Datafolha: Mulheres evangélicas impedem que Jair Bolsonaro vá melhor nas igrejas

/ Política

Bolsonaro em culto no auditório Nereu Ramos. Foto: Reprodução

A performance do presidente Jair Bolsonaro (PL) no eleitorado evangélico poderia ser ainda melhor, mas as fiéis mulheres não deixam. A mais recente pesquisa Datafolha revela um cisma de gênero nos templos.

Entre os adeptos desse nicho cristão, os homens estão muito mais alinhados que as mulheres tanto na predileção pelo candidato à reeleição como na oposição ao principal adversário, o ex-presidente Lula (PT).

A porção masculina dos evangélicos dá larga vitória a Bolsonaro logo na pesquisa espontânea, na qual os entrevistados apontam seus favoritos antes mesmo de ver a lista de postulantes. Nesse grupo, 48% dizem votar no presidente —vantagem de 20 pontos sobre o petista. Só 14% afirmam não saber quem apoiar.

Já as evangélicas estão mais indecisas: 34% não conseguem apontar um nome antes de conhecer o rol de candidatos. Outras 29% declaram apoio a Bolsonaro, e 25%, a Lula, o que os mantêm em empate técnico.

As margens de erro dos resultados de homens e mulheres no segmento evangélico são maiores do que na sondagem geral porque as amostras são menores. Essa margem é de seis pontos percentuais entre eles, cinco pontos entre elas, três pontos nesse bloco como um todo e dois pontos no levantamento geral, em que não se faz qualquer distinção religiosa.

De acordo com o levantamento, realizado nos dias 27 e 28 de julho com 2.556 pessoas de 183 cidades, evangélicos são 1 em cada 4 brasileiros.

Diferenças registradas entre as alas feminina e masculina do evangelicalismo nacional superam essa margem. Os números sugerem que as mulheres impediram, ao menos até agora, que Bolsonaro abrisse uma superioridade ainda mais larga sobre Lula nesse segmento.

Na pesquisa estimulada, em que o eleitor escolhe um nome entre as opções exibidas numa cartela, o chefe do Executivo tem, entre os crentes homens, uma vantagem de 16 pontos sobre Lula no primeiro turno. No caso das fiéis, a diferença é de 7 pontos —mais um empate técnico.

O segundo turno apresenta cenário similar. Os evangélicos garantem ao presidente dianteira de 58% a 38% sobre o petista, enquanto as mulheres os colocam mais próximos: 48% para o atual mandatário e 41% para o ex. Assim, não surpreende que Bolsonaro venha investindo num discurso direcionado a elas, que correspondem a 58% das igrejas, mais do que os 52% da fração feminina na população geral.

A convocação de Michelle Bolsonaro para a linha de frente do confronto é cirúrgica. Metade evangélica do casal, a primeira-dama tem tido participação bem mais vigorosa na campanha agora do que em 2018. A expectativa é que ela suavize a imagem de Bolsonaro, um repelente entre frequentadoras dos templos.

A própria imagem de Michelle foi se adaptando para se comunicar ainda mais com essa eleitora, destaca a socióloga Christina Vital, coordenadora do Laboratório de Estudos em Política, Arte e Religião na UFF (Universidade Federal Fluminense). O corte de cabelo está mais austero, as roupas, mais largas e pudicas, ”encarnando esse projeto da mulher virtuosa, a ‘Mulher V’, afirma Vital.

A referência é a um conceito popularizado por Cristiane Cardoso, filha do bispo Edir Macedo que advoga por uma ”mulher moderna à moda antiga”. ”Espera-se que Michelle seja uma mulher de oração, exerça um papel fundamental na família e na docilização do marido. Isso fala diretamente ao público feminino”.

Já a popularidade de Bolsonaro entre os homens que se dizem tementes a Deus, de acordo com Vital, dialoga com “a questão de ethos que Bolsonaro transmite, que tem a ver com a recuperação de uma autoridade masculina que parece estar sendo desvalorizada”.

O descompasso de gênero ecoa no arco evangélico, quase todo masculino. Até hoje, muitas igrejas não ordenam pastoras. Mesmo entre as que as aceitam, a liderança é exercida sobretudo por homens.

