ACM Neto cancela agenda de viagens ao Vale do Jiquiriçá e visita à Jaguaquara fica para depois

ACM Cancela agenda no Vale do Jiquiriçá. Foto: Divulgação

O ex-prefeito de Salvador e pré-candidato a governador, ACM Neto (UB), cancelou a agenda de visitas a cidades do Vale do Jiquiriçá no próximo domingo (7).

Conforme nota anterior, Neto estaria em Jaguaquara, onde seria recepcionado por correligionários na entrada da cidade por volta das 17h.

A informação sobre o cancelamento foi confirmada ao BMFrahm pelo ex-prefeito de Jaguaquara, Ademir Moreira (UB). Segundo Moreira, que se reúne nesta noite com o deputado Dal em Amargosa, toda a agenda de ACM no território foi suspensa e, em outra ocasião, o pré-candidato visitará a região.

Bahia registra 1.597 casos de Covid-19 e mais 15 óbitos, diz boletim epidemiológico da SESAB

/ Bahia

Na Bahia, nas últimas 24 horas, foram registrados 1.597 casos de Covid-19 (taxa de crescimento de +0,10%) e 2.081 recuperados (+0,13%) e mais 15 óbitos. Dos 1.662.253 casos confirmados desde o início da pandemia, 1.627.716 já são considerados recuperados, 4.160 encontram-se ativos e 30.377  tiveram óbito confirmado. Os dados ainda podem sofrer alterações.

O boletim epidemiológico desta terça-feira  (02) contabiliza ainda 1.958.844 casos descartados e 358.134 em investigação. Estes dados representam notificações oficiais compiladas pela Diretoria de Vigilância Epidemiológica em Saúde da Bahia (Divep-BA), em conjunto com as vigilâncias municipais e as bases de dados do Ministério da Saúde até às 17 horas desta terça-feira. Na Bahia, 67.740 profissionais da saúde foram confirmados para Covid-19. Para acessar o boletim completo, clique aqui ou acesse o Business Intelligence.

Vacinação

Até o momento a Bahia contabiliza 11.646.655 pessoas vacinadas com a primeira dose, 10.806.837 com a segunda dose ou dose única, 6.802.860 com a dose de reforço e 1.460.985 com o segundo reforço. Do público de 5 a 11 anos, 1.009.152 crianças já foram imunizadas com a primeira dose e 616.874 já tomaram também a segunda dose. Do grupo de 3 e 4 anos, 10.877 tomaram a primeira dose.

Marcelo Nilo é descartado na disputa pela vice de ACM Neto e deve tentar vaga de deputado federal

/ Política

Marcelo Nilo deve tentar reeleição de deputado. Foto: Reprodução

A quase 48 horas do início da convenção do União Brasil – onde a candidatura de ACM Neto ao governo da Bahia será oficializada –, o deputado federal Marcelo Nilo (Republicanos), por muito tempo favorito na ”bolsa de apostas” para ser o candidato a vice na chapa, agora está descartado para o posto.

Nilo vinha em campanha massiva para ser escolhido como o candidato a vice na chapa de ACM Neto, mas enfrentou resistência de outros partidos aliados do ex-prefeito de Salvador e acabou ficando de fora da briga.

Por outro lado, o entorno do ex-prefeito de Feira de Santana, Zé Ronaldo (União), aponta um clima de “otimismo” para que o correligionário de Neto seja o escolhido para a vaga de vice na chapa.

Interlocutores ligados a Zé Ronaldo informaram ao Bahia Notícias que a expectativa é positiva, reflexo das últimas movimentações nos bastidores da política baiana e da intensificação das agendas do ex-prefeito de Feira ao lado de Neto pelo interior do estado.

Uma pesquisa qualitativa, contratada pelo União Brasil para auxiliar na escolha do vice de Neto, constatou que o eleitorado baiano está em busca de quadros com perfil político e com experiência em gestão pública. Por esse motivo, o nome de Zé Ronaldo tem subido na cotação desde segunda-feira (1º).

