Candidato do PSD à Prefeitura de Jequié, Dr. Fernando participa de motocada com Antônio Brito

/ Eleições 2020

Fernando, Márcia e Brito participam de motocada. Foto: Divulgação

 candidato do PSD à Prefeitura de Jequié, Dr. Fernando Vieira, ladeado pela companheira de chapa, Márcia, e pelo deputado federal e seu padrinho político Antônio Brito saiu as ruas da Cidade Sol em carro aberto, neste domingo (8), puxando uma motocada.

Nas redes sociais, Fernando se manifestou sobre o ato de campanha: ”Mostramos mais uma vez a força do 55 e da mudança que a cidade merece. Temos mãos limpas”, escreveu o prefeiturável em sua página no Facebook.

Flavinho diz que prefeito aglomerou com servidores da Prefeitura para tentar eleger a sogra do irmão

/ Eleições 2020

Flavinho Souza dispara contra Giuliano Martinelli. Foto: Divulgação

O candidato do Podemos à Prefeitura de Jaguaquara, Flavinho Souza, reagiu nesta segunda-feira (9) a atitude do prefeito da cidade, Giuliano Martinelli (PP), que apareceu sem máscara, usando peruca e eufórico durante ato de campanha promovido pelo seu grupo político, que defende a candidatura da ex-secretária municipal de Desenvolvimento Social, Edione Agostinone (PP).

Flavinho gravou vídeo que foi publicado em suas redes sociais, cujo conteúdo foi editado e nas imagens aparece o prefeito pedindo para que as pessoas ficassem em casa, quando Martinelli teria se manifestado nos meses de pico da curva de contágio do coronavírus no município, que registrou 2.567 casos e 19 óbitos.

No vídeo, o candidato do disse ter ficado assustado: ”Oi gente, tudo bem? Estou aqui assustado. Um prefeito que gritou pelo amor de Deus, hoje desceu pra rua, aglomerou, fez bagunça, tentando eleger a sogra do seu irmão. Que palhaçada, Giuliano Martinelli, feio para você, que pediu para o povo ficar em casa e agora faz isso, vai para os braços do povo, aliás, para os braços dos funcionários da prefeitura, porque o povo não está com você e nem com sua candidata. Se eu fosse você, faria diferente, respeitaria o que você pediu depois de ter fechado o comércio durante cinco meses. Lamentável, você não respeita ninguém”, disparou Flavinho.

Jaguaquara: Prefeito participa de ato de candidata sem máscara junto à aglomeração, diz site

/ Jaguaquara

Giuliano aparece de peruca e sem máscara. Foto: Reprodução

O prefeito de Jaguaquara, no Vale do Jiquriçá, Giuliano Martinelli, foi visto neste domingo (8) no meio de uma grande aglomeração.

O fato ocorreu durante evento da candidata apoiada pelo gestor, Edione (PP), da coligação ”Pra Jaguaquara seguir avançando”. Martinelli aparece sem máscara, abraçando apoiadores, muitos sem proteção facial também.

Em um dado momento, ele é visto de peruca pulando junto com eleitores. Até este domingo, Jaguaquara já tinha registrado 2.567 casos confirmados de novo coronavírus, com 420 pessoas em quarentena, e 19 óbitos provocados pela doença.

Além da postulante apoiada pelo prefeito, concorrem ao Executivo Municipal em Jaguaquara os candidatos Flavinho Souza (Podemos), Pedro Bernardino (PSL) e Raimundo do Caldo (PSD). Matéria do site Bahia Notícias

Vale ressaltar que, o prefeito, durante meses, baixou decretos impondo restrições na cidade contra o coronavírus, exigindo o uso de máscara nos estabelecimentos comerciais e vias públicas da cidade e chegou a pedir ”pelo amor de Deus” para que as pessoas não saíssem às ruas em Jaguaquara. A aglomeração deste domingo ganhou repercussão negativa em outros portais do Estado, como A Tarde e Uol.