A participação feminina na cúpula da bancada evangélica também é mirrada, e o culto promovido nesta quarta (3) num dos plenários da Câmara, com presença de Bolsonaro, explicitou essa discrepância. Homens monopolizaram a mesa principal. Em fevereiro, quando o bloco anunciou sua nova diretoria, mulheres ocupavam 4 dos 29 postos.

Conectar-se com as eleitoras será obrigatório para estas eleições, e o núcleo bolsonarista, também ele composto por uma maioria masculina, está ciente disso, afirma a cientista política Ana Carolina Evangelista, do Iser (Instituto de Estudos da Religião).

”A campanha do presidente sabe de tudo isso: por um lado, a única chance de não perder as eleições é recuperando a parcela dos votos que já teve em 2018 e que migrou para Lula. Por outro, dentro do segmento onde ele já teve enorme apoio, o evangélico, ele perdeu o apoio das mulheres. Por isso a aposta nas mulheres, especialmente as evangélicas, mas não só”.

A diferença entre o pleito de quatro anos atrás e o atual, contudo, ”é que, para parte do eleitorado que migrou, ele precisará, além de mobilizar afetos e medos, convencer que ele mudará suas condições de vida”, diz Evangelista.

”Eles estão acertadamente focando as mulheres, mas elas ainda não acreditaram que o então deputado-candidato de 2018, agora presidente-candidato, merece uma segunda chance”.

Ao mesmo tempo, nesse cenário, a trupe lulista não pode continuar agindo ”como se elas já estivessem com ele”. ”Elas ainda estão com ele”, afirma a pesquisadora.

A equipe do presidente ainda pode encontrar um terreno fértil para conquistar apoios porque, até agora, as evangélicas têm o voto menos consolidado do que suas contrapartes masculinas. Entre eles, 82% disseram estar ”totalmente decididos”, enquanto 65% delas deram essa mesma resposta ao Datafolha.

Bolsonaro tenta reforçar um discurso que ressoa nesse eleitorado, baseado na defesa da família, mas também deve buscar colher dividendos das políticas do governo —incluindo o pagamento adicional do Auxílio Brasil, que deve ser distribuído a partir deste mês.

O levantamento mostrou que 25% dos brasileiros recebem o substituto do Bolsa Família ou moram com alguém que o embolse. Essa taxa dispara entre mulheres evangélicas: 34% estão ligadas ao programa assistencial. Entre os fiéis homens, a parcela mingua para 22%.

A rejeição feminina a Bolsonaro explica-se em parte por serem elas as mais afetadas por um ciclo econômico capenga. As mulheres, por exemplo, sentiram o desemprego de forma mais intensa durante a pandemia —responderam por 72% dos postos de trabalho assalariado encerrados em 2020.

Além de mais vulneráveis financeiramente, as evangélicas são mais refratárias ao estilo grosseiro de Bolsonaro do que o naco masculino das igrejas, diz Christina Vital. A ”Mulher V” pode se sensibilizar com temas de ordem moral, como aborto e drogas. Mas isso não basta para ceder aos apelos bolsonaristas.

Anna Virginia Balloussier/Bruno BoghossianFolhapress

Brasil registra 188 mortes por Covid e mais de 19 mil casos, diz boletim do consórcio de imprensa

/ Imprensa

O Brasil registrou 188 mortes por Covid e 19.193 casos da doença, nesta segunda-feira (8). Com isso, o país chega a 680.239 vidas perdidas e a 34.034.656 pessoas infectadas pelo Sars-CoV-2 desde o início da pandemia.

Aos finais de semana, segundas e feriados os dados da pandemia costumam ser menores, por atrasos de notificação.

A média móvel de casos permanece em queda e agora é de 25.407 infecções por dia, redução de 32% em relação ao dado de duas semanas atrás. A média de mortes, por sua vez, se manteve em estabilidade (sem variações superiores a 15%, também em relação a duas semanas antes) e agora é de 207 óbitos por dia.