Uma fonte ligada ao ex-prefeito de Feira de Santana informou que o político estava em Salvador na noite desta terça.  Além de Zé Ronaldo, o caminho ainda está aberto para um outro nome: a vereadora de Serrinha, Edylene Ferreira (Republicanos). Essa escolha evitaria a concentração de vagas na chapa majoritária no União Brasil, o que poderia deixar partidos aliados insatisfeitos.

O deputado federal Adolfo Viana (PSDB) também disputa o posto de vice, mesmo o nome tendo perdido força nas últimas horas. A reportagem tentou contato com a vereadora Edylene e com o deputado Marcelo Nilo na noite desta terça-feira, mas ambos estavam em uma reunião fechada. O ex-prefeito Zé Ronaldo também não retornou as ligações.

Do PP de João Leão, prefeito de Coração de Maria declara apoio a Jerônimo Rodrigues

/ Política

Jerônimo e prefeito de Coração de Maria, Kley Lima. Foto: Divulgação

O prefeito Kley Lima, da cidade de Coração de Maria, declarou apoio à candidatura de Jerônimo Rodrigues (PT) ao governo do Estado na noite desta terça-feira (2). Filiado ao PP, partido de oposição ao governador Rui Costa (PT), Kley é um dos 92 gestores eleitos pelo Progressistas nas eleições municipais de 2020. De acordo com a assessoria do candidato, 90% decidiram continuar a aliança com o PT no Estado.

Em vídeo divulgado nesta terça, Kley agradeceu a Rui Costa pelos investimentos realizados em Coração de Maria e disse que estará junto com Jerônimo na campanha eleitoral. ”Uma lição que eu aprendi com meu pai é que o homem tem que ter palavra e gratidão. E eu tenho muita gratidão e tenho que ter palavra para que não restem dúvidas. Eu estou aqui hoje declarando o meu apoio a sua candidatura, então, conte comigo”, disse o prefeito de Coração de Maria para Jerônimo, que agradeceu a manifestação pública de apoio e ressaltou a alegria e a confiança no gestor.

Candidato João Roma diz que loteamento da Embasa gera serviços de má qualidade aos baianos

/ Política

João Roma (PL), candidato a governador da Bahia. Foto: Assessoria

O candidato a governador da Bahia, ex-ministro da Cidadania e deputado federal João Roma (PL) disse que a Embasa tem prestado um serviço ruim aos cidadãos baianos ”devido ao loteamento de cargos por razões meramente políticas para preencher posições em que deveriam estar técnicos capacitados”. ”A Embasa teve um importante papel, não se pode tirar todo o mérito da empresa, em especial dos seus servidores. Mas o que se vê hoje é que ela está sendo atacada justamente por uma prática política atrasada”, disse Roma ao ser questionado pelos apresentadores Neto Maravilha e Cosme Bonfim, que reproduziram a pergunta de um ouvinte durante entrevista à Rádio Rainha FM, de Senhor do Bonfim, nesta terça-feira (2).

O ouvinte disse que a prestação de serviços da estatal baiana deixa muito a desejar em Senhor do Bonfim e os apresentadores reforçaram que as reclamações ocorrem em todo o Estado. ”O que não dá para aceitar é ver uma empresa sendo loteada, que é posta a serviço de grupos de poder. Isso não está contribuindo paro o desenvolvimento da Bahia. Hoje, se um produtor precisa perfurar um poço, ele passa cinco anos sem conseguir sequer uma outorga e, com isso, ele perde financiamento, deixa de gerar emprego e a economia não gira”, comentou Roma, para quem a Embasa já poderia executar parcerias e levar desenvolvimento a outras regiões do Brasil.

Ele apontou que os resultados dessa política ”atrasada” são vistos no quotidiano dos baianos. ”Vemos as pessoas vivendo como se nós estivéssemos ainda no século passado. Senhores carregando lata d’água na cabeça. Pessoas sem abastecimento d’água. Isso precisa mudar e a forma de fazer isso é justamente oxigenando, trazendo para a planilha assuntos objetivos”, disse.

