Comissão da Câmara dos Deputados aprova proposta que obriga ensino médio a ofertar língua espanhola

/ Brasília

Projeto é do deputado Júlio Delgado. Agência Câmara de Notícias

A Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Câmara aprovou, nesta terça-feira (18), proposta que inclui, na grade do ensino médio, a obrigatoriedade da oferta de ensino da língua espanhola.

A comissão aprovou parecer do deputado Júlio Delgado (PSB-MG) ao Projeto de Lei 3380/15, do Senado, e a 58 propostas que tramitam em conjunto. O projeto principal, entre outros pontos, estabelece que os conteúdos curriculares da educação básica deverão observar, entre suas diretrizes, a introdução do estudo da Constituição Federal.

Mas a proposta que provocou divergências na CCJ foi o substitutivo de Delgado ao Projeto de Lei 3849/19, do deputado Felipe Carreras (PSB-PE), que está anexado ao principal.

O texto trata do ensino da língua espanhola nas escolas. Com relação à proposta original, Júlio Delgado conferiu caráter optativo à oferta do idioma no ensino fundamental.

Já no caso do ensino médio, a base nacional comum curricular deverá incluir o estudo da língua inglesa e da língua espanhola, e poderá haver a oferta de outras línguas estrangeiras, em caráter optativo, de acordo com a disponibilidade de oferta, locais e horários definidos pelos sistemas de ensino.

A proposta foi criticada pelo deputado Gilson Marques (Novo-SC). ”Lei não vai fazer com que as pessoas aprendam coisas goela abaixo. Que estudo, que métrica foi utilizada para se entender que isso vai melhorar a qualidade do ensino, sendo que nem o básico nós ensinamos? Quando se coloca mais recursos em algo novo e diferente, se retira dinheiro de algo que já existe. Quem abraça muito aperta pouco”, afirmou.

Por outro lado, segundo o deputado Júlio Delgado, o objetivo é garantir aos estudantes mais preparo para o Enem. ”Tem a opção do inglês ou do espanhol e 63% deles fazem a opção pelo espanhol achando que o ‘portunhol’ vai facilitar na prova, e não vai, porque tem uma diferença profunda. O substitutivo incluirá obrigatoriamente tanto o estudo da língua inglesa quanto da língua espanhola, e poderá haver a oferta de outras línguas, em caráter optativo”, explicou.

Tanto a proposta que trata do ensino da língua espanhola quanto as demais que receberam parecer favorável seguem para a análise do Plenário.

Com informações da Agência Câmara de Notícias

”Não tenho dúvida que vai ter Carnaval. O grande inimigo é o tempo”, afirma representante da PM

/ Bahia

A afirmação foi feita pelo Coronel Xavier. Foto: Reginaldo Ipê

A Polícia Militar da Bahia trabalha com a possibilidade da realização do Carnaval em 2022.  Em audiência pública realizada nesta terça-feira (19) pela Câmara Municipal de Salvador para debater a retomada do Carnaval e das festas populares na capital baiana, o coronel Xavier, comandante de Operações da PM, afirmou que não há dúvidas de que a festa irá acontecer no próximo ano, no entanto, cobra celeridade da parte da prefeitura e do governo para que seja anunciado o quanto antes a decisão sobre a festa.

”Eu não tenho dúvida que vai ter [Carnaval]. A questão é como será? Essa é a nossa preocupação do ponto de vista da segurança pública, qual vai ser a modelagem desse Carnaval, nós vamos manter o que sempre existiu, ou nós teremos algumas adaptações para que o Carnaval ocorra. O grande inimigo do Carnaval é o tempo. O tempo conspira contra o Carnaval”, afirmou.

Segundo o coronel, assim como a Saltur, a PM se planeja desde 2020 para o Carnaval de 2021, que não aconteceu, e agora o de 2022. Durante a festa, a Polícia Militar mobiliza cerca de 14 mil homens e mulheres para atuar na segurança da folia em toda cidade.

