Preço do gás de cozinha praticado pela Petrobras junto às distribuidoras, será reduzido hoje

/ Economia

O preço médio do gás liquefeito de petróleo (GLP), praticado pela Petrobras junto às distribuidoras, será reduzido a partir de amanhã (13). De acordo com a estatal, o valor do quilo (kg) passa de R$ 4,23 para R$ 4,03. O reajuste representa uma queda de 4,7%.

É a segunda redução consecutiva no preço do GLP, também conhecido como gás de cozinha. Em abril deste ano, houve uma queda de R$ 0,25 no valor do kg. Antes, no entanto, os preços mantinham trajetória de alta. Em julho do ano passado, houve aumento de 6%; em outubro de 7,2% e em março deste ano de 16,1%.

Segundo a Petrobras, o preço médio de 13 kg, correspondente à capacidade do botijão de uso doméstico, sofrerá uma redução de R$ 2,60, ficando em R$ 52,34. Contudo, não é possível precisar o valor final que será cobrado do consumidor, já que outros fatores exercem influência como os tributos que incidem sobre o GLP e as margens de lucro das distribuidoras.

Além da redução no GLP, a Petrobras anunciou nas últimas semanas quedas na gasolina, no diesel, no querosene de aviação e na gasolina de aviação. Os reajustes refletem as variações do mercado internacional, conforme a Política de Preços de Paridade de Importação (PPI) adotada pela estatal desde 2016. Na semana passada, o preço do barril de petróleo tipo brent, usado como referência, caiu abaixo de US$ 90 pela primeira vez desde fevereiro.

No primeiro semestre do ano, porém, o cenário internacional era outro. Com base no PPI, os combustíveis sofreram forte alta, o que gerou manifestações de insatisfação do presidente da República, Jair Bolsonaro. Em maio, ele trocou o comando da estatal pela quarta vez durante seu mandato. Caio Mário Paes de Andrade assumiu no lugar de José Mauro Ferreira Coelho.

Em nota, a Petrobras informa que a redução acompanha a evolução dos preços de referência e é coerente com a sua prática. A estatal sustenta que busca o equilíbrio com o mercado, sem repassar a volatilidade conjuntural das cotações e da taxa de câmbio. ”De forma a contribuir para a transparência de preços e melhor compreensão da sociedade, a Petrobras publica em seu site informações referentes à formação e composição dos preços de combustíveis ao consumidor”, acrescenta o texto.

Consumidor

Conforme o último levantamento divulgado pela Petrobras, realizado entre 28 de agosto e 3 de setembro, o botijão de gás de 13 kg estava custando ao consumidor em média R$ 111,57. A estatal calcula ser responsável apenas por 49,2% desse valor. Atualmente, o Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Produtos (ICMS), tributo estadual, responde por 10,6%. O restante do preço é de responsabilidade das distribuidoras, que leva em conta os gastos logísticos e a margem de lucro.

Essa composição do preço leva em conta a suspensão da incidência dos impostos federais sobre o GLP de uso doméstico. Uma medida provisória que abre essa possibilidade foi assinada em março do ano passado pelo presidente Jair Bolsonaro, sendo posteriormente aprovada no Congresso Federal. Foram zeradas as alíquotas do programas de Integração Social (PIS) e de Formação do Patrimônio do Servidor Público (Pasep) e da Contribuição para Financiamento da Seguridade Social (Cofins).

Sem mudanças significativas na política de preços da Petrobras, a desoneração tem sido o caminho adotado pelo governo federal para baixar os preços não apenas do GLP, mas também da gasolina, do etanol, diesel e do Gás Natural Veicular (GNV). Outra lei proposta pelo governo federal entrou em vigor no final de junho limitando as alíquotas do ICMS que incidem sobre itens considerados essenciais.

A queda na arrecadação dos estados deverá ser compensada por meio do abatimento de valores da dívida pública que eles têm com a União. A medida, no entanto, gerou questionamentos dos estados e também de prefeituras, que recebem uma parcela do ICMS. No cálculo da Confederação Nacional dos Municípios (CNM), a perda apenas dos municípios é de quase R$ 20 bilhões. Além disso, divergências em torno do prazo para realização dessa compensação têm sido tratadas no âmbito judicial. Da Agência Brasil

Equipe da DRFR cumpre mandado de prisão em Jequié pela prática de Roubo Majorado; entenda

/ Jequié

Um suspeito foi preso pela prática de crime de Roubo Majorado

Equipe da Delegacia de Repressão a Furtos e Roubos/DRFR e Jequié, prendeu em rua do centro da cidade, em cumprimento a mandado expedido pela Vara Criminal da Comarca, o indivíduo de iniciais C.S.C., pela prática de crime de Roubo Majorado. Após o cumprimento do mandado de prisão, C. S. C. foi recolhido à custódia, para posterior transferência ao Conjunto Penal de Jequié.

