Bahia é estado com maior área de Mata Atlântica desmatada no primeiro trimestre, diz levantamento

/ Bahia

A Bahia figura o posto de estado que mais desmatou Mata Atlântica no primeiro trimestre de 2022. O estado soma 7.412 hectares de área desmatada neste período. Os dados são do terceiro boletim do Sistema de Alertas de Desmatamento (SAD) Mata Atlântica, consolidado no MapBiomas Alerta.

Minas Gerais, Paraná, Piauí e Santa Catarina são os estados que aparecem em seguida, com 5.535, 1.607, 1.364 e 1.350 hectares desmatados respectivamente. Somadas, essas áreas correspondem a 81% do total desmatado

Só no primeiro semestre deste ano, um total de 21.302 hectares foi desmatado na Mata Atlântica. É como se a área de 117 campos de futebol fosse desmatada por dia. O total correspondente ainda à emissão de mais de 10,2 milhões de toneladas de CO2 equivalentes – medida utilizada para calcular as emissões de gases de efeito estufa.

Entre os municípios, o que teve o maior somatório de áreas desmatadas foi Baianópolis (BA), com 1.697 hectares. Em seguida, aparece Santa Rita de Cássia (BA) e Porto Murtinho (MS), com 440 hectares cada um, e Corrente (PI), com 415 hectares.

Os dados, consolidados a partir de 3.358 alertas, abrangem pela primeira vez todo o mapa de aplicação da Lei da Mata Atlântica, do qual fazem parte 17 estados brasileiros. O SAD Mata Atlântica é realizado em parceria pela Fundação SOS Mata Atlântica, a Arcplan e o MapBiomas. O trabalho tem apoio da Flex Foundation e do Fundo Canadá para Iniciativas Locais.

Datafolha: Foco das campanhas presidenciais nas últimas semanas, o voto feminino é o mais ”solto”

/ Política

Michelle e Janja. Foto: Mauro Pimentel/AFP e Evaristo Sá/AFP

Foco das campanhas presidenciais nas últimas semanas, o voto feminino é o mais ”solto” na corrida eleitoral de acordo com dados divulgados na última sexta-feira (9) pelo Datafolha.

Segundo o levantamento, 26% das mulheres declaram poder mudar o voto, contra 18% dos homens. A margem de erro da pesquisa nesses segmentos é de três pontos percentuais, para mais ou para menos.

As eleitoras também têm a maior taxa de indecisão na pesquisa espontânea, na qual o entrevistado não tem contato com a lista de candidatos. O percentual entre as mulheres é de 22%, contra 11% entre os homens. De acordo com especialistas, a sondagem espontânea reflete os votos mais consolidados.

Essas diferenças entre homens e mulheres se mantêm desde a pré-campanha. A indecisão na pesquisa espontânea e a taxa dos que podem mudar de voto, porém, têm trajetória de queda em ambos os grupos.

As mulheres se tornaram o principal foco das campanhas desde os ataques misóginos do presidente Jair Bolsonaro (PL), que tenta a reeleição, à senadora Simone Tebet (MDB-MS), candidata à Presidência, e à jornalista Vera Magalhães no debate exibido pela TV Bandeirantes no final de agosto.

O presidente passou a usar a primeira-dama Michelle Bolsonaro como forma de reduzir a rejeição nessa fatia, 52% do eleitorado, segundo o Datafolha. Contudo, Lula (PT) mantém vantagem mais ampla entre as mulheres do que na média geral do eleitorado: 46% contra 29% de Bolsonaro entre as entrevistadas. Ele também tem dado algum destaque à mulher, Rosângela da Silva, a Janja, durante os atos de campanha.

A indecisão na sondagem espontânea é maior entre eleitores com renda menor. Entre os ouvidos de renda familiar até 2 salários mínimos, a taxa é de 20%, contra 12% dos de renda acima de 10 salários mínimos.

A última pesquisa Datafolha mostra que Lula segue liderando entre as mulheres, ainda que tenha variado negativamente nessa fatia do eleitorado na corrida pela Presidência. Já Bolsonaro empatou tecnicamente com o petista entre os homens, reduzindo a diferença para o rival de seis para quatro pontos percentuais.

Italo Nogueira, Folhapress

Lula Inácio Lula da Silva e Marina Silva se reencontram e discutem propostas para o ambiente

/ Política

Lula e Marina se reencontraram neste domingo. Foto: Reprodução / Twitter

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) reencontrou neste domingo (11) com Marina Silva (Rede), candidata a deputada federal em São Paulo, para discutir propostas para o ambiente.

O candidato postou em sua conta nas redes socias uma fotografia com a candidata afirmando que eles conversaram por duas horas e ela apresentou “propostas para um Brasil mais sustentável”.

”Hoje, a meu convite, depois de muitos anos, reencontrei com @MarinaSilva. Relembramos da nossa história, desde quando nos conhecemos. Conversamos por duas horas e ela me apresentou propostas para um Brasil mais sustentável, mais justo e que volte a proteger o meio ambiente”, escreveu Lula em sua página no Twitter.