Os dados do país, coletados até 20h, são fruto de colaboração entre Folha de S.Paulo, UOL, O Estado de S. Paulo, Extra, O Globo e G1 para reunir e divulgar os números relativos à pandemia do coronavírus. As informações são recolhidas pelo consórcio de veículos de imprensa diariamente com as Secretarias de Saúde estaduais.

Ao todo, 180.138.644 pessoas receberam pelo menos a primeira dose de uma vacina contra a Covid no Brasil. Somadas as doses únicas da vacina da Janssen contra a Covid, já são 169.318.225 pessoas com as duas doses ou com uma dose da vacina da Janssen.

Assim, o país já tem 83,85% da população com a 1ª dose e 78,82% dos brasileiros com as duas doses ou uma dose da vacina da Janssen.

Até o momento, 101.823.074 pessoas já tomaram a terceira dose e 23.437.269 a quarta.

O consórcio reúne também o registro das doses de vacinas aplicadas em crianças. Com a ampliação da faixa etária que pode receber a vacina contra a Covid, o consórcio agora apresenta a população de 3 a 11 anos imunizada. Nessa faixa, a fatia parcialmente imunizada (com somente a primeira dose de vacina recebida) é de 51,1% e a que recebeu a segunda dose é de 32,93%.

Mesmo quem recebeu as duas doses ou uma dose da vacina da Janssen deve manter cuidados básicos, como uso de máscara e distanciamento social, afirmam especialistas.

A iniciativa do consórcio de veículos de imprensa ocorreu em resposta às atitudes do governo Jair Bolsonaro (PL), que ameaçou sonegar dados, atrasou boletins sobre a doença e tirou informações do ar, com a interrupção da divulgação dos totais de casos e mortes. Além disso, o governo divulgou dados conflitantes.

Folhapress

Ministério Público recomenda que Google adote medidas para combater racismo algorítmico

/ Bahia

O Ministério Público do Estado da Bahia (MP-BA) recomendou ao Google que adote medidas para combater condutas discriminatórias realizadas por inteligência artificial ou plataformas de mídias sociais e aplicativos. Na recomendação, a orientação é que seja realizado o bloqueio urgente e imediato dos resultados de pesquisas que direcionam usuários a conteúdos de cunho racista.

Segundo os promotores de Justiça Lívia Sant’Anna Vaz e João Paulo de Carvalho da Costa, algumas situações podem caracterizar racismo algorítmico. Os promotores recomendam ainda ao Google que informe ao MPBA as regras adotadas para o procedimento de rastreamento, indexação e exibição dos resultados de pesquisas que direcionam os usuários a páginas que estariam divulgando conteúdos racistas.

Eles também recomendam que seja informado se existem diretrizes/políticas proibitivas específicas para os casos classificados como condutas de discriminação racial. É orientado ainda que seja indicado ao MP-BA representante de unidade interna de ética e transparência ou canal para recebimento de ofícios, intimações, citações e requisições (extra)judicias, relacionadas a esses casos discriminatórios.

Outra recomendação é que seja criado canal específico para os usuários do Google realizarem denúncias dos casos classificados como condutas de discriminação racial na plataforma, com encaminhamento ao MP-BA dos registros de conexões à internet efetuados no território do estado da Bahia, se o fato ocorrer ou um dos envolvidos residir no território do estado.

Os promotores de Justiça lembram que o Comitê Gestor da Internet no Brasil (CGIbr) define que o uso da internet deve guiar-se pelos princípios de liberdade de expressão, de privacidade do indivíduo e de respeito aos direitos humanos, reconhecendo-os como fundamentais para a preservação de uma sociedade justa e democrática.

Com seis anos de IPVA atrasado, Lamborghini de Collor de Mello tem dívida milionária

/ Economia

Lamborghini de Collor é avaliado em R$ 3,36 milhões. Foto: Rede social

De propriedade do senador e candidato ao governo de Alagoas Fernando Collor de Mello (PTB-AL), um Lamborghini avaliado em R$ 3,36 milhões acumula uma dívida de R$ 1.193.217,78 em IPVA atrasado, desde 2016.

Segundo informações do UOL, o veículo de luxo está entre os maiores devedores do imposto em São Paulo. Com pintura azul metálica, o Lamborghini Aventador Roadster 2013/2014 está registrado em nome da empresa Água Branca Participações, que tem Collor entre os sócios.