O candidato do PL a governador ainda sugeriu que o eleitor deva perguntar por que as empresas públicas federais, que estavam dando prejuízo, e segundo ele, melhoraram a imagem que tinham e são produtivas com a gestão do governo do Presidente Jair Bolsonaro. ”Nós precisamos colocar uma gestão adequada, com profissionais, e não fazer esse loteamento político em cada departamento da Embasa. Você tem que beijar a mão de um ou de outro porque sabe que está loteada. Essas práticas é que não funcionam mais nos dias de hoje”, enfatizou João Roma.

Após assassinato de jovem a caminho da escola, Cacá Leão defende endurecer leis contra o crime

/ Política

”Assusta nosso estado”, diz Cacá sobre violência. Foto: Divulgação

Nesta terça-feira (02), o pré-candidato ao Senado, deputado federal Cacá Leão (PP), reforçou que vai transformar em principal bandeira de seu mandato, caso eleito, a mudança da legislação penal para agir, segundo ele, com ”mais rigor” contra a violência ”que assusta nosso estado”. Parceiro de caminhada de ACM Neto (UB), pré-candidato a governador, Cacá afirmou que a Bahia tem perdido a guerra direta contra a violência e, atualmente, a pauta da segurança pública deve ser prioridade. Ele lamentou a morte da jovem assassinada enquanto se deslocava para a escola, na capital baiana.

”Comigo no Senado, Neto e o povo da Bahia terão um representante que vai trabalhar para endurecer a nossa legislação criminal, que vai se dedicar para ajudar o nosso governador a botar bandido na cadeia e fazer com que as pessoas sejam respeitadas. É inadmissível o que aconteceu hoje na Bahia, onde, pela manhã, uma jovem quando ia para a escola, acabou sendo assassinada”, completou, lamentando o ocorrido da manhã desta terça, em Salvador.

Cacá destacou que, de acordo com as pesquisas, o estado lidera ranking de mortes violentas no país. ”Não sou eu que digo que a Bahia, hoje, é o estado mais violento do Brasil, são os índices e as agências reguladoras que mostram. Eu acho que precisa-se ter uma mão mais forte do Estado para resolver a violência, que tem tomado conta tanto dos grandes quanto dos pequenos municípios”, disse.

Ministério Público Federal recorre contra liminar que autoriza Eduardo Cunha a ser candidato

/ Política

O Ministério Público Federal (MPF) protocolou, nesta terça-feira (2), recurso contra a liminar deferida pelo Tribunal Regional Federal da 1ª Região (TRF1), que suspendeu os efeitos quanto à inelegibilidade e à proibição de ocupar cargos públicos federais impostas ao ex-deputado federal Eduardo Cunha (PTB).

Segundo o Metrópoles, o MPF também apresentou mandado de segurança para a imediata suspensão dos efeitos da decisão (reveja aqui), que liberou o ex-presidente da Câmara de se candidatar nas eleições de outubro.

Na justificativa, o MPF apontada nulidades na ação apresentada pela defesa do ex-deputado. O mandado de segurança será julgado pela Corte Especial do TRF1, enquanto o recurso passa por análise da 5ª Turma do mesmo tribunal.

Para a procuradora regional da República Michele Rangel de B. Vollstedt Bastos, é um risco artificial, ”o ora agravado aguardou ardilosamente a proximidade do pleito eleitoral de 2022 para só então ajuizar a ação originária com o fito de afastar as penalidades que lhes foram impostas pela Resolução 18/2016”.

A representante do MPF defende ser necessário ponderar os valores presentes no caso: de um lado os supostos direitos políticos de uma pessoa contra quem foi regularmente aplicada a penalidade de perda de mandato de parlamentar e, de outro, o interesse público e social.