Polícia apura suspeita de assédio contra criança em supermercado na Calçada, em Salvador

/ Bahia

A polícia apura a suspeita de assédio sexual sofrido por uma criança em um supermercado do bairro da Calçada, em Salvador. O fato teria ocorrido neste domingo (11) no Supermercado Centro Sul e envolveu um funcionário do estabelecimento.

Segundo o G1, a Polícia Militar foi acionada e esteve no local, mas a empresa teria se recusado a apresentar o funcionário. Durante a ocorrência, a vítima e a mãe confirmaram a importunação e foram levadas para a Delegacia de Repressão aos Crimes contra a Criança e o Adolescente (Derca) para prestar esclarecimento. Até o momento, o supermercado não se manifestou sobre o ocorrido.

Cabeleireira diz que vai à Justiça contra Simone Tebet, candidata a presidente, por uso indevido de imagem

/ Justiça

Negra Jhô disse que jamais teve contato com Tebet. Foto: Reprodução

A cabeleireira baiana Valdemira Sacramento, mais conhecida como Negra Jhô, disse que ”tomara providências cabíveis” contra a equipe da candidata à presidência da República Simone Tebet (MDB) por fazer uso da sua imagem sem autorização para a campanha eleitoral. A gestão da campanha informou que as imagens foram adquiridas em uma plataforma internacional.

Negra Jhô usou as redes sociais para dizer que jamais teve contato com Tebet ou a equipe e que repudia o que aconteceu. ”Eu, Valdemira Telma de Jesus Sacramento, conhecida no Brasil pelo nome artístico e social de Negra Jhô, venho a público repudiar o uso indevido e, sem autorização da minha imagem na campanha eleitoral da candidata Simone Tebet, a qual nunca tive nenhum tipo de diálogo ou contato pessoal”, diz trecho da nota.

Em comunicado, segundo o G1, a equipe da candidata informou que a plataforma utilizada foi a Shutterstock. Segundo a campanha de Tebet, a imagem, em vídeo e foto, fica disponível, pode ser selecionada em sistema de busca por palavra-chave e foi licenciada rigorosamente dentro das normais legais.

A gestão da campanha da candidata informou que, mesmo com estas condições, não vai mais utilizar as imagens em respeito às posições políticas de Negra Jhô.

Sobe para 22 os mortos em naufrágio de lancha no Pará; três mulheres e cinco crianças estão entre as vítimas

/ Brasil

As buscas por desaparecidos no naufrágio de uma lancha no Pará foram retomadas às 5h deste domingo (11), e mais dois corpos foram encontrados pelas equipes de busca e salvamento logo pela manhã, informou a Secretaria de Segurança Pública do Pará (Segup-PA). Subiu para 22 o número de mortos na tragédia.

Nas primeiras horas do dia, o corpo de uma mulher foi avistado em sobrevoo de helicóptero pela região do naufrágio. Pouco depois, outro corpo, cujo sexo não foi confirmado, foi retirado de dentro da própria embarcação que afundou.

Ao todo foram contabilizadas as mortes de 13 mulheres, cinco homens, três crianças e uma pessoa ainda sem identificação. Do total, 15 corpos foram transladados para Marajó e cinco entregues a familiares em Belém.

Sobreviveram ao naufrágio 65 pessoas. Todas foram resgatadas ainda nas primeiras horas após a embarcação ir à pique. Segundo o governo do Pará, elas receberam atendimento psicossocial e prestaram depoimento às autoridades.

O naufrágio ocorreu próxima à Ilha de Cotijuba, em Belém, na manhã de quinta-feira (8). As autoridades ainda não sabem quantas pessoas havia na lancha que afundou, pois a embarcação fazia transporte intermunicipal irregular de passageiros e não tinha lista de pessoas embarcadas. O barco partiu de um porto clandestino em Cachoeira do Arari, no arquipélago do Marajó, com destino a Belém, informou o governo estadual.

A operação de busca e resgate conta com nove embarcações das forças de segurança estaduais, um helicóptero do Grupamento Aéreo de Segurança Pública do Pará, bem como dois barcos e uma aeronave da Marinha. De acordo com o mais recente comunicado da Segup-PA, as buscas seguem ”até que todos os procurados por familiares sejam localizados”.

O governo orienta os familiares de desaparecidos após o naufrágio que procurem o Grupamento Fluvial, no centro de Belém, ”onde serão atendidos por uma equipe multidisciplinar para oferecimento de informações, serviços essenciais, assistência psicossocial ou qualquer outra necessidade urgente”, disse a Segup-PA em nota. Pertences das vítimas também se encontram no local.

O governo disponibilizou também o telefone celular 91 988996323, da Defesa Civil estadual, para o fornecimento de informações. A Polícia Civil abriu inquérito para apurar o naufrágio. Os responsáveis pela lancha Dona Lourdes II ainda não foram localizados para prestar esclarecimentos. Da Agência Brasil