Ainda de acordo com a publicação, este mesmo carro já esteve em destaque na imprensa em algumas ocasiões, sendo uma delas em 2015, quando foi apreendido pela Polícia Federal na Casa da Dinda, residência de Collor em Brasília (DF), juntamente com uma Ferrari 458 Italia 2011 e um Porsche Panamera 2012.

Os veículos foram recolhidos pela PF na Operação Lava-Jato, por suspeita de serem adquiridos com dinheiro de práticas criminosas. Os carros foram devolvidos cerca de três anos depois, por determinação do Supremo Tribunal Federal (STF).

Em 2016, o Lamborghini voltou aos holofotes, após o Bradesco recorrer à Justiça para apreender o carro por atraso no pagamento de parcelas do financiamento. Segundo o site, Collor acabou fazendo um acordo com o banco e conseguiu manter o veículo. Procurado pelo UOL, o senador não se manifestou.

Percentual de famílias com dívidas a vencer atinge recorde de 78%, diz a Confederação Nacional do Comércio

/ Economia

O percentual de famílias com dívidas a vencer cresceu 0,7 ponto percentual em julho, atingindo a marca recorde de 78% dos lares brasileiros. O aumento em relação a julho de 2021 foi de 6,6 pontos percentuais. Os dados são da Pesquisa de Endividamento e Inadimplência do Consumidor (Peic), divulgada hoje (8) pela Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC).

O total de famílias com dívidas ou contas em atraso ficou em 29% em julho, ante 28,5% em junho deste ano e 25,6% em julho de 2021. Desses, 10,7% disseram não ter como pagar os compromissos assumidos, proporção 0,1 ponto percentual maior do que no mês anterior e 0,2 ponto percentual menor do que no mesmo período do ano anterior.

O aumento do endividamento foi de 0,5 ponto percentual entre as mulheres e de 1 ponto percentual entre os homens, ficando em 80,6% e 77,5% respectivamente. Entre as mulheres, a pesquisa aponta desaceleração no endividamento nos últimos meses, mas o incremento na comparação anual foi de 8,3 pontos percentuais, enquanto entre os homens subiu 6,3 pontos percentuais.

Por faixa de renda, a Peic aponta que as famílias na faixa acima de dez salários mínimos mensais contraíram mais 0,8 ponto percentual de dívidas em julho, chegando a 75% com dívidas. Na faixa com renda abaixo de dez salários mínimos, o endividamento cresceu 0,6 ponto percentual, atingindo 78,8%. Nas duas faixas, a taxa é recorde.

Modalidades de endividamento

Por modalidade de endividamento, a Peic mostra queda de 1,2 ponto percentual no número de famílias que devem no cartão de crédito, a terceira queda seguida. Entre os que têm dívidas, 85,4% possuem dívidas no cartão de crédito. Em abril, a proporção havia chegado a 88,8%.

Na avaliação da CNC, a queda no cartão de crédito ocorreu pela busca por opções mais baratas de juros.

“Esse movimento de queda da proporção de endividados no cartão de crédito mostra que as famílias têm buscado alternativas de crédito mais baratas no contexto de juros elevados. Com isso, carnês de lojas e crédito pessoal foram as modalidades que avançaram no endividamento, neste início de semestre, representando 18,8% e 9,2% do total de famílias com dívidas, respectivamente”, diz a nota da confederação.

Inadimplência

O número de famílias com contas ou dívidas em atraso subiu 0,5 ponto percentual em julho, para 29%. A proporção é 3,4 pontos percentuais maior do que o apurado em julho de 2021. Já a proporção daquelas que não terão condições de saldar seus débitos ficou em 10,7%, percentual que se manteve praticamente estável no último ano.

”A alta dos indicadores de inadimplência, após moderação e queda entre abril, maio e junho, indica que as medidas extraordinárias de suporte à renda, como os saques extras do FGTS e a antecipação do 13º salário aos beneficiários do INSS, aparentemente tiveram efeito restrito ao segundo trimestre no pagamento de contas e/ou dívidas já atrasadas”, avalia a CNC.

