”Sou totalmente contra armas na mão da sociedade”, diz Jerônimo, candidato do PT ao Governo

/ Política

Jerônimo participou de sabatina da TV Aratu. Foto: Assessoria

O candidato a governador Jerônimo Rodrigues (PT) ressaltou, na noite desta terça-feira (30), a importância dos esforços conjuntos entre Estados e governo federal para que as ações no setor sejam mais efetivas.

”Nós temos de ter uma ação parceira com o governo federal, um plano nacional de Segurança Pública, para integrar as ações, para que nossas fronteiras possam ser bem fiscalizadas. Hoje, existe uma relação deficiente entre o governo federal e todos os governadores dos Estados brasileiros. É um governo que não dialoga, nem com os governadores, nem com os prefeitos, nem com a sociedade”, destacou o candidato de Lula na Bahia, em sabatina realizada pela TV Aratu, na noite desta terça-feira (30).

Como contraposição, Jerônimo lembrou que Lula convidou os governadores para participar da pauta da segurança pública nacional. ”Hoje, o presidente Lula recebeu governadores para elaborar uma ação imediata, para (ser iniciada) assim que ele assumir a Presidência”, contou. ”Ele estabeleceu em seu plano de governo uma ação concreta, um sistema nacional (o Sistema Único de Segurança Pública), com a criação de um Ministério para cuidar da Segurança Pública e a retomada do Estatuto do Desarmamento. Sou totalmente contra armas na mão da sociedade. As armas devem estar com as forças policiais.”

O candidato reforçou, também, que a Bahia seguirá fazendo sua parte no combate à criminalidade. ”Estabelecerei um investimento ainda mais forte na inteligência e na tecnologia, para que a gente possa fazer ações preventivas”, garantiu. ”Na parte de pessoal, de efetivo das polícias, vamos realizar concursos, para garantir pessoal suficiente nas Polícias Militar e Civil, além dos Bombeiros, mas também vamos investir na formação, na qualificação, na valorização constante do profissional da Segurança Pública. Eu enfrentarei o crime com todo pulso, com toda firmeza.”

”O grande legado que eu quero deixar na minha gestão é mudar radicalmente a educação”

/ Política

ACM é candidato ao Governo pelo UB. Foto: Divulgação

O candidato a governador ACM Neto (União Brasil) destacou nesta terça-feira (30) que não há como tirar a educação baiana do último lugar no país sem valorizar os professores, tanto em relação à carreira como ampliando a participação deles na gestão pública. Em sabatina da Rádio Sociedade, ele apresentou propostas para a educação e afirmou que, caso seja eleito, pretende deixar como maior legado da sua gestão uma mudança definitiva na área.

”Não posso deixar de lembrar que a educação da Bahia hoje está em último lugar no Brasil, tendo a pior nota do IDEB de todo o país. Eu pretendo, caso seja eleito, valorizar e priorizar a educação. Eu acho que o grande elemento de transformação do futuro da Bahia está nesse ponto. O grande legado que eu quero deixar na minha gestão é mudar radicalmente a educação, do Ensino Infantil à Universidade. E vamos ter como parâmetro a melhoria na qualidade do ensino”, afirmou o candidato na entrevista.

ACM Neto criticou o tratamento ofertado pelo atual governo do estado aos professores: ”Não posso deixar de lembrar que, no passado, o PT sempre se aproveitou dos professores para fazer propaganda eleitoral. Prometeram o céu e depois que ganharam as eleições a realidade é outra. Só não temos mais ruído porque os sindicatos da categoria, infelizmente, são todos controlados pelos partidos de esquerda”, afirmou.

Para o Ensino Infantil e Fundamental I, o candidato propõe atuar em parceria com as prefeituras, inclusive criando um prêmio para os municípios que mais avançarem na qualidade do ensino, segundo os parâmetros do IDEB e de uma avaliação própria da gestão estadual. O governo do estado também será responsável por dar suporte pedagógico aos municípios e auxiliar na qualificação dos professores.

