Sobe para 142 o número de casos de varíola dos macacos no Brasil, diz Ministério da Saúde

/ Saúde

Os órgãos sanitários brasileiros confirmaram 36 novos casos de varíola dos macacos (monkeypox) nas últimas horas. No total, já foram registrados 142 casos da doença viral causada pelo vírus hMPXV (sigla para Human Monkeypox Vírus).

Segundo o Ministério da Saúde, a maioria (98) dos casos foi confirmada no estado de São Paulo. Em seguida vem o Rio de Janeiro, com 28 ocorrências da doença, Minas Gerais (oito), Ceará (duas), Paraná (duas), Rio Grande do Sul (duas), Distrito Federal (uma) e Rio Grande do Norte (uma).

Em nota divulgada à imprensa na manhã de hoje (7), a pasta reafirma que está em contato direto com as secretarias de Saúde estaduais, monitorando os casos e rastreando as pessoas com quem os pacientes tiveram contato.

Segundo a Organização Pan-Americana da Saúde (Opas), tradicionalmente, a varíola dos macacos é transmitida principalmente por contato direto ou indireto com sangue, fluidos corporais, lesões na pele ou mucosas de animais infectados. A transmissão secundária ou de pessoa a pessoa pode acontecer por contato próximo com secreções infectadas das vias respiratórias ou lesões na pele de uma pessoa infectada, ou com objetos contaminados recentemente com fluidos do paciente ou materiais da lesão. A transmissão ocorre principalmente por gotículas respiratórias. Não há evidência de que o vírus seja transmitido por via sexual.

Tratamento

Não há tratamento específico, mas os quadros clínicos costumam ser leves, sendo necessários o cuidado e a observação das lesões, de acordo com a Opas. O maior risco de agravamento ocorre, em geral, para pessoas imunossuprimidas com HIV/aids, leucemia, linfoma, metástase, transplantados, pessoas com doenças autoimunes, gestantes, lactantes e crianças com menos de 8 anos.

Os primeiros sintomas podem ser febre, dor de cabeça, dores musculares e nas costas, linfonodos inchados, calafrios ou cansaço. De um a três dias após o início dos sintomas, as pessoas desenvolvem lesões de pele, geralmente na boca, pés, peito, rosto e ou regiões genitais.

Para a prevenção, deve-se evitar o contato próximo com a pessoa doente até que todas as feridas tenham cicatrizado, assim como com qualquer material que tenha sido usado pelo infectado. Também é importante a higienização das mãos, lavando-as com água e sabão ou utilizando álcool gel.

Vale do Jiquiriçá: Frentista morre em colisão entre moto e carro quando voltava no trabalho na BR-420

Moto e carro colidiram na BR-420. Foto: Leitor/BMFrahm

Um motociclista morreu vítima de um acidente na manhã desta quinta-feira (7) na Rodovia BR-420, no trecho entre os municípios de Ubaíra e Jiquiriçá, no Vale do Jiquiriçá.

A vítima, Fábio Andrade, pilotava uma moto Honda Biz e atuava como frentista em um posto de combustíveis na cidade de Mutuípe, de onde retornava quando aconteceu a colisão com uma picape VW/Saveiro, que segundo relatos de populares teria invadido a pista contrária, provocando a batida.

Conforme apurou o Blog Marcos Frahm, o frentista voltava para sua casa, em Ubaíra. Ele deixou esposa e uma filha de 10 anos. O corpo foi encaminhado ao Instituto Médico Legal de Santo Antonio de Jesus. Já o condutor do carro sofreu lesão em uma das pernas e foi socorrido para uma unidade de saúde da região.

Após anúncio de demissão, Casagrande diz que não tem ”novo perfil” da Globo e critica Neymar

/ Imprensa

Walter Casagrande comentou sobre sua atuação. Foto: Reprodução

O ex-jogador de futebol Walter Casagrande Jr comentou sobre sua atuação de mais de duas décadas na TV Globo após seu anúncio de demissão da emissora (veja aqui).

Em entrevista ao F5 da Folha de S. Paulo, o comentarista reforçou que a relação com a Globo desgastou e que talvez ele não tivesse o ”perfil” para o ”novo modo de dirigir o esporte”.

”E para mim também ficou pesado porque eu sou desse jeito, eu não ia conseguir mudar o meu modo”, disse Casagrande ainda afirmou que não se empolga com as chances da Seleção Brasileira na Copa de 2022 e criticou o desempenho de Neymar Jr.

