Eleições 2020: Filhos de vereadores tentam herdar cadeiras dos pais na Câmara de Jaguaquara

/ Eleições 2020

Rodrigo e Nei tentam herdar votos dos pais. Fotomontagem: BMFrahm

Além de testarem nomes nas urnas como integrantes de chapas majoritárias, dois vereadores de Jaguaquara, Raimundo do Caldo (PSD), este candidato a prefeito, e Nei Cabeludo (PDT), candidato a vice-prefeito em chapa adversária, passarão por outra prova de fogo nas eleições de 15 de novembro: tentarão a transferência de votos para os próprios filhos: Rodrigo (PSD) e Nei Filho (PP) tentarão herdar as vagas de Raimundo e Nei, ambos há 16 anos exercendo cargos públicos.

Vale ressaltar que, Raimundo, exerce o mandato de vereador pela terceira vez, após ter sido vice-prefeito de [2013 a 2016] na primeira gestão do atual prefeito e hoje seu adversário, Giuliano Martinelli ((PP). Já Nei está na 4ª Legislatura consecutiva na Câmara.

Diferentemente de seus genitores, Rodrigo e Nei Filho são neófitos na política e estão entre os candidatos mais jovens: Rodrigo, estudante de Economia, tem 20 anos. Nei, formado em Odontologia, tem 24.

Bahia registra 1.221 novos casos de Covid-19 nas últimas 24 horas, diz boletim da Sesab

/ Saúde

Na Bahia, nas últimas 24 horas, foram registrados 1.221 casos de Covid-19 (taxa de crescimento de +0,4%) e 1.352 curados (+0,4%). Dos 339.215 casos confirmados desde o início da pandemia, 325.134 já são considerados curados e 6.697 encontram-se ativos. A base de dados completa dos casos suspeitos, descartados, confirmados e óbitos relacionados ao coronavírus está disponível em https://bi.saude.ba.gov.br/transparencia/.

Para fins estatísticos, a vigilância epidemiológica estadual considera um paciente recuperado após 14 dias do início dos sintomas da Covid-19. Já os casos ativos são resultado do seguinte cálculo: número de casos totais, menos os óbitos, menos os recuperados. Os cálculos são realizados de modo automático.

Os casos confirmados ocorreram em 417 municípios baianos, com maior proporção em Salvador (26,66%). Os municípios com os maiores coeficientes de incidência por 100.000 habitantes foram: Ibirataia (7.967,61), Almadina (6.551,98), Itabuna (6.397,06), Madre de Deus (6.338,60), Apuarema (5.920,87).

O boletim epidemiológico contabiliza ainda 688.298 casos descartados e 78.921 em investigação. Estes dados representam notificações oficiais compiladas pelo Centro de Informações Estratégicas em Vigilância em Saúde da Bahia (Cievs-BA), em conjunto com os Cievs municipais e as bases de dados do Ministério da Saúde até as 17 horas desta quarta-feira (21).

Na Bahia, 28.066 profissionais da saúde foram confirmados para Covid-19. Para acessar o boletim completo, clique aqui ou acesse o Business Intelligence.

Óbitos
O boletim epidemiológico de hoje contabiliza 21 óbitos que ocorreram em diversas datas, conforme tabela abaixo. A existência de registros tardios e/ou acúmulo de casos deve-se a sobrecarga das equipes de investigação, pois há doenças de notificação compulsória para além da Covid-19. Outro motivo é o aprofundamento das investigações epidemiológicas por parte das vigilâncias municipais e estadual a fim de evitar distorções ou equívocos, como desconsiderar a causa do óbito um traumatismo craniano ou um câncer em estágio terminal, ainda que a pessoa esteja infectada pelo coronavírus.

Radialista é candidato a vereador em Jaguaquara e percorre a cidade a pé em busca do voto

/ Eleições 2020

Carlito Filho disputa vaga na Câmara. Foto: Blog Marcos Frahm

O radialista Carlito Filho está entre os 153 candidatos que disputam as 15 vagas no Legislativo de Jaguaquara.

Com passagem pela Rádio Povo local, Carlito afastou-se dos microfones para ingressar na política e esse é o seu primeiro teste eleitoral.

O candidato a vereador pelo PL decidiu percorrer ruas e bairros a pé, visitando eleitores e apresentando suas propostas.

