Diário Oficial traz lista com equipe da primeira prefeita de Jaguaquara, que emplaca sobrinho e nora

/ Jaguaquara

Eedione Agostinone nomeia secretários. Foto: Reprodução/Rede social

Após expectativa em torno da equipe que irá compor a gestão da primeira mulher prefeita de Jaguaquara, Edione Agostinone (PP), o Diário Oficial trouxe, nesta terça-feira (5), decretos que confirmam a lista de secretários municipais, diretores e chefes de setores da administração pública, iniciada neste mês de janeiro de 2021. Contudo, a equipe anunciada não traz muitas mudanças, ocorrendo trocas pontuais em poucas secretarias e remanejamento em setores do governo.

A nova gestão municipal trouxe grande parte da equipe do ex-prefeito Giuliano Martinelli (PP), padrinho político de Edione e irmão do genro dela, que deixou o cargo em (31) de dezembro de 2020, depois de oito anos de gestão. Além de manter parte do secretariado do antecessor, a gestora também recorre a critérios pouco aconselháveis para quem ocupa cargos públicos, como a nomeação de parentes para exercer funções-chaves da administração direta. A prefeita nomeou, para duas pastas importantes, o sobrinho e a nora. Hemerson Oliveira Di Labio (sobrinho) – secretário de Saúde e Danielle Batista Ferreira Agostinone (nora) – secretária de Governo. Na Secretaria de Infraestrutura, foi nomeado Nelson Matos Teixeira, que já exerceu cargo de vereador no vizinho Município de Itaquara e entra na gestão de Jaguaquara para substituir o tio do ex-prefeito, Antônio Andrade. Outra nomeação com grau de parentesco com a prefeita, conforme publicação do DO, é a de Vitor Romeu Agostinone, para Chefe de Divisão de Estradas e Rodagens.

Remanescentes

Foram mantidos na administração: Geisa Silva Santana Martinelli, ex-primeira-dama, que na gestão anterior chegou a acumular funções em duas secretarias: Governo e Desenvolvimento Social e permanece na segunda pasta, que já foi ocupada pela prefeita. Eliomar da Paixão Lima continua a comandar a Secretária de Agricultura e Meio Ambiente, Judison Matos continua como Controlador Geral do Município, na Educação permanece Juliana Santiago Ferreira, Mônica Pryscilla Oliveira de Moura continua no cargo de Procuradora-geral, Núbia Gardênia Louzado dos Santos volta para a Secretária de Cultura, Esportes e Lazer, pela qual já passou como titular no primeiro mandato de Martinelli e agora substitui Tâmara Lemos, Romildo Oliveira Fagundes atuará como Chefe de Gabinete ( este já integrava a gestão, porém, em outra função e é considerado nome leve e habilidoso nos meios políticos) e outra figura que permanece na Prefeitura é Selma Rodrigues Marques Bomfim, esta na Secretária de Administração e Finanças. Uellington Souza Reis foi nomeado para o cargo de assessor da prefeita. Entre os membros do segundo-escalão, Marlon Mascarenhas de Oliveira continua na Direção do Departamento de Comunicação, mesmo depois de duas gestões consecutivas no setor.

Em relação aos parentes nomeados pela gestora, prática adotada pelo seu antecessor e muito contestada à época, embora nada impeça que Edione Agostinone utilize tais critérios de livre escolha, desde que os nomeados tenham qualificação técnica, esse tipo de nomeação é considerada imoral, pois corrobora com o aumento da renda familiar de quem comanda postos em máquina pública. A lista com integrantes do segundo-escalão, inclusive com pessoal para funções no Ponto SAC, pode ser conferida no link abaixo: https://sai.io.org.br/Handler.ashx?f=diario&query=4066&c=417&m=0

Jequié: Zé Cocá acolhe mais um ex-vereador e nomeia Reges Silva para cargo de diretor do DEMAP

/ Jequié

Reges vai comandar o Departamento de Material. Foto: Emanuel Jr.

Depois do ex-vereador Eliezer Fiim (PDT) ser acolhido pelo prefeito Zé Cocà (PP), em Jequié, para chefiar a Secretaria de Relações Institucionais e Comunicação Social, outro ex-parlamentar, Reges Silva (PT), que não conseguiu a reeleição nas eleições de 2020 foi nomeado para exercer o cargo na nova gestão.

Reges será Diretor do Departamento  de Material e Patrimônio-DEMAP, o almoxarifado central, da Prefeitura de Jequié e foi nomeado na segunda-feira (4).