De acordo com a confederação, o mercado de trabalho está absorvendo trabalhadores com menor nível de escolaridade e de maneira informal, o que aumenta a incerteza na gestão das finanças pessoais. Além disso, segundo a CNC, a inflação elevada achata os rendimentos e dificulta a organização do orçamento familiar.

Os dados da Peic são coletados em todas as capitais e no Distrito Federal, com cerca de 18 mil consumidores. Os principais tipos de dívida levantados são cartão de crédito, cheque especial, cheque pré-datado, crédito consignado, crédito pessoal, carnês, financiamento de carro e financiamento de casa. Da Agência Brasil

Prefeito Bruno Reis confirma primeiro caso de ”monkeypox” em uma criança de Salvador

/ Saúde

Anúncio é feito por Bruno Reis. Gabriel Lopes / Bahia Notícias

O prefeito Bruno Reis (União) falou, nesta segunda-feira (8), sobre o registro do primeiro registro de infecção da varíola dos macacos (monkeypox) em uma criança na Bahia. De acordo com o prefeito, o caso está sendo acompanhado pela Secretaria Municipal de Saúde (SMS).

”Sempre que surge um caso ele passa por um monitoramento permanente. Semana passada nós lançamos um protocolo, com uma série de orientações de como previnir e depois, caso seja infectado, que providências tomar. Inclusive, temos unidades preparadas especificamente para esse tipo de atendimento”, afirmou o gestor, sem dar mais detalhes sobre o estado de saúde ou outras informações sobre o paciente.

Atualmente, segundo dados do último boletim epidemiológico divulgado pela Secretaria da Saúde do Estado da Bahia (Sesab), no sábado (6), 19 casos de varíola dos macacos foram identificados no estado.

Deste quantitativo, 13 foram diagnosticados em Salvador, um em Santo Antônio de Jesus, um em Cairu, um em Conceição do Jacuípe, um em Ilhéus e um em Mutuípe. Além dos confirmados, a Bahia tem notificados 98 suspeitos. *Leia no Bahia Notícias

Pesquisa BTG/FSB: Lula mantém liderança, mas Jair Messias Bolsonaro diminui distância

/ Política

Lula e Bolsonaro disputam eleições 2022. Foto: Reprodução

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) mantém a liderança nas intenções voto para as eleições de outubro, segundo a pesquisa realizada FSB Comunicação por encomenda do banco BTG divulgada nesta segunda-feira (8). O levantamento mostra também que a distância para o segundo colocado, Jair Bolsonaro (PL) caiu para além da margem de erro.

Lula oscilou 3 pontos para baixo em duas semanas e está com 41%, enquanto Bolsonaro avançou 3 pontos e ficou com 34%. A pesquisa realizou 2.000 entrevistas de 5 a 7 de agosto de 2022. Está registrada no TSE (Tribunal Superior Eleitoral) com o número BR-08028/2022. A margem de erro é de 2 pontos percentuais para um intervalo de confiança de 95%. Custou R$ 128.957,83 e foi paga pelo banco BTG Pactual.

Em seguida, seguem os seguintes candidatos: Ciro Gomes (PDT), com 7%; Simone Tebet (MDB), com 3%; André Janones (Avante), com 2% – o candidato deixou a disputa para apoiar o PT; José Maria Eymael (DC), com 1%; e Pablo Marçal (Pros), também com 1%. Felipe D’Ávila (Novo), Vera Lúcia (PSTU), Sofia Manzano (PCB), Leonardo Péricles (UP) e Roberto Jefferson (PTB) não pontuaram.

Em um potencial segundo turno, o petista venceria todos os adversários. Lula venceria Bolsonaro por 51% contra 39% do atual presidente. Contra Ciro, o petista venceria por 47% a 32%. No cenário entre o ex-presidente e a senadora Simone Tebet, a diferença é maior: 50% contra 29%. Com informações do site Bahia Notícias

Provas do concurso público para delegado de Polícia Civil da Bahia tem nova data divulgada

/ Polícia

A data das provas objetivas e discursivas para o cargo de delegado, do concurso público da Polícia Civil da Bahia foi alterada para o dia 11 de setembro. A informação foi divulgada pelo governo do Estado no sábado (6), em cumprimento a recomendação do Ministério Público Estadual.

