Prefeito de Maracás recua de flexibilização após aumento de casos e decreta fechamento

Soya volta a impor medidas restritivas. Foto: Blog Marcos Frahm

Maracás estava entre os poucos municípios da região do Vale do Jiquiriçá com a chamada flexibilização do comércio nesse período pandêmico. Diferente de outras cidades, a exemplo de Jaguaquara, que permaneceu por 15 dias com o comércio fechado, até a última terça-feira, quando a Prefeitura autorizou a retomada da economia de forma gradual Maracás ainda permitia o funcionamento dos estabelecimentos até as 12h, para a maioria dos seguimentos e outros funcionavam dentro da normalidade.

Contudo, os casos do coronavírus no município começam a apresentar crescimento já considerado exponencial e a Prefeitura local adotou, conforme novo decreto publicado nesta quarta-feira (22), medidas mais duras, de 23 as 31 de julho, no que concerne a economia, para tentar conter o avanço da doença. O boletim epidemiológico de hoje, divulgado pela Secretaria Municipal de Saúde revela o registro de 174 casos, desde o início da pandemia, com 04 óbitos.

Perante o aumento de casos, o prefeito Soya Novaes (PDT) impõe novas restrições nas atividades comerciais, sobretudo em relação aos serviços não essenciais. Em rede social, o gestor falou em momento difícil enfrentado pelos municípios e enumerou as restrições ”Manteremos os serviços essenciais, como: mercados, farmácias, açougues, postos de combustíveis, funerárias, borracharias, dentre outros, funcionando. Aulas, eventos e todas as atividades de cunhos religioso e esportivo ficam suspensas. Lojas de insumos médicos e hospitalares, estabelecimentos da cadeia produtiva de gêneros alimentícios funcionam até as 12h; lojas de revenda de gás, restaurantes, pizzarias e qualquer estabelecimento de comercialização de refeição, além de material de construção, vidraçaria, marmoraria, móveis, eletrodomésticos e outras estão autorizadas apenas através do serviço de delivery. No domingo, o comércio estará totalmente fechado. O Decreto entra em vigor amanhã e será válido até o dia 31 de Julho. São decisões tomadas para salvaguardar vidas e, mesmo com todas as acusações e críticas, seguirei fazendo o melhor para a minha cidade e pelo povo dessa terra”, comentou o prefeito.

Em todo o Vale do Jiquiriçá, já são 1.575 casos da Covid-19 e esse total atinge todos os 20 municípios que integram o território de identidade. Jaguaquara lidera com 801 e 07 óbitos, seguida de Maracás, com 174 e 04 óbitos e Amargosa, com 155 casos e 06 óbitos.

Para reprodução com ”ética” do conteúdo acima em qualquer meio de comunicação, é necessário dar crédito ao veículo autor da matéria!

Jovem da zona rural de Jaguaquara, que aguardava por leito de UTI morre enquanto era transferida

/ Jaguaquara

Paciente faleceu enquanto era transferida. Foto: Blog Marcos Frahm

Uma jovem oriunda da localidade de Itíuba, na área rural de Jaguaquara, que teria dado entrada no Centro de Saúde do bairro Murutiba [unidade de saúde que substitui o Hospital Municipal que está fechado para reforma] foi a óbito na noite esta quarta-feira (22), quando era transferida para o Hospital Geral Prado Valadares – HGPV, em Jequié.

A jovem, de 18 anos, que aguardava por um leito de Unidade de Tratamento Intensivo (UTI) era cardíaca e apresentava complicações quando foi transferida após o município conseguir vaga no HGPV, mas faleceu durante o trajeto, na BR-116, enquanto era transferida de uma ambulância de Jaguaquara para uma Unidade de Suporte Avançado (USA), que a levaria até Jequié.

