Consórcio Público de Saúde do Médio Rio de Contas e do Vale do Jiquiriçá inaugura sede em Jequié

/ Saúde

Representantes do Consórcio durante inauguração. Foto: Divulgação

Em solenidade oficial, foi inaugurada, na manhã desta sexta-feira, em Jequié, a sede do Consórcio Público Interfederativo de Saúde da Região de Jequié. O evento, que teve público restrito, por conta dos protocolos de saúde de enfrentamento à pandemia da Covid-19, contou com a presença do prefeito interino do município, Hassan Iossef; do presidente do Consórcio, Patrick Lopes, que é, também, o prefeito de Jitaúna; do deputado estadual, Zenildo Brandão, o Zé Cocá; da vice-presidente da entidade, Lorena Di Gregório, prefeita de Itiruçu; além da equipe técnica da entidade.

Os chamados Consórcios de Saúde, que são organizações sem fins lucrativos, consistem na junção de municípios por Regiões de Saúde, do estado, para unir esforços e dividir os custos com a assistência à Saúde de seus moradores. O Consórcio Público Interfederativo de Saúde da Região de Jequié reúne, além do município sede, as cidades de Aiquara, Apuarema, Barra do Rocha, Boa Nova, Brejões, Cravolândia, Dario Meira, Ibirataia, Ipiaú, Irajuba, Iramaia, Itagi, Itagibá, Itamari, Itaquara, Itiruçu, Jaguaquara, Jitaúna, Lafaiete Coutinho, Lajedo do Tabocal, Manoel Vitorino, Maracás, Nova Itarana, planaltino, Santa Inês e Ubatã.

Com a inauguração da sede, que foi construída ao lado da Policlínica Regional de Saúde, e com recursos próprios, a entidade passa a contar com uma estrutura que proporcionará mais agilidade e uma melhor operacionalidade à frente das ações, auxiliando na ampliação da assistência de saúde aos municípios consorciados, desenvolvendo atividades conjuntas, gerando benefícios públicos para a população dessas localidades. A sede conta com uma recepção; um banheiro feminino; um banheiro masculino; uma sala do presidente; uma sala da diretora executiva; uma copa; uma sala do administrativo, sala de reuniões e uma sala para o arquivo morto.

”Eu só tenho gratidão ao estar entregando essa obra, hoje, com recursos próprios do Consórcio, com esforço de cada prefeito dos 27 municípios, do Vale do Jequiriçá e do Médio Rio de Contas. Agradeço ao Governo do Estado, a Secretaria Estadual de Saúde (SESAB), a cada prefeito, a cada secretário, a cada funcionário, especialmente aos do setor da Saúde. Foi muito importante para essa conquista, em meio a uma pandemia, em meio a tanta dificuldade, estar entregando uma sede própria do Consórcio de Saúde na cidade de Jequié.”, disse o presidente da sede do Consórcio Público Interfederativo de Saúde da Região de Jequié, Patrick Lopes.

‘Eu fico até encantado com as palavras do prefeito Patrick Lopes; você vê qual é o sentimento dos prefeitos da nossa região, você vê que Jequié é uma cidade pólo da nossa região e precisa ocupar esse espaço. Essa inauguração, hoje, é muito importante; talvez o único consórcio que esteja inaugurando uma sede própria, feita e construída com recursos próprios e por isso gostaria de parabenizar Patrick pela presidência em questão de gestão. Ficamos muito felizes de estar aqui, hoje, interinamente, representando a cidade de Jequié e recebendo esse importante equipamento e tendo certeza da continuidade e acreditamos que, em breve, assim que a pandemia da Covid passar, tenhamos a reabertura e o retorno dos serviços prestados pela Policlínica à toda a nossa população.”, disse o prefeito interino de Jequié, Hassan Iossef.

Bahia registra 2.965 casos novos de Covid-19 e 54 óbitos em 24 horas, diz boletim da Sesab

/ Bahia

Na Bahia, nas últimas 24 horas, foram registrados 2.965 casos de Covid-19 (taxa de crescimento de +3,7%), 54 óbitos (+2,8%) e 1.653 curados (+3,1%). Dos 82.314 casos confirmados desde o início da pandemia, 54.987 já são considerados curados, 25.326 encontram-se ativos e 2.001 tiveram óbito confirmado.