Ao admitir que o ex-deputado Eduardo Cunha possa concorrer às eleições deste ano, apesar de ele ter sido submetido a um ”retubante e regular processo político-disciplinar de perda de mandato parlamentar”, a decisão do TRF1 ”põe em xeque a segurança jurídica, a confiabilidade nas instituições, a paz social e a própria democracia, dentre outros valores caros ao Estado Democrático de Direito”, acrescenta a procuradora. Com informações do Bahia Notícias

Prefeito pede para população de Jequié contribuir para sucesso do Censo; Cocá é o primeiro a ser recenseado

/ Jequié

Zé é o primeiro morador a ser recenseado pelo IBGE. Foto: PMJ

Ao receber o recenseador e as gestoras do IBGE, unidade de Jequié, em sua residência, na manhã de segunda-feira (1), o prefeito de Jequié, Zé Cocá, o primeiro a responder o questionário na cidade, pediu o apoio da população para o sucesso do levantamento que conta com a atuação de 139 agentes censitários percorrendo o Município.

Além de receber bem o recenseador, o prefeito pediu que os entrevistados não omitam informações do questionário que está sendo aplicado. ”É um processo bem rápido, mas que é de grande importância também para as prefeituras”, observou o prefeito. O Censo Demográfico apresenta vários aspectos da sociedade e ainda serve para determinar o repasse do FPM (Fundo de Participação dos Municípios) e do Fundeb.

O recenseador faz as visitas domiciliares devidamente uniformizados, com boné e colete azuis com a logomarca do IBGE. No colete, tem também o crachá de identificação, contendo a foto e os números de matrícula e identidade do entrevistador. Para maior segurança, a identidade dos entrevistadores do IBGE poderá ser verificada por meio do site Respondendo ao IBGE ou do telefone 0800 721 8181.

Quem precisar esclarecer dúvidas, também poderá entrar em contato com a Central de Apoio ao Censo em Jequié, por meio dos números (73) 99178-0732 e (73) 99178-0449.

Bruno desconversa sobre Nilo e diz que grupo busca nome que agrade a todos os partidos

/ Política

Bruno fala sobre chapa da oposição. Foto: Cássio Santana/bahia.ba

O prefeito Bruno Reis (União Brasil) desconversou nesta terça-feira (2) quando perguntado sobre a possibilidade de o deputado federal Marcelo Nilo (Republicanos) ser o indicado para a candidatura a vice na chapa do pré-candidato a governador ACM Neto (UB). ”Estão avançando as conversas”, disse, segundo o bahia.ba.

De acordo com o gestor, a intenção é que até sexta-feira (5), nas convenções, seja escolhido um nome que agrade a todos os partidos que apoiam o ex-prefeito de Salvador. ”Que seja o melhor nome para a gente ganhar as eleições e para governar o estado”, sintetizou Bruno, que não comentou a postagem de Marcelo Nilo, nesta terça, na qual afirma que ”hoje é um dia muito especial”.

”Essa definição (do candidato a vice) pode acontecer nas próximas horas ou pode acontecer só na convenção. As conversas estão em curso. Estamos dialogando com todos os partidos que compõem a base”, resumiu Bruno. Além de Nilo, outros três deputados federais são citados nos bastidores como possíveis postulantes a vice-governadoria: Márcio Marinho (também do Republicanos), Félix Mendonça Júnior (PDT) e Adolfo Viana (PSDB)”.

Do PSDB, Mara Gabrilli é confirmada na chapa de Simone Tebet à Presidência da República

/ Política

Escolha ocorreu após reunião das candidatas. Foto: Globo

Candidata do MDB à Presidência da República, a senadora Simone Tebet confirmou na manhã desta terça-feira (2), o nome da também senador Mara Gabrilli (PSDB) como sua vice na chapa que disputará a eleição de outubro. O anúncio foi feito em São Paulo.

A decisão foi tomada após conversas entre as candidatas e os presidentes dos três partidos da aliança: Baleia Rossi (MDB), Bruno Araújo (PSDB) e Roberto Freire (Cidadania).

”A riqueza do Brasil é a diversidade da população. E quem desdenha isso não merece ir adiante. (…) Um estado ou um país que é bom para a pessoa com deficiência, ele é maravilhoso para as pessoas normais. Sou uma pessoa que tem compromisso com a Justiça, com o combate à fome. Conte comigo e com a minha devoção para mudar o país”, disse Mara Gabrilli nesta terça (2) em São Paulo.