Bahia registra 30 óbitos e 3.077 novos casos de Covid-19 nas últimas 24h, diz Boletim

/ Bahia

A Bahia registrou nas últimas 24 horas 3.077 novos casos de Covid-19 e mais 30 óbitos pela doença, segundo dados divulgados hoje (5) pela Secretaria de Saúde do Estado.

O número total de óbitos por Covid-19 na Bahia desde o início da pandemia é de 9.269. Dos 499.900 casos confirmados desde o início da pandemia, 485.976 já são considerados recuperados, 4.648 encontram-se ativos.

Entre os diagnosticados com a doença na Bahia, 37.044 profissionais da saúde foram confirmados com a Covid-19.

Dos 2.006 leitos disponíveis para tratamento do coronavírus, 1.209 possuem pacientes internados. A taxa de ocupação de leitos de UTI Covid para adultos no estado é de 72%.

”O Brasil está quebrado. Não consigo fazer nada”, diz Bolsonaro, que culpa pandemia da Covid

/ Brasília

Bolsonaro culpa pandemia por não fazer nada. Foto: Alan Santos

O presidente Jair Bolsonaro afirmou hoje (5) que o Brasil está ”quebrado” e que ele não consegue ”fazer nada”. Em conversa com apoiadores, ao deixar o Palácio da Alvorada, ele afirmou que a culpa por essa situação é da pandemia de Covid-19 e na imprensa, que segundo ele teria ”potencializado” o coronavírus — que já matou mais de 196 mil pessoas no Brasil. A informação é do jornal O Globo.

Ele citou a alteração da tabela do Imposto de Renda (IR) como uma das promessas que não consegue cumprir. ”O Brasil está quebrado. Eu não consigo fazer nada. Eu queria mexer na tabela do Imposto de Renda…Teve esse vírus, potencializado pela mídia que nós temos”, disse.

Durante a campanha eleitoral de 2018, o presidente prometeu isentar o IR de quem ganha até R$ 5 mil. Hoje, o limite de isenção é de R$ 1.903,98. No fim de 2019, Bolsonaro propôs uma elevação para R$ 3 mil.

”Resta continuar aguardando momento ideal”, diz secretário de Educação sobre retorno das aulas

/ Educação

”Sem previsão de retorno das aulas”, diz Jerônimo. Foto: Divulgação

O secretário da Educação da Bahia, Jerônimo Rodrigues, afirmou nesta terça-feira (5) que os meses de janeiro e parte de fevereiro já foram prejudicados no que diz respeito ao retorno das aulas. O motivo é a segunda onda de contaminação do coronavírus, que elevou para 496.823 o número de pessoas contaminadas e 9.246 o total de óbitos.

Nesta terça-feira (5), o governador Rui Costa renovou o decreto que suspende a realização das aulas presenciais em todo o estado até o dia 15 de janeiro.

”Estamos aí: as metas preparadas, as escolas prontas, mas estamos com números altos de casos, de mortes. A gente venceu um decreto do governador e ele já publicou um outro, levando para o dia 15 de janeiro. A gente está levando assim, de 15 em 15 dias, aguardando que chegue a oportunidade. (…) Nos resta continuar aguardando o momento ideal para não por em risco estudantes, professores e servidores” disse o secretário, em áudio enviado à imprensa.

De acordo com Jerônimo, a expectativa era iniciar o modelo de ensino híbrido, com parte das aulas presenciais e parte à distância, 20 dias após as eleições. No entanto, foi nesse intervalo que o número de casos confirmados e óbitos decorrentes da Covid-19 voltou a subir.

Segundo Bruno Reis, Salvador deve receber vacina da Johnson: ”Estamos em conversas avançadas”

/ Política

Novo gestor fala sobre vacina na capital. Foto: Valter Pontes/Secom

O prefeito Bruno Reis (DEM) confirmou nesta terça-feira (5), durante evento no Stiep, em Salvador, que as conversas para adquirir a vacina contra a Covid-19 para a capital baiana estão avançadas.

Segundo o gestor municipal, é possível que Salvador receba a vacina Covid-19 Ad26COVS2.S, da farmacêutica Janssen-Cilag (divisão da Johnson & Johnson), que na avaliação do democrata é a melhor no mercado.

”Para a gente não importa a nacionalidade da vacina, o que importa é o reconhecimento os órgãos de fiscalização e que ela tenha eficácia. Estamos em conversas avançadas com a Johnson, na minha opinião é a melhor vacina que tem, por ter mais de 98% de eficácia”.

