No último dia ano, Jequié registra 82 novos casos do vírus e ocupação de UTI é de 82,76%

/ Jequié

O boletim epidemiológico do coronavírus emitido pela Prefeitura de Jequié nesta quinta-feira (31), último dia do ano de 2020, informa que houve o registro de mais 82 novos casos, perfazendo um total de 8026 pessoas confirmadas com a doença, até agora. 7141 pacientes que encontram-se recuperados e não apresentam mais os sintomas da doença.

Os que estão em quarentena somam 793 pessoas e o número de mortes desde o início da pandemia é de 180.

Conforme os dados repassados pelo HGPV e pelo Hospital São Vicente, a taxa de ocupação geral dos leitos de UTI/adulto é de 82,76%. Destes, 10 leitos estão ocupados por residentes de Jequié e 14 leitos ocupados por pessoas de outros municípios.

Retrospectiva: Prefeitos fecharam comércio para conter o coronavírus no Vale do Jiquiriçá

Prefeitos se unirão para fechar comércio nas cidades. Foto: BMFrahm

O primeiro semestre de 2020 no Território de Identidade Vale do Jiquiriçá foi marcado por medidas duras adotadas pelos mandatários dos respectivos municípios da região, que decidiram, em ação conjunta, fechar o comércio, igrejas, escolas e outros estabelecimentos, sob a justificativa de evitar a propagação do coronavírus nas cidades.

Os prefeitos, de vários municípios, chegaram a participar de reuniões com representantes do Poder Judiciário, do Ministério Público e da Polícia Militar, na Comarca de Jaguaquara, para discussões sobre suas medidas restritivas através de órgãos públicos para conter o Covid-19.

O primeiro decreto que determinou o fechamento do comércio nos municípios foi publicado pelas prefeituras em 18 de março. A maior festa popular do Nordeste e de tradição nas cidades da região, o São João, não aconteceu. Contudo, apesar das restrições, que foram afrouxadas pelos gestores com a proximidade do período eleitoral no segundo semestre, 108 pessoas morreram vítimas da Covid-19 no Vale, entre elas figuras conhecidas.

Retrospectiva: Eleição emblemática em Jaguaquara terminou com a primeira mulher eleita prefeita

/ Jaguaquara

Edione venceu eleição com 58 votos de diferença. Foto: Rede social

O ano de 2020 em Jaguaquara, maior município do Território Vale do Jiquiriçá, foi marcado por uma emblemática eleição municipal. Uma das disputas mais acirradas da história política de Jaguaquara teve polarização das candidaturas de Edione Agostinone (PP) e Raimundo do Caldo (PSD) e a chapa eleita venceu por pouco.

Ao fim da apuração dos votos, no dia 15 de novembro, Edione teve 47,14% dos votos. Foram 11.685 votos no total.

A candidata derrotou Raimundo, que ficou em segundo lugar, com 46,91% (11.627 votos). A diferença da primeira mulher eleita prefeita de Jaguaquara foi de apenas 58 votos para o segundo colocado.

Durante a campanha, troca de farpas em rede social, ausência do debate em emissoras de rádio, acusações entre seguidores dos dois grupos e até confronto das coligações em praça pública com a Polícia Militar sendo obrigada a fazer um cordão humano para evitar agressões foram registrados.

Retrospectiva: Reviravolta na política de Jequié, com prefeito afastado e vice assumindo marcou 2020

/ Jequié

Hassan Youssef assumiu à prefeitura por duas vezes. Foto: BMFrahm

A cidade de Jequié viveu um clima de reviravolta na conturbada cena política, diante da guerra travada entre a Câmara Municipal, através da presidência, vereadores membros da oposição contra o prefeito Sérgio da Gameleira (PSB) em junho de 2020.