Tribunal Superior Eleitoral veta porte de arma perto de seções eleitorais no dia da votação

/ Justiça

O TSE (Tribunal Superior Eleitoral) decidiu nesta terça-feira (30) proibir o porte de armas próximo de seções eleitorais no dia das votações, nas 48 horas anteriores e na data seguinte ao pleito.

Nesse período, civis e militares não poderão carregar armas dentro de um raio de 100 metros das seções eleitorais e em outros imóveis que a Justiça Eleitoral estiver utilizando no pleito. Apenas agentes em serviço e autorizados pela autoridade eleitoral, como presidentes de mesa, são exceções e poderão portar as armas de fogo.

O tribunal já previa que a ”força armada se conservará a 100 metros” da seção eleitoral no dia da votação, mas decidiu reforçar a regra para deixar claro que mesmo policiais, CACs (caçadores, atiradores e colecionadores) ou quem mais tiver aval para manusear armas não pode utilizar o equipamento nesse período.

Os ministros também ampliaram a restrição para o período de preparação das votações e a data seguinte ao pleito. O governo Jair Bolsonaro (PL) flexibilizou regras sobre o acesso às armas e munições e enfraqueceu os mecanismos de controle e fiscalização de artigos bélicos. Com a população mais armada, o temor de integrantes do TSE é de aumento da violência durante as votações.

A decisão foi aprovada por unanimidade em resposta a uma consulta apresentada pelo deputado federal Alencar Santana (PT-SP). Os ministros citaram preocupação com o aumento da circulação das armas no Brasil e com a violência política. ”Armas e votos, portanto, são elementos que não se misturam”, disse o ministro Ricardo Lewandowski, relator do processo.

Na semana passada o TSE também reforçou que é proibido levar celulares às cabines de votação, e disse que o aparelho deve ser deixado com os mesários. O presidente do TSE, Alexandre de Moraes, chegou a tratar da restrição sobre as armas com os comandantes das polícias militares na semana passada.

Na mesma reunião com os PMs, o ministro questionou sobre vetar, no dia das eleições, treinamento e transporte de armas pelos CACs (caçadores, atiradores e colecionadores). Os militares teriam dito a Moraes que é preciso ponderar, caso o TSE decida limitar o uso das armas no pleito, que há profissionais de segurança entre os que portam os equipamentos.

Mais cedo, antes da votação, o senador Flávio Bolsonaro (PL-RJ) disse que seria ”uma ignorância” e tentativa de atingir o presidente a restrição das armas.

”Vai colocar em risco várias pessoas que às vezes têm porte autorizado”, disse Flávio. ”Bandido sabendo que vai estar todo mundo desarmado pode praticar mais assalto. Acho que é uma retorica inútil, mais para tentar causar algum atrito com o Bolsonaro”, declarou.

Mateus Vargas/Folhapress

Ministério Público da Bahia e Coelba discutem fornecimento de energia elétrica no Estado

/ Bahia

A concessionária se colocou à disposição do MP-BA. Foto: Divulgação

O Ministério Público da Bahia (MP-BA), por meio do Centro de Apoio Operacional às Promotorias de Defesa do Consumidor (Ceacon), recebeu, na segunda-feira (29), representantes do grupo Neoenergia Coelba para discutir o fornecimento de energia elétrica na Bahia. No encontro, o Ceacon apresentou o ”Energizar”, projeto a ser lançado que visa garantir a prestação contínua do serviço de energia elétrica pela Coelba em toda a Bahia, de acordo com os padrões de prestabilidade regulamentados em lei. A concessionária se colocou à disposição do MP-BA para disponibilizar dados sobre os serviços prestados.

Coordenador do Ceacon, o promotor de Justiça Solon Dias agradeceu a presença dos representantes da Coelba e ressaltou a relevância do encontro. ”A realização de encontros como este é de extrema importância, pois estabelece uma agenda permanente de interlocução entre o MP e a concessionária, priorizando o consumidor” afirmou. O projeto Energizar vai analisar o fornecimento do serviço de energia a partir de indicadores de prestabilidade do serviço, que medem a frequência e a duração das interrupções de energia. Segundo o promotor, existe uma margem de tolerância para as interrupções delimitada por órgãos reguladores.

