Propensão à Democracia, que mede o quanto as pessoas estão propensas a apoiar valores democráticos, como respeito às instituições e leis instituídas, separação dos poderes, deveres e direitos dos poderes públicos, processo eleitoral, liberdade individual e direitos humanos, foi positivo e atingiu 7,25 na escala. A pontuação é considerada alta pelos responsáveis pela pesquisa, em especial porque mais da metade dos respondentes registraram pontuação igual ou superior a 7 pontos, de 0 a 10.

”É comum pensarmos apenas nas eleições e no voto quando falamos em regimes democráticos, mas é preciso lembrar que as democracias existem de fato quando há condições para a participação efetiva dos cidadãos na vida política e cívica, o que é impossível numa sociedade dominada pelo medo, pela insegurança e que não sabe o que vai comer na próxima refeição”, aponta a cientista política Mônica Sodré, diretora executiva da RAPS.

 SENSAÇÃO DE INSEGURANÇA

A queda nos números de mortes violentas no Brasil, que tem sido observada desde 2018, não foi capaz de ser percebida pela população como indício de sociedade mais segura e, de acordo com o estudo, a exploração do medo tornou-se arma política.  O estudo mostra que o medo da violência cresceu desde 2017 – era de 0,68 numa escala de 0 a 1 e está em 0,76.

 ”A pesquisa reforça a centralidade da segurança pública no debate político, em que a violência e o medo aparecem como dimensões fundamentais para compreendermos a sociedade atual”, aponta Renato Sérgio de Lima, diretor-presidente do Fórum Brasileiro de Segurança Pública. ”Apesar da queda do número de homicídios, outros dados reforçam que vivemos em uma sociedade violenta e com medo. E esse medo não parece descolado na realidade, sobretudo quando a pesquisa nos mostra que o equivalente a mais de 5,3 milhões de pessoas foram vítimas de ameaças por suas posições políticas somente no período que compreende os 30 dias anteriores às entrevistas do Datafolha”, explica.  Com informações do site Bahia Notícias

Estado da Bahia ultrapassa a marca de 100 casos de varíola dos macacos, informou a SESAB

/ Saúde

A Bahia chegou a 101 casos de varíola dos macacos, segundo boletim da Secretaria Estadual de Saúde (Sesab), divulgado nesta quarta-feira (14). Desses, 67 foram registrados em Salvador.

Feira de Santana tem seis casos confirmados; Conceição da Feira, quatro; Lauro de Freitas, três; Vitória da Conquista, três; Maracás, dois; Santo Antônio de Jesus, 2; e um em Cairu, Conceição do Almeida, Conceição do Coité, Conceição do Jacuipe, Ilhéus, Irecê, Itabela, Jeremoabo, Juazeiro, Mutuípe, Pé de Serra, Teixeira de Freitas e Xique-Xique. Além dos confirmados, a Bahia tem 392 casos notificados suspeitos que aguardam diagnóstico laboratorial.

 

Xanddy anuncia fim da banda Harmonia do Samba e início de carreira solo: ”um novo ciclo”

/ Entretenimento

”Por razões das mais diversas”, diz Xanddy. Foto: Rede social

O cantor Xanddy anunciou nesta quarta-feira (14) o fim da banda Harmonia do Samba. A partir do dia 1º de outubro ele seguirá carreira solo como ‘Xanddy Harmonia”. O anúncio foi feito através de uma publicação em uma rede social.

O artista disse que irá contar com o apoio do diretor musical Mestre Bimba, bem como de toda a banda e equipe. ”Por razões das mais diversas ordens se fez necessário algumas tomadas de decisões, sendo essa a mais difícil. Não queremos deixar espaço para especulações: a decisão para essa mudança foi muito pensada, amadurecida e tomada em conjunto”.

Conforme o comunicado, todos os compromissos de shows já contratados como Harmonia do Samba serão devidamente cumpridos, segundo o G1.

