Jaguaquara: Mudança drástica na equipe pode ser o lastro para Edione deslanchar e dar a volta por cima?

/ Jaguaquara

Edione, o fogo-amigo e os problemas administrativos. Foto: Facebook

Em Jaguaquara, maior cidade do Vale do Jiquiriçá, quem alimentava esperança em torno de uma guinada da administração municipal logo no início do segundo ano da gestão da prefeita Edione Agostinone (Progressistas) começa a ficar ainda mais preocupado com a ausência de perspectivas de mudanças. A desilusão é atribuída a falta de atitude da governante que, para muitos, insiste em manter a Prefeitura de Jaguaquara com os pés fincados no passado. Um dos exemplos citados por fontes consultadas pelo BMFrahm, é a teimosia de manter quadros que estão presentes desde 2006, isto é, dos tempos da dupla Dr. Osvaldo/Ademir.

Poucas foram as alterações significativas que ocorreram no ano passado, mesmo que necessárias para o enfrentamento da crise proveniente de trapalhadas dos governos anteriores, que culminaram em sequestro de verbas públicas, atrasos no pagamento de salários em 2021 [situação já regularizada], insatisfação de servidores como a classe de professores, fazendo protestos nos primeiros dias de 2022. Insatisfação que também pode ser notada com os pedidos de exonerações de secretários no começo da atual gestão: Infraestrutura, Cultura e Educação. Além disso, vieram os desastres naturais, com enchentes que provocaram destruições, comprometendo a infraestrutura da cidade, que até hoje sente os reflexos.

Segundo interlocutores, a situação não é pior, porque a prefeita conta com o silêncio da maioria absoluta dos vereadores na Câmara e tem encontrado amparo do governador Rui Costa (PT) e do presidente da UPB e prefeito de Jequié, Zé Cocà (Progressistas) que têm colaborado com a destinação de recursos financeiros para o Município tocar algumas obras importantes, reestruturação de prédios escolares e a construção de uma nova Delegacia, estas já iniciadas, dentre outras que serão licitadas, como pavimentação de ruas e Complexo Poliesportivo.

No meio político, Edione conta com o reconhecimento pela sua boa vontade de buscar benefícios para o Município, tanto junto a órgãos do Estado quanto a órgãos da União. Contudo, na opinião geral, o fato de ela está cercada de figuras que são consideradas ”desgastadas”, pouco tem conseguido atender aos verdadeiros anseios da população.

Como se não bastasse, a prefeita ainda tem de conviver com o ”fogo-amigo”, conforme é destacado por estas mesmas fontes consultadas. Os burburinhos de membros da sua própria gestão trabalham com a expectativa de o padrinho político, o ex-prefeito Giuliano Martinelli (Progressistas), disputar às eleições de 2024, já que o mesmo não conseguiu emplacar seu nome como candidato a deputado estadual como foi cogitado, após eleger Edione, anunciar ruptura com Cocá, João Leão, cacique do partido pelo qual se elegeu e reelegeu prefeito e declarar apoio ao pré-candidato a governador, ACM Neto (DEM), de olho no futuro.

Há quem diga também, que, promover uma drástica mudança na equipe administrativa, de ”mamando a caducando”, ou seja, de secretários a diretores, seria o ”canto do cisne” para Agostinone sobreviver politicamente e dar a volta por cima, podendo inclusive convencer os insatisfeitos da população, cuja maioria – se somados os votos dos outros três postulantes ao cargo em 2020, Raimundo (PSD), Flavinho (PODE) e Pedrinho (PSL) – rejeitou o projeto de continuidade, que obteve a vitória com uma diferença de 58 votos para o segundo colocado, Raimundo.

Aliados próximos afirmam que, se a gestão permanecer assim, o barco pode naufragar antes de 2024 e, com isso fazer Martinelli afundar junto e a oposição – representada por Raimundo e Ademir, que rachou depois da derrota em 2020, juntar os cacos e enfrentar novo desafio ou abrir brecha para o surgimento de uma nova liderança na política em Jaguaquara.