”Recomendo que colégios particulares não reabram suas unidades”, diz secretário de Saúde do Estado

/ Saúde

Secretário de Saúde do Estado, Fábio Vilas-Boas. Foto: Sesab

O secretário estadual de Saúde, Fábio Vilas-Boas, avaliou como prematuro, na tarde desta segunda-feira (9), o retorno às aulas em escolas particulares de Luís Eduardo Magalhães, no oeste baiano, e recomendou que os colégios não façam isso.

”Recomendo que colégios particulares não reabram suas unidades, haja vista que o Estado ainda ressente-se de alto índice de contágio pela Covid-19”, disse o secretário, em publicação nas redes sociais.

”Vejo como prematura a decisão de reinício das aulas presenciais em colégio da rede particular, no município de Luís Eduardo Magalhães, na região oeste da Bahia, ocorrida no dia de hoje”, completou Vilas-Boas.

Governador Rui Costa assina ordem de serviço para construção da nova rodoviária de Salvador

/ Bahia

Rui autoriza construção da nova rodoviária da capital. Foto: Secom

A ordem de serviço para construção da nova rodoviária da capital baiana foi assinada pelo governador Rui Costa na manhã desta segunda-feira (9). O ato foi realizado em Águas Claras, às margens da BR-324, onde será instalado o novo terminal rodoviário em uma área de 200 mil metros quadrados. O investimento na nova rodoviária de Salvador é de R$ 120 milhões.

”É um ganho não só para a capital mas para toda a região metropolitana e também para a população do interior. Atualmente, a rodoviária utilizada não condiz mais com a realidade da Bahia. É ultrapassada. A nova rodoviária será uma construção moderna, ambientalmente sustentável, pois terá reuso de água e geração de energia solar, e terá um pé direito bastante elevado, o que significa conforto acústico e térmico, tudo dentro dos padrões mais sofisticados no ponto de vista técnico”, explicou o governador.

Ainda na oportunidade, Rui destacou que ”a nova rodoviária será o lugar de maior embarque e desembarque do Norte Nordeste. Teremos o terminal de ônibus de grande porte para desembarcar todos os passageiros dos ônibus metropolitanos, dos ônibus que circulam no entorno da rodoviária, além dos intermunicipais e interestaduais. Esses ônibus não entrarão mais em Salvador, portanto não irão mais contribuir para o engarrafamento na cidade. Aqui no entorno, teremos ainda um polo gerador de empregos. Daqui a alguns anos, com essa construção, a região terá uma verdadeira revolução urbana, com crescimento imobiliário e comercial”.

A empresa responsável pela obra terá o prazo de 24 meses para a execução do serviço. O projeto da nova rodoviária prevê uma estrutura mais moderna e integrada ao sistema de transporte da capital. Comparando com a atual rodoviária, a parte do terminal triplicará de tamanho saltando de 22 mil metros quadrados para 70 mil metros quadrados.

Contrato para obras da Ponte Salvador-Itaparica será assinado no dia 12 de novembro

/ Bahia

Sonho de milhares de baianos, a construção da Ponte Salvador-Itaparica está cada vez mais próxima. O contrato definitivo da obra será assinado no dia 12 de novembro pelo Governo do Estado e o consórcio chinês que irá realizar a obra, formado pelas estatais chinesas China Communications Construction Company (CCCC Ltd), CCCC South America Regional Company (CCCCSA) e China Railway 20 Bureau Group Corporation (CR20).  A data inicial de assinatura era no início do ano, mas foi prorrogada por conta da pandemia de Covid-19. Com o documento assinado, as empresas terão um ano para elaborar o projeto e outros quatro para executar o equipamento.