Novo concurso para professor e coordenador pedagógico da rede estadual é anunciado

/ Educação

O Estado da Bahia publica nesta terça-feira (2/8) o edital de concurso público para a Secretaria da Educação (SEC), com a oferta de 2.113 vagas para professores e coordenadores pedagógicos da rede estadual. Assim que publicada, as informações poderão ser consultada no Diário Oficial do Estado (DOE), no Portal do Servidor e no site da organizadora do certame, a Fundação Carlos Chagas (FCC).

As inscrições deverão ser realizadas de a partir de quarta-feira (9/8) até 30 de agosto, de acordo com as regras do edital, e a taxa de inscrição é no valor de R$ 140. Poderão concorrer às vagas de professor candidatos com ensino superior, reconhecido pelo Ministério da Educação (MEC), das áreas de Arte, Biologia, Educação Física, Filosofia, Física, Geografia, História, Língua Inglesa, Língua Portuguesa, Matemática, Química e Sociologia.

Entre os coordenadores pedagógicos também é exigida formação superior, sendo possível aos candidatos indígenas submeterem inscrições às vagas ofertadas para as Escolas Indígenas. Ao final do certame, os nomeados cumprirão carga horária de 40 horas semanais.

O NTE 26 e o NTE 04, que correspondem à Área Metropolitana de Salvador e à Região do Sisal, com 31 municípios ao todo, registram a maior número de vagas: 349 para professor e 106 para coordenador pedagógico.

No ato da inscrição, será necessário informar o código do cargo/disciplina, o Núcleo Territorial de Educação (NTE) pretendido e a cidade para realização das provas. Aqueles que concorrerem às vagas para coordenador pedagógico de Escolas Indígenas precisam também informar nome da escola, do município e etnia, de acordo com os Anexos III e IV do edital. Será considerada válida uma inscrição por CPF, com a apresentação de informações verídicas. A submissão é efetivada pelo pagamento da taxa até o dia 30 de agosto, dentro do expediente bancário, observando o horário de Brasília.

PROVA

O concurso será realizado em três etapas. As duas primeiras, ambas de caráter habilitatório e classificatório, serão realizadas no dia 6 de novembro, período da manhã, nas cidades de Alagoinhas, Amargosa, Barreiras, Bom Jesus da Lapa, Caetité, Eunápolis, Feira de Santana, Ipirá, Irecê, Itaberaba, Itabuna, Itapetinga, Jacobina, Juazeiro, Jequié, Macaúbas, Paulo Afonso, Ribeira do Pombal, Salvador, Santa Maria da Vitória, Seabra, Serrinha, Santo Antônio de Jesus, Senhor do Bonfim, Teixeira de Freitas, Valença e Vitória da Conquista.

As provas objetivas terão 50 questões para o cargo de professor e 40 para o cargo de coordenador pedagógico, além da prova discursiva que abordará conhecimentos gerais, conhecimentos específicos e conhecimentos interdisciplinares, a depender do cargo. A prova de títulos, de caráter classificatório, será aplicada aos habilitados na segunda etapa do certame de acordo com o previsto em edital.

O resultado final do concurso, bem como de todas as suas etapas e informações complementares, serão divulgados no site da FCC e também no Portal do Servidor. Vale ressaltar que ainda há a reserva de 5% das vagas destinadas a candidatos deficientes e 30% para aqueles que se autodeclararem negros. O concurso terá validade de um ano, podendo se prorrogado apenas uma vez, por igual período. Outras informações, como conteúdo programático e cronograma provisório, deverão ser consultadas no edital.

Luva de Pedreiro revela maior contrato da carreira; assina com empresa de equipamentos esportivos

/ Bahia

Influenciador Iran Ferreira, o Luva de Pedreiro. Foto: Reprodução

O influenciador Iran Ferreira, o Luva de Pedreiro, revelou nesta segunda-feira (1º) que o maior contrato de sua carreira é com a empresa de material esportivo Adidas. O baiano não deu detalhes sobre valores da negociação, já sob a tutela do novo empresário, o ex-jogador de futsal Falcão.  No vídeo, no melhor estilo Luva, o influenciador chuta uma bola para cima, entra em uma loja da empresa, veste uniformes, corta o cabelo, bebe água de coco, antes de dominar a bola novamente e marcar um gol em uma quadra, exaltando a parceria com a Adidas.