As provas, para o preenchimento de 150 vagas, aconteceriam no dia 21 de agosto, mas de acordo com a Secretaria da Administração do Estado (Saeb) agora a aplicação acontece em setembro.

Essas avaliações deveriam ter ocorrido no dia 24 de julho, porém foram suspensas depois que as provas foram entregues com nomes trocados aos candidatos.

O concurso público será realizado pela manhã a partir das 8h, com portões fechados às 7h45, e no período da tarde, as provas discursivas terão início às 14h, com portões fechados às 13h45.

Os candidatos devem chegar com 60 minutos de antecedência, levar caneta esferográfica de tinta azul ou preta, documento de identificação com foto, cartão de convocação e comprovante de vacinação, conforme edital.

O novo cronograma estará disponível no Portal do Servidor, e no site da organizadora do concurso, o Instituto Brasileiro de Formação e Capacitação (IBFC). Com informações do site Bahia Notícias

Eleições 2022 mantêm maioria do eleitorado feminina, com 53%, diz o Tribunal Superior Eleitoral

/ Brasil

Nas eleições de outubro, mais uma vez, as mulheres são a maioria entre pessoas aptas a votar. Segundo levantamento do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), dos mais de 156,4 milhões de eleitores que poderão participar do pleito nos dois turnos, 53%, pouco mais de 82,3 milhões, são do gênero feminino e 74 milhões do masculino, que equivale a 47%.

Na distribuição regional dos eleitores, os três maiores colégios eleitorais – São Paulo, Minas Gerais e Rio de Janeiro concentram quase a metade dos votos do país (42,64%).

O estado de São Paulo, que sozinho detém 22,16% dos eleitores, há cerca 18,3 milhões de mulheres e 16, 2 milhões homens em condições de votar.

Na segunda posição do ranking, o eleitorado mineiro é formado por 8, 5 milhões de mulheres e 7,7 milhões de homens.

Já o Rio de Janeiro, terceiro maior colégio eleitoral brasileiro, os votos femininos superam em 1 milhão os dos homens. No estado, 6,9 milhões de votantes são do gênero feminino e 5, 9 milhões do masculino.

A Bahia vem na quarta posição, com cerca de 11,2 milhões de eleitores. Lá, as mulheres correspondem a 52,5% dos votantes, enquanto os homens representam 47,5% do eleitorado baiano.

Perfil

Segundo o TSE, a maior parte das eleitoras brasileiras (5,33%) tem de 35 a 39 anos, seguida das mulheres com idade entre 40 e 44 anos (5,32%). A faixa de 25 a 29 anos soma 5,2%. Apesar do voto no Brasil ser obrigatório entre 18 e 70 anos, um dado curioso é o de eleitoras com 100 anos ou mais: são 87,4 mil.

Exterior

Entre eleitores que moram no exterior, elas, também estão em maioria. Das quase 700 mil pessoas que moram fora do país e se habilitaram para votar para o cargo de presidente da República, 59% são mulheres e 41% homens.

Representação

Números tão expressivos ainda não se refletem em assentos políticos e de poder. Segundo o TSE, nesses espaços, as mulheres continuam sub-representadas. Nas Eleições Gerais de 2018, apenas seis das 81 vagas do Senado Federal foram conquistadas por mulheres. Na Câmara, dos 513 eleitos somente 77 eram do sexo feminino. Em 2018, apenas uma governadora foi eleita: Maria de Fátima Bezerra, no Rio Grande do Norte (RN).

Para incentivar a entrada e a permanência das mulheres na política, o TSE lançou, em junho de 2022, a nova campanha Mais Mulheres na Política 2022. Exibida nacionalmente em emissoras de rádio e de televisão, redes sociais da Justiça Eleitoral e no Portal do Tribunal, a campanha enfatiza a diferença entre o Brasil real, de forte presença feminina, e o Brasil político, universo no qual as mulheres ainda são minoria.