”Por exemplo, a Seleção Brasileira: eu sou crítico realista. Pra mim, (a Seleção) não jogou contra ninguém até agora, eu não consigo dizer que é favorita. O caso do Neymar: faz quatro anos que ele não joga nada. Os últimos dois anos foram péssimos, muitas contusões, nessa Copa dos Campeões ele não fez nenhum gol, o PSG está querendo que ele saia e eu sou crítico”, afirmou.

O comentarista ainda destacou seus planos futuros e afirmou que quer trabalhar na Copa do Mundo. ”Tem duas coisas em que eu vou me empenhar agora. Uma é que eu vou arrumar um lugar para escrever, que eu gosto muito de escrever sobre tudo. E a segunda é que eu quero ir para a Copa do Mundo trabalhar, por algum canal, site, jornal, não sei”, destacou. *Bahia Notícias

Bancada do PT abre representação contra gestão de Neto e Bruno Reis, envolvendo a empresa BSM

/ Política

Denúncia envolve BSM ePrefeitura de Salvador. Foto: Rede social

Uma representação no Ministério Público feita por cinco deputados estaduais do PT contra uma empreiteira, nesta quarta-feira (6), foi o tema da entrevista do Isso É Bahia, na rádio A TARDE FM (103.9), com um destes parlamentares.

Robinson Almeida diz ter identificado, junto aos seus correligionários e colegas na Assembleia Legislativa da Bahia (AL-BA), que uma empreiteira é suspeita de favorecimento durante as gestões de ACM Neto (UB) e Bruno Reis (UB), com base na análise de contratos de fornecimento de equipamentos de mão de obra, requalificação da orla e obras na torre da Petrobras no Itaigara.

”O contexto é que há um triângulo que envolve a BSM, a Prefeitura de Salvador e um personagem chamado Lucas Cardoso. Lucas Cardoso foi denunciado no âmbito da Lava Jato por um executivo da Odebrecht como sendo a pessoa que arrecadou recursos de caixa dois pra financiar a campanha do então candidato ACM Neto em 2012 a prefeito de Salvador”, disse Robinson Almeida, que alega que Lucas Cardoso assumiu o posto atual após a gestão de Neto, em 2021. ”Lucas Cardoso agora foi revelado como proprietário, como sócio da empresa desde a BSM. E durante as duas gestões do prefeito ACM Neto a BSM teve contratos com a prefeitura de Salvador em torno de duzentos e setenta milhões de reais”, completou.

Entre os contratos citados pelo deputado do PT na entrevista, um deles seria com a Secretaria de Manutenção [Seman], para fornecer equipamentos de mão de obra, assinado em 2019 e renovado, segundo Almeida, sem licitação. ”O contrato que era de R$ 30 milhões hoje já tem R$ 110 milhões em execução. E ele ainda é vigente na atual gestão de Bruno Reis”, acusou. ”O outro contrato sugere um direcionamento, que foi assinado pela Secretaria de Manutenção em 2019 para requalificar a orla de Salvador em um trecho entre Amaralina e a Pituba. Essa obra ainda não está 100% concluída”, disse o petista, que questiona não só a eventual renovação sem licitações em obras, mas o que ele enxergou como favorecimento diante de outros concorrentes. ”Nove empresas participaram da licitação [contrato para o trecho da orla entre Amaralina e Pituba] e sete foram desabilitadas. A BSM, que estranhamento mostrou o maior valor, foi assumida em um contrato que era de R$ 39 milhões, mas que já está em R$ 48 milhões, mais de 20% de acréscimo”. O terceiro contrato questionado pela bancada é o que envolve a Petros, proprietária da torre da Petrobras no Itaigara. “Ela executou obras que a Prefeitura de Salvador exigiu para liberar o uso daquele prédio. Foi firmado um TAC [Termo de Compromisso de Ajustamento de Conduta] entre a Petros e a prefeitura. Estranhamente, a prefeitura indicou algumas empresas para que a Petros contratasse para liberar o uso do prédio, e a BSM foi novamente escolhida”, completou Robinson Almeida.