Amargosa: Prefeito adia retorno das aulas presenciais na rede municipal por alta de casos do vírus

Júlio faz apelo por vacinação em Amargosa. Foto: Rede social

O retorno presencial dos estudantes da rede municipal de ensino às salas de aula em Amargosa, no Vale do Jiquiriçá, previsto para pó próximo dia (9) de fevereiro, foi prorrogado para (9) de março pelo prefeito da cidade, Júlio Pinheiro. Até lá, as aulas ocorreram de forma remota.

Segundo o mandatário, o principal motivo seria a alta de casos da Covid-19. Amargosa, acompanhada de Jaguaquara, lidera o número de ativos no território do Vale do Jiquiriçá. Conforme o boletim epidemiológico divulgado na noite desta terça-feira (1º), o município contabiliza 614 casos ativos do Coronavírus com a nova onda da doença.

O número de vacinados com a 1ª dose é de 30.634. Em um vídeo publicado na rede social, Júlio defende a vacina contra Covid e diz que é preciso agradecer aos profissionais de saúde e a ciência. ”Nós devemos agradecer diariamente a ciência, aos SUS, aos profissionais de Saúde e aos gestores que se empenharam na vacinação. Com essa maior transmissibilidade, o sistema de saúde já teria colapsado e o número de mortes seria muito maior”, disse.

Para Júlio, é um absurdo acreditar que o paciente desenvolve problemas cardíacos após tomar o imunizante. ”A gente precisa seguir as pessoas que tem conhecimento daquilo que está falando. Acreditar que as pessoas desenvolvem problemas cardíacos por causa da vacina é um absurdo”, completou o gestor ao defender que as crianças sejam vacinadas”, completou.

Bahia registra 2.336 casos de H3N2 com 113 óbitos pela doença, diz Secretaria da Saúde

/ Bahia

De 1º de novembro de 2021 até 1º de fevereiro deste ano, a Bahia registrou 2.336 casos de Influenza A, do tipo H3N2, distribuídos em 220 municípios. A informação foi divulgada nesta terça-feira, 1º, pela Secretaria da Saúde do Estado da Bahia (Sesab), que também divulgou a notificação de 28 casos de flurona, infecção simultânea dos vírus da Influenza e Covid-19.

De acordo com a Diretoria de Vigilância Epidemiológica da Bahia, do total de casos registrados, 486 evoluíram para Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG) e necessitaram de internação, com 113 pacientes vindo a óbito. Houve ainda um óbito que após revisão das informações epidemiológicas foi classificado como descartado para influenza.

A capital baiana concentrou o maior número de ocorrências, com quase metade dos casos (47,3%). Ao todo, 1.083 pacientes são residentes em Salvador. A Sesab, no entanto, destacou que o número é uma amostragem de casos de Síndrome Gripal (SG), pois nem todas as amostras coletadas são testadas para Influenza. Informações do A Tarde

Prefeito de Jequié assina ordem de serviço para reforma do Museu Histórico e do Palácio das Artes

/ Jequié

O prefeito de Jequié, Zé Cocá, assinou, na tarde desta segunda-feira (31), a ordem de serviço para as obras de reforma do Museu Histórico João Carlos Borges e do Palácio das Artes Leônidas Spínola.

A solenidade foi realizada na sede Secretaria de Cultura e Turismo, no Centro, e contou com a presença do secretário de Cultura e Turismo, Domingos Ailton; o secretário de Governo, Hassan Iossef; o vereador Daubti Rocha Guimarães, o Colorido; Ladislau Bui Bulhões, o Bui; Maria Aparecida Souza, a Pró Cida; Eduardo Simões De Carvalho, o Duda Simões; o presidente da Associação Cultural de Jequié, Enzo Emerson; o engenheiro, Guilhermo Toledo, da empresa Todelo Engenharia, responsável pela execução do projeto de recuperação do Palácio das Artes Leônidas Spínola; Cássio Barreto, representando a Epan Construtora, empresa responsável pela reforma do Museu Histórico João Carlos Borges, e a equipe técnica da Secretaria de Cultura e Turismo.