A ponte terá uma extensão de 12,4 quilômetros, com acessos em Salvador, por túneis e viadutos, e em Vera Cruz, com a ligação à BA-001. Também deverá ser realizada uma nova rodovia expressa e a interligação com a Ponte do Funil, que será revitalizada. A concessão do projeto executado por meio de uma Parceria Público-Privada (PPP) será de 35 anos. O concessionário terá prazo de cinco anos para a realização de estudos e construção do sistema viário, os demais 30 anos serão de gestão e administração do sistema. O investimento será de R$ 5,4 bilhões e o aporte do Estado será de R$ 1,5 bilhão.

O projeto irá melhorar a mobilidade entre a capital, a região metropolitana e o sul do estado. A estimativa é que 24 municípios sejam beneficiados com o encurtamento da distância e redução do tempo de viagem em mais de 40%, por não mais ser necessário realizar o contorno de 100 quilômetros pela BR-101 para acessar a capital baiana. Outros 52 municípios devem ter a distância reduzida entre 20% e 40% da atual. A estimativa é que sejam gerados sete mil empregos durante a construção do equipamento e cerca de 100 mil postos de trabalho em 30 anos.

Licitação

A assinatura representa um passo definitivo no processo de construção da ponte, conseguinte ao leilão que foi vencido pelas empresas que integram o consórcio responsável pela PPP no dia 13 de dezembro de 2019. De acordo com a Procuradoria Geral do Estado (PGE), a homologação da licitação representa a perda de objeto de uma medida cautelar, iniciada em dezembro do mesmo ano, por auditores do Tribunal de Contas do Estado (TCE) que tentava suspender o andamento do processo de continuidade da obra. A medida questionava o orçamento geral da ponte e a quantidade de material necessário para construção do equipamento.

Ainda segundo a PGE, o órgão discorda da argumentação apresentada pelos auditores, pois, conforme determina a legislação, a análise das parcerias público-privadas deve ser diferente da análise das contratações tradicionais de obras públicas, privilegiando-se, neste caso, o valor global da contratação. Além disso, mesmo se fossem analisados os custos unitários, o Estado utilizou de forma adequada especificações que não foram observadas pela auditoria.

Em operação no município de Jaguaquara, Cipe Central detém três indivíduos suspeitos de tráfico

/ Polícia

Polícia apreendeu drogas com suspeitos. Foto: Cipe Central

A Campainha Independente de Policiamento Especializado – Cipe Central, em rondas na cidade de Jaguaquara durante o final de semana atuou contra o tráfico de drogas.

Na primeira ação, dois indivíduos, de 21 e 23 anos foram presos com um tablete de maconha, aprox. 400grs; um tablete menor de maconha, aprox. 50grs; uma trouxa de cocaína, aprox. 20grs; uma trouxa menor de cocaína, aprox. 05grs; balança digital, um celular Smartphone Motorola Moto G7 e a quantia de R$ 942,00 (novecentos e quarenta e dois reais).

Em outra ação, desta feita no Entroncamento de Jaguaquara, a Cipe deteve um suspeito, de 21 anos, que segundo informações estava com certa quantidade de cocaína, 02 celulares e R$ 55,00 reais. Todos os suspeitos foram conduzidos à Delegacia de Jaguaquara.

 

 

 

Milagres: Homem é preso após aplicar golpes em pousada e posto de gasolina

/ Polícia

Caso ocorreu no sábado e foi divulgado nesta segunda. Foto: PRF

Um homem, de 40 anos, foi preso por aplicar golpes na região de Milagres, no Vale do Jiquiriçá. O flagrante ocorreu no sábado (7), mas foi informado nesta segunda-feira (9). O acusado também portava um documento de habilitação com dados de outra pessoa. Segundo a Policia Rodoviária Federal (PRF-BA), a ação foi desencadeada quando a proprietária de uma pousada em Milagres entrou em contato com a corporação para denunciar que havia sido vítima de um golpe (estelionato). Um dos hóspedes teria saído do estabelecimento sem pagar as diárias.