Além de Robinson Almeida, entraram com a representação os deputados estaduais do PT Bira Corôa Lula, Jacó Lula da Silva, Neusa Lula Cadore e Osni Cardoso Lula da Silva. ”Eu sou da tese de que quem não deve não teme e esse motivo inclusive nos levou a entrar com essa representação, que foi a ausência de informação de interesse público por parte da prefeitura e de todos os questionamentos pelas matérias e publicações”, disse o entrevistado do Isso É Bahia desta quinta-feira ao questionar  as gestões municipais de ACM Neto e Bruno Reis por não se posicionarem quando o assunto foi tocado em veículos de comunicação.

Também na entrevista, Robinson Almeida disse não precisar aguardar o retorno da representação para levantar algumas suspeitas. ”As evidências são contundentes de que há prática de direcionamento e favorecimento a uma empresa em que o proprietário hoje, Lucas Cardoso, é amigo íntimo do ex-prefeito de Salvador, ACM Neto. Inclusive colocado por ele mesmo como responsável pela sua arrecadação financeira em 2012”, acusa. As informações são do A Tarde

STJ determina exigência do exame toxicológico para renovação de Carteira Nacional de Habilitação

/ Trânsito

Agora para o condutor brasileiro conseguir renovar ou obter a Carteira Nacional de Habilitação (CNH), das categorias  C, D e E,  vai ter que apresentar o exame toxicológico negativo. Essa decisão foi tomada pelo Superior Tribunal de Justiça (STJ) e passa a fazer parte do Código de Trânsito Brasileiro (CTB).

O julgamento foi realizado em 8 de junho pela Primeira Seção do STJ. O acórdão da decisão foi publicado no dia 15 de junho, quando os ministros atenderam um recurso apresentado pela União em defesa do CTB e derrubaram decisões da Justiça Federal que suspenderam a exigência do exame negativo.

No texto do acórdão do julgamento ficou definido que, ”a obrigatoriedade de apresentação de resultado negativo no exame toxicológico de larga detecção está vinculada às categorias de habilitação, e não a parâmetros associados à atividade profissional do condutor”. O entendimento deverá ser aplicado em outros casos semelhantes que estão em tramitação no Judiciário

PEC da redução da alíquota do INSS das prefeituras vai à votação na CCJ da Câmara dos Deputados

/ Brasília

União dos Municípios da Bahia promove encontro. Foto: Divulgação

O Presidente da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Câmara dos Deputados, Arthur Maia (UB), anunciou que incluirá a Proposta de Emenda Constitucional (PEC) 14/2022 da Redução da Alíquota Patronal do INSS dos municípios na pauta de votação da CCJ já na próxima semana. A PEC recebeu parecer favorável do relator, deputado Paulo Azi, que buscou dar celeridade à tramitação pela importância da matéria. O anúncio foi feito no encontro entre os parlamentares, o presidente da União dos Municípios da Bahia (UPB), Zé Cocá, e a comitiva de prefeitos que participaram da Mobilização Nacional em Brasília, nesta terça-feira (5).

”Já na semana que vem essa PEC estará incluída na pauta da CCJ para que ela seja votada o mais rápido possível’, disse Maia em vídeo gravado ao lado dos gestores e deputados baianos. O relator da proposta, deputado Paulo Azi (UB), ressaltou a necessidade de urgência em analisar a proposta. ”Nós sabemos a importância desta pauta para os prefeitos do Brasil, principalmente para os prefeitos do Norte e Nordeste e nesse momento entregamos o parecer atendendo à solicitação do nosso querido presidente da UPB, Zé Cocá, de dar celeridade à tramitação desta emenda. Tenho certeza que o presidente Arthur sabe da importância dessa pauta e haverá de pautar isso o mais rapidamente possível”.

O presidente da UPB e prefeito de Jequié, Zé Cocá, agradeceu aos parlamentares pela sensibilidade em atender ao apelo do movimento municipalista. Segundo ele, as prefeituras pagam 22,5% sobre a folha de pessoal, uma das alíquotas mais altas aplicadas a empregadores no Brasil, sendo que prestam um serviço de interesse público ao cidadão. ”Vocês estão votando não só a pedido da Bahia, mas de todo o Brasil, para salvar os prefeitos que não conseguem equilibrar as contas dos municípios com essa alíquota da forma como está hoje’, afirmou o gestor.