As obras fazem parte do pacote de ações do governo municipal para o setor da Cultura, que vem contemplando músicos, artistas e trabalhadores da Cultura e, mais recentemente, a Casa da Cultura Pacífico Ribeiro, com intervenções de manutenção e recuperação do palco, instalado na sala de espetáculos Musaé. O objetivo com as obras de recuperação do Museu e do Palácio das Artes é melhorar a infraestrutura dos equipamentos públicos destinados aos eventos culturais e artísticos e, ainda, guarnecer, de forma efetiva, o acervo histórico existente.

”A assinatura da ordem de serviço é a realização de um sonho e valoriza estes dois equipamentos públicos importantes para a história de Jequié, que necessitam de intervenções em suas estruturas”, disse o prefeito.

Instalação de ponte provisória na BR 330 em Ubatã deve ficar concluída em 10 dias

/ Trânsito

Obras foram iniciadas. Foto: Davi Alvarenga/Ubatã Notícias

A instalação da ponte metálica provisória na BR 330, no perímetro urbano de Ubatã, deve ficar concluída em 10 dias, informa o site Ubatã Notícias.

Acrescenta que cerca de 70 homens do Exército trabalham no local. Enquanto isso, o tráfego na rodovia segue interrompido desde o último dia 26 de dezembro, quando um bueiro se rompeu e a força das águas do Rio Água Branquinha invadiu ruas e casas, arrastou veículos e provocou a cratera na estrada.

Nesta segunda-feira (31) homens e máquinas trabalham no local na compactação e preparação do solo. Conforme o Exército, a ponte terá capacidade para suportar 70 toneladas.

”Temos mantido contato permanente com o Exército e também com o DNIT. Paralelamente à montagem da ponte, as obras do bueiro serão tocadas pela Mazza Engenharia””, destacou o prefeito Tinho, emendando ainda que um percurso urbano, superior a 2km, prejudicado pelo tráfego intenso de veículos pesados, receberá pavimentação asfáltica e sinalização horizontal.

A partir de hoje, INSS começa a pagar com reajuste quem ganha mais de um salário mínimo

/ Economia

A partir de hoje (1), o Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) começa a pagar aos aposentados e pensionistas que recebem mais de um salário mínimo (R$ 1.212), os benefícios com os valores já reajustados.

As quantias pagas aos segurados da Previdência que ganham acima de um salário mínimo foram reajustadas em 10,16%, com exceção de quem começou a receber seu benefício a partir de fevereiro de 2021. Para esses, aplica-se um fator de reajuste que leva em conta a data de início da aposentadoria ou pensão.

Na mesma portaria em que aplica o Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC) para reajustar os benefícios, os ministérios do Trabalho e Previdência e da Economia elevaram de R$ 6.433,57 para R$ 7.087,22 o teto dos benefícios pagos pelo INSS.

Para quem recebe o equivalente ao piso, R$ 1.212, os pagamentos começaram a ser depositados em 25 de janeiro e seguem sendo liberados até o dia 7. O calendário leva em conta o número do benefício dos segurados.

Os mais de 36 milhões de beneficiários do INSS podem consultar as datas em que o órgão depositará o dinheiro em suas contas acessando a tabela que o instituto disponibiliza em sua página.

Fonte: Agência Brasil

Rui responde a provocações sobre vacinação das filhas e diz que está processando quem usa imagem delas

/ Política

Rui Costa diz que suas filhas serão vacinadas. Foto: Divulgação

O governador Rui Costa respondeu nesta terça-feira (01) às críticas que vem recebendo após declarar que suas filhas, Marina de 8 anos e Malu de 6, ainda não foram imunizadas contra a Covid-19. A vacinação para crianças de 05 a 11 anos já está aberta na capital baiana.