Vale salientar que o Prado Valadares enfrenta superlotação de leitos em decorrência do número crescente de casos de Covid-19 e as prefeituras da região encontram dificuldades na regulação e transferência de pacientes, inclusive com outras enfermidades, que foi o caso da moradora de Jaguaquara – situação que revela a importância de prevenção contra o vírus, pois já são claros os sinais de colapso na saúde pública em todas as regiões. Já são 801 casos do vírus no município, com o registro de 07 óbitos.

Jequié registra mais 04 óbitos por Covid-19; pacientes tinham idades entre 63 e 76 anos

/ Jequié

HGPV segue enfrentando superlotação. Foto: Blog Marcos Frahm

A Prefeitura de Jequié, através da Secretaria de Saúde, registrou, nesta quarta-feira (22), mais quatro óbitos por Covid-19, sendo uma mulher, de 63 anos, residente do Jequiezinho, portadora de diabetes, que estava internada no HGPV; um homem, de 72 anos, residente no Centro, portador de diabetes e doença renal crônica, que estava internado no Hospital da Bahia; e uma mulher, de 75 anos, residente do KM 3, que estava internada no HGPV; e um homem, de 76 anos, residente no Joaquim Romão, que estava internado no Hospital Geral Ernesto Simões Filho.

Houve o registro de mais 68 novos casos, perfazendo um total de 2.604 pessoas confirmadas com a doença, até agora. Mais 13 pessoas tiveram alta, sendo liberadas para suas atividades, contabilizando 1.416 pacientes que encontram-se recuperados e não apresentam mais os sintomas da doença.

Os que estão em quarentena somam 4.549 pessoas. A taxa de ocupação dos leitos de UTI/adulto é de 100%, conforme os dados repassados pelo HGPV. O número de mortes é de 68.

Ambulância da Prefeitura de Jequié se envolve em acidente na BR-116 e mulher fica ferida

/ Jequié

Ambulância fica destruída com impacto da atida. Foto: Leitor/BMF

Uma ambulância da Secretaria de Saúde de Jequié envolveu-se em um acidente na BR-116, na manhã quarta terça-feira (22), no trecho do município de Santo Estêvão. Segundo informações colhidas pelo Blog Marcos Frahm, o veículo trafegava no sentido Feira de Santana, se deslocava a Salvador e acabou colidindo com um caminhão-caçamba.

O condutor alega que a neblina na estrada atrapalhava a visibilidade por volta das 04h30 e disse ainda que o caminhão estava transitando lentamente quando houve a colisão.

Com o impacto, a passageira identificada como Ana Lúcia, diretora da Associação dos Deficientes Físicos de Jequié e integrante do Conselho Municipal dos Direitos da Pessoa com Deficiência sofreu ferimentos, sendo socorrida e encaminhada para o Hospital Geral Clériston Andrade, em Feira de Santana, onde segue internada na unidade hospitalar.

Ambulância foi recolhida ao pátio da Polícia Rodoviária Federal

O motorista sofreu leves escoriações e já se encontra em Jequié. O BMFrahm em contato com a Assessoria de Comunicação da Prefeitura foi informado de que a ambulância estava no seguro e passaria por revisão na capital do Estado e que o quadro da paciente é estável.

Idosa de 80 anos vence coronavírus e recebe alta da UPA de Ipiaú; município registrou hoje 1 um óbito

Uma idosa de 80 anos deu exemplo de superação ao vencer a Covid 19 na Unidade de Pronto Atendimento de Ipiaú. Dona Valdelice Silva dos Santos recebeu alta na terça-feira (21), após 10 dias de internação na UPA. A alta hospitalar foi emocionante e comemorada por todos os funcionários, que destacaram como ponto crucial do restabelecimento da saúde da idosa, a alegria e a determinação da paciente.

Segundo o médico e diretor técnico da UPA, Pedro Gabriel de Souza Menezes, que prestou atendimento também a Dona Valdelice, ela deu entrada na unidade apresentando sintomas gripais, como tosse, coriza e testou positivo para o Covid 19. Ele relatou que o comprometimento da equipe e a força de vontade de dona Valdelice foram importante para a recuperação.