MEC divulga resultado do Sistema de Seleção Unificada (Sisu) para o segundo semestre

/ Educação

Quem se inscreveu no processo seletivo do Sistema de Seleção Unificada (Sisu) para o segundo semestre de 2022 já pode conferir se está entre os selecionados desta edição. A divulgação foi informada pelo Ministério da Educação (MEC) na noite desta quarta-feira (6). O resultado pode ser acessado na página do Sisu no portal Acesso Único

Agora, os selecionados na chamada regular terão de 13 a 18 de julho para efetuar as matrículas, diretamente nas instituições para as quais foram aprovados.

Ao todo, 60.246 estudantes foram selecionados. Desses, 37.149 (61,66% do total) conseguiram aprovação para a 1ª opção de curso e 23.097 (38,34%) para a 2ª opção de curso, conforme indicado pelos candidatos nas próprias inscrições. A oferta nesta edição do Sisu totalizou 65.932 vagas.

Lista de Espera

Para quem não conseguiu classificação para ficar entre os selecionados na chamada regular ainda há chances para disputar uma das vagas ofertadas nessa edição do Sisu. Já a partir desta quarta, aqueles que ainda não foram selecionados podem manifestar interesse em participar da lista de espera. O prazo para registrar, na página do Sisu, que deseja participar dessa última etapa do segundo processo seletivo de 2022 terminará às 23h59 do dia 18 de julho, horário oficial de Brasília. Da Agência Brasil

Dois suspeitos morrem durante ação da PM de Jequié no Brinco de Ouro; polícia diz que dupla reagiu

/ Jequié

Corpos foram encaminhados ao IML. Foto: BMFrahm

Dois suspeitos morreram em ação da Polícia Militar de Jequié, por volta das 16h30 desta quarta-feira (6) na Rua Eliel Cerqueira Mendes, na localidade de Brinco de Ouro, no bairro Jequiezinho.

A PM ao revelou a identidade dos suspeitos, mas informou que ambos portavam armas de fogo, que teriam reagido à ação policial, sendo os mesmos alvejados e socorridos ao Hospital Geral Prado Valadares – HGPV, mas que não resistiram.

Além de dois revólveres, balança de precisão e sustância análoga à cocaína foram encontrados com eles, conforme o registro do 19º BPM. Os corpos foram encaminhados ao Instituto Médico Legal. O ato aconteceu depois de dois crimes de homicídios praticados na madrugada na localidade de Cachoeirinha, contra um homem e uma mulher, em residências diferentes terem chamado a atenção da população.

Menino morre após passar 1 ano com prego no pulmão; caso aconteceu na cidade de Canavieiras

/ Bahia

Menino morre após passar ano com prego no pulmão — Foto: Reprodução

Uma criança de 3 anos morreu após passar um ano com prego no pulmão. O caso aconteceu no município de Canavieiras e segundo o g1, os pais levaram a criança várias vezes ao hospital mas só descobriram o objeto dentro da criança quando resolveram fazer um exame por conta própria.

Os pais contam que em junho de 2021 perceberam que Cauan Araújo teria engolido um objeto, mas não conseguiram identificar o que era. Sendo assim, Cosme Conceição, pai da criança, o levou até o Hospital Municipal de Canavieiras. ”Naquela noite, eu senti que ele estava engasgado, saiu até sangue da boquinha dele. Aí, imediatamente, eu levei para o hospital, na mesma noite. Chegando lá no hospital, o médico olhou e falou que não tinha nada na garganta da criança. Aí a gente voltou”, contou Cosme.

Segundo a mãe de Cauan, Clarice Araújo, com o passar do tempo o garoto continuava sentindo dores e fortes tosses, e ao ser levado ao médico, a profissional de saúde afirmou que a criança estava com sintomas de asma e nenhum exame foi solicitado. ”Ele ficava sentindo febre e tossindo demais. De um tempo para cá, a dor foi começando a chegar. Uma dor do lado direito dele, que ele ficava andando torto, de lado. A gente sempre levava no hospital, e ele só dava medicamento. Aí quando o efeito do medicamento passava, a dor e a febre continuavam vindo”, lembrou ela.

Com o agravamento das dores do filho, Clarice e Cosme fizeram um exame de raio-x particular, onde identificaram a gravidade do problema do filho. A família então retornou com o garoto para o hospital. ”Aí chegou lá, deram medicamento a ele e mandou ficar na espera de alguma regulação para ser transferido. Aí ele foi transferido para Salvador”, disse a mãe de Cauan.