Gameleira, que encerra o seu mandato e deixa o cargo nesta quinta-feira (31), chegou a ser afastado do cargo por três vezes, duas delas pela Polícia Federal, que apurava denúncia de irregularidades no âmbito da gestão municipal e uma vez pela Câmara, que acatou pedido de afastamento protocolado na casa contra o chefe do Executivo.

A Câmara chegou a empossar, por duas vezes, o vice-prefeito Hassan Youssef (PODE), no cargo de prefeito interino. Em uma das cerimônias, Hassan chorou, disse que foi chamado à responsabilidade e que iria assumir para que Jequié voltasse a se desenvolver. Em seguida, se dirigiu ao lado do então deputado estadual e hoje prefeito eleito Zé Cocá (PP), vereadores que votaram pela saída de Sérgio e correligionários ao prédio da Prefeitura, onde o grupo comemorou.

Dias depois, prefeito Sérgio foi reconduzido ao cargo após o juiz Armando Duarte Mesquita Junior reformar a decisão que permitia a realização da sessão da Câmara de Vereadores.

Sérgio voltou por decisão judicial

No mês seguinte, em Julho, uma operação desencadeada pela Polícia Federal (PF) e Controladoria Geral da União (CGU), intitulada de Old School, de combate a fraudes em licitações e desvio de verbas públicas no município voltou a mexer no tabuleiro político.

Gameleira foi mais uma vez afastado. Contudo, depois de mais de 40 dias afastado, com Hassan novamente ocupando a cadeira de prefeito, Gameleira foi reconduzido por decisão judicial para concluir o seu mandato. Vale ressaltar que, prefeito e vice, Sérgio e Hassan, tornaram-se adversários políticos. Amanhã, dia 1º de janeiro de 2021, Hassan será empossado secretário de Governo pelo prefeito eleito Zé Cocá e permanecerá na vida pública.

Retrospectiva: Covid matou, em Jequié, desde personalidades, como Juiz, Capitão, médico

/ Jequié

Médico Ramon Barbosa foi vítima da Covid em 2020. Foto: BMFrahm

A pandemia do coronavírus marcou o ano de 2020 de forma profunda para os jequieenses. A doença, que contaminou 8.26 pacientes até esta quinta-feira (31), matou 180 pessoas, desde importantes personalidades a figuras simples da sociedade.

Entre as vítimas do coronavírus, o Juiz de Direito da Vara Criminal da Comarca de Jequié, Carlos Alberto Fiuza de Castro Filho, 74 anos, que faleceu no Hospital Geral Prado Valadares – HPV, no dia (02) de Junho; o médico Ramon Barbosa, de 43 anos, que atuava no Prado Valadares, que morreu no dia (10) de maio, em Salvador; o Capitão da Companhia Independente de Policiamento Especializado – Cipe Central, Marcelo de Souza Moura, 41 anos, que também teria sido acometido pelo vírus e foi a óbito no dia (20) de maio no Prado Valadares, além de comerciantes, idosos, dezenas de jequieenses que foram vencidos pela pandemia.

Retrospectiva: Morte do ex-prefeito Ítalo Amaral, marcou fevereiro de 2020, em Jaguaquara

/ Jaguaquara

Ítalo Rabelo do Amaral faleceu aos 97 anos. Foto: Blog Marcos Frahm

Jaguaquara perdeu, em (03) de fevereiro de 2020, uma das principais personalidades políticas da sua história, Ítalo Rabelo do Amaral, que faleceu aos 97 anos, depois de sentir-se mal em sua residência, no bairro Muritiba, de onde foi levado por familiares a Casa de Saúde e Maternidade, anexo a sua casa, mas não resistiu.

Amaral, como era conhecido nos meios políticos era apontado, por várias gerações, como o melhor gestor público de Jaguaquara nas últimas décadas, foi prefeito de 1977-1983 e de  1997 a 2000, quando encerrou sua carreira política.