Depois, uma segunda denúncia dava conta que o acusado teria abastecido em um posto da região e fugiu sem pagar a conta. A partir daí os policiais iniciaram as diligências e conseguiram abordar o suspeito em frente à unidade da PRF, em Jequié.  Na abordagem, apresentou informações desencontradas e nervosismo. Desconfiados, os policiais aprofundaram a fiscalização no carro, quando encontraram uma CNH falsificada com a foto do suspeito, mas com o nome de outra pessoa.

Ao consultar a ficha criminal, os agentes descobriram que o homem tinha uma extensa ficha policial, com crimes de estelionato, apropriação indébita e ameaça praticado no estado de São Paulo. Ainda segundo a PRF-BA, uma terceira vítima relatou que havia sido subtraído da sua conta o valor de R$ 6,5 mil.

Aos policiais, o homem disse que um amigo alugou o veículo Sonic para que ele pudesse visitar uns parentes em Teófilo Otoni (MG). No entanto, segundo o próprio, ‘ficou’ sem dinheiro para custear as despesas de hospedagem, alimentação e combustível.

Motorista de aplicativo é preso com 26 kg de maconha na BR-101, trecho de Itabuna

/ Trânsito

Homem disse que ganharia R$ 1,5 mil pelo transporte. Foto: PRF

Um motorista por aplicativo foi preso com 26 kg de maconha, na tarde do domingo (8), no km-511 da BR 101, trecho do município de Itabuna, sul da Bahia.

Segundo informações da Polícia Rodoviária Federal (PRF), agentes realizavam uma fiscalização de rotina, quando flagrou o motorista de um veículo realizando ultrapassagem proibida. Durante a abordagem, foram solicitados os documentos do veículo e do condutor.

Após apuração, os policiais perceberam nervosismo e contradições do motorista. Diante das respostas desencontradas, os PRFs resolveram aprofundar a fiscalização no carro e encontraram uma quantidade de maconha in-natura (não prensada) escondida no porta-malas.

Ainda de acordo com a PRF, o homem relatou que pegou a maconha na região de Porto Seguro. Disse ainda que ganharia R$ 1,5 mil para transportar o produto até a cidade de Aracaju (SE).

O homem que é morador de São Cristovão (SE) foi preso em flagrante delito e apresentado na delegacia de Polícia Civil local, para os procedimentos cabíveis.

Caixa libera uma nova parcela do Auxílio Emergencial para 3,8 milhões de trabalhadores

/ Economia

Neste domingo (8), a Caixa Econômica Federal (CEF) libera uma nova parcela do Auxílio Emergencial para 3,8 milhões de trabalhadores que não fazem parte do Bolsa Família. O pagamento é para os trabalhadores nascidos em maio: 3 milhões vão receber parcela de R$ 300, enquanto 800 mil trabalhadores ainda terão direito a parcela de R$ 600.

Para os trabalhadores que fazem parte do Bolsa, o pagamento da segunda parcela de R$ 300 foi no final de outubro, e os créditos da próxima parcela terão início em 17 de novembro

Para os trabalhadores fora do Bolsa Família, a ajuda paga neste domingo será creditada em conta poupança social digital da Caixa, que poderá ser usada inicialmente para pagamento de contas e compras por meio do cartão virtual. Saques e transferências para quem receber o crédito neste domingo serão liberados no dia 21 de novembro

Eleito presidente, Biden inclui médica brasileira em força-tarefa para combater a pandemia

/ Saúde

A médica brasileira Luciana Borio foi confirmada nesta segunda-feira (9) como uma das integrantes da força-tarefa criada por Joe Biden para combater a pandemia de coronavírus.

O presidente eleito dos Estados Unidos revelou os 13 integrantes do grupo através de um comunicado nesta segunda.

A principal função da força-tarefa será aconselhar Biden e a vice-presidente eleita, Kamala Harris, durante o período de transição sobre questões relacionadas à saúde pública, com atenção especial à Covid-19.