Já no Hospital Geral do Estado (HGE), o garoto passou por uma cirurgia para retirar o prego. Os médicos identificaram que o material havia perfurado os dois pulmões de Cauan chegou a ficar internado dois dias na Unidade de Terapia Intensiva (UTI), mas ele não resistiu. *Bahia Notícias

Bahia registra 4.780 casos de Covid-19 e mais 17 óbitos, diz boletim epidemiológico da SESAB

/ Bahia

Na Bahia, nas últimas 24 horas, foram registrados 4.780 casos de Covid-19 (taxa de crescimento de +0,30%), 2.586 recuperados (+0,17%) e 17 óbitos. Dos 1.596.049 casos confirmados desde o início da pandemia, 1.548.647 já são considerados recuperados, 17.336 encontram-se ativos e 30.066 tiveram óbito confirmado. Os dados ainda podem sofrer alterações.

O boletim epidemiológico desta quarta-feira (06) contabiliza ainda 1.914.315 casos descartados e 348.077 em investigação. Estes dados representam notificações oficiais compiladas pela Diretoria de Vigilância Epidemiológica em Saúde da Bahia (Divep-BA), em conjunto com as vigilâncias municipais e as bases de dados do Ministério da Saúde até às 17 horas desta quarta-feira. Na Bahia, 65.617 profissionais da saúde foram confirmados para Covid-19. Para acessar o boletim completo, clique aqui ou acesse o Business Intelligence.

Vacinação
Até o momento a Bahia contabiliza 11.620.085 pessoas vacinadas com a primeira dose, 10.704.134 com a segunda dose ou dose única, 6.394.967 com a dose de reforço e 829.731 com o segundo reforço. Do público de 5 a 11 anos, 980.456 crianças já foram imunizadas com a primeira dose e 565.658 já tomaram também a segunda dose.

 

Em noite histórica de 7 a 1 contra o Tolima, Flamengo avança na Libertadores da América

/ Esporte

O Flamengo não deu chances ao Tolima. Sérgio Maraes

Empurrado pela sua apaixonada torcida (que compareceu em peso, com mais de 61 mil presentes), o Flamengo não deu chances ao Tolima (Colômbia) e goleou por 7 a 1, nesta quarta-feira (6) no estádio do Maracanã, e se classificou para as quartas de final da Copa Libertadores, onde medirá forças com o Corinthians, que passou pelo Boca Juniors (Argentina).

O Rubro-Negro não sentou em cima da magra vantagem de 1 a 0 (gol do volante Andreas Pereira, que deixou o time da Gávea) construída no confronto de ida e partiu para o ataque. E aos 4 minutos a equipe comandada por Dorival Júnior abriu o placar, quando Pedro tocou para o uruguaio Arrascaeta, que devolveu com um passe de grande categoria para o centroavante bater cruzado para superar Cuesta.

O Flamengo continuou melhor, e não demorou a ampliar. Aos 20 minutos Arrascaeta enfiou a bola para Pedro, que, de calcanhar, encontrou Gabriel Barbosa. O camisa 9 finalizou para defesa parcial de Cuesta, mas a bola desviou em Quiñones, que acabou marcando contra.

Se o primeiro tempo foi bom, no segundo o Rubro-Negro tomou conta de vez da partida. Logo no primeiro minuto, o Flamengo chegou ao terceiro, quando Arrascaeta levantou a bola na área em cobrança de falta, o zagueiro David Luiz escorou para o meio da área, onde Pedro dominou antes de conferir para o fundo do gol.

Aos 10 foi a vez de Gabriel Barbosa guardar o dele. O camisa 9 dominou na direita, avançou para o meio e bateu colocado para marcar um belo gol. Sete minutos depois o Tolima ainda chegou ao gol de hora, com Quiñónes, mas a noite era mesmo do time de Dorival Júnior, que não diminuiu a rotação.

Quatro minutos depois Pedro acionou Rodinei na direita e o lateral se livrou de um defensor antes de cruzar de volta para o atacante marcar pela terceira vez na partida. Aos 27 o camisa 21 volta a brilhar, mas desta vez no papel de garçom, tocando para o garoto Matheus França, que havia acabado de entrar no gramado, deixar o dele.

Mesmo com o placar elástico o Flamengo continuou buscando mais gols, e conseguiu aos 33 minutos com o artilheiro da noite, Pedro, que marcou ao aproveitar rebote dado pelo goleiro Cuesta.