”Minhas filhas serão vacinadas por uma simples razão, porque eu acredito na ciência, porque lutei para vacina chegar no Brasil. Agora só aumenta minha indignação como ser humano, como pai, de ver que esse tipo de gente é tão inescrupuloso que não tem limite”, disse o governador.

Rui ainda afirmou que está processando todos que estão usando as imagens das meninas para criticá-lo. ”Não por conta da vacinação ou não-vacinação, mas pelo uso indevido da imagem de crianças. Esse povo eu não sei em que buraco de esgoto eles estavam, mas eles não tem limites para nada, todos serão processados”, afirmou.

O gestor também disse que fica indignado e triste com a situação do país. ”Gente patrocinada com dinheiro público, de forma organizada a partir do gabinete do ódio, insistir nessa estratégia de caluniar, difamar, mentir, tentando impôr sua mentira sobre a verdade”, concluiu o gestor após a sessão que marcou a abertura dos trabalhos parlamentares em 2022. As informações são do site Bahia Notícias

Genro de Marcelo Nilo diz que amizade entre deputado e Jaques Wagner está ”arranhada”

/ Política

Marcelinho Veiga é genro de Marcelo Nilo. Foto: Reprodução

O deputado estadual Marcelinho Veiga (PSB) avalia que a relação de amizade entre o deputado federal Marcelo Nilo (PSB) e o senador Jaques Wagner (PT) está passando por um ”momento delicado”, após as recentes trocas de farpas entre os dois na imprensa.

Na avaliação do parlamentar, a possível saída da base do governador Rui Costa (PT) e a chegada na oposição liderada por ACM Neto (DEM/UB), ainda não está definida e as conversas seguem acontecendo para a definição do seu futuro político.

”Marcelo é um líder político, mas não tem nada acertado ainda. A gente tem conversado muito, é um momento delicado. Estou tentando fazer esse meio termo de interlocução […] Não sou eu que vou dizer que [a amizade] não está arranhada. Os envolvidos tem falado em público. Eu acho que depende muito deles da vontade deles se entenderem. Eles tem essa amizade, que está em um momento difícil. Na minha opinião, eles podem sentar e se acertar, tanto pra sim tanto pra não”, disse Marcelinho durante entrevista para o programa ”Isso é Bahia”, da rádio A Tarde FM.

Veiga, que é genro do ex-presidente da Assembleia Legislativa da Bahia (AL-BA), diz que atua como mediador na situação. ”Nilo é um líder que não é de impor e sim de conversar. Tudo que a gente conversa ele me ouve e eu ouço dele. Sou amigo de todo mundo, tanto dos deputados do governo quanto de oposição. Meu papel é ser um interlocutor”, afirmou.

Desde o ano passado, Nilo vem tecendo críticas a aliança composta por PT, PSD e PP, e pedindo mais espaço dentro da base governista. Se nome já foi especulado no PSDB e MDB, para uma possível indicação ao Senado na chapa que será encabeçada pelo ex-prefeito de Salvador (saiba mais aqui).

FEDERAÇÃO

Ainda na entrevista, Marcelinho Veiga não mostrou preocupação enquanto a sua reeleição, caso o PSB confirme a federação com o PT ou outros partidos da esquerda. Para ele, o assunto ainda precisa ser mais discutido.

”Eu acho que o lado eleitoral, a busca por voto, é a parte mais tranquila nessa discussão. A gente construiu uma base solida, o deputado Marcelo vem de 8 mandatos e temos uma relação pessoal com nossos eleitores, prefeitos e lideranças e isso favorece a eleição. Acho que o fato eleitoral é tranquilo, o que meu preocupa é o macro”, pontuou. As informações são do site Bahia Notícias

Prefeita de Vitória da Conquista prorroga volta às aulas após alta de casos da Covid na cidade

/ Bahia

Sheila Lemos prorroga volta às aulas em Conquista. Foto: Rede social

As aulas das redes municipal e privada de Vitória da Conquista têm novas datas para começar o ano letivo de 2022. Em decreto publicado na noite desta segunda-feira (31), a prefeita Sheila Lemos estabeleceu as novas datas.