Ex-deputado, Ton Legal desiste de candidatura à Prefeitura de Jequié e alega motivo familiar

/ Eleições 2020

Ton Legal desistiu da disputa eleitoral em Jequié. Foto: Divulgação

Em Jequié, a corrida eleitoral 2020 agora conta com cinco candidatos disputando à Prefeitura. O ex-deputado estadual Ewerton Almeida – Ton Legal (PRTB), desistiu da candidatura. Ton encabeçava chapa majoritária ao lado do candidato a vice-prefeito, professor Paulo Vasconcelos (PTC).

Em comunicado distribuído a imprensa nesta quarta-feira (21), o ex-deputado alegou motivo familiar para justificar a desistência. Leia abaixo a carta de Ton Legal

 

”Por motivo familiar somos levados a renunciar da nossa candidatura a prefeito de Jequié. Existem momentos em nossas vidas de tomar decisões importantes e impactantes. A renuncia da minha candidatura é uma delas! Agradeço de coração o estímulo e o carinho com que sempre fui recebido nesse espaço e nos encontros e andanças. A minha luta por melhores dias para Jequié e sua população vai continuar. Envio um abraço amigo de gratidão a todos que acreditaram e confiaram na nossa pessoa. A toda família jequieense o nosso pedido para que pensem com cuidado no futuro do nosso município. Jequié vive um momento difícil e com um sistema político cujo prazo de validade está vencido. É preciso, pois, pensar com cuidado pela renovação. Jequié vem descendo a ladeira e a cada ano perdendo posições no ranking dos importantes municípios da Bahia. Renovar os métodos administrativos é políticos no nosso município torna-se necessário e urgente. Um abraço amigo para todos os amigos e amigas e a toda família jequieense. Deus nos proteja de todos os males. Amèm!”

TRE aplica multas em candidatos a prefeito de Planaltino e Iguaí por desrespeito a normas sanitárias

/ Eleições 2020

Zeca Braga, de Planaltino, sofreu multa do TRE. Foto: Rede social

O Tribunal Regional Eleitoral da Bahia (TRE-BA) aplicou multas em dois candidatos a prefeito das cidades de Iguaí e Planaltino. Conforme o órgão, o motivo da punição foi desrespeito às normas sanitárias impostas por causa da pandemia do novo coronavírus.

Segundo informações do TRE-BA, no dia 16 de setembro, o candidato a reeleição para prefeito de Planaltino, Joseval Alves Braga (PSD), realizou uma convenção municipal. Em seguida, as pessoas que estavam no evento saíram em passeata pelas ruas da cidade, com o uso de ”paredão de som”.

De acordo com o órgão eleitoral, o candidato foi flagrado em pé, ao fundo de uma caminhonete, gesticulando e acenando para as pessoas, que estavam aglomeradas.

Após o julgamento do juízo eleitoral da 37ª zona, o candidato foi condenando ao pagamento de multa no valor de R$ 15 mil pela prática de propaganda eleitoral antecipada.

O desembargador Jatahy Júnior, presidente do TRE-BA, na sua manifestação, defendeu o aumento da multa para R$ 25 mil, máximo previsto nesse tipo de ilícito, e foi acompanhado à unanimidade pelos outros juízes da Corte.

O presidente ressaltou que ”quando houver infringência das normas sanitárias, além da propaganda irregular, a dosimetria da pena deve ser maior, para dar uma resposta mais efetiva para os candidatos que continuam desafiando o coronavírus”.

A decisão, divulgada na terça-feira (20), ainda cabe recurso. O SITE INFORMOU QUE G1 tentou ontato com a defesa do candidato, mas não conseguiu, até a publicação dessa reportagem.

O Tribunal Regional Eleitoral da Bahia, durante a sessão de julgamento na segunda-feira (19), em reforma de sentença da 146ª zona eleitoral, condenou o candidato a prefeito Rafael da Silva Moura, da cidade de Iguaí, ao pagamento de multa de R$ 10 mil, pela prática de propaganda eleitoral antecipada.

O TRE-BA informou que o candidato fez uma carreata no mês de setembro, antes do período permitido por lei para propaganda eleitoral. Em seu voto, o juiz Freddy Pitta Lima destacou que a carreata apresentou aglomeração de pessoas, sem o distanciamento social necessário e uso de máscaras.

Também foi destacado no voto que ”em municípios de pequeno porte, nos quais via de regra não existe veiculação de propaganda eleitoral gratuita nos rádios e na televisão, a carreata é um importante evento, senão o maior ato de propaganda eleitoral, através do qual, os candidatos objetivam ostentar poderio ao eleitor, a pujança da candidatura, bem como a supremacia sobre os seus opositores e, dessa forma, angariar ainda mais votos, em genuíno desequilíbrio do pleito.”