Após se garantir nas quartas da competição continental, a equipe da Gávea visita o Corinthians no próximo domingo (10) no Brasileiro, em uma espécie de prévia do confronto entre as equipes pela Libertadores. Da Agência Brasil

Presidente do Senado, Pacheco abre CPI do MEC, mas investigação fica para depois das eleições

/ Brasília

Rodrigo Pacheco. Foto: Marcos Oliveira / Agência Senado

O presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (PSD-MG), leu nesta quarta-feira (6) o requerimento para a abertura de uma CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito) para investigar as denúncias de corrupção no âmbito do Ministério da Educação.

Pacheco também leu outros dois requerimentos de CPIs que foram propostos por senadores ligados ao governo do presidente Jair Bolsonaro (PL). Uma delas surgiu como reação à CPI do MEC proposta pela oposição e visa a investigar as obras paradas de educação durante os governos do PT —no período de 2006 a 2018. A outra pretende abordar a atuação do narcotráfico e do crime organizado na região Norte do país.

Além de abrir as Comissões Parlamentares de Inquérito, Pacheco também decidiu que vai unificar os requerimentos para duas CPIs que já foram abertas, que pretendem investigar a atuação de ONGs na região da Amazônia e também a alta do desmatamento e crimes ambientais.

A leitura dos requerimentos significa, na prática, que as CPIs foram abertas pela presidência do Senado. O passo seguinte seria a indicação dos senadores que vão compor os colegiados, pelos blocos partidários, e na sequência a instalação, com a eleição da cúpula das comissões.

Nesta terça-feira (5), no entanto, os líderes partidários decidiram em reunião, convocada e com a presença de Pacheco, que vão segurar a instalação da CPI do MEC e as outras duas até a conclusão das eleições de outubro deste ano.

A oposição promete ir ao Supremo Tribunal Federal para tentar dar início aos trabalhos da comissão. Pacheco anunciou aos líderes partidários na terça a sua decisão de ler os requerimentos para abrir a CPI do MEC e as duas governistas. Argumentou na ocasião que elas preenchiam os requisitos necessários e que, portanto, era obrigação da presidência do Senado dar prosseguimento ao processo.

O presidente do Senado também decidiu recusar pedido dos governistas para que a abertura das CPIs seguisse uma ordem cronológica, em que os requerimentos foram protocolados. O objetivo dos aliados de Jair Bolsonaro era, dessa forma, esvaziar a comissão da oposição, que acabou sendo a última protocolada.

No ano passado, o presidente do Senado havia segurado por mais de dois meses a leitura do requerimento para a abertura da CPI da Covid. No entanto, acabou sofrendo uma derrota política, ao ser obrigado a abrir a comissão por decisão do Supremo Tribunal Federal.

A CPI da Covid tornou-se um dos principais focos de desgaste para o governo Jair Bolsonaro. Pressionado por governistas e oposição, o senador mineiro decidiu compartilhar com os líderes de bancada a responsabilidade pela decisão de quando a CPI do MEC e as demais seriam instaladas. O adiamento para depois das eleições de outubro contou com a articulação pesada do governo federal e de pessoas influentes na Casa, como Davi Alcolumbre (União Brasil-AP).

Os líderes partidários fecharam então um acordo para indicar os membros dos colegiados apenas após as eleições de outubro.

O líder da oposição e autor do requerimento da CPI do MEC, Randolfe Rodrigues (Rede-AP), por sua vez, anunciou que iria ingressar com ação no Supremo Tribunal Federal, caso o documento não fosse lido ainda nesta semana. Randolfe ainda disse que vai esperar até o fim do recesso parlamentar, no início do próximo mês, as indicações dos membros do colegiado, antes de judicializar a questão.

Pacheco afirmou também na terça que não há margem para uma decisão do STF referente à CPI. Argumenta que o contexto da CPI da Covid e o atual são diferentes. Além disso, acrescentou que ele iria ler o requerimento e que os líderes se comprometeram a fazer as indicações, mas não imediatamente.

Após ser praticamente sepultada em abril, a CPI do MEC ganhou um novo fôlego após a prisão do ex-ministro da Educação Milton Ribeiro e dos pastores Arilton Moura e Gilmar Santos acusados de serem operadores de um balcão de negócios no ministério.