Nascida no Rio de Janeiro, Borio vive desde os anos 1980 nos Estados Unidos, onde se formou em medicina pela Universidade George Washington.

Especialista em doenças infecciosas, ela trabalhou entre 2010 e 2019 (nas gestões de Barack Obama e Donald Trump) para o governo americano em diferentes funções relacionadas ao assunto e participou do combate às epidemias de zika e ebola.

Em seu último cargo, do qual saiu em março do ano passado, ela era a responsável pela da política de preparação médica e biodefesa da unidade de segurança global de saúde do Conselho de Segurança Nacional (NSC, na sigla em inglês), órgão ligado diretamente à Presidência. Em outras palavras, sua principal função era traçar planos para o caso do país viver uma emergência sanitária.

Quase um ano antes, em maio de 2018, a médica brasileira tinha afirmado durante um simpósio científico que uma pandemia de gripe seria a maior ameaça de saúde pública que os EUA poderiam enfrentar.

Ciro diz que Moro e Huck não têm legitimidade para ocupar Presidência, mas que 2022 ainda está distante

/ Política

Ciro reage a possível união de Moro e Huck. Foto: Reprodução

O ex-presidenciável Ciro Gomes (PDT) reagiu nesta segunda-feira (9) à possibilidade de união entre o ex-juiz Sergio Moro, o apresentador Luciano Huck e o governador de São Paulo, João Doria (PSDB), para a formação de uma candidatura que representaria a centro-direita na eleição presidencial de 2022.

Ciro esteve em São Paulo para declarar presencialmente apoio ao candidato a prefeito Márcio França (PSB), que está com 13% no Datafolha e tenta na reta final conseguir uma vaga no segundo turno. O PDT faz parte da coligação e ocupa a posição de vice, com o sindicalista Antonio Neto.

”A fraude que campeia no Brasil não cede espaço. No dia em que Doria, Huck e Moro forem de centro, eu sou de ultraesquerda, o que eu nunca fui” afirmou Ciro a jornalistas na saída do evento de campanha, em um galpão na Barra Funda (zona oeste).

O ex-ministro, que ficou em terceiro lugar na eleição de 2018, vencida por Jair Bolsonaro (sem partido), disse que nem Moro nem Huck tem legitimidade para ocupar a Presidência por serem inexperientes em cargos públicos. Sobre Doria, disse que o tucano ao menos tem um histórico de gestão.

Como revelou a Folha, a articulação de uma frente ampla contra a reeleição de Bolsonaro foi tratada por Moro e Huck em uma conversa em outubro. Doria também faz parte dos diálogos e recebeu o ex-ministro da Justiça e ex-juiz da Operação Lava Jato em setembro.

Pré-candidato à corrida de 2022, o ex-ministro disse aos apoiadores que debater o pleito é prematuro e que muita coisa pode acontecer até lá, mas declarou estar pronto para enfrentar uma candidatura articulada pelos três. ”Agora, se apresentar de centro? Não vai não. Na minha frente, nem um dia.”

”Moro vendeu a toga em troca de um cargo e é um cara da extrema direita. O Moro se veste como os fascistas italianos da década de 30. O Moro é fascista”, afirmou Ciro à imprensa.

Aludindo ao fato de Moro ter ido para o governo Bolsonaro após ter condenado o ex-presidente Lula (PT), ele disse: ”Isso é uma lesão ética que transforma o Moro para mim num grande malandro, num corrupto que durante o governo Bolsonaro tudo o que pôde fazer fez para acobertar os filhos ladrões do Bolsonaro”.

”O Luciano Huck é um apresentador de televisão. Ok, é uma tarefa das mais dignas. Isso o prepara para enfrentar a maior crise social e econômica do Brasil? Isso o habilita a ser [presidente]? Só a irresponsabilidade de algumas pessoas da elite brasileira é que permite a gente acreditar nisso”, disse o pedetista. Embora se declare adversário político de Doria, Ciro afirmou que o governador tem legitimidade para a disputa porque ”já entrou aí na luta”.