”Iniciamos o tratamento, houve momentos com complicações, mas em todo o momento estávamos confiantes e comprometidos com sua recuperação, ela respondeu bem aos medicamentos e finalmente teve alta hospitalar”.

Emocionada e feliz, a filha dela, Celma Silva dos Santos agradeceu o atendimento da equipe. ”Acompanhei o tratamento de minha mãe por dez dias aqui na UPA e tenho muitos elogios e agradecimentos. O tratamento de minha mãe aqui na UPA foi excelente. A equipe muito bem treinada, pessoas capacitadas, educadas, desde o pessoal da higienização aos médicos, eles trataram minha mãe muito bem, só temos a agradecer. Fizeram a visita virtual usando tablets, o que amenizou muito nossa ansiedade porque conversamos com ela. Estamos muito felizes com a recuperação dela porque foram momentos difíceis, e graças a Deus ela venceu, oramos muito pedindo que Deus orientasse todos os profissionais e finalmente ontem (21) ela teve alta”.

Celma fez questão de destacar a excelência da UPA: ”É maravilhoso saber que o povo de Ipiaú e de toda região, hoje, pode contar com a UPA de Ipiaú, que tem excelentes profissionais e que estão comprometidos com o restabelecimento de todos os pacientes. Esta UPA veio no momento certo, vi dezenas de pacientes de toda região chegando aqui, nestes dez dias que minha mãe esteve internada”.

 

PRF segura na BR-116, em Milagres, carreta com calçados falsificados de marcas conhecidas

/ Trânsito

Uma carreta carregada de calçados falsificados foi apreendida pela Polícia Rodoviária Federal (PRF) ontem (21), em Milagres (BA), no Vale do iquiriçá. O carregamento foi apreendido durante fiscalização de combate a criminalidade no km 544 da BR-116.

No compartimento de carga do semi-reboque foram encontrados aproximadamente 700 pares de calçados estampados com marcas famosas, porém, com sinais claros de falsificação. Toda a mercadoria estava sem documentação fiscal.

O condutor do veículo, um homem de 35 anos, declarou que não tinha conhecimento a respeito da qualidade do material que estava transportando. Ele informou que buscou a mercadoria em Minas Gerais e tinha como destino a Bahia.

A ocorrência foi encaminhada para a Polícia Civil de Milagres, pelos crimes de ordem tributária e de propriedade industrial.

Falha no sistema do Ministério da Saúde provoca acúmulo no lançamento de casos na Bahia

/ Bahia

A instabilidade e lentidão no sistema e-SUS VE do Ministério da Saúde, que vem ocorrendo desde o último sábado (18), impossibilitou que os municípios baianos registrassem em tempo oportuno, os casos ambulatoriais de coronavírus (Covid-19). Neste sentido, com a retomada do sistema nesta quarta-feira (22), ocorreu o lançamento dos casos acumulados, gerando um crescimento que não representa a realidade das últimas 24 horas.

Em virtude dessa falha no sistema ministerial, hoje foram registrados 6.401 casos de Covid-19 (taxa de crescimento de +5,0%), 52 óbitos (+1,8%) e 4.042 curados (+3,6%). Dos 133.245 casos confirmados desde o início da pandemia, 116.246 já são considerados curados, 14.011 encontram-se ativos e 2.988 tiveram óbito confirmado de Covid-19.

Os casos confirmados ocorreram em 407 municípios baianos, com maior proporção em Salvador (37,67%). Os municípios com os maiores coeficientes de incidência por 100.000 habitantes foram Gandu (3.283,65), Itajuípe (2.776,83), Ipiaú (2.352,15), Dário Meira (2.268,91) e Aurelino Leal (2.150,72).