O promotor destacou também a importância do projeto Energizar e a abrangência da atuação do Ceacon. ”A oferta de energia é um serviço essencial, por isso, deve ser contínuo. O projeto vai chegar aos cantos mais longínquos da Bahia, interiorizando a defesa do consumidor. Promotores de comarcas de todo o estado vão atuar, nós temos que priorizar os serviços que são massificados”, pontou. Além do promotor, estiveram presentes na reunião a gerente do projeto, Bianca Mattos, e o superintendente técnico da Coelba, André Luís, além de servidoras do Ceacon e advogados da concessionária.

Critica pelo atual governo, Juliette Freire declara voto em Lula: ”Não há como dizer o contrário”

/ Entretenimento

Cantora escancara apoio a Lula. Foto: Instagram/Juliette

Crítica ao governo atual, a ex-BBB Juliete Freire usou as redes sociais para se posicionar politicamente e contar qual candidato vai levar o seu voto nas eleições presidenciais deste ano. Segundo a famosa, votar no atual presidente está fora de cogitação.

”Talvez muitos não conheçam a minha trajetória. Sou nordestina, cresci em comunidade, filha do ensino público (como a maioria dos brasileiros), única da família a ter curso superior, formada em Direito pela Federal, trabalhei na Defensoria Pública da União, me tornei advogada”, começou a cantora.

”Refletindo o cenário político atual, tenho ressalvas legítimas e naturais sobre todos os candidatos, porém Lula tem a plataforma política que mais condiz com o que penso para o Brasil. Quanto à atual liderança, tenho certeza absoluta do que não quero que se perpetue. Não há como dizer o contrário, não há como calar, o meu voto é no Lula”.

No Twitter, o presidenciável Luiz Inácio Lula da Silva (PT) agradeceu o apoio da cantora. ”Obrigado pela confiança, Juliette. Vamos trabalhar juntos pela saúde, educação e qualidade de vida do nosso povo. Um abraço”, escreveu.

Projeto de Angelo Coronel, piso salarial de R$ 4,8 mil para fisioterapeutas está pauta do Senado

/ Brasília

A Comissão de Assuntos Econômicos (CAE) vai analisar, nesta terça-feira (30), projeto do senador Angelo Coronel (PSD-BA) que estabelece um piso salarial nacional para fisioterapeutas e terapeutas ocupacionais. A reunião está marcada para 10h.

O PL 1.731/2021 é relatado pelo senador Romário (PL-RJ), que entregou seu voto nessa quinta-feira (25). Conforme o texto, os profissionais terão direito a um salário mínimo de R$ 4,8 mil mensais para uma jornada de 30 horas por semana.

”Fisioterapeutas e terapeutas ocupacionais atuam de forma decisiva para o bem-estar não só de pessoas com deficiência, mas também daqueles que sofrem de incapacidade temporária para o trabalho. Pessoas que foram vítimas de acidentes possuem sequelas de doenças ou simplesmente envelheceram. É por isso que esta comissão deve estar atenta ao tema”, avalia o relator.

Romário diz ainda que, do ponto de vista das contas públicas, o aumento da oferta de profissionais fisioterapeutas e terapeutas ocupacionais pode trazer efeitos no próprio sistema previdenciário, pois eles tendem a atuar para aumentar a base de contribuintes e reduzir a base de beneficiários.

“Podemos pensar em um exemplo ilustrativo de um cidadão relativamente jovem que se aposenta por invalidez, por incapacidade permanente, mas que, ao ser auxiliado por este profissional, consegue retornar ao mercado e gerar renda de forma autônoma”.

O projeto já foi aprovado na Comissão de Assuntos Econômicos (CAS) e tramita de forma terminativa na CAE. Ou seja, se for aprovado, vai direto para a Câmara dos Deputados, sem necessidade de passar pelo Plenário, a menos que haja recurso.

Empréstimos 

Os outros nove itens da pauta da CAE desta terça-feira são mensagens autorizando operações de crédito externo entre prefeituras e governos estaduais com instituições internacionais. A Constituição diz que empréstimos desse tipo, com a garantia da União, precisam do aval do Senado.