Pela rede municipal, as aulas começam nos dias 21 e 22 de fevereiro para o Ensino Fundamental I e II. Já nos dias 23 e 24 de fevereiro é a vez do Ensino Infantil. Na rede particular, as atividades iniciam entre os dias 7 e 11 de fevereiro para o Ensino Infantil e Fundamental I. No período de 14 a 18 de fevereiro iniciam o Ensino Fundamental II e o Ensino Médio.

Segundo a gestora, a prorrogação do início das aulas se deve ao aumento dos casos confirmados da Covid-19. Em Vitória da Conquista, o índice de contaminação da Covid-19 está em 1,26, enquanto o tolerado fica abaixo de 1.

Ainda de acordo com a prefeitura, entre os dias 25 de janeiro e esta segunda-feira (31), o município registrou mais 1.771 casos confirmados de novo coronavírus.

Ao longo da pandemia, a cidade já acumula 40.459 casos confirmados de Covid-19, com 844 ainda ativos, ou seja, que podem contaminar outras pessoas. O total de óbitos pela doença é 652. As informações são do site Bahia Notícias

Barreiras: Número de mortes por Covid em janeiro é 7 vezes maior do que em dezembro

/ Bahia

O número de óbitos devido à Covid-19 em Barreiras, no Extremo Oeste, teve aumento significativo em janeiro em comparação com dezembro passado. Tomando como base o boletim diário, no primeiro mês de 2022, o município registrou 14 mortes pela doença. O número é sete vezes maior do que o apurado no mês antecedente, de dois óbitos.

Conforme o boletim municipal, houve crescimento dos casos confirmados da doença, com mais 1.554 registros positivos em janeiro. Em dezembro, o mesmo boletim apontou apenas 147 registros. Com isso, o número de janeiro é dez vezes maior do que o mês passado.

Desde o dia 26 de março de 2020, quando o primeiro caso de Covid-19 foi registrado em Barreiras, o município já acumula 22.041 casos confirmados de Covid-19, com 340 mortes provocadas.

O número de vacinados com a primeira dose é de 128.247 e com a segunda dose, 107.636. A dose de reforço já foi aplicada em 21.860 pessoas, segundo dados da prefeitura.  Com informações do site Bahia Notícias

Presidente do STF, Fux dá recado a Bolsonaro e diz não haver mais espaço para ações contra democracia

/ Política

Luiz Fux dá duro recado a Bolsonaro. Foto: Isac Nóbrega

Em meio à crise do presidente Jair Bolsonaro e o STF (Supremo Tribunal Federal), o presidente da corte, Luiz Fux, pediu tolerância em discurso nesta terça (1º) e disse que, em ano eleitoral, ”não há mais espaços para ações contra o regime democrático e para violência contra as instituições públicas”.

A fala de Fux, com diversas referências às eleições, abriu a sessão que inicia os trabalhos regulares do Judiciário em 2022. Em dezembro, ao falar na sessão de encerramento dos trabalhos, Fux já havia dado recados, referindo-se a 2021 como o ano em que a corte sofreu ameaças reais e retóricas e viveu momentos ”tormentosos”, mas respondeu à altura e está pronta para ”agir e reagir”.

Nesta terça-feira, Fux afirmou que neste ano ”os debates acalorados nesses momentos são comportamentos esperados em um ambiente deliberativo marcado pela pluralidade de visões”.

”Não obstante os dissensos da arena política, a democracia não comporta disputas baseadas no ‘nós contra eles’. Em verdade, todos os concidadãos brasileiros devem buscar o bem-estar da nação, imbuídos de espírito cívico e de valores republicanos”, afirmou.

”Em sendo assim, este Supremo Tribunal Federal, guardião da Constituição, concita os brasileiros para que o ano eleitoral seja marcado pela estabilidade e pela tolerância, porquanto não há mais espaços para ações contra o regime democrático e para violência contra as instituições públicas.”