Entenda – O roubo majorado de acordo com o Código Penal vigente, inclui a possibilidade de aumentar a pena de quem comete o crime,  ao subtrair o bem de alguém mediante violação ou grave ameaça, utilizando uma arma de fogo, por exemplo.

O crime de roubo é muito comum em nossa sociedade, sendo chamado de assalto. Entretanto, se o autor utiliza uma arma de fogo ao cometê-lo, por exemplo, sua pena pode ser aumentada. Por isso, tais casos são chamados de roubo majorado.

 

Preços de gasolina e diesel têm queda nos postos, diz Agência Nacional do Petróleo

/ Economia

Os preços da gasolina e diesel registraram queda nos postos na semana passada, de acordo com pesquisa feita pela Agência Nacional do Petróleo (ANP). Os dados foram divulgados na noite desta segunda-feira (12).

O preço médio da gasolina passou de R$ 5,17 para R$ 5,04. É um recuo de 2,51%. No último dia 2 de setembro, a Petrobras, em sua quarta redução desde julho, baixou o preço médio de venda de gasolina para as distribuidoras.

O valor passou de R$ 3,53 para R$ 3,28 por litro. Foi uma redução de R$ 0,25 ou 7,08%. Segundo a estatal, foi a maior queda desde 21 abril de 2020, quando houve corte de 8%.

João Roma provoca e diz que o candidato ACM Neto ”corre do pau” quando debate é com ele

/ Política

João Roma ao lado da esposa Roberta Roma. Foto: Divulgação

O candidato a governador da Bahia, o ex-ministro da Cidadania e deputado federal, João Roma (PL), questionou o adversário ACM Neto (UB) sobre a repentina decisão de propor um debate com o petista Jerônimo, sem a sua participação.

Repostando o twitter de Neto, Roma diz: ”Nos dois debates que eu participei, ACM Neto se acovardou e fugiu. Agora, ele está propondo um debate apenas com o candidato do PT. Será que ele tem medo de mim? Tá com medo de quê, ACM Neto? Por que, quando o debate é comigo, você corre do pau?”.

Em resposta a ACM Neto, Jerônimo quer debate na TV Bahia: ”Vou aguardar dentro da casa dele”

/ Política

”Fui eu que provoquei no debate da TVE”, disse. Foto: Divulgação

Após o candidato ao governo da Bahia, ACM Neto (União) garantir a presença em um debate com  o candidato governista Jerônimo Rodrigues (PT) (veja aqui), o petista sinalizou que irá debater com Neto no encontro promovido pela TV Bahia. Em entrevista ao Projeto Prisma, do Bahia Notícias, nesta segunda-feira (12), Jerônimo garantiu que irá ”aguardar” Neto ”dentro da casa dele”.

”Fui eu que fiz [ a provocação]. Ele respondeu e reagiu atrasado. Tem uma semana (…) Fui eu que provoquei no debate da TVE, ele não foi em nenhum debate. Ele se nega e foge do debate. Ele colocou numa condição. Quero fazer presencial. Esse negócio de concessão pública vai pesar na questão da vice. Nós temos uma chance ideal dia 27 na casa dele. A gente se encontra, ele pode pedir na outra TV, da vice dele. Hoje um candidato a presidente da República [João Roma] quer estar dentro. O desafio está mantido. Meu desafio foi, venha para o debate. Fui eu que chamei. Vou aguardar ele dentro da casa dele. No dia 27, daqui a uma semana, vamos nos encontrar na TV da casa, se não for suficiente a gente vai um outro”, apontou Jerônimo.