Também se destacou no mundo empresarial, sendo proprietário de empresas do ramo de produtos agrícolas. Fundador da extinta Rádio Vale Aprazível, dedicou boa parte de seus 97 anos à comunicação e a vida pública, tendo sido marcado pela realização, no exercício do cargo político, de importantes obras em Jaguaquara. Era um dos liderados da confiança do ex-governador Antônio Carlos Magalhães no interior baiano.

A cidade parou para se despedir do Senhor Ítalo, que foi velado num espaço que leva o seu nome, pertencente à Loja Maçônica, no bairro Palmeira.

Retrospectiva: Morte do empresário e ex-prefeito de Santa Inês, Zé Afrânio, comoveu à população

Santa Inês perdeu Zé Afrânio em Junho de 2020. Foto: BMFrahm

O Município de Santa Inês, no Vale do Jiquiriçá, perdeu uma de suas figuras políticas mais respeitadas, o ex-prefeito e empresário do ramo supermercadista, com atuação na área comercial também na vizinha cidade de Jaguaquara, José Afrânio Braga Pinheiro, de 54 anos.

Figura do riso fácil, Afrânio era bastante querido e comunicativo, tendo sido prefeito de Santa Inês de 2012 a 2016, abrindo mão de ser candidato à reeleição, mesmo tendo todas as contas referentes à sua gestão aprovadas pelo Tribunal de Contas dos Municípios – TCM.

Acometido por problema de saúde, foi internado em uma unidade hospitalar de Vitória da Conquista, falecendo no dia (11) de junho de 2020 e as informações à época apontaram que o empresário teria também sido vítima do vírus.

O sepultamento, ocorrido no dia seguinte em Santa Inês, foi registrado com muita comoção. Apesar das restrições, com o velório sendo realizado com caixão lacrado, impondo isolamento até no momento de luto, um cortejo fúnebre com distanciamento percorreu as principais ruas da cidade e os moradores se manifestavam, solidarizando-se com a família e lamentando a morte precoce de Afrânio.

Retrospectiva: Itaquara perdeu em maio de 2020 um dos símbolos da política local, Astor Araújo

/ Itaquara

Astor Araújo faleceu em maio de 2020. Foto: Blog Marcos Frahm

O município de Itaquara, no Vale do Jiquiriçá, perdeu no dia (05) de maio de 2020 um dos símbolos da política local. O ex-prefeito da cidade, Astor Moura Araújo, morreu aos 69 anos, em Salvador, onde estava internado em uma unidade hospitalar acometido por problemas de saúde, que não foram revelados pelos seus familiares à época.

O corpo foi sepultado no Cemitério Jardim da Saudade, na capital baiana. Astor ingressou na vida pública na década de 80, tendo sido prefeito de Itaquara de 89 a 93 e de 97 a 2005 e secretário de Governo de 2013 a 2017, quando a sua esposa, a médica Iracema Guimarães Araújo, governou o município após ter sido eleita com o seu apoio em 2012, quando Araújo foi impedido pelo TRE de disputar as eleições à época. Influente no cenário político, Astor, que tinha parentesco com o então deputado federal  Afrísio Vieira Lima (In memoriam) pai do ex-ministro Geddel Vieira Lima e do ex-deputado Lúcio Vieira era militante do PMDB, atual MDB e chegou a ocupar cargo na Companhia Baiana de Pesquisa Mineral – CBPM, no primeiro mandato do ex-governador Jaques Wagner (PT), por indicação do seu partido, quando Edmundo Pereira, pelo PMDB, integrou a chapa de Wagner em 2006 como vice-governador.

A morte do ex-gestor Astor Moura Araújo foi lamentada nas redes sociais por moradores e lideranças políticas de toda a região.

Bahia registra 29 óbitos e 2.862 novos casos de Covid-19 nas últimas 24h, diz boletim

/ Bahia

A Bahia registrou nas últimas 24 horas 2.862 novos casos de Covid-19 e mais 29 óbitos pela doença, segundo dados divulgados hoje (31) pela Secretaria de Saúde do Estado (Sesab).