As confirmações ocorreram em 390 municípios do estado, com maior proporção em Salvador (46,09%). Os municípios com os maiores coeficientes de incidência por 100.000 habitantes foram Itajuípe (2.025,28), Gandu (1.956,61), Ipiaú (1.584,81), Uruçuca (1.471,81) e Itabuna (1.310,37).

O boletim epidemiológico contabiliza 82.314 casos confirmados, 175.806 casos descartados e 82.978 em investigação. Estes dados representam notificações oficiais compiladas pelo Centro de Informações Estratégicas em Vigilância em Saúde da Bahia (Cievs-BA), em conjunto com os Cievs municipais e as bases de dados do Ministério da Saúde até as 17 horas desta sexta-feira (2).

Na Bahia, 9.449 profissionais da saúde foram confirmados para Covid-19. O boletim completo está disponível no site da Secretaria da Saúde do Estado (Sesab).

Câmara de Jaguaquara aprova estadualização da UPA 24h pelo período de 06 meses para atender Covid-19

/ Jaguaquara

UPA 24h vai atender pacientes do Vale. Foto: log Marcos Frahm

Com parecer conjunto favorável das comissões de Justiça e Saúde, a Câmara Municipal de Jaguaquara aprovou, por unanimidade, o projeto de lei nº 005/2020, que versa sobre a cessão de uso, por parte do Governo do Estado, da Unidade de Pronto Atendimento – UPA, localizada do distrito Stela Dubois – Entroncamento de Jaguaquara.

A UPA tipo I, de responsabilidade da Prefeitura, foi construída, em convênio com o Governo Federal, mas encontra-se fechada, apesar de equipada. Com a aprovação do projeto, encaminhado a Casa Legislativa pelo Poder Executivo a unidade irá funcionar através da Secretaria de Saúde do Estado da Bahia e Consórcio de Saúde, com a SESAB arcando 100% com todos os gastos necessários, não onerando os cofres públicos municipais.

A UPA será colocada em funcionamento pelo Governo do Estado pelo período de 06 meses, com o objetivo de atender os pacientes do Vale do Jiquiriçá, com quadro de agravamento clínico provocado pelo novo coronavírus.

No território, já são mais de 500 casos confirmados da doença, atingindo 18 municípios, incluindo Jaguaquara, que lidera com um crescimento exponencial de casos da Covid-19.

Segundo o presidente da Câmara, Raimundo, todos os edis decidira pela aprovação. ”Levando em consideração a necessidade de colocar em funcionamento esse importante equipamento público, que se encontra paralisado há vários anos, colocamos o projeto em votação nesta semana e todos optaram pela aprovação, independente de diferenças políticas, pois trata-se de saúde pública e a UPA em funcionamento servirá para acolher as pessoas que estão sendo afetadas pelo coronavírus”, comentou o líder do Legislativo local.

Jequié confirma mais 2 óbitos por Covid, de um homem uma mulher, e chega a 1062 casos;

/ Jequié

Taxa de ocupação do HGPV é de 84,2%. Foto: Blog Marcos Frahm

A Prefeitura de Jequié, através da Secretaria de Saúde, apresentou o boletim epidemiológico do coronavírus desta sexta-feira (3), atualizado às 19h, que registrou mais dois óbitos, sendo uma mulher, de 88 anos, moradora do Jequiezinho, portadora de hipertensão arterial sistêmica, diabetes e obesidade, que estava internada no Hospital Geral Prado Valadares; e um homem, de 75 anos, morador do bairro Campo do América, portador de Doença Pulmonar Obstrutiva Crônica (DPOC), e que estava internado na Unidade de Terapia Intensiva do HGPV.

O Boletim, também, traz o registro de mais 54 pessoas confirmadas com a doença, perfazendo um total de 1062 casos positivos. Destes, 389 foram diagnosticados por meio do método laboratorial RT-PCR. 619 pacientes encontram-se recuperados e não apresentam mais os sintomas da doença. Os que estão em. quarentena somam 2185 pessoas.

O boletim local conta, agora, com os dados encaminhados pelo Hospital Geral Prado Valadares (HGPV) relativos a ocupação de adultos nos leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI). Até às 12h a taxa de ocupação era de 84,2%.