Leia o comunicado na íntegra:

“Em respeito aos nossos torcedores/fãs fiéis, nossos parceiros/contratantes e amigos que nos acompanham ao longo desses anos e compartilharam desse sonho conosco, informo que a partir do dia 01/10/2022 seguirei como ‘Xanddy Harmonia’. Deixo claro que este não é o fim, mas sim, o início de um novo ciclo para todos nós.

Seguirei dando voz a nossa história musical e nessa nova jornada, contarei com o apoio do meu irmão e diretor musical Mestre Bimba, assim como toda banda e equipe.

Por razões das mais diversas ordens se fez necessário algumas tomadas de decisões, sendo essa a mais dificil. Não queremos deixar espaço para especulações: a decisão para essa mudança foi muito pensada, amadurecida e tomada em conjunto. Esse é um novo momento para todos nós.

O Harmonia do Samba permanecerá vivo em mim. Nossa história está resguardada e, apesar das mudanças, o time permanece junto e segue firme com a nossa torcida.

Reitero que até a presente data, todos os compromissos de shows já contratados como Harmonia do Samba, serão devidamente cumpridos.

Que Deus nos abençoe.”

Seis em cada 10 baianos estão em insegurança alimentar; Bahia fica em 5º no ”ranking da fome”

/ Bahia

Principalmente após os efeitos da pandemia da Covid-19, a fome voltou a ”assombrar” a população brasileira. Fotos de pessoas buscando descartes de alimentos para poder ter algo para se alimentar, infelizmente, se tornaram cada vez mais comuns. A Bahia é o quinto estado com a maior quantidade de habitantes em situação de Insegurança Alimentar (IA), com 9,38 milhões de pessoas, representando 62,6% da população baiana. Os dados foram coletados do levantamento “Olhe para a Fome” e organizados pelo Bahia Notícias.

Mais de 1,7 milhão (11,4%) de baianos estão em situação de fome, não tendo nenhuma refeição garantida em seu dia, sendo enquadrados na categoria de IA Grave. Sobre a IA Moderada, que também agrega a insuficiência alimentar das famílias, porém em uma escala menor, esse número sobe para 2,25 milhões (15%). Com quase 15 milhões de habitantes na Bahia, apenas 5,6 milhões (37,4%) possuem acesso pleno à alimentação, sendo categorizados em Segurança Alimentar (SA).

Na Bahia, 44,7% das crianças abaixo dos 10 anos de idade passam por dificuldades para se alimentar todos os dias, estando em IA Grave ou Moderada. Apenas 29,3% possuem acesso a alimentação sem restrições.

Na população adulta, os principais afetados pela fome são os trabalhadores informais ou desempregados, atingindo 42,1% dos habitantes nesta situação. Em relação aos trabalhadores formais, que possuem carteira assinada, a incidência de IA Grave ou Moderada tem forte queda, atingindo 11,5% da população.

Apesar de ter o seu menor índice desde 2015, a Bahia liderou a taxa de desemprego do primeiro semestre de 2022 sobre os outros estados do Brasil. Entre abril e julho deste ano, a porcentagem de desempregados do estado chegou a 15,5%. Além disso, os baianos estão entre os líderes de trabalhadores informais, com 53,1% da população ocupada sem registro na carteira de trabalho (relembre aqui).

A escolaridade, pelo visto, parece ser fator fundamental para o combate contra a fome. 33% dos habitantes sem grau de instrução ou com menos de 8 anos de estudo passam por dificuldades alimentares na Bahia, enquanto para os baianos com mais de 8 anos de acesso à formação acadêmica essa incidência cai para 21,4%.

Vale lembrar que, nos últimos sete anos, o governo do estado diminuiu os investimentos em educação, conforme foi revelado pelo Bahia Notícias. Desde 2014,  o setor de formação registrou uma perda de R$ 3,197 bilhões. Atualmente, apenas 11,76% do orçamento do governo da Bahia foi destinado para a educação (veja mais aqui).