Desde o início da pandemia, o número total de óbitos por Covid-19 em todo o estado é de 9.129. Dos 493.400 casos confirmados desde o início da pandemia, 478.198 já são considerados recuperados, 6.073 encontram-se ativos.

Entre os diagnosticados com a doença na Bahia, 36.655 profissionais da saúde foram confirmados com a Covid-19.

Dos 2006 leitos disponíveis para tratamento do coronavírus, muitos reabertos recentemente pelo governo do Estado, 1251 possuem pacientes internados. A taxa de ocupação de leitos de UTI Covid para adultos na Bahia é de 75%

Ministro Luís Roberto Barroso paralisa processos de ficha limpa até definição do Supremo

/ Justiça

Ministro Luís Roberto Barroso Foto: Gervásio Baptista/SCO/STF

O ministro Luís Roberto Barroso, presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), suspendeu ao menos cinco processos eleitorais, três deles na noite de ontem (30), em decorrência de uma liminar (decisão provisória) do ministro Nunes Marques, do Supremo Tribunal Federal (STF), que neste mês reduziu o alcance da Lei da Ficha Limpa.

Com as decisões de Barroso, os recursos dos prefeitos eleitos de Angélica (MS), Bom Jesus de Goiás, Pinhalzinho (SP) e Pesqueira (PE) ficam suspensos, e eles ficam assim impedidos de tomar posse amanhã, 1º de janeiro, por não terem sido ainda diplomados pelo TSE. Nesses municípios, os presidentes das Câmaras Legislativas devem assumir interinamente a chefia do executivo local.

Barroso também paralisou o processo de um candidato a vereador de Belo Horizonte. A situação em todos esses casos permanecerá indefinida até que o plenário do Supremo julgue se mantém ou não a liminar de Marques.

A controvérsia gira em torno de saber quando começa a contar o prazo de inelegibilidade previsto na Lei da Ficha Limpa, se a partir da condenação em órgão colegiado (segunda instância ou tribunal superior, por exemplo) ou a partir do fim do cumprimento da sentença.

Monocraticamente (de modo individual), Marques suspendeu a expressão “após o cumprimento da pena” do artigo da Lei da Ficha Limpa que trata da contagem do prazo de inelegibilidade. A decisão, na prática, reduz o alcance da punição.

Pela liminar, candidatos que disputaram as eleições municipais de 2020 podem já se beneficiar, se os seus casos ainda estiverem pendentes de análise pelo TSE ou pelo próprio Supremo.

A decisão de Marques levou diversos candidatos eleitos, mas que ainda não tiveram seus registros deferidos, a entrar com recursos no TSE, alegando já não serem mais alcançados pelo prazo de oito anos de inelegibilidade.

Responsável por despachar durante o plantão judiciário no TSE, a postura de Barroso diante da controvérsia tem sido a de suspender todos esses casos até que o Supremo defina quando começa a contar de fato o prazo de inelegibilidade previsto na Lei da Ficha Limpa.

Em um desses casos, o TSE já havia negado o registro do candidato eleito em Bom Jesus de Goiás, Adair Henriques da Silva (DEM), que recebeu 50,62% dos votos nominais, e determinado a realização de novas eleições no ano que vem. Contudo, Barroso suspendeu o novo pleito pois o político, que possui uma condenação por improbidade administrativa, protocolou um recurso ao Supremo.

A Lei da Ficha Limpa traz uma lista com dez tipos de crimes que acarretam inelegibilidade. É o caso dos praticados contra a economia popular, o sistema financeiro e o patrimônio privado. Estão incluídos também lavagem de dinheiro, crimes ambientais, contra a vida e o abuso de autoridade, entre outros.