A Secretaria da Saúde do Estado da Bahia (Sesab) disponibiliza para acesso público, a base de dados completa dos casos suspeitos, descartados, confirmados e óbitos relacionados ao coronavírus (Covid-19). Para fazer o download, é simples: basta acessar o link bi.saude.ba.gov.br/transparencia/ e clicar no ícone localizado no topo da página. A iniciativa amplia transparência e possibilita que qualquer cidadão, em qualquer lugar do mundo, possa acompanhar e analisar a evolução da pandemia na Bahia.

O boletim epidemiológico contabiliza ainda 276.316 casos descartados e 76.944 em investigação. Estes dados representam notificações oficiais compiladas pelo Centro de Informações Estratégicas em Vigilância em Saúde da Bahia (Cievs-BA), em conjunto com os Cievs municipais e as bases de dados do Ministério da Saúde até as 17 horas desta quarta-feira (22).

Na Bahia, 13.238 profissionais da saúde foram confirmados para Covid-19. Para acessar o boletim completo, clique aqui ou acesse o Business Intelligence.

Óbitos

A Secretaria da Saúde do Estado da Bahia (Sesab) contabiliza 2.988 mortes pelo novo coronavírus. Em virtude da disponibilização da base de dados relacionada aos óbitos da Covid-19, os interessados no detalhamento dos perfis podem fazer o download do arquivo completo.

Secretaria de Saúde da Bahia não recomenda uso de cloroquina para tratar ou prevenir coronavírus

/ Saúde

Secretário estadual de Saúde, Villas-Boas. Foto: Divulgação

A Secretaria da Saúde do Estado (Sesab) recomendou que a hidroxicloroquina e a cloroquina não sejam adotadas no tratamento ou prevenção do novo coronavírus. A nova orientação, emitida nesta quarta-feira (22), se embasa nas manifestações da Organização Panamericana de Saúde (OPAS), da Organização Mundial da Saúde (OMS) e da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).

De acordo com as entidades, há relatos de efeitos adversos potencialmente graves em pacientes com Covid-19 que usaram cloroquina ou hidroxicloroquina, associadas ou não à azitromicina. O Centro de Operações de Emergências da Saúde (COE) do estado menciona o uso dessas substâncias apenas em ambiente controlado, por exemplo, em estudos clínicos.

Ministério da Saúde gastou menos de um terço do dinheiro disponível para combate à pandemia

/ Saúde

Pazuello segue como ministro interino. Erasmo Salomão

Relatório do Tribunal de Contas da União (TCU) afirma que o Ministério da Saúde gastou somente 29% do dinheiro que recebeu para as ações de combate ao coronavírus. A análise abrange os gastos da pasta desde março, quando o governo decretou estado de calamidade pública no país, até julho deste ano.

O Brasil tem 81.828 mortes por coronavírus confirmadas até as 13h desta quarta-feira (22), segundo levantamento do consórcio de veículos de imprensa a partir de dados das secretarias estaduais de Saúde.

Segundo o documento, divulgado pelo jornal ”Folha de S.Paulo” e também obtido pela TV Globo, o Ministério da Saúde recebeu até o fim de junho R$ 38,9 bilhões para ações específicas contra o coronavírus.

Em nota, o ministério afirmou que já foram empregados R$ 26,4 bilhões em ações contra o coronavírus e que tem realizado repasse de recursos extras a estados e municípios.

”O Ministério da Saúde informa que, em apoio irrestrito aos estados e municípios, tem efetuado repasse de recursos extras e realizado compras centralizadas de equipamentos, materiais e insumos para garantir a estruturação do SUS e o cuidado e assistência à população. Até o momento, foram executados, ou seja, comprometidos com ações relacionadas à Covid-19 o total de R$ 26,4 bilhões”, diz o texto.

De acordo com o relatório, o dinheiro recebido pela pasta deveria ser dividido assim:

  • R$ 16 bilhões para os fundos municipais de saúde;
  • R$ 9,9 bilhões para os fundos estaduais de saúde;
  • R$ 11 bilhões em ações diretas do ministério como compra de respiradores, testes e equipamentos de proteção;
  • R$ 542 milhões em transferências para o exterior para aquisição de insumos importados.