O requerimento da CPI havia sido apresentado logo após as primeiras denúncias de um esquema para a liberação de recursos da educação para as prefeituras, intermediado pelos pastores e envolvendo pedidos de propina.

Prefeitos de diferentes partidos e regiões do país afirmaram em depoimento na Comissão de Educação do Senado que vinham a Brasília para eventos do MEC e que depois eram levados para almoços pelos pastores. Eram nesses encontros que os pedidos de propina seriam feitos. Houve relatos de pedidos em ouro.

O caso ganhou novas proporções com a divulgação de um áudio no qual Ribeiro afirma que privilegia amigos dos pastores, a pedido de Jair Bolsonaro. Milton Ribeiro caiu uma semana depois.

Os governistas, no entanto, agiram para tentar barrar a CPI e conseguiu retirar as assinaturas dos requerimentos, impossibilitando que fosse protocolado. Além disso, conseguiram suas próprias assinaturas e protocolaram requerimentos para a criação de outras comissões, em estratégia que ficou conhecida como ”guerra de CPIs”. O objetivo era esvaziar a comissão proposta pela oposição.

Renato Machado/Folhapress

Conselho de Fisioterapia na Bahia enfrenta intervenção federal, após denúncias

/ Bahia

O Conselho Regional de Fisioterapia e Terapia Ocupacional da 7ª Região, que representa as necessidades da Bahia, responde por uma série de irregularidades financeiras e trabalhistas desde o último mês de abril.

Após três meses de intervenção, o Conselho Federal de Fisioterapia e Terapia Ocupacional (Coffito) detalhou mais de 15 falhas na gestão do Conselho Regional e determinou a execução de uma série de medidas que incluem a instauração imediata de uma auditoria e a suspensão de todas as decisões tomadas pelos Conselheiros Regionais da 7ª Região no quadriênio de 2018 a 2022.

Em Acórdão publicado na última sexta-feira (1º), os Conselheiros Federais determinaram ainda que seja feita a regularização imediata dos pagamentos das contribuições previdenciárias e repassado à Polícia Federal a necessidade de investigação e apuração de eventual crime de apropriação indébita previdenciária.

Também deve ser instaurada uma apuração de suposta improbidade administrativa por parte dos ex-gestores, em especial em face do ex-presidente, ex-diretor tesoureiro e ex-conselheiros.

A lista de irregularidades, descritas em mais de 15 parágrafos, é extensa. Entre elas, estão a desordem contábil e financeira, não pagamentos das contribuições previdenciárias, ocupação simultânea do ex-presidente em cargos de duas entidades, indução de informações incompletas no Portal da Transparência, e alongamento do exercício de cargo público.

De acordo com informações do Metro1, o ex-presidente do Conselho chegou a participar de reuniões representando tanto o Conselho de Fisioterapia quanto o Sindicato de Fisioterapeutas, para deferir assuntos nos quais ele mesmo representava a instituição interessada.

Ainda após ter finalizado sua gestão, em 31 de março, o ex-presidente continuou a comparecer em reuniões representando o Conselho de Fisioterapia. A representação pela suposta prática de crime de alongamento do exercício de cargo público será encaminhada ao Ministério Público Federal e à Polícia Federal.

Relatório da Câmara diz que Ministério da Educação tem sido ”omisso” e ”inoperante”

/ Educação

A comissão externa da Câmara aprovou nesta quarta-feira (6) um relatório sobre o efeito da pandemia na educação básica. No documento, a comissão, que acompanha as ações do Ministério da Educação (MEC), parlamentares disseram que o MEC tem sido “omisso” e inoperante”.

O relatório apontou, entre outros pontos, queda no orçamento do MEC nos últimos anos, falhas na recuperação da aprendizagem dos alunos e afirmou que o ministério tem sido ”omisso e inoperante”.

”É essencial que o Ministério da Educação exerça, urgentemente, seu papel de liderança na coordenação nacional de políticas educacionais para lidar com estes desafios, em diálogo com os entes federados, com os demais ministérios, com a sociedade em geral, e com toda a comunidade de políticas públicas relacionadas a estes temas. Infelizmente, o MEC tem sido omisso e inoperante”, diz o documento.

Em nota, o MEC informou que adotou ”ações estruturantes” por meio da Política de Recuperação das Aprendizagens, classificada pelo ministério como “referência internacional”.