O levantamento Olhe para a Fome realizou avaliação em 510 domicílios ao redor do estado da Bahia, chegando nas áreas urbanas e rurais. A coleta de dados ocorreu entre novembro de 2021 e abril de 2022. Os resultados mostram desigualdades sociais e de acesso aos alimentos não apenas entre as macrorregiões, mas também entre os estados de uma mesma macrorregião.

FOME NO BRASIL

De acordo com a pesquisa, no Brasil se tem 125,2 milhões de habitantes em situação de IA. Do total, 33 milhões estão passando fome, ou seja, a cada 10 famílias brasileiras, 3 não possuem pelo menos uma refeição garantida por dia. Em 2020, havia 116,8 milhões de brasileiros com algum grau de insegurança. Sendo que 19 milhões já enfrentavam a fome no país.

À frente na Bahia na questão de IA, ficaram os estados de: São Paulo (26,1 milhões), Minas Gerais (11,2 milhões) e Rio de Janeiro (9,9 milhões). Em relação a incidência, a unidade federativa do Ceará liderou o quesito com 81,8% dos habitantes em situação de IA.

Para o lado de segurança, em questão quantitativa, o estado com maior quantidade de pessoas em SA foi São Paulo, com mais de 20 milhões. Em questões percentuais, a UF com o melhor resultado foi o Espírito Santo, com 61,1%. Com informações do site Bahia Notícias

Zé Cocá diz que João não precisa recorrer à justiça sobre descarte do lixo; ”basta cumprir a lei”

/ Política

Cocá diz que João tenta gerar factoide eleitoral. Foto: MFrahm

Em resposta ao ex-afilhado político, João Freitas (PP), que teria questionado a decisão da Prefeitura de Jequié de proibir a gestão de Lafaiete Coutinho de descartar no Aterro Sanitário os resíduos sólidos (lixos) produzido pelo se município Zé Cocá (PP) disse que João tenta gerar factoide eleitoral com fala fora de contexto quando afirmou ao Blog do Marcos Frahm que irá recorrer à Justiça para reverter à situação.

A em nota, divulgada desta quarta-feira (14), a Prefeitura de Jequié teria informado que as cidades vizinhas celebraram um termo de cooperação para que o Aterro Sanitário de Jequié recebesse e tratasse o lixo produzido em Lafaiete e que, ”em contrapartida, Lafaiete seria responsável pelas obras de manutenção das estradas do distrito do Baixão e das estradas que fizessem limites entre os dois municípios. Mas, que infelizmente, o termo de cooperação não foi cumprido pela Prefeitura de Lafaiete, que só fez 10% das obras e abandonou os serviços. A Procuradoria Municipal de Jequié notificou, oficialmente, o prefeito de Lafaiete, José Freitas de Santana, o João Véi, por duas vezes, e de forma extra oficial, mais de dez vezes, portanto não é verdade que o prefeito foi pego de surpresa”, diz um trecho da nota, que é veementemente contestada por João, afirmando ter cumprido o acordo com a recuperação das estradas.

Para Cocá, críticas a sua conduta com fins eleitoreiros tem sido uma regra de seus opositores, que tentam levantar dúvidas na cabeça dos munícipes em relação ao seu perfil. Zé diz acreditar que, João, que chegou ao cargo de prefeito eleito em 2016 e reeleito em 2020 pelo eleitorado através de sua indicação depois de dois mandatos consecutivos bem avaliados em Lafaiete COM Freitas atuando como secretário quando Cocá exercia o cargo de chefe do Executivo por lá até 2016 estaria sendo influenciado a criar distorções que prejudiquem o bom debate democrático. Ele negou que a proibição por parte de Jequié teria intenção de prejudicar a população da cidade que lhe projetou no cenário estadual e que tem marcas significativas da sua passagem pelo comando do município. ”Não precisa de outra coisa, só do cumprimento do compromisso firmado entre os municípios com o acompanhamento do Ministério Público. Por Lafaiete, tenho uma história de trabalho pelo seu desenvolvimento”.