Na avaliação do presidente da Corte Eleitoral, ministro Edson Fachin, a democracia sem a expressão do feminismo se atrofia, torna-se uma mera formalidade, perde a representatividade. Para o ministro, a democracia, para ser plena, tem que apresentar a sua face feminina.

“Além da questão da visibilidade das mulheres, há também a questão da efetividade das medidas que visam garantir a elas o acesso e a voz nos espaços da vida política do país. A Justiça Eleitoral está do lado da materialização dos direitos que são inerentes à condição feminina”, destacou à época do lançamento da campanha. Da Agência Brasil

Jovem se afoga e é resgatado por bombeiros na praia do Farol da Barra, em Salvador

/ Bahia

Jovem se afoga e é resgatado por bombeiros. Foto: Júlia Marques

Um jovem de 18 anos se afogou na tarde deste domingo (7), na praia do Farol da Barra, em Salvador. Ele foi resgatado com vida após atuação do Corpo de Bombeiros e do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu).

Inicialmente bombeiros que estavam no local informaram que o jovem que se afogou não resistiu. No entanto, familiares do garoto afirmaram que ele deixou o local em estado de hipotermia.

A vítima foi levada para a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) do Marback. O estado de saúde dele é estável. Equipes do Corpo de Bombeiros, da Polícia Militar e do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) estiveram no local. As informações são do G1

Debate na Band é marcado por críticas de candidatos ao Governo a ausência de ACM Neto

/ Política

O primeiro bloco dos debates entre os candidatos ao governo da Bahia, promovido pela Band, neste domingo (4), foi marcado por críticas a ausência do ex-prefeito de Salvador e também postulante ao Palácio de Ondina pelo partido União Brasil, ACM Neto, no programa.

O primeiro a atacar ACM Neto foi Jerônimo Rodrigues. ”Debates como esses nos ajudam, primeiro, a refletir sobre esse momento da democracia brasileira. Depois, é uma oportunidade que o Brasil e a Bahia têm de ouvir a nós sobre os nossos projetos, as nossas intenções com o nosso estado da Bahia. Lamento muito, nesse momento, não termos a presença do ex-prefeito e candidato a governador. Me parece que faltou coragem de debater conosco os projetos e suas ações. Inclusive, ele já tem esse costume de não ter coragem de enfrentar temas como estes”, disse Rodrigues.

Em seguida, o psolista Kleber Rosa considerou a falta do candidato do União Brasil como desrespeito. “Quero saudar os presentes e lamentar a ausência de um dos candidatos. Quero dizer que o pior desse exemplo é a falta de respeito com o povo da Bahia. O debate é o momento em quer a gente confronta as nossas ideias e confronta o nosso programa. A negação de vir aqui se expor é antes de tudo uma falta de respeito ao nosso povo. Eu quero dizer para vocês que está na hora do povo governar. Nós temos um projeto”, afirmou o psolista.

Por fim, candidato do presidente Jair Bolsonaro (PL) ao Palácio de Ondina, João Roma, classificou a prática de ACM Neto como atitude de retrocesso.

”A Bahia tem sofrido e ficado para trás em relação a outros estados, porque está refém de práticas políticas do século passado. Uma Bahia grandiosa que está enxergando o século 21, mas que com essas práticas não tem conseguido avançar. Lamentável, de fato, que o ex-prefeito de Salvador, que saiu da prefeitura, mas a prefeitura não saiu dele, porque continua usando a prefeitura para seu benefício próprio esteja ausente do debate”, disse Roma. Com informações do site Bahia Notícias

Debate na Band: ”Ausência de Acm Neto é ruim para a democracia”, afirma Jerônimo a jornalistas

/ Política

Jerônimo criticou ausência do adversário. Foto: PT/ Bahia

O candidato a governador do Estado pelo PT, Jerônimo Rodrigues, ao chegar aos estúdios da TV Band Bahia, na Federação, em Salvador, na noite deste domingo (7), acompanhado dos senadores Jaques Wagner (PT), Otto Alencar (PSD), candidato à reeleição, e Angelo Coronel (PSD), além do candidato a vice-governador, Geraldo Júnior (MDB). O postulante petista participou do primeiro debate televisivo das eleições deste ano na Bahia.