Para Bruno, além da eficácia, a vacina apresentar 98% de eficácia, outros fatores estão sendo determinantes na escolha da Ad26VOCS2.S. O prefeito afirmou que a farmacêutica ficou impressionada com o plano de imunização proposto pela capital.

”Ela é dose única, então facilita muito a logística. Segundo, ela pode ser armazenada na temperatura de -2 a -8º, todas as unidades nossas tem condições de armazenar a vacina. A Johnson está dizendo que não tem interesse comercial na vacina, tem interesse social”.

Apesar do avanço com a Johnson, a capital baiana mantém contato com outras farmacêuticas, no entanto, o prazo de entrega e a quantidade de vacinas vem dificultando a compra.

”Estamos conversando com a Moderna, a Sputnik, a da Oxford, o que dificulta esse processo de aquisição é a quantidade de doses. A Moderna dizia que tinha interesse em fazer a venda de 6 milhões de doses. Salvador não tem condições financeiras de comprar 6 milhões de doses. O maior dificultador (sic) é o prazo de entrega. A Moderna só tinha condições de entregar em outubro, não resolve o nosso problema”, disse Bruno, segundo o site bahia.ba.

Mascaras que caem

/ Artigos

Enquanto no auge da pandemia do Coronavírus (Covid-19) milhares de brasileiros reforçam a proteção colocando máscaras, algumas das principais lideranças políticas e gestores públicos fazem o caminho inverso e deixam cair suas máscaras, mostrando a real feição e o que são na realidade do momento atual. Sem mais subterfúgios ou tentativas de mascarar uma situação que pregam, mas que executam de forma totalmente contrária, revelam seus propósitos e a realidade política-ideológica que movem suas ações. ”Façam o que digo (e mando) mas não façam o que faço!”.

Personalidades públicas, como o governador de São Paulo, João Dória, os ex-ministros Sérgio Moro (Justiça) e Henrique Mandetta (Saúde), e o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia, expõem, à cada dia, suas reais feições políticas-ideológicas, não mais se escondendo atrás das máscaras da pandemia, que cobrem apenas seus rostos, mas não o caráter de cada um. Atrás deles, e seguindo a mesma trajetória, seguem alguns governadores, prefeitos e personalidades do meio artístico, e até mesmo renomados jornalistas em seus veículos de comunicação tradicionais.

O governador João Dória, que desde o início da Pandemia deixou claro o seu propósito de minar e torpedear o governo do presidente Jair Bolsonaro, para tentar ocupar o seu lugar em 2022, abriu guerra aberta e declarou o estado de São Paulo como um Brasil à parte. Impôs o maior lockdown no estado e depois de trancar tudo, viajou para Miami (EUA) para curtir as férias de final de ano. O seu companheiro de luta nessa empreitada, o prefeito da capital, Bruno Covas, tão logo foi reeleito, aumentou o seu salário em 43%, atingindo o teto de R$ 35 mil.

Na sua guerra contra o presidente Jair Bolsonaro, João Dória ignorou a Agencia Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) e determinou a compra de 46 milhões de doses da vacina chinesa Coronavac, para imunizar os paulistas. Alguns governadores e prefeitos seguiram a mesma toada e reservaram os primeiros lugares na fila. Agora veem com preocupação que nem mesmo a China, país matriz da pandemia, aprovou a Coronavac, chamada por Dória de a “Vacina do Brasil”. Preferiu a Sinopharm, que parece ter comprovada eficácia maior que a sua congênere.

Já o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM), tão logo se configurou que o ”baipasse” na Constituição não seria possível, com a sua reeleição, afirmou que o objetivo agora é ter um sucessor que seja contra o presidente Jair Bolsonaro. Não importa como e de onde ele venha, nem que seja apoiado e indicado por partidos como o PT e o PSOL. São as mesmas características que têm revestidos, cada vez mais, as aparições públicas dos ex-ministros Sérgio Moro e Henrique Mandetta, que após deixaram o cargo, se tornaram desafetos do presidente da República.

No despir-se das máscaras, celebridades ou que recentemente vieram a ser, usam cada vez mais o ditado do fazer o que digo e não o que faço. Foi o caso da médica paulista, Thelma de Assis, protagonista da campanha milionária de R$ 180 mil do governo de São Paulo, para o “Fique em Casa”, que depois da pregação, resolveu curtir com as amigas as festas de final do ano em uma ilha alugada. Sem máscaras e sem pudor.