O gestor de Jequié considera que a decisão foi nitidamente tirada do contexto administrativo quando João diz ter cumprido o TAC, firmado com anuência do Ministério Público e que não há motivação para recorrer à Justiça. ”Basta cumprir a lei, o que foi acordado, cumprir o TAC. Foi assinado um termo de compromisso e isso tem que ser cumprido. Eu não posso mentir ao MP”, explicou Cocá ao BMFrahm.

Ruptura

João e Zé tinham uma relação próxima de amizade e mantiveram laços políticos até o primeiro semestre deste ano, quando Cocá rompeu a aliança com o governador Rui Costa (PT) para apoiar o ex-prefeito de Salvador, ACM Neto (UB) e Freitas decidiu permanecer na base governista. Além disso, o mandatário de Lafaiete se posiciona contrário ao candidato a deputado estadual, Hassan Iosseff (PP), apoiado por Cocá e defende a candidatura de Patrick Lopes (Avante), ex-prefeito de Jitaúna, outro que cortou vínculo político com Zé.

Olimpíadas Especiais das Apaes da Bahia em Jequié celebra a inclusão no esporte e reúne 21 delegações

/ Jequié

Evento ocorre no Ginásio Poliesportivo Aníbal Brito. Foto: Divulgação

Foi dada a largada para os jogos das Olimpíadas Especiais das Apaes da Bahia. A cerimônia oficial de abertura aconteceu na noite de terça-feira (13), no Ginásio Poliesportivo Aníbal Brito, na cidade de Jequié. As medalhas estão sendo disputadas por mais de 400 competidores vindos de diversas unidades espalhadas pelo estado.Os jogos, que vão até o dia 16, contam com 8 modalidades, sendo elas: atletismo, futsal, bocha, futebol de sete, natação, ginástica rítmica, capoeira e handebol.As competições estão acontecendo simultaneamente no Ginásio Aníbal Brito, no Complexo Esportivo da Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia (UESB) e no Décimo Nono Batalhão da PM.

As 21 delegações participantes representam as cidades de Camaçari, Canavieiras, Eunápolis, Feira de Santana, Irecê, Ilhéus, Itapetinga, Jacobina, Jequié, Juazeiro, Luís Eduardo Magalhães, Paulo Afonso, Riachão do Jacuípe, Salvador, Santa Maria da Vitória, Santo Amaro, Santo Estevão, São Francisco do Conde, Una, Valente e Vitória da Conquista.

O evento é promovido pela Federação das Apaesdo Estado da Bahia (Feapaes-BA), em parceria com a Apae de Jequié.Para Narciso Batista, presidente da Feapaes-BA, se trata de um evento muito importante, pois está reunindo a comunidade apaeana da Bahia que estava afastada há dois anos por conta da pandemia. ”É o maior evento esportivo voltado à pessoa com deficiência intelectual e múltipla no estado e serve como seletiva para a edição nacional dos jogos, que acontecem em Aracaju, em dezembro.  Eu estou muito feliz com a realização das Olimpíadas, a cerimônia de abertura foi um sucesso e estamos trabalhando para que os nossos assistidos, os protagonistas de tudo, desenvolvam sua autonomia através de seus talentos esportivos”, conta a o presidente.

Maracás: Com Euclides e Arthur Maia, prefeito diz que merece o voto quem conquista com o trabalho

/ Política

Soya recepciona Euclides e Arthur Maia. Foto: Jefferson Meira

O prefeito de Maracás, Soya Novaes (PDT), recepcionou, na noite desta quarta-feira (14), os seus respectivos candidatos a Assembleia Legislativa da Bahia e a Câmara Federal, Euclides Fernandes (PT) e Arthur Maia (UB), correligionários que marcham com o mandatário desde as eleições anteriores.

Num encontro com apoiadores no espaço de eventos do Maraclube, na Avenida Brasília, Centro da cidade, Soya discursou ao lado da primeira-dama Guida Galvão, do vice-prefeito Samuel Nascimento, do presidente da Câmara, Zitinho do Maracujá e de secretários municipais.