Fux também afirmou ser imperioso não esquecer que ”entre lutas e barricadas, vivemos um Brasil democrático, um Estado de Direito, no qual podemos expressar nossas divergências livremente, sem medo de censuras ou retaliações.”

Como de praxe, Bolsonaro foi convidado para a cerimônia, que aconteceu por videoconferência, mas não participou. No início da sessão, Fux afirmou que o motivo é que Bolsonaro iria sobrevoar as áreas atingidas pelas chuvas em São Paulo e mandou cumprimentos.

Bolsonaro foi representado pelo vice-presidente, Hamilton Mourão. Acompanharam o evento, além dos ministros, o procurador-geral da República, Augusto Aras, o presidente da OAB, Beto Simonetti, e os presidentes da Câmara e Senado, Arthur Lira (PP-AL) e Rodrigo Pacheco (PSD-MG).

Na semana passada, Bolsonaro faltou a um interrogatório da Polícia Federal determinado pelo ministro Alexandre de Moraes. A ordem foi feita no inquérito que apura vazamento de investigação da Polícia Federal sobre o ataque hacker ao Tribunal Superior Eleitoral. Os dados foram utilizados pelo presidente Jair Bolsonaro para levantar a tese de fraude na eleição de 2018 em entrevista no dia 4 de agosto.

Além desse, Bolsonaro é alvo de outros quatro inquéritos na corte. No ano passado, Bolsonaro patrocinou uma crise entre Poderes, em especial por seus ataques à Justiça Eleitoral e a ministros do Supremo. Em ato em São Paulo no 7 de Setembro, por exemplo, Bolsonaro chegou a dizer que não cumpriria decisões do Supremo e chamou Moraes de “canalha”.

Diante das reações dos demais Poderes a aquelas ameaças, dias depois Bolsonaro deu um passo atrás diante de suas manifestações de cunho golpista e disse que nunca teve nenhuma intenção de agredir quaisquer dos Poderes —o texto de recuo foi redigido com a ajuda do ex-presidente Michel Temer (MDB).

Aquela mudança de tom de Bolsonaro, porém, apesar de elogiada pelos presidentes do Senado e da Câmara, sempre foi vista com ceticismo, em especial pelos magistrados do Supremo. O STF pretende julgar ainda no primeiro semestre deste ano temas que podem afetar as eleições, como a validade das federações partidárias e a possibilidade de afrouxamento da Lei da Ficha Limpa. Também irá firmar entendimento sobre a prática de “rachadinha”.

No discurso, Fux afirmou que a agenda do Supremo neste primeiro semestre será dedicada a pautas relacionadas à estabilidade democrática e preservação das instituições políticas do país, além da ”revitalização econômica e da proteção das relações contratuais e de trabalho, da moralidade administrativa e da concretização da saúde pública e dos direitos humanos afetados pela pandemia”.

O ano passado foi marcado por conflitos do governo com as cortes, especialmente o STF. O auge ocorreu nos atos de raiz golpista do 7 de Setembro, em 2021. O presidente chegou a dizer que descumpriria decisão judicial de Moraes e chamou-o de canalha. O Supremo terá mudança de presidência em setembro, quando deve assumir a ministra Rosa Weber.

por José Marques, Danielle Brant e Renato Machado/Folhapress

Censo Escolar: mais de 650 mil crianças saíram da escola num período de três anos, diz Inep

/ Educação

O número de matrículas na educação infantil registrou queda de 7,3% entre os anos de 2019 e 2021. Segundo informações da primeira etapa do Censo Escolar 2021 divulgadas pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) nesta segunda-feira (31), nesse período, 653.499 crianças de até 5 anos saíram da escola.  

O índice de crianças matriculadas em creches caiu 9% entre 2019 e 2021. A queda mais expressiva foi registada na rede privada, que apresentou uma redução de 21,6% de 2019 a 2021. Na rede pública, a queda foi de 2,3% nesse período. Ao todo, o Censo Escolar 2021 registrou 69,9 mil creches em funcionamento no Brasil.