O anúncio de que esse era o seu maior contrato foi feito através de um vídeo postado em uma rede social na semana passada. ”Fala, minha tropa. O cara da Luva de Pedreiro está aqui em São Paulo. Vim fazer o contrato da minha vida. Maior contrato do cara da Luva de Pedreiro. Graças a Deus, pai. Em nome do pai, do filho e do Espírito Santo. Amém. Receba. Aguardem, viu!”. Luva de Pedreiro está sendo agenciado por Falcão desde o final de junho deste ano, após polêmica envolvendo o ex-empresário Allan Jesus (leia mais abaixo).

Ainda na semana passada, horas depois do anúncio, o baiano comemorou a marca de quase 5 milhões de visualizações em um story – vídeo de curta duração postado no Instagram, que some após 24h de publicado. ”Galera, vim agradecer a vocês esses quase 5 milhões de visualizações nos stories. Todo dia minha tropa do Pedreiro acompanhando… Receba! E vem notícia aí magnífica, sensacional. Graças a Deus, pai. É a tropa”.

Neste final de semana, Luva divulgou nas redes sociais que está em viagem para a Europa. Pela primeira vez, o jovem de 20 anos vai para o exterior na companhia dos pais, a convite da LaLiga, primeira divisão espanhola de futebol profissional. Nas imagens, é possível ver que Luva está na companhia dos pais em um aeroporto, mas não divulgou qual era. Ele também não confirmou qual o país de destino (apesar de a LaLiga ser da Espanha), nem detalhou quantos dias vai passar fora do Brasil.

Em outra rede sociais, Luva agradeceu pela oportunidade de viajar pela primeira vez para fora do país com os pais e ainda escreveu: ”É por isso que não desisto, sou brasileiro e não desisto”. No dia 17 de julho, o ex-jogador de futsal Falcão, responsável por agenciar a carreira de Iran Ferreira, rebateu o ex-empresário do jovem sobre uma tentativa de negociação no início deste ano.

A troca de farpas ocorreu após o ex-empresário de Luva de Pedreiro dar uma entrevista a um podcast. Na ocasião, Allan Jesus afirmou que a BET.12, empresa que o ex-jogador de futsal é embaixador, tentou negociar várias vezes com o influenciador no início deste ano.

No entanto, Falcão negou que a empresa teria tentado negociar mais de uma vez. ”Isso não foi o início das negativas, foi a única vez que falaram com você”, rebateu. Ainda no vídeo publicado na rede social, o ex-jogador de futsal falou sobre o fato de Allan Jesus ter recusado propostas de outras empresas que tentaram fechar contrato com Luva de Pedreiro. ”Não fechou com a gente, nem com ninguém. Várias empresas [tentaram fechar contrato] e você negou, falou que não tinha interesse. Você não precisa, mas o menino [Luva de Pedreiro] precisava. Quem sabe ele não tinha mais que R$ 7,5 mil girando na conta”. As informações são do G1

Auxílio Brasil de R$ 600 é considerado insuficiente por mais da metade dos beneficiários

/ Economia

Mais da metade dos beneficiários do Auxílio Brasil considera o valor de R$ 600 insuficiente, segundo a pesquisa Datafolha, divulgada pelo site do jornal “Folha de S. Paulo” nesta segunda-feira (1º).

De acordo com o instituto, entre os que recebem o benefício, 54% consideram o valor insuficiente, 38% classificam como suficiente e 8% como mais que suficiente. Já no eleitorado geral, 56% consideram o valor insuficiente, enquanto 36% dizem que é suficiente e 7% afirmam que o montante é mais que suficiente.

Ainda segundo o levantamento, 25% dos entrevistados recebem ou moram com um beneficiário do programa. Em maio, eram 21%. A maior parte dos beneficiários (63%) são mulheres.

A quantia mínima do benefício foi ampliada em R$ 200 pelo Congresso, mas o acréscimo só será pago de agosto até dezembro deste ano.