Justiça de Itabuna proíbe eventos que possam gerar aglomerações; multa é de até R$ 100 mil

/ Bahia

O juiz eleitoral de Itabuna, Antônio Carlos Rodrigues de Moraes, proibiu eventos que resultem em aglomerações na cidade do sul da Bahia, como medida para evitar a disseminação do novo coronavírus.

Com a determinação, comícios, carreatas, passeatas e caminhadas não podem ser realizadas no município. Quem não cumprir a determinação pode responder por crime de desobediência eleitoral e pagar multa no valor de até R$ 100 mil.

Na semana passada, o juízes eleitorais das cidades de Camacan, Santa Luzia, Mascote e Pau Brasil, todas no sul da Bahia, e Santo Antônio de Jesus, no recôncavo baiano, também proibiram eventos que resultem em aglomerações.

Um decreto do governo proíbe reuniões com mais de 100 pessoas, em todo o estado, por causa da pandemia do novo coronavírus.

No dia 10 de outubro, a Secretaria da Saúde da Bahia (Sesab) recomendou ao TRE-BA que proíba comícios e aglomerações políticas, para evitar o aumento no números de casos de Covid-19. O órgão eleitoral disse que os juízes e promotores eleitorais já têm conhecimento do documento e que cabe ao juiz eleitoral decidir sobre as medidas que devem ser tomadas pra evitar as aglomerações podendo inclusive proibir que comícios aconteçam. Com informações do G1

Homem que deu 11 socos na ex-namorada em Ilhéus é preso, após requerimento do Ministério Público

/ Justiça

Carlos Samuel Freitas Costa Filho está preso. Foto: Reprodução

Carlos Samuel Freitas Costa Filho, acusado de agressões contra a ex-namorada, cujas imagens circularam em redes sociais na semana passada, no município de Ilhéus, teve o mandado de prisão preventiva cumprido por equipes da 7ª Coordenadoria Regional de Polícia do Interior (Coorpin/Ilhéus), na tarde desta quarta-feira (21).

Segundo a Polícia Civil, ele se apresentou acompanhado de dois advogados, passará por exames de lesões e será encaminhado para o sistema prisional. O coordenador da 7ª Coorpin/Ilhéus, delegado Evy Paternostro, afirmou que o inquérito policial está em fase de conclusão.

Ele teve o pedido de prisão preventiva deferido pela Justiça em 15 de outubro, após requerimento do Ministério Público do Estado da Bahia (MP-BA). Carlos já esteve preso em razão de agressão à própria mãe e teve a substituição da pena por medida cautelar de internamento em clínica para tratar de vício em droga.

Além deste cumprimento de pena decorrente de agressão contra a própria mãe, Carlos Samuel tem uma condenação por manter uma ex-namorada em cárcere privado. A sentença de segundo grau foi proferida em agosto deste ano e a pena aplicada foi de um ano e quatro meses em regime aberto.

”Espero que alguém possa conversar com calma e esclarecer o presidente”, diz secretário da Saúde

/ Bahia

Fábio Vilas-Boas, secretário de Saúde do Estado. Foto: Divulgação

O secretário de Saúde da Bahia (Sesab), Fábio Vilas-Boas, rechaçou, em uma publicação feita nas redes sociais nesta quarta-feira (21), qualquer politização da vacina contra o novo coronavírus, assim como “qualquer aspecto relacionado à pandemia”.

A declaração ocorreu após o presidente Jair Bolsonaro dizer que o governo não comprará a vacina CoronaVac, que está sendo desenvolvida pela farmacêutica chinesa Sinovac em parceria com o Instituto Butantan.

Segundo Bolsonaro, antes de ser disponibilizada para a população, a vacina deverá ser ”comprovada cientificamente” pelo Ministério da Saúde e certificada pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).

”Não podemos politizar a vacina, nem qualquer aspecto relacionado à pandemia. A postura do ministro Pazuello foi elogiada por todos, independente de posições partidárias. Espero que alguém possa conversar com calma e esclarecer o presidente”, escreveu Vilas-Boas.

”Desejo ainda que esse não seja o anúncio de mais uma crise ministerial do governo atual”, acrescentou o titular da Sesab.