Em todas as etapas da educação, foram registradas, em 2021, 46,7 milhões de matrículas – cerca de 627 mil a menos em comparação a 2020, o que corresponde a uma redução de 1,3%. A rede municipal atende à maioria (49,6%) dos alunos. A rede estadual é a segunda maior (32,2%), seguida pela privada (17,4%). A União (rede federal) é responsável por 0,8% dos alunos matriculado. O país tem, ao todo, 178,4 mil escolas de educação básica.

O Censo Escolar 2021 apontou estabilidade com relativo aumento do número de matrículas nos anos finais do ensino fundamental. A etapa educacional é a maior entre todas na educação básica, com 26,5 milhões de alunos. Em 2020, o país contabilizou 11.928.415 estudantes do 6º ao 9º ano. Já em 2021, houve 11.981.950 matrículas nesses mesmos anos – um acréscimo de mais de 53 mil alunos.

O levantamento mostrou também que a proporção de alunos do ensino fundamental matriculados em tempo integral voltou a aumentar. Entre 2019 e 2020, a taxa caiu de 9,6% para 7,6% nos anos iniciais e de 9,3% para 6,9% nos anos finais. Já em 2021, foram registrados 8,5% e 9,2%, respectivamente. No caso dos primeiros anos da etapa educacional, o patamar de estudantes em tempo integral é praticamente o mesmo do ano que precedeu a pandemia de covid-19.

De acordo com a pesquisa, também houve aumento no número de matrículas no ensino médio. Foram registrados 7,8 milhões alunos em 2021 – um acréscimo de 2,9% em relação a 2020. Segundo o Inep, há uma tendência de evolução nas matrículas nos últimos dois anos do segmento educacional, com crescimento de 4,1% entre 2019 e 2021. Nessa etapa, o número de alunos em tempo integral aumentou significativamente na rede pública – de 13,8% para 16,4% em um ano. Na rede privada, a evolução foi menor, saindo de 5,4% para 5,8% entre 2020 e 2021.

Redes de ensino

A rede municipal é a principal responsável pela oferta dos primeiros anos do ensino fundamental. São 10,1 milhões de alunos (69,6%), o que corresponde a 84,8% dos alunos da rede pública. Nos anos iniciais, 18% dos alunos frequentam escolas privadas. A proporção do segmento diminuiu 7,1 pontos percentuais entre 2020 e 2021.

Já a rede estadual responde por 40% das matrículas dos anos finais do ensino fundamental, com 4,8 milhões de alunos. Nessa etapa, há uma divisão majoritária de responsabilidade entre estados e municípios – a rede municipal atende 5,3 milhões de alunos (44,7%). As escolas privadas reúnem 15% das matrículas. Ao todo, 12 milhões de estudantes cursam os anos finais do ensino fundamental no Brasil.

A rede estadual tem a maior participação no ensino médio, atendendo 6,6 milhões de alunos (84,5%). Nela, também está a maioria dos estudantes de escolas públicas (96%). Em seguida, estão as redes privada, com cerca de 935 mil alunos (12%), e federal, com 229 mil matrículas (3%), respectivamente.

Educação profissional

O número de estudantes matriculados na educação profissional apresentou queda considerada pequena em meio ao cenário de pandemia. Em 2020, foram registrados 1.936.094 alunos no segmento. Em 2021, foram 1.892.458 matrículas. As matrículas da educação profissional estão principalmente concentradas na rede estadual, representando 42,6% do total, seguida pelas redes privada e federal, com 37,7% e 17,6%, respectivamente.

Censo Escolar

A primeira etapa do Censo Escolar 2021 traz informações sobre todas as escolas, os professores, os gestores e as turmas (nas suas diferentes etapas), além de revelar dados relativos a alunos e suas características.

Em 2021, foram registrados 2,2 milhões de professores e 162.796 diretores na educação básica brasileira. O Censo Escolar 2021 mostrou que maioria dos profissionais que exercem o cargo de direção têm formação superior (89,5%) e é mulher (80,7%).