Questionado por jornalistas dos diversos veículos da capital baiana presentes sobre a ausência do candidato do União Brasil, Jerônimo voltou a lamentar a não participação de ACM Neto e afirmou que faltou coragem ao adversário. ”É um comportamento de desrespeito, tanto à emissora, porque ele confirmou na própria emissora que estaria presente, quanto à população baiana, que poderá compreender as nossas propostas para emprego, saúde, educação, segurança pública. Isso é ruim para a democracia”, criticou.

”Só tem uma coisa que justifica: medo de errar”, diz Rui sobre ausência de Neto em debate da Band

/ Política

Rui Costa fala em insegurança de ACM. Foto: PT/ Bahia

O atual governador da Bahia, Rui Costa (PT), criticou a ausência de ACM Neto (União) no primeiro debate entre os candidatos neste domingo, Segundo ele, o não comparecimento do ex-prefeito de Salvador não prejudica a discussão, mas demonstra que ”fragilidade e insegurança” para abordar as pautas a ser debatidas no encontro.

”Nada justifica alguém que se julga preparado fugir de um debate. Só tem uma coisa que justifica: medo de errar, medo de não saber responder uma pergunta evidente, medo de confessar que não conhece a Bahia. O país aprendeu com as eleições de 2018 que, quando alguém foge dos debates, é ruim”, disse Rui Costa.

Em relação aos debates das eleições nacionais, o governador da Bahia afirmou que é preciso ter uma organização maior quando se tem muitos candidatos. Segundo ele, em outros países do mundo não se tem tantas pessoas na disputa presidencial, o que facilita a organização.

”Quando você tem 8,10 candidatos você não consegue fazer debate, acho que pode ser pensado de uma forma que agregue muitos candidatos; Normalmente, em outros países, se tem 2,3 candidatos à presidência. É difícil prender a atenção dos telespectadores quando se tem pessoas que ninguém nunca ouviu falar no debate, eles só querem os principais nomes”, afirmou Rui Costa.

Sobre as saídas de Luiz Caetano da Secretaria de Relações Institucionais (Serin) e do diretor da Bahiatursa, Diogo Medrado (veja mais aqui), Rui Costa afirmou que colocará pessoas para assumir o cargo provisoriamente até as eleições. Com informações do Bahia Notícia

“Ele mal-educado, uma pessoa extremamente grosseira”, dispara Jaques Wagner sobre ACM

/ Política

respondeu as críticas de ACM Neto. Foto: PT/Bahia

O senador Jaques Wagner (PT) respondeu as críticas de ACM Neto (União) à chapa montada por Jerônimo Rodrigues (PT) para a disputa eleitoral estadual deste ano. Em entrevista realizada neste domingo (7), em aquecimento para o debate, o parlamentar classificou o ex-prefeito de Salvador como “mal-educado” e afirmou que ele ”não vai para lugar nenhum”.

Em convenção do União Brasil realizada nesta sexta-feira (5), ACM Neto teria dado a entender que a chapa montada pelo PT para a disputa estadual seria de idade avançada demais para as eleições. Wagner respondeu as supostas críticas e afirmou que o candidato busca apoio nas músicas das campanhas de seu avô, Antônio Carlos Magalhães.

”Ele é mal-educado, uma pessoa extremamente grosseira. É estranho que ele fala dos idosos e vai buscar na música do avô, que se elegeu senador com mais de 70 anos. A vice dele [Ana Coelho] é sobrinha de Nilo Coelho, que foi xingado de ladrão pelo avô e é prefeito de Guanambi. Ele [ACM Neto] é uma pessoa pequena de alma e, na minha opinião, não vai para lugar nenhum”, afirmou Jaques Wagner.

Questionado sobre as questões de segurança pública e educação na Bahia, o senador, que também é ex-governador do estado, atacou ACM Neto e afirmou que o candidato ”não tem nada para dizer” sobre os dois temas. Wagner afirmou que quando recebeu o governo estadual, em 2007, ambos os setores eram um “desastre” e pediu para comparar os 16 anos do PT no poder do Estado com o tempo em que Antônio Carlos Magalhães assumia o posto. Com informações do site Bahia Notícias