Por reajuste salarial, funcionários dos Correios decretam greve por tempo indeterminado

/ Brasil

Os sindicatos dos trabalhadores dos Correios decidiram nesta segunda-feira (17) decretar greve por tempo indeterminado já que não houve acordo na proposta de reajuste salarial em curso. A informação é do Uol. De acordo com o site, os funcionários afirmam que a greve precisa acontecer para que os direitos dos trabalhadores sejam mantidos. Eles também se colocam contra a privatização da estatal.

A assessoria dos Correios informaram que estão cientes do estado de greve nos estados do Amapá, Bahia, Brasília, Espírito Santo, Minas Gerais, Paraná, Piauí, Rio de Janeiro, além dos municípios de Santos (SP) e no Vale do Paraíba (SP).

O presidente dos Correios, general Floriano Peixoto, afirmou à coluna de Carla Araújo, do Uol, que “a divulgação de informações deturpadas ou inverídicas prejudica os funcionários, a empresa e a população em geral”.

”O que testemunhamos é uma tentativa de confundir os empregados acerca de temas sobre os quais a direção dos Correios não tem influência: os estudos de desestatização são conduzidos pelos órgãos competentes e baseados em minucioso planejamento que visa, ao fim e ao cabo, à determinação da melhor alternativa para a empresa e para a sociedade”.

De acordo com o secretário da Fentect (Federação Nacional dos Trabalhdores em Empresas de Correios e Telégrafos e Similares), Emerson Marinho, a greve será nacional. Segundo ele, nos locais onde há terceiro turno de trabalho a greve começou às 22h desta segunda. Já nos demais locais, em todo o país, a paralisação começa a partir da meia-noite.

Por se tratar de um serviço essencial, inclusive salientado no decreto de calamidade pública assinado pelo presidente Jair Bolsonaro (sem partido), os sindicatos avisam que o mínimo de trabalhadores será mantido.

Marinho disse ao Uol que a proposta da estatal é injusta e tira benefícios, por exemplo, de filhos dependentes dom necessidades especiais. ”Não podemos permitir esse retrocesso de direitos”. No fim do mês passado, Floriano Peixoto afirmou que a proposta apresentada pela empresa ”é condizente com sua situação financeira e a realidade do país”.

”Considerando a missão do gestor público em zelar pela boa administração, é dever da Diretoria dos Correios implementar os ajustes propostos, pois, sem eles, haverá grave comprometimento da situação econômica da empresa”, disse. O argumento é rebatido pelos trabalhadores, que alegam que a estatal vem dando lucros e que há uma discrepância elevada entre os salários da diretoria e dos funcionários.

Segundo a Fentect, Floriano escalou pelo menos dez militares em cargos estratégicos da direção dos Correios e suas subsidiárias ganhando salários de R$ 30 a R$ 46 mil, que é o salário do presidente. ”Enquanto isso, o trabalhador de carreira de nossa empresa ganha o salário de R$ 1,7 mil por mês”. Com informações do Correio

Estrada das Barreiras: Moradores protestam após morte de jovem em festa paredão, em Salvador

/ Bahia

Caso ocorreu no bairro de Tancredo Neves. Foto: Reprodução

Vários moradores do bairro de Tancredo Neves, em Salvador, bloqueiam um trecho da Estrada das Barreiras, para protestar contra a morte de um jovem de 19 anos na noite desta segunda-feira (17). Os manifestantes alegam que ele foi morto a tiros durante ação da Polícia Militar (PM-BA), em uma festa do tipo ”paredão”, entre a noite de domingo (16) e a madrugada desta segunda, segundo informações do G1.

De acordo com relatos recebidos pela reportagem, pneus estão sendo queimados e usados para fechar os dois sentidos da via na altura da localidade conhecida como Vila Dois Irmãos. Ônibus também foram depredados.

Os moradores afirmam que Anderson Ferreira Marques, que residia no local, não era envolvido com crimes e não estava armado. O rapaz chegou a ser socorrido para o Hospital Roberto Santos, mas não resistiu aos ferimentos.

Em nota divulgada na manhã desta segunda, a PM afirmou que precisou intervir por causa de uma festa ”paredão” no bairro de Tancredo Neves. A PM citou um confronto entre homens armados, mas não tinha registrado baleados.

Segundo a Polícia Militar, o caso ocorreu por volta das 23h de domingo (16). O órgão afirmou que os envolvidos conseguiram fugir. Foram realizadas incursões na região, mas os suspeitos não foram encontrados.

Em Jaguaquara, PSD de Antônio Brito escolhe Raimundo como pré-candidato a prefeito

/ Jaguaquara

Ademir recua e apoia Raimundo Louzado. Foto: Blog Marcos Frahm

Em reunião na noite desta segunda-feira (17), o Diretório Municipal do PSD de Jaguaquara, maior colégio eleitoral do Vale do Jiquiriçá, decidiu pelo nome do ex-vice-prefeito e atual presidente da Câmara, Raimundo Louzado, como pré-candidato a prefeito do partido no município. O líder regional da sigla, o deputado federal Antônio Brito esteve na cidade para participar da reunião que bateu o martelo e confirmou Raimundo como prefeiturável.

O grupo liderado por Brito vivia um dilema interno para a disputa pela Prefeitura da Toca da Onça: ser Raimundo ou Ademir o cabeça da chapa? Desde o ano passado, quando ambos se aliaram a Brito após o partido ser transferido de liderança em Jaguaquara, antes sob o comando do também pré-candidato a prefeito Flavinho Souza, hoje no Podemos, que Ademir se posicionava como o cabeça de chapa.

Na reunião desta noite, o ex-prefeito,  responsável por lançar em 2012 o nome do atual prefeito e hoje seu adversário político à prefeitura, Giuliano Martinelli (PP), que saiu vitorioso do processo eleitoral à época, tendo Raimundo como vice, Moreira recuou, admitindo que seria candidato por força de medida liminar, em face de ter tido suas contas reprovadas pelo Tribunal de Contas dos Municípios após Martinelli assumir a gestão municipal, mas que decidiu entrar em consenso pela união do grupo.

O deputado reforçou a necessidade do diálogo com outros nomes da oposição e disse que Ademir e Raimundo demonstraram maturidade na decisão: ”Eu acho que foi uma decisão amadurecida dos dois. Batido o martelo e Raimundo vai ser o candidato. Agora é conversar com os demais partidos da oposição para que a gente possa construir um projeto de alternativa em Jaguaquara”. No entanto, apesar de definido o nome de Louzado, a vaga de vice segue em aberto e o grupo vai buscar diálogo para a definição da chapa.