A segunda etapa do Censo Escolar 2021 será realizada a partir de fevereiro. O Inep aplicará o questionário ”Resposta educacional à pandemia de covid-19 no Brasil” pelo segundo ano consecutivo.

O levantamento foi feito pela primeira vez na edição de 2020, com o objetivo de verificar as consequências da crise sanitária no sistema educacional, além de mapear as estratégias adotadas para minimizar os danos no ensino e na aprendizagem. Da Agência Brasil

Novo presidente diz que OAB ‘não pertence a nenhum partido político que queria fazer gerência da ordem

/ Justiça

José Alberto Simonetti ASSUME AOB. Foto: Reprodução/CFOAB

Assumindo nesta terça-feira, a presidência do Conselho Federal da Ordem dos Advogados do Brasil, José Alberto Simonetti afirma que o foco de sua gestão serão as questões que interessam diretamente à classe, buscando ‘reaproximar’ os advogados da entidade. Com o primeiro ano de seu mandato entrecruzado com as eleições 2022, o criminalista diz que a principal entidade da advocacia não ‘pertence a absolutamente nenhum partido político’: ”Nenhum partido que queira tentar ou ousar fazer gerência na ordem conseguirá fazer com que isso vingue. A ordem não pertence a Lula, a Bolsonaro, a esquerda, a direita. Ela pertence a verdadeiramente a advocacia”, sustentou em entrevista ao jornal Estado de S. Paulo.

O novo presidente da OAB também indicou que estará atento ao processo eleitoral, informando que não vai se furtar a combater ‘excessos que ofendem a sociedade e ofendam a do estado democrático. Simonetti aponta que vai buscar dialogar com o próximo presidente, ‘antes de qualquer embate’, em busca de uma ‘união verdadeira e efetiva’ do Brasil.

Com um perfil menos combativo que seu antecessor, Felipe Santa Cruz, e propostas voltadas à ‘ressignificar’ a advocacia, ‘Beto’ foi eleito chefe da OAB nesta segunda-feira, 31, com 77 votos dos 81 conselheiros federais que integram o plenário da OAB Nacional. Compõem ainda a nova cúpula da entidade máxima da advocacia, os advogados Rafael de Assis Horn, vice-presidente; Sayury Silva de Otoni, secretária-geral; Milena da Gama Fernandes Canto, secretária-geral-adjunta; e Leonardo Pio da Silva Campos, diretor-tesoureiro.

Dentro da proposta de uma gestão ‘feita por advogados e para advogados’, Simonetti observa que quer ‘resgatar a dignidade da profissão’. O novo presidente da OAB pretende realizar um censo para desenvolver medidas direcionadas a diferentes necessidades da classe, dando ênfase para temas como a defesa das prerrogativas dos advogados e discussões ligadas a honorários. Um dos temas que o advogado pretende pautar para reflexão da classe ainda em 2022 é o do modelo de eleição para a presidência da entidade.

Um óbito e 116 novos casos da Covid-19 nas últimas 23h em Jequié, informa o boletim epidemiológico

/ Jequié

Boletim Epidemiológico da Covid-19 em Jequié, atualizado nesta terça-feira (31) registra o óbito, de um homem, residente no Joaquim Romão, com histórico de Doença Cardiovascular Crônica e imunosupressão, com esquema vacinal completo, ocorrido em 21/01/2022 e que estava internado no Hospital São Vicente, tendo alta, após 4 dias faleceu em seu domicílio.

Foram registrados 116 novos casos novos positivos nas últimas 24 horas, perfazendo um total de 20.066 pessoas confirmadas com a doença. Até agora 18.347 pacientes encontram-se recuperados e não apresentam mais os sintomas da Covid-19.

De acordo com o número de leitos de UTI-Covid do Hospital São Vicente, a taxa de ocupação é de 90%. Destes, 1 leito está ocupado por residente de Jequié e 8 leitos estão ocupados por pessoas de outro município. Até o presente momento 129.019 pessoas foram vacinadas com primeira dose em Jequié.