 

Após Bolsonaro refutar vacina chinesa, Rodrigo Maia cancela encontro com João Doria

/ Brasília

Presidente da Câmara, Rodrigo Maia. Foto: Agência Câmara

Após o presidente Jair Bolsonaro ter afirmado que o governo federal não comprará doses da Coronavac, o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), cancelou encontro programado para a manhã desta quarta-feira (21) com o governador de São Paulo, João Doria (PSDB).

Em nota, a assessoria de imprensa do governo paulista informou que Maia alegou indisposição. O restante da agenda do governador na capital federal, no entanto, foi mantida.

O tucano têm programados encontros na Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária), para discutir a compra da vacina chinesa, e no STF (Supremo Tribunal Federal), com o presidente Luiz Fux.

Nesta quarta, pela manhã, o presidente desautorizou o ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, que, no dia anterior, anunciou acordo com o estado de São Paulo para a compra de 46 milhões de doses da Coronavac, vacina da farmacêutica chinesa Sinovac.

Em mensagem enviada a integrantes de sua equipe, cujo conteúdo foi repassado ao jornal Folha de S.Paulo, Bolsonaro chamou a “vacina chinesa de João Doria” e afirmou que os ministros estão proibidos de tratar o assunto com o governo de São Paulo. Doria é pré-candidato à sucessão presidencial em 2022, quando Bolsonaro pretende disputar a reeleição.

Em outra mensagem, publicada nas redes sociais, Bolsonaro disse que o povo brasileiro “não será cobaia de ninguém”.

“Não se justifica um bilionário aporte financeiro num medicamento que sequer ultrapassou sua fase de testagem”, escreveu. “Diante do exposto, minha decisão é a de não adquirir a referida vacina”, acrescentou.

No Palácio do Planalto, ministros e assessores optaram manter o silêncio, assim como Pazuello.

A Secom (Secretaria de Comunicação) não confirmou conversa entre Bolsonaro e o ministro da Saúde nesta manhã e informou que o presidente segue normalmente a agenda prevista para esta quarta-feira, quando embarcou para São Paulo.

Ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, recebe diagnóstico de Covid-19 e cancela agendas

/ Saúde

General Eduardo Pazuello está com Covid. Foto: Estadão

O ministro da Saúde, general Eduardo Pazuello, está com Covid-19, segundo diagnóstico feito nesta quarta-feira (21). A informação foi confirmada à Folha pelo Ministério da Saúde.

A auxiliares, Pazuello já havia relatado mal estar na segunda-feira (19), o que o levou a cancelar sua participação em um evento do Ministério da Ciência e Tecnologia, no Palácio do Planalto.

Na terça, o ministro apresentou febre e voltou a cancelar agendas, mantendo apenas a reunião com os governadores, da qual participou de casa e durante o qual anunciou o contrato de intenção de compra de 46 milhões de doses da vacina CoronaVac, fabricada pela chinesa SinoVac com o Instituto Butantan.

Nesta quarta (21), o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) afirmou que vai desfazer o acordo, desautorizando o ministro, que na véspera se referira ao imunizante produzido sob a gestão do governador João Doria (PSDB), desafeto do presidente, como ”a vacina do Brasil”.

Supremo nega habeas corpus e ex-presidente da Câmara de Ilhéus, que segue preso

/ Justiça

Depois de tentar um habeas corpus no Tribunal de Justiça da Bahia (TJ-BA), o ex-presidente da Câmara de Vereadores de Ilhéus, Lukas Paiva, teve novo revés. Em decisão desta quarta-feira (21), o Supremo Tribunal Federal (STF) rejeitou o mesmo pedido. Conforme o relator do caso na Corte, ministro Alexandre de Moraes, não havia motivo para conceder a liberdade a Paiva, uma vez que as razões apresentadas pelas instâncias anteriores – Primeira Vara Criminal de Ilhéus e TJ-BA – revelam que a prisão preventiva estava fundamentada.

Segundo o ministro, o cumprimento da prisão preventiva é justificada pelo fato de o acusado não ter respeitado medidas cautelares. Moraes manteve o entendimento das instâncias precedentes que afirmaram que Paiva “descumpre frontalmente as decisões judiciais, embaraça investigações ainda em curso, oferece vantagens indevidas à custa de novos danos ao erário municipal, assedia testemunhas, direta e indiretamente, com o objetivo de tumultuar a atuação do sistema de justiça”.