”Nós já estamos mergulhados no planejamento do próximo Carnaval, já existe um diálogo com Isaac Edignton, e já começamos a tratar sobre esse grande evento. Nosso estado precisa disso, são muitos interesses envolvidos, e o que nós pudermos fazer para que a festa aconteça, a Polícia Militar irá fazer”. As informações são do site Bahia Notícias 

Estudo realizado entre junho e setembro mostra eficácia da vacina da Pfizer em grupo de 12 a 18 anos

/ Saúde

A vacina contra a covid-19 da Pfizer/BioNTech se mostrou 93% eficaz para evitar hospitalizações entre pessoas de 12 a 18 anos de idade, de acordo com uma análise divulgada pelo Centro de Controle e Prevenção de Doenças dos Estados Unidos (CDC) nesta terça-feira (19).

O estudo foi realizado entre junho e setembro, quando a variante Delta, extremamente contagiosa do coronavírus, era predominante.

Os dados de 19 hospitais pediátricos mostraram que, entre os 179 pacientes que foram hospitalizados com a covid-19, 97% não estavam vacinados, o que corroborou a eficácia da vacina.

Dos cerca de 16% de pacientes hospitalizados com casos de covid-19 graves o suficiente para exigir aparelhos, nenhum estava vacinado.

O relatório do CDC reforça testes feitos pelas empresas nessa faixa etária que mostraram uma reação imunológica alta contra o vírus, mas que não foram concebidos para demonstrar eficácia contra hospitalizações.

A vacina Pfizer/BioNTech está autorizada para adolescentes a partir dos 12 anos de idade, e as farmacêuticas estão buscando autorização de uso para crianças a partir dos cinco anos de idade.

Acredita-se que um comitê de conselheiros especialistas da Agência de Alimentos e Medicamentos dos EUA (FDA) analisará dados sobre crianças pequenas no final deste mês.

Os dados do CDC ‘reforçam a importância da vacinação para proteger os jovens dos EUA contra casos graves de covid-19’, disseram os autores do estudo.

Casos de Covid disparam no Reino Unido e o País é 3º em número de novas contaminações na Europa

/ Mundo

Depois de sair na frente na corrida contra a Covid-19, o Reino Unido se destaca agora como um dos países com o maior número de novas contaminações na Europa, perdendo apenas para Sérvia e Romênia. Os casos diários estão na faixa dos 45 mil.

As vacinas chegaram depressa ao Reino Unido e grande percentual da população já recebeu as duas doses, porém, os britânicos acabaram com as restrições no dia 19 de julho, muito antes que outros países europeus, sendo que alguns ainda mantêm uma série de restrições.

Na Alemanha, Itália e Noruega o distanciamento social e o uso de máscaras continuam sendo exigidos. Na França e em outros países europeus, cobra-se o passaporte da vacina. Enquanto que no Reino Unido, não.

Repórter deixa a ESPN, nos Estados Unidos, por se recusar a tomar vacina contra a Coronavírus

/ Imprensa

Allison Willians se recusou a tomar vacina. Foto: Reprodução

Allison Willians, repórter da ESPN nos Estados Unidos, decidiu deixar o canal por se recusar a tomar a vacina contra a Covid-19. Em declaração sobre seu desligamento, a profissional explicou que tenta engravidar de um segundo filho e, por isso, optou por não ser imunizada.

Em vídeo publicado em seu Instagram, Allison anunciou o fim de sua relação de trabalho com a companhia. ”Meu pedido de acomodação foi negado pela ESPN e pela The Walt Disney Company. A partir da próxima semana, estarei me separando da empresa”, disse Allison.

Segundo a jornalista, há relatos de mulheres que sofreram de irregularidades menstruais com a imunização, o que a levou a estudar se a infertilidade seria um possível efeito colateral.

”Crença é uma palavra na qual tenho pensado muito ultimamente, porque além das apreensões médicas em relação ao meu desejo de ter outro filho em relação a receber esta injeção, também estou moral e eticamente não alinhada com este [mandato]”, explicou.

Ela ainda contou que a Disney comunicou a todos os funcionários que eles deveriam se vacinar para voltar ao trabalho. Diante da obrigatoriedade, ela optou por deixar o cargo.