A pesquisa ouviu 2.556 pessoas nos dias 27 e 28 de julho em 183 cidades brasileiras. A margem de erro é de dois pontos para mais ou para menos. Ela está registrada no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) com o número BR-01192/2022.

Ausência de candidatos

/ Artigos

Rodrigo Daniel é jornalista, e escreve para Tribuna. Foto: BN

Desde a década de 1960, quando ocorreu o primeiro debate televisionado no mundo entre John Kennedy e Richard Nixon pela Presidência dos Estados Unidos, os atores políticos têm receio de participar de embates eleitorais. Sabem os candidatos que uma fala mal colocada, um simples gesto errado, uma aparência abatida ou qualquer desatenção pode ser a gota d’água na eleição.

Autor de um importante livro sobre aquela eleição americana, o jornalista Theodore H. White relata como o debate, que foi assistido por mais de 70 milhões de pessoas, mudou a percepção dos eleitores. A esperada superioridade de Nixon, que era então vice-presidente da República, se desmanchou no ar. Ele apareceu no confronto assustado, carrancudo e abatido. Enquanto o seu adversário, John Kennedy estava calmo e confiante.

”Quem ouviu os debates no rádio acredita que houve paridade entre os dois candidatos. No entanto, todas as pesquisas com aqueles que assistiram aos debates na televisão indicaram que Nixon se saiu mal”, escreveu White. De lá para cá, muitos candidatos fogem dos embates eleitorais como o diabo foge da cruz. No Brasil, virou mania os líderes nas pesquisas de opinião não comparecem aos debates.

Em 2018, Jair Bolsonaro não foi a nenhum confronto no segundo turno, com o argumento de que os médicos vetaram a sua participação após o atentado à faca que sofreu. Foi eleito sem que os brasileiros soubessem quais eram as suas propostas para resolver os principais problemas do país. Dias depois de Bolsonaro ter vencido, o então prefeito de Salvador, ACM Neto, disse, com razão, que o Brasil ”deu o maior cheque em branco da sua história” ao presidente eleito.

No mesmo ano, o governador Rui Costa, que disputava a reeleição, prometeu participar de todos os debates eleitorais. Não cumpriu. Líder nas pesquisas, esteve presente apenas em dois, na Bandeirantes e na TV Bahia. Aliás, poucas entrevistas ele concedeu à imprensa naquele pleito. Reeleito, Rui enviou semanas depois, sem nunca ter mencionado na campanha que faria, um duro pacote de austeridade para a Assembleia Legislativa.

Desta vez, é ACM Neto, que lidera as sondagens de opinião, e já avisou que não irá para o primeiro debate eleitoral, marcado para o próximo domingo. Provavelmente, repetirá a estratégia de 2016, quando foi reeleito prefeito de Salvador. Naquele ano, Neto foi apenas ao último confronto promovido pela TV Bahia. Ausente dos debates, o pré-candidato a governador do União Brasil vai reduzir as chances de seus eleitores saberem o que pensa para o futuro da Bahia, e comparar suas propostas com a dos adversários políticos.

ACM Neto tem feito críticas aos baixos índices da Educação e da Segurança Pública do estado, mas, até agora, pouco tem dito como resolverá esses problemas. Tem prometido dar continuidade nas boas ações feitas pelo atual governo, mas pouco se sabe quais os projetos petistas ele considera positivos e não serão interrompidos, se ele for eleito o próximo governador.

Na disputa presidencial, tanto Lula quanto Bolsonaro, que estão à frente nas pesquisas, já indicaram também que não vão participar dos debates. A verdade, caro leitor, é que, ao longo das últimas eleições, os candidatos têm se sentido à vontade para faltar aos embates eleitorais. Embora os debates sejam um momento importante para sabermos quem têm realmente propostas concretas e está preparado para comandar o estado ou o país, os eleitores têm dado pouca importância para a ausência dos postulantes. Pelo contrário, tem premiado os ausentes com cheques em branco, como fez com Bolsonaro há quatro anos.

*por Rodrigo Daniel Silva

Publicidade