No entanto, segundo os auditores, dos R$ 38 bilhões, o ministério só pagou efetivamente R$ 11,4 bilhões, ou 29% de tudo o que recebeu para combater o coronavírus.

O relatório destaca o que classifica como falta de critérios para a distribuição dos recursos por estados. ”Chama a atenção o fato de Pará e Rio de Janeiro terem, respectivamente, a segunda e a terceira maior taxa de mortalidade por Covid-19 (31,4 e 28,1 mortes por 10.000 habitantes), conforme dados informados pelo Ministério da Saúde em 28/5/2020, mas serem duas das três unidades da federação (UF) que menos receberam recursos em termos per capita para a pandemia”, diz o TCU.

O documento está na pauta de julgamentos do TCU e faz parte de um acompanhamento feito pelos auditores das despesas do combate ao coronavírus. O relatório cobra do Ministério da Saúde esclarecimentos sobre o funcionamento do gabinete de crise, dê mais informações sobre os critérios de distribuição de recursos a estados e municípios; e explique as regras utilizadas para aquisição de insumos – como equipamentos, remédios e testes.

O relatório foi concluído em 15 de julho e não fala em punição para os gestores do ministério. O dado mais recente sobre os recursos da pasta estão disponíveis no portal do Tesouro Nacional. Até esta terça-feira (21), o ministério havia pago mais de R$ 17,5 bilhões; o equivalente a 44,9% do total dos recursos disponíveis.

Os números ainda estão abaixo da necessidade do país, na avaliação do economista Gil Castelo Branco. Ele afirma que, em um cenário de pandemia, não há justificativa para o dinheiro ficar parado nos cofres do governo.

Com racha entre prefeito e ex, oposição se une e diz que lançará candidatura a Prefeitura de Irajuba

/ Política

Lideranças da oposição com o ex-prefeito Betão. Foto: Divulgação

Ao acompanhar os desdobramentos políticos da sucessão municipal em Irajuba, a oposição local vê desgaste na base aliada ao grupo do atual prefeito, Jerônimo Souza (PSD), que até então era considerado afilhado político do ex-prefeito Antônio Sampaio (PP), mas esse casamento parece ter chegado ao fim.

Nos meios políticos, os informes são de que, Sampaio [exonerado recentemente de cargo de assessor do Governo do Estado], que lançou Jerônimo em 2016, para a sua sucessão e logrou êxito no processo eleitoral, com a vitória do então candidato que antes era seu secretário municipal, não abre mão de disputar a Prefeitura de Irajua nas eleições deste ano.

Enquanto o prefeito, com condições legais e dentro do estado democrático de direito disputará à reeleição. Entretanto, o possível racha oferece um prato cheio à oposição, que já se articula buscando unir forças para lançar candidatura própria.

Na última segunda-feira (20), em publicação nas redes sociais o ex-prefeito Humberto Franco – Betão (MDB) pareceu reunido com os vereadores da base oposicionista na Câmara: Jhully Portela, Jhony Franco, Léo da Hora, Josué e o ex-vereador Nego General e disse que a chapa será formada através de consenso entre os parlamentares.  ”Em diálogo onde prevaleceu a democracia, ficou decidido que a oposição lançará candidatura própria e reafirmamos que não houve quaisquer negociação de suposto apoio ao atual gestor. A oposição de Irajuba tem liderança e seguira unida”, disse Betão.

Para reprodução com ”ética” do conteúdo acima em qualquer meio de comunicação, é necessário dar crédito ao veículo autor da matéria!