Fonte: Agência Senado

 

PRF apreende 2,3 quilos maconha durante fiscalização a ônibus de turismo na BR 242

/ Polícia

Apreensão ocorreu KM 800 da BR 242, em Barreiras. Foto: PRF

A Polícia Rodoviária Federal (PRF) apreendeu na madrugada de domingo (28), aproximadamente 2,3 quilos de substância com características semelhantes à maconha e mais 9 frascos com sementes da planta escondidos no bagageiro de um ônibus de turismo que fazia o itinerário São Paulo (SP) x Remanso (BA).

O flagrante ocorreu durante uma fiscalização de combate à criminalidade realizada em conjunto com a Polícia Militar da Bahia no KM 800 da BR 242, em Barreiras, distante 870 quilômetros de Salvador.

Era por volta das 00h00 quando os agentes deram ordem de parada ao veículo. Durante a abordagem e procedimentos padrões de checagem, os policiais contaram com o auxílio do cão farejador da PM-BA, o qual prontamente indicou a presença de entorpecentes no interior de uma sacola que estava no compartimento de bagagens.

Na ação, um homem foi preso e encaminhado à autoridade policial. Ele responderá, inicialmente, pelo crime de tráfico ilícito de entorpecentes.

Menor de 13 anos morre depois de ser alvejado com vários tiros em quadra na Malvina, em Jaguaquara

/ Jaguaquara

Cápsulas de balas foram encontradas no local. Foto: Nilson Souza

A violência fez uma vítima de 13 anos, em Jaguaquara. O crime de homicídio foi praticado por volta das 21h desta segunda-feira (29) na Av.Teotonio Vilela, no bairro Malvina II, por um autor ainda não identificado pela polícia.

O menor, Aimar Amorin Teixeira recebeu diversos disparos de revólver quando jogava bola com outros jovens em uma quadra de esportes e foi socorrido por uma ambulância do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência ao Hospital Municipal, mas não resistiu.

Via as escuras pode ter contribuído para prática do crime e fuga do autor

Desesperada, a mãe da criança acompanhou o filho, mas ainda não há informações sobre a motivação e autoria do crime que chocou moradores. Guarnições da Polícia Militar estiveram no local, coletaram informações e o caso agora é apurado pela Delegacia Territorial de Jaguaquara. Apenas Aimar foi alvejado.

Agência de Vigilância Sanitária autoriza uso emergencial de kits para varíola dos macacos

/ Saúde

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) autorizou, hoje (29), em Brasília, o uso imediato e emergencial de 24 mil kits moleculares para diagnóstico laboratorial da varíola dos macacos (monkeypox). Os reagentes são produzidos pela Instituto Bio-Manguinhos/Fiocruz e ainda estão em análise para aprovação de registro pela agência.

A autorização foi concedida após solicitação conjunta da Secretaria de Vigilância em Saúde, do Ministério da Saúde, e do Instituto Bio-Manguinhos. A diretoria colegiada da agência levou em conta a atual situação epidemiológica emergencial da infecção da varíola dos macacos no Brasil, a limitação da capacidade de resposta laboratorial atual, a quantidade de exames represados, o risco associado à demora no diagnóstico e a necessidade de descentralização dos exames, entre outros fatores.

Uso emergencial

Atualmente, o Brasil tem oito laboratórios de referência para o diagnóstico da monkeypox, por biologia molecular, mas não estão dando conta da demanda. Com a autorização de uso emergencial, o Ministério da Saúde poderá descentralizar a realização do diagnóstico da doença para a Rede de Laboratórios Centrais de Saúde Pública (Lacen) nos estados e reduzir o tempo de liberação dos resultados aos pacientes. 

Até o momento, não há nenhum teste de diagnóstico comercial para a varíola dos macacos com registro aprovado na Anvisa.

”A Anvisa reforça que o acesso a exames laboratoriais oportunos e precisos de amostras de casos sob investigação é uma parte essencial do diagnóstico e vigilância desta infecção emergente, a fim de mitigar a disseminação do vírus e contribuir na avaliação adequada dos critérios de elegibilidade para acesso a medicamentos e ou vacinas para combate à infecção’, destacou a agência, em publicação para informar sobre a decisão.