Conforme Alexandre de Moraes, esses fatores, aliada a insuficiência das medidas cautelares diversas, revelam a necessidade de manter o acusado preso. Lukas Paiva é acusado de participar de organização criminosa dentro da Operação Xavier. Deflagrada em 2019, a ação investigava a participação de agentes políticos e empresários em uma esquema de fraudes em licitações e lavagem de dinheiro no âmbito da Câmara de Vereadores de Ilhéus.

Lukas Paiva chegou a conseguir um habeas corpus, mas por ter descumprido medidas cautelares foi preso novamente. Com informações do site Bahia Notícias

Ministério da Saúde atualiza informações sobre compra da CoronaVac, com Instituto Butantan

/ Saúde

O Ministério da Saúde atualizou hoje (21) as informações sobre a vacina CoronaVac, desenvolvida em parceria com o Instituto Butantan. O ministério informa que o secretário-executivo da pasta, Elcio Franco, realizou pronunciamento, transmitido pela TV Brasil, para prestar esclarecimentos sobre a carta de intenções para aquisição da vacina do Butantan-Sinovac/Covid-19.

CoronaVac

O presidente Jair Bolsonaro afirmou hoje (21) que o governo federal não comprará a vacina CoronaVac. De acordo com ele, antes de ser disponibilizada para a população, a vacina deverá ser “comprovada cientificamente” pelo Ministério da Saúde e certificada pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).

Pressionado por Bolsonaro, Ministério da Saúde nega acordo com Doria para compra de vacinas chinesas

/ Saúde

Após pressão do presidente Jair Bolsonaro, o Ministério da Saúde informou nesta quarta-feira (21) que houve uma “interpretação equivocada” da fala do ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, sobre a compra de 46 milhões de doses da vacina Coronavac.

Em nota, a pasta negou compromisso para compra de vacinas com o governo de São Paulo “ou seu governador” e disse não ter “intenção de compra de vacinas chinesas”.

Em seguida, no entanto, reafirmou ter um protocolo de intenções para compra de uma possível “vacina brasileira” com o Instituto Butantan, que é vinculado ao governo paulista. A declaração ocorre um dia após Pazuello anunciar um protocolo de intenções para compra de 46 milhões de doses da vacina Coronavac, em desenvolvimento pela empresa chinesa Sinovac com o Butantan, e sua inclusão no Programa Nacional de Imunizações.

Nesta quarta, porém, o presidente Jair Bolsonaro desautorizou o ministro, falou em “traição” e disse, em resposta a internautas, que “a vacina não será comprada”.

A situação levou o ministério a amenizar o discurso do dia anterior. “Não houve qualquer compromisso com o governo do estado de São Paulo ou seu governador, no sentido de aquisição de vacinas contra Covid-19”, informou a pasta nesta quarta.

“Tratou-se de um protocolo de intenção entre o Ministério da Saúde e o Instituto Butantan, sem caráter vinculante, grande parceiro do Ministério da Saúde na produção de vacinas para o Programa Nacional de Imunizações.”

Em um exercício de retórica, a pasta passou então a afirmar que um eventual acordo com o instituto envolveria a compra de uma “vacina brasileira”.

“Mais uma iniciativa de tentar proporcionar uma vacina segura e eficaz para nossa população, neste caso, com uma vacina brasileira, caso fique disponível antes das vacinas citadas. Não há intenção de compra de vacinas chinesas”, disse.

A pasta disse ainda ter havido uma “interpretação equivocada” da fala do ministro e que a vacina, “em nenhum momento, foi aprovada pela pasta, pois qualquer vacina depende de análise técnica e aprovação da Agência Nacional de Vigilância Sanitária, pela Câmara de Regulação do Mercado de Medicamentos e pela Comissão Nacional de Incorporação de Tecnologias no SUS”.

O discurso vai ao encontro de declarações do presidente, que disse nesta quarta que “qualquer vacina, antes de ser disponibilizada à população, deverá ser COMPROVADA CIENTIFICAMENTE PELO MINISTÉRIO DA SAÚDE e CERTIFICADA PELA ANVISA” e que “o povo brasileiro NÃO SERÁ COBAIA DE NINGUÉM”.

Em nota divulgada na terça, porém, a pasta confirmou ter assinado um protocolo de intenções “para adquirir 46 milhões de doses da Vacina Butantan – Sinovac/Covid-19, em desenvolvimento pelo Instituto Butantan”.

A pasta chegou a informar que, com a iniciativa, o país chegaria a ter 186 milhões de doses de vacinas a serem disponibilizadas ainda no primeiro semestre de 2021, já a partir de janeiro.