O candidato do PT ao governo baiano sinalizou também que foi a todos os debates, ”ao contrário do ex-prefeito, que fugiu”. “Fiz a provocação e sigo disposto, respeitando a legislação eleitoral. Temos encontro marcado na TV Bahia, dia 27. Boa oportunidade para debater, ainda mais agora que ele parece ter perdido o medo de me enfrentar”, disse Jerônimo. Com informações do site Bahia Notícias

ACM Neto aceita desafio e diz para Jerônimo marcar data de debate, sugerindo transmissão pelo YouTube

/ Política

Neto apontou que Jerônimo poderia marcar a data do debate

O candidato a governador ACM Neto (União) indiciou que aceitou o participar de um debate com o também postulante ao governo do estado Jerônimo Rodrigues (PT). Neto apontou que o ex-secretário da Educação poderia marcar a data do debate entre os dois, podendo transmitir o evento pelo Youtube e redes sociais.

”Já que o ex-secretário de educação, Jerônimo, tem falado tanto em debate, gostaria de propor que ele definisse data, local e horário para um debate entre nós dois. Sugiro que seja transmitido ao vivo pelo YouTube e pelas redes sociais do dois”, afirmou o ex-prefeito de Salvador.

Bahia Notícias sinalizou que o estúdio do site pode ser utilizado para a realização do debate. Jerônimo é o entrevistado do Projeto Prisma, podcast do BN, nesta segunda-feira (12) (reveja aqui).

Lula tem 46% contra 31% de das intenções de voto de Bolsonaro no 1º turno, diz pesquisa Ipec

/ Política

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) aparece com 46% das intenções de voto na corrida eleitoral contra o presidente Jair Bolsonaro (PL), que tem 31%, segundo pesquisa Ipec divulgada nesta segunda (12).

No levantamento anterior, realizado há uma semana, o petista tinha 44% (ou seja, oscilou dois pontos para cima, dentro da margem de erro) e o atual mandatário, os mesmos 31%. A diferença entre eles passou de 13 para 15 pontos percentuais.

Em seguida, aparece o ex-ministro Ciro Gomes (PDT), que oscilou de 8% para 7% em relação à pesquisa anterior, feita nos dias 2 a 4 de setembro. A senadora Simone Tebet (MDB-MS) se manteve com 4%.

O Ipec ouviu 2.512 brasileiros de 9 a 11 de setembro, em 158 municípios do país, com margem de erro de dois pontos percentuais, para mais ou para menos. A sondagem foi registrada no TSE (Tribunal Superior Eleitoral) sob o número BR-01390/2022.

Outros candidatos que pontuaram nesta rodada foram Luiz Felipe d’Avila (Novo) e a senadora Soraya Thronicke (União Brasil), que seguem com 1%. Os que pretendem votar em branco ou nulo agora somam 6%, e os que não sabem são 4%. Os candidatos Vera Lúcia (PSTU), Constituinte Eymael (DC), Léo Péricles (UP), Padre Kelmon (PTB) e Sofia Manzano (PCB) não pontuaram.

Questionados sobre quem elegeriam no segundo turno, 53% dos entrevistados indicaram Lula e 36%, Bolsonaro. A diferença entre eles variou de 16 para 17 pontos em relação à última aferição, quando eles tinham 52% e 36%, respectivamente.

Na pesquisa espontânea de primeiro turno, na qual o entrevistado não vê os nomes dos candidatos à Presidência, Lula é o mais lembrado. O petista ampliou de 42% para 44% sua liderança nesse tipo de resposta na última semana, dentro da margem de erro.

Já Bolsonaro manteve os mesmos 30%. Ciro Gomes oscilou de 4% para 5% das menções, Simone Tebet permanece com 2%, e os demais candidatos registraram menos que 1% ou não foram citados.

O Ipec calculou também os votos válidos, excluindo brancos ou nulos —um candidato precisa de 50% deles mais um para vencer em primeiro turno. Nessa conta, o petista flutuou de 50% para 51%, enquanto o atual mandatário manteve-se em 35%, indicando que segue imprevisível a possibilidade de vitória na primeira votação, considerando a margem de erro do levantamento.

A rodada mostra ainda uma oscilação negativa na avaliação da gestão Bolsonaro: 45% a acham ruim ou péssima (ante 43% na semana passada), os mesmos 30% a consideram ótima ou boa, e 23% a veem como regular (eram 25%).

A pesquisa aponta que 59% dos brasileiros reprovam a maneira de governar do presidente, enquanto 35% a aprovam. Na rodada anterior, os números foram 57% e 38%, respectivamente. Outros 5% não souberam responder. O Ipec foi criado em fevereiro de 2021 por ex-executivos do Ibope Inteligência, que encerrou suas atividades em janeiro daquele ano em razão do término de um acordo de licenciamento.

Folhapress