Aliado critica o presidente Bolsonaro por não ouvir Legislativo sobre flexibilização de armas

/ Brasília

Deputado Marcelo Ramos. Foto: Michel Jesus/ Câmara dos Deputados

O deputado Marcelo Ramos (PL-AM), primeiro-vice-presidente da Câmara dos Deputados e aliado do presidente Jair Bolsonaro, criticou as medidas que flexibilizaram o acesso a armas e munições pelo Executivo. O motivo do descontentamento do parlamentar é que as ações foram adotadas por decreto, sem passar pela avaliação do Legislativo.

”Mais grave que o conteúdo dos decretos relacionados a armas editados pelo presidente é o fato de ele exacerbar do seu poder regulamentar e adentrar numa competência que é exclusiva do Poder Legislativo. O presidente pode discutir sua pretensão, mas encaminhando PL à Câmara”, escreveu o parlamentar em suas redes sociais.

Ramos se refere à alteração de quatro decretos publicados em 2019 e que regulam a aquisição de armamento e munição por agentes de segurança e grupos de colecionadores, atiradores e caçadores. De acordo com informações do Estado de S.Paulo, entre as mudanças estão o aumento de quatro para seis do número máximo de armas de uso permitido para pessoas com Certificado de Registro de Arma de Fogo, e a possibilidade de substituir o laudo de capacidade técnica por um ”atestado de habitualidade” – o primeiro é exigido pela legislação para colecionadores, atiradores e caçadores; este último, é emitido por clubes ou entidades de tiro.

O governo também autorizou que atiradores e caçadores registrados comprem até 60 e 30 armas, respectivamente, sem autorização do Exército.

Na Bahia, nas últimas 24 horas, foram registrados 2.584 novos casos de Covid-19

/ Bahia

Na Bahia, nas últimas 24 horas, foram registrados 2.584 casos de Covid-19, o que representa uma taxa de crescimento de 0,4%, além disso 2.124 pessoas se recuperaram da infecção (+0,4%). Dos 629.849 casos confirmados desde o início da pandemia, 603.722 já são considerados recuperados e 15.392 encontram-se ativos

Segundo a Secretaria de Saúde do Estado da Bahia (Sesab), para fins estatísticos, a vigilância epidemiológica estadual considera um paciente recuperado após 14 dias do início dos sintomas da Covid-19. Já os casos ativos são resultado do seguinte cálculo: número de casos totais, menos os óbitos, menos os recuperados. Os cálculos são realizados de modo automático.

O boletim epidemiológico da Sesab sobre a Covid-19 registrou também 61 óbitos. Todas as mortes, segundo o órgão, ocorreram em diversas datas, mas a confirmação e registro foram contabilizados hoje.

Na última semana, os números demonstraram uma tendência de crescimento dos óbitos e de quadros clínicos mais graves, o que tem ampliado a taxa de ocupação nas UTIs.

”Neste cenário, o governo da Bahia abriu novos leitos de terapia intensiva nos municípios de Camaçari, Seabra e Barra nos últimos dias e estão previstas ampliações nas cidades de Ilhéus e Porto Seguro, em um esforço para reduzir a pressão na rede assistencial” informou a secretaria.

Brasil registra a maior média móvel de mortes provocadas pela Covid desde o início da pandemia

/ Brasil

O Brasil registrou neste domingo (14) a maior média móvel de mortes por Covid-19 de toda a pandemia do novo coronavírus: 1.105.

Até então, a maior média era de 1.097 mortes, registrada em 25 de julho de 2020, no auge da primeira onda da doença no país. A média móvel é calculada somando o resultado dos últimos sete dias, dividindo por sete. O recurso estatístico busca dar uma visão melhor da evolução do vírus, pois atenua números isolados que fujam do padrão.

Os dados são fruto de colaboração inédita entre Folha de S.Paulo, UOL, O Estado de S. Paulo, Extra, O Globo e G1 para reunir e divulgar os números relativos ao coronavírus. As informações sobre números de casos e mortes são coletadas diretamente com as Secretarias de Saúde estaduais.