Até mesmo o Jornalismo, que por suas características basilares deveria ter o máximo de informação para se ter o mínimo de isenção, enveredou pelo ativismo e militância política partidária, quando distorce ou sonega informações. Esse mesmo Jornalismo é o que se indigna com as falas do presidente Jair Bolsonaro, mas faz ”cara de paisagem” com a condenação à prisão de uma jornalista chinesa, porque denunciou a existência da pandemia na província de Wuhan, onde tudo começou. Ou quando insiste em se referir ao Jornalista (formado e com registro), Euvaldo Eustáquio, preso e levado ao hospital algemado em uma maca, como sendo apenas um blogueiro, numa forma de depreciá-lo. Ou ainda se calar, quando um editorialista da Folha de São Paulo externa o desejo de ver o presidente da República morto. Máscaras que caem e desnudam feições.

Na prevalência dos interesses políticos-ideológicos, antes escondidos sob máscaras da pandemia, os armários vão se abrindo e deles saindo personagens dos mais diversos matizes O que antes estava encoberto e que só se antevia ou se intuía, com as máscaras caindo, se mostra como é.

”Os hipócritas são aqueles que aplicam aos outros os padrões que se recusam a aceitar para si mesmos”. Noam Chomsky – (7 de dezembro de 1928) é um linguista, filósofo, acadêmico e ativista político norte-americano, conhecido como o “o pai da linguística moderna”.

* Por Adilson Fonseca

Prefeito de Jacobina reduz 92% do próprio salário em primeiro decreto da gestão

/ Política

Prefeito Tiago Dias foi para prefeitura de bike. Foto: Rede social

O prefeito de Jacobina-BA, Tiago Dias (PC do B), reduziu em 92% o próprio salário, por meio de decreto oficial, no primeiro dia de gestão. O valor será repassado para instituições de cunho social como Construindo o Amanhã, Casa de Rebeca, Lar do Idoso Cruzada do Bem, APAE e Fazendinha.

O primeiro decreto oficial da nova gestão municipal foi assinado por Tiago Dias durante visita às instalações do projeto Construindo o Amanhã, nesta segunda-feira (4). O prefeito disse, ainda, que espera o mesmo dos secretários municipais.

Outro fato curioso é que o gestor foi de bicicleta para a prefeitura no primeiro dia de mandato. O ex-prefeito doou a caminhonete do gabinete para a Guarda Municipal, então o atual prefeito decidiu colocar a bicicleta como ”transporte oficial”.

Filha de Fernandinho Beira-Mar assume mandato de vereadora no Rio de Janeiro

/ Política

Fernanda assumiu após titular ir para secretaria. Foto: Record

A dentista Fernanda Isabel da Costa (MDB), filha do traficante de drogas Fernandinho Beira-Mar, assumiu o mandato de vereadora na cidade de Duque de Caxias, no Rio de Janeiro, nesta segunda-feira (04). Fernanda é a primeira suplente do MDB e assumiu a cadeira depois do titular Sandro Lélis (MDB) ser nomeado como secretário de Serviços Públicos.

Na eleição do ano passado, a vereadora obteve 3.999 votos. Há quatro anos, quando também concorreu ao cargo, Fernanda recebeu 3.098 votos, mas não foi eleita. Em 2016, quando concorreu pelo PP, atual Progressistas, a dentista disse possuir R$ 140 mil em bens. Já em 2020, em declaração à Justiça eleitoral ela afirmou que não possui nenhum bem.

A campanha eleitoral de Fernanda Costa arrecadou R$ 110.759. Deste valor, R$ 100 mil (90,29%) foram custeados pelo partido.

Governo do Estado prorroga decreto que proíbe shows e aulas na Bahia até 15 de janeiro

/ Bahia

Foi prorrogado até o dia 15 de janeiro o decreto estadual que suspende as aulas nas unidades de ensino das redes pública e privada e os shows em toda a Bahia. A decisão do governo do estado será publicada no Diário Oficial do Estado (DOE) desta terça-feira, 5.

O decreto, que venceria nesta segunda, 4, proíbe a realização de atividades com público superior a 200 pessoas, como passeatas, feiras, circos, eventos científicos, desportivos e religiosos. Shows e festas, públicas ou privadas, estão proibidos independentemente do número de participantes.

Já as cerimônias de casamento e solenidades de formatura podem ser realizadas desde que limitadas a até 200 pessoas, no entanto, a parte festiva desses eventos não está permitida.