Jequié precisa investir em atenção básica de saúde, diz Cocá em live com gerente de enfermagem do HGPV

/ Jequié

Deputado Zé Cocá em live com Poliana Leandro. Foto: Reprodução

”Jequié precisa priorizar e investir em atenção básica de saúde para prevenir o agravamento de doenças e evitar o colapso no Hospital Prado Valadares, referência para tratamento de pacientes com Covid 19”. A afirmação é do deputado Zé Cocá (PP), que debateu o tema durante live com a gerente de enfermagem do Hospital Prado Valadares (HPV), Polliana Leandro, com o diretor de Atenção Básica da Bahia, José Cristiano Soster, e com o pré-candidato a prefeito de Lajedo do Tabocal, Marquinhos. Zé Cocá afirmou ainda que é preocupante a situação de Jequié, com 2.400 casos confirmados de Covid-19 e 56 mortes até essa segunda-feira (20), e ponderou que medidas preventivas devem ser tomadas de imediato para evitar o crescimento dos casos.

De acordo com Polliana Leandro, o Hospital Prado Valadares atende a 7.500 pessoas por mês, mas 80% dessa demanda deveria ser atendida pela estrutura de atenção básica, mas a população não se sente confiança na estrutura municipal, buscando soluções no HPV. O diretor de Atenção Básica da Bahia enfatizou que a atenção básica é fundamental no processo de prevenção, e ponderou que a situação de Jequié poderia ser diferente em relação aos casos de coronavírus se tivesse atenção básica vigilante. Ele citou a Nova Zelândia, Austrália e Cuba, que enfrentaram bem a pandemia com medidas de prevenção. Tanto Polliana quanto Cristiano entendem que é fundamental detectar quem tem sintomas antes de desenvolver a doença.

Para Zé Cocá, ”a prevenção é o melhor remédio para reduzir a curva de crescimento da pandemia”. Ele lembra que Jequié tem uma população significativa de idosos, é crescente o número de diabéticos e pessoas com hipertensão arterial, e afirma que “precisamos de atenção básica efetiva”. Ele destaca ainda que falta monitoramento na cidade para evitar aglomerações nas filas dos bancos, nas lojas e supermercados. ”É preciso trabalhar na conscientização da população e efetivar a prevenção com isolamento social, uso das máscaras e higienização das mãos”.

ACM Neto diz que UTIs têm 75% de ocupação pelo 3º dia e vê retomada de atividades mais próxima

/ Bahia

ACM fala sobre leitos de UTI. Foto: Matheus Morais/bahia.ba

O prefeito de Salvador, ACM Neto (DEM), informou na manhã desta quarta-feira (22) que, pelo terceiro dia consecutivo, os leitos de UTI (Unidade de Terapia Intensiva) de Covid-19 de Salvador registraram taxa média de 75% de ocupação. Segundo o prefeito, na quarta (21), o índice alcançou 74%.

Se mantidos em menor ou igual patamar, esses indicadores permitirão à gestão municipal iniciar o processo de reabertura de atividades na capital a partir de sexta (24).

”Já temos três dias, dos cinco que são necessários para a liberação da primeira fase da retomada de diversas atividades econômica que estavam suspensas nesse período, há quatro meses,. É preciso aguardar, mas a nossa expectativa é que hoje a gente consiga manter a taxa na casa desses 75% ou menos, e amanhã também. Com isso, esperamos que a amanhã a gente complete o quinto dia igual ou menor a 75%, o que permitiria, portanto, o início da primeira etapa”, disse ACM Neto.

A declaração foi dada durante uma entrevista no Centro de Convenções da capital, ocasião em que anunciou novas medidas restritivas para conter o avanço do novo coronavírus.

A primeira fase da retomada de atividades na capital autoriza a reabertura de shopping, estabelecimentos comerciais com até 200 metros quadrados e a ampliação de público em templos religiosos —atualmente, o acesso é limitado a 50 pessoas.

A segunda fase de reabertura permitirá o funcionamento de academias, barbearias, salões de beleza, centros culturais, museus, galerias de arte, lanchonetes, bares e restaurantes.