De acordo com a atualização mais recente, o Brasil tem 4.493 casos confirmados de monkeypox. Outros 4.860 estão suspeita, ainda em investigação. Os dados são do Centro de Informações Estratégicas de Vigilância em Saúde (Cievs) e do Centro de Operações em Emergências – COE/Monkeypox, do Ministério da Saúde. Da Agência Brasil

”Bolsonaro faz com as mãos e o governo estadual desfaz com os pés”, diz Roma sobre Rui

/ Política

Roma é candidato a governador pelo PL. Foto: Divulgação

O candidato ao governo da Bahia João Roma (PL) criticou a postura adota pelo governo do estado ao ”dificultar” que as ações federais fossem efetivadas na Bahia. Durante sabatina realizada no Aratu Notícias, da TV Aratu, na noite desta segunda-feira (29), ao responder sobre moradia, Roma disse que ”Bolsonaro faz com as mãos e o governo do estado desfaz com os pés”.

”O caso da Bahia, é fundamental que nós possamos avançar numa sintonia maior entre o governo federal e estadual. É fundamental uma Bahia de mão dadas com o Brasil para que possa avançar em temas como esse, que atinge diretamente a população mais necessitada. Quando Bolsonaro me chamou para o Ministério da Economia, ele me disse: ‘Roma, faça o que é certo e faça de tudo para ajudar mais os necessitados’. E foi dessa forma que nós criamos o auxílio Brasil, que hoje chega para 2, 4 milhões de baianos colocarem o que comer dentro de casa”, disse.

Ainda de acordo com Roma, ter um governador alinhado com o presidente, segundo ele, irá superar quesitos burocráticos e ampliará a ações para moradia.

”Assim como nós fizemos isso para os mais necessitados junto com o presidente Jair Bolsonaro, iremos cada vez mais trabalhar diferente da postura que é o governo atual, porque o Bolsonaro faz com as mãos e o governo do estado desfaz com os pés. Haja vista todos os investimentos que vem chegando para a Bahia. O governo se quer recebeu o ministro de desenvolvimento regional para entrega de casas. Tendo um governador alinhado com o governo federal, nós poderemos ampliar ainda mais isso, superando os quesitos burocráticos, quesitos cartoriais que dificultam o andar de todas essas ações para aqueles mais necessitados”.

Pesquisa IPEC: Estável, ex-presidente Lula mantém liderança e venceria eleição presidencial no 1º turno

/ Política

IPEC diz que Lula lidera disputa presidencial. Foto: Ricardo Stuckert

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) lidera as intenções de voto na corrida presidencial de 2022, de acordo com números da nova pesquisa do Ipec, contratada pela TV Globo e divulgada nesta segunda-feira (29). O petista se manteve estável, mantendo os 44% de preferência que obteve no levantamento divulgado no último dia 15 de agosto.

Jair Bolsonaro (PL), atual presidente da República, também se manteve estável, com 32% das intenções de voto. O ex-ministro Ciro Gomes (PDT) subiu um ponto percentual e chegou a 7% da preferência, enquanto a senadora Simone Tebet (MDB) saiu de 2% para 3%.

Felipe D’Ávila (Novo), que não pontuou na pesquisa anterior, chegou a 1% nesta semana. Já Vera Lúcia (PSTU), que teve 1% há 14 dias, agora não conseguiu pontuar. Os demais candidatos ficaram com 0%.

Brancos e nulos eram 6% e agora somaram 7%, enquanto os indecisos eram 7% e são 6% no novo levantamento. Conforme os números divulgados nesta segunda-feira pelo Ipec, Lula venceria a eleição presidencial no primeiro turno caso ela acontecesse hoje, pois a soma da pontuação dos adversários (43%) não ultrapassa os 44% alcançados pelo petista.

O Ipec entrevistou 2.000 eleitores entre os dias 26 e 28 de agosto em 128 municípios do Brasil. A margem de erro é de 2% para mais ou para menos, considerando um nível de confiança de 95%. A pesquisa foi registrada no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) sob o código BR-01979/2022. Com informações do site Bahia Notícias