Bruno Reis diz que ”correção” de 1% em seu salário ”praticamente não traz impacto para folha”

/ Política

Bruno Reis foi eleito prefeito de Salvador. Foto: Tiago Caldas

O prefeito eleito de Salvador, Bruno Reis, disse nesta quarta-feira (31) que o reajuste no seu salário de 1% é uma ”correção” e que ”praticamente não traz impacto para a folha”.

”Vejam, em outros lugares vi prefeito sendo reajustado 40%, 35%, 30%. Óbvio que não iriamos admitir isso aqui. A correção de 1% é a partir de 2022. Não vai ter eficácia agora. Em números absolutos representa aumento de R$ 250, praticamente não traz impacto para a folha”, opinou.

A Câmara Municipal aprovou nesta quarta (31) e encaminhou para sanção um projeto de lei que fixa o reajuste de salários do prefeito, vice e dos secretários municipais em 1,8%. De acordo com o texto, a remuneração mensal do principal cargo do Executivo passa a ser de R$ 25.322,25. Já o vice receberá R$ 18.991,68.

Os subsídios dos secretários municipais ficam fixados no valor de R$ 18.991,68. Já o salário mensal de vereadores, no período de 1º de janeiro de 2021 a 31 de dezembro de 2024, não sofreu reajuste e fica fixado no percentual de de 75% do subsídio do deputado estadual. Com informações do BNews

Por problemas de saúde, Papa Francisco deixa de conduzir missas na virada do ano

/ Religião

Francisco, de 84 anos, sofre de uma crise de ciática. Foto: Vatican

Com uma crise de ciática, o Papa Francisco não conduzirá missas de virada de ano nesta quinta-feira (31) e no dia 1ª de janeiro. A informação foi confirmada pelo Vaticano. Aos 84 anos, o papa tem vários anos que não falta a um compromisso relativo ao posto.

As duas liturgias serão lideradas pelo Giovanni Battista Re, nesta quinta, e pelo cardeal Pietro Parolin, secretário de Estado do Vaticano, no primeiro dia do ano. O Vaticano disse que o papa conduziria sua oração do meio-dia na sexta-feira, conforme programado. Com informações do G1 e da Reuters.

Retrospectiva: Natural do Vale do Jiquiriçá, Jotinha está entre as personalidades vítimas do coronavírus

/ Entretenimento

Jotinha era natural de Elísio Medrado, no Vale. Foto: Reprodução

O ano de 2020 foi bastante difícil para o mundo inteiro e não foi diferente para o Brasil que teve mais de 7,5 milhões de casos confirmados de coronavírus e 191 mil mortes, sendo 9 mil óbitos registrados na Bahia. Nesses números estão muitos pais, mães, filhos, avós, netos, mas também pessoas bastante conhecidas pelos brasileiros.

Reconhecidas figuras baianas importantes da cultura, política e ciência nos deixaram vítimas da Covid-19: entre elas, o humorista José Luiz Almeida da Silva, mais conhecido como Jotinha, morreu aos 52 anos no dia 5 de novembro, após ter falência múltipla de órgãos em decorrência da Covid-19.

Natural de Elísio Medrado, no Vale do Jiquiriçá, Jotinha era um torcedor icônico do Bahia. Ele foi internado em um Hospital de Santo Antônio de Jesus, a cerca de 40 km de Elísio Medrado, onde morava com a família.

Governo muda idade para pagamento da pensão por morte do INSS e de servidores

/ Economia

O Ministério da Economia determinou nesta quarta-feira (30), em portaria publicada no Diário Oficial da União, que a idade-limite para que viúvos ou viúvas recebam pensão por morte vitalícia, ou seja, para a vida toda, passará de 44 anos para 45.

A pensão por morte é paga aos dependentes de segurados do INSS (Instituto Nacional do Seguro Social) e dos servidores públicos federais.

A portaria é assinada por Marcelo Pacheco dos Guaranys, ministro substituto de Paulo Guedes, titular da pasta. As novas idades começarão a valer nesta sexta-feira, no dia 1º de janeiro de 2021.