”Foi um prefeito que mentiu para o povo, ele disse muitas vezes que não deixaria [a prefeitura] e largou. Foi eleito governador, está fazendo um governo muito ruim. Mas tem legitimidade, pode chegar e dizer: eu não sou um apresentador de televisão que nunca administrou nada.”

Primeiras doses da CoronaVac chegam ao Brasil no dia 20 de novembro, diz governo de São Paulo

/ Saúde

As primeiras doses da vacina contra a Covid-19, CoronaVac, que está em fase de testes e é produzida pela empresa chinesa Sinovac, devem chegar ao Brasil no dia 20 de novembro. Pelo menos é o que estima o governador de São Paulo, João Doria (PSDB), que fez o anúncio no início da tarde desta segunda-feira (9). ”O Brasil será o primeiro país do continente a receber doses da vacina contra a Covid-19”.

De acordo com informações do portal IG, o governo de São Paulo disse que o primeiro lote da vacina – que só será distribuída para vacinação em massa após fim dos estudos e aprovação da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) – contará com 120 mil doses. Até o dia 30 de dezembro, porém, o país contará com 6 milhões de doses.

Ainda segundo o portal, outras 40 milhões de doses do imunizante, de acordo com o Instituto Butantan, devem ser sintetizadas no Brasil com insumos também enviados da China.

Facebook e Twitter usam exemplo dos EUA e preveem avisos para fake news em eleição no Brasil

/ Eleições 2020

Antes de discursar na TV dos EUA por 15 minutos sobre fraude eleitoral sem apresentar evidências, o presidente Donald Trump já acumulava uma série de publicações contestadas ou rotuladas como duvidosas no Twitter. No Facebook, uma página com 365 mil americanos apoiadores do republicano foi derrubada por espalhar mentiras.

Todas as publicações tinham em comum o objetivo de difundir desconfiança no processo eleitoral pelo correio à medida em que a derrota para o democrata Joe Biden ficava mais evidente.

As duas redes sociais têm abordagens distintas, mas, no geral, devem aplicar as mesmas regras em posts compartilhados por candidatos brasileiros ou publicados por apoiadores que tentem minar o processo cívico ou incitem eleitores a interferir nos locais de votação das eleições municipais deste domingo (15).

O Facebook diz que vai operar um centro de operações dedicado apenas às eleições nos dias anteriores ao pleito brasileiro. O objetivo é acelerar o tempo de resposta a conteúdos que possam representar ameaça. O mesmo centro focará atenção em conteúdos do Instagram e do WhatsApp, que pertencem ao grupo econômico Facebook.

No Brasil, a empresa trabalha em parceria com agências de checagens de fatos e afirma que já removeu conteúdos que desestimulam os eleitores a votar –mas não abre quantos banimentos foram feitos. O programa de checagem do Facebook não se aplica a posts originais de políticos e candidatos, a não ser que eles compartilhem conteúdo de outra página já marcados como falsos pelos verificadores.

Segundo a empresa, especialistas de diversas equipes nacionais e do exterior estarão reunidos online para acompanhar em tempo real potenciais violações de políticas das três plataformas.

No WhatsApp, é preciso lembrar que mensagens não serão rotuladas como potencialmente falsas porque o sistema usa criptografia de ponta a ponta e o aplicativo não é considerado pela empresa uma rede social.

O Twitter, que ofereceu contexto de fontes oficiais e marcou 13 publicações de Trump como ”contestáveis” ou com possíveis ”informações incorretas” nos últimos dois dias, diz que alterou recentemente sua política de integridade cívica e que ela é global.

A rede pode colocar avisos ou ”remover informações falsas ou enganosas que tenham como intuito minar a confiança do público em uma eleição ou outro processo cívico” nas eleições brasileiras. Tuítes com veracidade contestada ficam mais restritos à interação com o público. Nesses casos, as pessoas precisam clicar em um alerta para visualizar a publicação e só podem retuitá-la com comentário.