”Eu realmente tive que cavar fundo e analisar meus valores e minha moral e, em última análise, preciso colocá-los em primeiro lugar. Não posso colocar um salário acima dos meus princípios. Não vou sacrificar algo em que acredito e sustento com tanta força para manter uma carreira”, finalizou.

IBGE cancela processo seletivo para contratação de novos agentes para Censo 2022

/ Emprego

O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) anunciou o cancelamento do processo seletivo para contratação de novos recenseadores e agentes censitários para o Censo demográfico de 2022, nesta segunda-feira (18). O dinheiro de quem já se inscreveu será devolvido.

O contrato com o Cebraspe, que iria organizar o processo seletivo, chega ao fim hoje e não será prorrogado, informou o IBGE. O concurso estava suspenso.

O órgão ainda informou, por meio de nota que usará seus canais para explicar os procedimentos para devolução das taxas de inscrição já efetuadas. O IBGE está a procura de uma nova empresa para fazer o processo seletivo.

O processo foi suspenso em abril, depois que o Congresso aprovou o Orçamento que destinava somente R$ 71 milhões para realização da pesquisa. A previsão era de contratar 204 mil pessoas. Em 2021, o IBGE cancelou o processo seletivo para os mesmos cargos por conta da pandemia.

Justiça converte em preventiva prisão de advogado suspeito de matar jovem dentro de apartamento

/ Justiça

José Luiz de Britto Meira foi preso em flagrante. Foto: Rede social

O advogado criminalista José Luiz de Britto Meira Júnior, suspeito de matar a namorada Kezia Stefany da Silva Ribeiro, de 21 anos, teve a prisão em flagrante convertida em preventiva, na tarde desta segunda-feira (18), pelo Tribunal de Justiça da Bahia (TJ-BA).

Na decisão, o juiz Horácio Moraes Pinheiro, no entanto, recomenda que a prisão preventiva pode ser substituída pela domiciliar, caso seja comprovado nos autos a inexistência de unidade prisional compatível para recolhimento do advogado.

Para isso, essa inexistência deve ser certificada pela Secretaria de Administração Penitenciaria e Ressocialização (Seap).

Caso isso aconteça, José Luís deverá permanecer custodiado na casa onde mora e só poderá sair do imóvel por motivo de saúde, devidamente justificado ou, ainda, para atender aos chamados judiciais do processo correspondente.

O corpo da jovem Kezia Stefany Ribeiro foi enterrado na manhã desta segunda, em Feira de Santana, a cerca de 100 km de Salvador. O crime aconteceu na madrugada de domingo (17).

De acordo com a Polícia Civil, depois de atirar em Kezia, José Luiz levou o corpo dela para o Hospital Geral do Estado (HGE) e fugiu. Ele foi encontrado na casa de familiares e autuado por homicídio qualificado pelo Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP).

De acordo com a defesa do suspeito, José Luiz de Britto não teve a intenção de matar Kezia e prestou socorro após o disparo.

A defesa informou que José Luiz e Kezia tinham brigas constantes. Ele também afirmou que a arma do crime era do advogado. Ainda no domingo, o presidente da Comissão de Prerrogativas da Ordem dos Advogados do Brasil, seção Bahia (OAB-BA), Adriano Batista, disse que a versão de José Luiz é de ele que agiu para se defender. As informações são do G1

Boletim da Covid em Jequié informa o registro de mais três casos da doença em 24h

/ Jequié

O boletim da Covid em Jequié informa que houve o registro de mais 3 novos casos positivos da doença na cidade, nas últimas 24 horas, perfazendo um total de 17.881 pessoas confirmadas com a doença. Até agora 17.464 pacientes encontram-se recuperados e não apresentam mais os sintomas da Covid-19.

Conforme os dados repassados pelo HGPV e pelo Hospital São Vicente, a taxa de ocupação geral dos leitos de UTI/adulto está em 21%. Destes, 1 leito está ocupado por residente de Jequié e 1 leito está ocupado por pessoa de outro município.

Até o presente momento 117.705 pessoas foram vacinadas com primeira dose e com as vacinas em dose única, em Jequié.