Já na 3ª e última fase, poderão reabrir parques de diversões e temáticos; teatros, cinemas e demais casas de espetáculos; clubes sociais, recreativos e esportivos; e centros de eventos e de convenções. Com informações do bahia.ba

Gestores e educadores comemoram da Bahia aprovação do Fundeb pelo Congresso Nacional

/ Educação

Educadores, gestores e lideranças educacionais da Bahia comemoram a aprovação do Fundo de Desenvolvimento da Educação Básica e Valorização dos Profissionais da Educação (Fundeb), nesta terça-feira (21), na Câmara dos Deputados, em Brasília. O Fundeb foi instituído em 2007 e é o principal mecanismo de financiamento da Educação Básica pública do país. O fundo é utilizado desde o pagamento dos professores até a manutenção de todas as etapas da Educação Básica, da creche ao Ensino Médio e à Educação de Jovens e Adultos.

O Fundo vai expirar no final deste ano e, para garantir a sua permanência e manutenção, é preciso a aprovação, pela Câmara dos Deputados, da PEC 15/2015, que é fruto de ampla discussão e construção de diferentes sujeitos da Educação no país. Para se ter uma ideia sobre a dimensão do Fundeb, para 2020 estão previstos recursos da ordem de R$ 157 bilhões de reais, sendo que, deste total, a contribuição para a Bahia deverá ser em torno de 2,4 bilhões.

O secretário da Educação do Estado, Jerônimo Rodrigues, falou sobre o que este momento representa para o país. ”Esta é uma vitória da Educação, uma conquista das educadoras e dos educadores que conseguiram mobilizar a sociedade brasileira. O Fundeb é estruturante, por isso precisa ser permanente. Com esta votação, o parlamento brasileiro deu uma contribuição fundamental na construção desta nação,” destacou.

O presidente do Conselho Estadual de Educação (CEE), Paulo Gabriel Nacif, também falou sobre esta conquista. “O Fundeb é, na verdade, a maior política de estruturação da Educação brasileira em toda a sua história. E a aprovação cria um processo de inclusão educacional, promovendo a profissionalização e a institucionalização que vêm ocorrendo há décadas de forma mais sólida”, disse.

O presidente da União dos Dirigentes Municipais de Educação da Bahia (UNDIME/BA), Raimundo Pereira, também falou sobre este passo importante. ”Na década de 50, tivemos o educador Anísio Teixeira que já pensou no financiamento da Educação pública. Agora, no século XXI, temos, de fato, uma aprovação que pode promover uma educação laica, equitativa e de inclusão social. E tudo isso em consonância com o Plano Nacional de Educação que inclui, também, a formação de professores e as vagas nas creches e na Educação Infantil. Com isso, poderemos elevar a educação como vetor de transformação.”

Sem distanciamento, norte-americanos devem usar máscara, diz presidente Donald Trump

/ Mundo

Presidente Donald Trump. Foto: Shealah Craighead/Casa Branca

Em uma mudança de falas sobre o uso de máscaras, o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, encorajou nesta terça-feira (21) os norte-americanos a usarem o protetor facial se não puderem manter distância social das pessoas ao seu redor, numa tentativa de conter a disseminação do novo coronavírus.

No primeiro briefing focado na pandemia em meses, Trump disse a repórteres, na Casa Branca, que a situação do vírus provavelmente vai piorar antes de melhorar.

O presidente tem relutado em usar máscara em público.

Casos

O Centro para Controle e Prevenção de Doenças (CDC) dos Estados Unidos informou, na terça, que há 3.819.139 casos do novo coronavírus, com um aumento de 57.777 em relação à contagem anterior. O número de mortes aumentou em 473, para 140.630.

A contagem de casos de Covid-19 é feita com base em dados levantados até a tarde do dia anterior. Os números do CDC não refletem necessariamente casos relatados por estados individualmente. Com informações da Agência Brasil