Nas últimas 24h, o país registrou 647 óbitos pela doença e 22.440 novas infecções por Sars-CoV-2. Com isso, totaliza 239.294 mortes e a 9.833.695 pessoas infectadas desde março do ano passado.

Nos últimos dias os registros têm sido ainda mais altos. Na quinta (11), por exemplo, foram 1.452 novas mortes em um único dia. Nos finais de semana e nas segundas-feiras, porém, é comum que os números sejam mais baixos devido aos plantões nas pastas estaduais.

Em Santa Catarina, Jair Bolsonaro é questionado sobre auxílio e diz: ”Pede pro governador”

/ Política

Bolsonaro passa o Carnaval em Santa Catarina. Foto: Alan Santos

Passando os dias de Carnaval no litoral do estado de Santa Catarina, o presidente Jair Bolsonaro foi questionado por apoiadores neste sábado (13) sobre uma possível nova rodada do auxílio emergencial, em meio à pandemia de Covid-19, e disparou: ”Pede para o governador”, se referindo ao o governador de Santa Catarina, Carlos Moisés (PSL).

”Quem foi que tirou teu emprego? Tá gravando? Pode gravar. Você quer o auxílio? Pede para o governador. Quem fechou tudo, fui eu ou foi o governador? Quem fechou o comércio, fui eu ou o governador? Eu tô te perguntando: quem foi que tirou teu emprego?”, disse o presidente.

Bolsonaro rompeu relações com o governador de Santa Catarina, Carlos Moisés (PSL), após ser eleito, em 2018.

Procuradoria Geral do Estado da Bahia entra na Justiça para suspender retomada das aulas

/ Bahia

A Procuradoria Geral do Estado (PGE) ingressou com pedido de suspensão da decisão  que determinou a retomada das aulas no sistema de educação, público e privado, no estado da Bahia, até 1º de março. A ação foi impetrada na última sexta-feira (12).

No pedido, dirigido ao presidente do Tribunal de Justiça, a PGE sustenta que a decisão da 6ª Vara da Fazenda Pública da comarca de Salvador é ilegítima, por não ter observado as razões científicas que fundamentam a suspensão da atividade letiva. ”Além disso, foi demonstrado que a decisão impõe grave ofensa à saúde e ordem públicas, especialmente porque determina o retorno das aulas no momento em que se constata aumento vertiginoso de contaminação e óbitos em razão da covid-19”, diz a nota enviada pelo governo do estado.

A Procuradoria Geral do Estado reconhece que ”o desejo de todos, na Bahia, é que os alunos retornem às suas atividades presenciais, ao convívio e ao amparo das escolas. Hoje, entretanto, esse retorno é tecnicamente inviável, e acarretará uma crescente, exponencial e dramática contaminação do vírus e expansão da Covid-19 no estado”.

O documento ressalta também que, por esta razão, é de fundamental importância o isolamento social, já que o estado apresentou um crescimento, nos últimos cinco dias, de 1,99%, e encontra-se em terceiro lugar com maior número de casos no país, conforme os dados do Painel CONASS- Conselho Nacional de Secretários de Saúde. E alerta ainda que, informações técnico-científicas de órgãos estaduais da saúde confirmam a chegada de uma nova cepa do vírus, muito mais infecciosa, inclusive, sobre as crianças.

Bahia desperdiça chances, mas arranca empate importante com o Atlético-MG, fora de casa

/ Esporte

Bahia poderia ter saído com a vitória. Foto: Rafael Machaddo/EC Bahia

O resultado não foi bem o que os tricolores esperavam e precisavam, mas na noite deste sábado (13), o Bahia arrancou o empate por 1×1 com o Atlético-MG, no Mineirão, e conquistou um pontinho precioso na luta contra o rebaixamento.

Os gols da partida foram marcados por Sasha, no primeiro tempo, e Rossi, na segunda etapa. Agora com 38 pontos, o Esquadrão se mantém na 16ª colocação, mas abriu distância mínima para o Vasco, primeiro time no Z4 e que tem 37.

O tricolor precisa secar os vascaínos – que neste domingo (14) recebem o líder Internacional -, para não terminar a rodada na zona de rebaixamento. O próximo compromisso do tricolor no Brasileirão será no domingo (20), quando visita o Fortaleza, no Castelão.