Considerado político de perfil conservador, o prefeito, que foi reeleito em 2020 com 52,72% dos votos, Soya disse que não comunga com a prática errônea de fazer política e afirmou que o deputado merecedor do voto é aquele que conquista e eleitor com o trabalho e não com benefícios individuais, fazendo referência aos parlamentares aliados.

Da iniciativa privada, comerciante na cidade, o prefeito relembrou o seu ingresso na política como candidato ainda em 2012, sob influência de Euclides, filiando-se ao PDT, mas não logrou êxito no primeiro teste eleitoral, sendo o segundo colocado à época.

Candidatou-se novamente e eleito para o primeiro mandato em 2016, ao derrotar o mesmo adversário de 2012, o então prefeito Paulo dos Anjos, que era filiado ao PT. ”Vamos fazer de nossas pernas as suas, Euclides. É um homem de palavra, que nos ajudou a trabalhar por Maracás. Arthur é um homem sério, também colaborou com Maracás e são esses os nossos candidatos. Vamos precisar da ajuda de cada eleitor para retribuir o trabalho desses dois grandes homens”.

Candidato à reeleição, Euclides sofreu acidente com um animal no mês passado e precisou ser submetido a uma cirurgia em uma das pernas, mas apesar da limitação, está tocando a campanha e visitando os municípios com apoio de sua equipe e de profissionais da saúde.

ACM Neto inicia intensa agenda e diz que dará atenção aos problemas da saúde no Recôncavo baiano

/ Política

”A gente vai virar esse jogo”, diz ACM Neto. Foto: Divulgação

O candidato a governador ACM Neto iniciou nesta quarta-feira (14) mais uma agenda pelo interior, que percorrerá 23 cidades de diferentes regiões da Bahia. A primeira visita foi ao Recôncavo, onde Neto participou de uma carreata em Santo Antônio de Jesus e de uma caminhada em Cruz das Almas.

Wagner acredita em vitória no 1° turno e diz que Jerônimo está melhor do que o esperado

/ Política

”Apresentamos Rui que não era bem conhecido”. Foto: Reprodução

Nas eleições de 2006, as pesquisas do então instituto Ibope para o governo da Bahia apontavam uma vitória de Paulo Souto (PFL) ainda no primeiro turno. Abertas as urnas, as eleições se mostram resolvidas no primeiro turno, mas com Jaques Wagner eleito. Em 2014, o mesmo instituto indicava mais uma vez a vitória no primeiro turno de Paulo Souto, na época do Democratas. Mais uma supresa: Rui Costa foi eleito sem direito a um segundo turno.

O agora senador Jaques Wagner acredita que essa trajetória deve se repetir com Jerônimo Rodrigues, candidato do PT ao Governo. Em entrevista na Rádio Metropole, nesta quarta-feira (14), Wagner afirmou ainda que o ex-secretário da Educação está melhor do que ele e Rui Costa estavam a essa altura da campanha em suas primeiras eleições para o governo.

”É gozado que é um pouco repeteco. Quando eu fui apresentado, em 2006, era pouco conhecido, deu aquela surpresa. Depois a gente se firmou e a reeleição já foi para 64%. Apresentamos Rui que também não era bem conhecido, apesar de já ser deputado bem votado. Ganhou e se firmou também, a reeleição dele eu digo que foi um passeio, 72% […] Agora a gente está apresentando Jerônimo. Eu digo, com muita franqueza: ele está muito melhor do que a gente esperava”, afirmou.

Perguntado sobre a possibilidade das eleições da Bahia chegarem ao final ainda no primeiro turno, o petista se mostrou otimista. Ele acredita que Jerônimo pode sair vencedor ainda no dia 2 de outubro, caso o cenário continue polarizado.

”Essa é uma eleição diferente, houve um racha do lado de lá. Mas se continuar polarizado, a gente pode acabar no primeiro turno com a vitória de Jerônimo.  Mas não estou fazendo essa aposta, porque depende muito do desempenho de Lula e não gosto de fazer essa aposta, [porque] o pessoal fica achando que é arrogância”, desviou Wagner.  do Metro1