Curtidas, retuítes simples e respostas ficam desabilitados, e os posts enganosos passam a ter alcance reduzido, ou seja, o algoritmo da plataforma faz com a frequência de sua visualização diminua drasticamente para as pessoas.

Foi o que aconteceu com uma enxurrada de tuítes de Trump na terça-feira (3) da semana passada. Em um deles, o republicano afirma que ”facilmente ganharia a presidência dos Estados Unidos com votos legais”; em outro vídeo, atualiza os americanos ”sobre seu esforço para proteger a integridade da importante eleição de 2020”. “Se você contar os votos legais, eu facilmente ganho”, diz.

Em publicações enganosas do tipo, o Twitter exibe a seguinte mensagem: ”alguns ou todos os conteúdos compartilhados neste tuíte são contestáveis e podem ter informações incorretas sobre como participar de uma eleição ou de outro processo cívico”.

A plataforma não remove o conteúdo de autoridades por julgar que é de interesse público que fiquem visíveis, mas limita a capacidade de ela ser visualizada e utilizada por usuários. Já o Facebook anexou uma explicação em todas as publicações de Trump e de Biden para dar mais contexto ao leitor. Ao clicar no alerta, o usuário é direcionado a uma página com o status da votação e com notícias e análises de veículos jornalísticos.

Em um vídeo da Fox News em que Trump afirma ”eles não querem que os EUA tenham observadores”, o Facebook incluiu um alerta que replicou em alguns outros conteúdos do perfil do presidente: ”como esperado, os resultados das eleições demoraram mais neste ano. Milhões de pessoas nos Estados Unidos votaram pelo correio, e as cédulas pelo correio demoram mais para contar.”

No Brasil, a empresa afirma que não fará o mesmo nos posts de todos os candidatos, apenas rotulando os que tiverem conteúdo falso em seus perfis. Um filtro cinza será colocado em cima da publicação com o aviso de que o conteúdo não é verdadeiro e que foi checado por verificadores independentes.

Para tentar conter a desinformação em 2020, todas as redes sociais firmaram uma parceria com TSE, que prevê, basicamente, um canal direto de informações para lidar com o tema e a priorização de conteúdo oficiais do tribunal sobre eleições.

O WhatsApp passou a enviar, por meio de relatórios preenchidos por usuários, potenciais casos de disparo em massa ao tribunal. Das 1.020 acusações nestas eleições, o aplicativo diz que removeu 256 contas que praticavam disparo.

Já o YouTube afirma que pode retirar conteúdos ”que tenham o objetivo de enganar as pessoas sobre eleições ou vídeos contendo manipulação técnica e alterações que confundam o usuário (além de trechos exibidos fora do contexto), capazes de causar prejuízos evidentes”.

A plataforma de vídeos do Google também pode eliminar conteúdos que contenham informações hackeadas que possam interferir no processo democrático. ”Vídeos com informações hackeadas sobre um candidato político, compartilhados com o objetivo de interferir na eleição”, exemplifica sua política.

As diretrizes das plataformas sobre conteúdo político têm foco no rito eleitoral, ou seja, elas devem derrubar apenas posts com notícias falsas sobre urnas, locais e data de votação e procedimentos sanitários relativos à Covid-19. As empresas incentivam que usuários ajudem a denunciar conteúdos.

Como mostrou estudo recém-publicado do Intervozes, as principais plataformas não têm uma política estruturada dedicada especificamente à desinformação. O tema aparece, de modo geral, de maneira esparsa em outras diretrizes de uso, como as que banem discurso de ódio, por exemplo.

Publicações gerais que infringirem outras políticas da plataforma, como as que proíbem incitação à violência, assédio ou crimes de racismo, por exemplo, e forem denunciadas por usuários, também podem ser bloqueadas ou terem acesso reduzido, como ocorre em qualquer período.