Após profissional de saúde questionar reforma da Maternidade, Conselho diz confiar na ”lisura”

/ Jaguaquara

Maternidade passará por reforma. Foto: Blog Marcos Frahm

Em nota pública, após ser questionado por um profissional de saúde da cidade, quanto as obras de reformas anunciadas pela direção da Santa Casa/Maternidade de Jaguaquara [relembre], com recursos destinados pelo Governo Federal para o combate ao novo coronavírus o Conselho Municipal de Saúde esclareceu que a verba de R$ 521.290,09 foi destinada para preparar a unidade de saúde local.

Na nota, o Conselho ainda saiu na defesa da Maternidade: ”Salientamos nossa confiança na lisura e transparência do trabalho da direção da Maternidade, como reconhecemos os relevantes serviços prestados por essa entidade ao longo de décadas à saúde da população jaguaquarense”, disse.

Leia abaixo a nota na íntegra

O Conselho Municipal de Saúde de Jaguaquara órgão de controle social, deliberativo, consultivo e com função de fiscalização dos recursos do SUS, no âmbito do município de Jaguaquara, esclarece a toda comunidade jaguaquarense, que no uso de suas competências, recebeu Plano de Trabalho para aplicação de recurso oriundos do Ministério da Saúde, conforme a Lei 13.995 de 05/Maio/2020, Portaria 1.393 de 21/Maio/2020, Portaria 1.448 de 29/Maio/2020 para requalificação da Casa de Saúde Maternidade Maria José Souza Santos sendo o montante destinado a entidade R$ 521.290,09 valor esse que tem como objetivo preparar a aludida casa de saúde no combate ao Covid-19, no atendimento à saúde da mulher, especialmente mulheres grávidas.

Outrossim, esclarecemos ainda que tais recursos não poderiam ser destinados para qualquer outra entidade ou setor, visto que é uma verba com finalidade específica. Asseguramos nosso compromisso na fiscalização no que concerne a execução do Plano de Trabalho aprovado pelo CMSJ, como também a devida aplicação dos recursos disponibilizados para adequar a Maternidade para atendera demanda imposta pelo advento do novo corona vírus.

Salientamos nossa confiança na lisura e transparência do trabalho da direção da Maternidade, como reconhecemos os relevantes serviços prestados por essa entidade ao longo de décadas à saúde da população jaguaquarense.

Por fim, apresentamos nosso entendimento de que tais recursos chegam a momento mais que oportuno para proporcionar um serviço à altura da nossa comunidade.

Prefeitura de Amargosa adota toque de recolher após aumento no número de casos da Covid-19 na cidade

Município de Amargosa já registrou 47 casos. Foto: Prefeitura

Após constatar um crescimento nos casos confirmados da Covid-19 desde a última semana, a prefeitura de Amargosa, no Vale do Jiquiriçá, decidiu pela adoção do toque de recolher em todo o município. A medida, de acordo com decreto publicado nesta sexta-feira (3), começa a vigorar hoje e segue vigente por tempo determinado.

Conforme a publicação, de segunda a sexta-feira o toque de recolher terá início às 20h, prolongando-se até às 5h. Aos sábado, a medida terá vigência das 20h às 6h e, aos domingos, das 13h às 5h.  Neste período, apenas serviços essenciais, como farmácias, postos de combustíveis, limpeza urbana, serviços de saúde, funerárias e delivery de restaurante, lanchonetes, supermercados, água e gás, poderão funcionar.

O decreto determina ainda o confinamento domiciliar obrigatório, com exceção de pessoas em deslocamento para atividades laborais regularmente comprovadas, assim como para o acesso aos serviços essenciais.

”Fica terminantemente proibida a circulação e permanência de pessoas nos parques, praças públicas, ruas e logradouros objetivando evitar contatos e aglomerações. De igual modo, terminantemente proibido durante todo o período do toque de recolher a realização de eventos particulares e/ou públicos”, destaca a medida.

O descumprimento do toque de recolher, no caso de estabelecimentos comerciais, prevê penalidades como advertências, multa, interdição de estabelecimentos, suspensão e até cassação de Alvarás.

De acordo com dados da prefeitura municipal, Amargosa registra 47 casos da doença pandêmica, sendo 19 ativos e 27 recuperados. Apenas um óbito foi registrado no município. Com informações do site Bahia Notícias

Prefeito Marco Aurélio assina ordem de serviço para pavimentação de mais ruas em Itaquara

/ Itaquara

Marco Aurélio Costa assina ordem de serviço. Foto: Divulgação

Em rápida solenidade, na manhã desta sexta-feira (3), o prefeito de Itaquara, Marco Aurélio Costa (PSB), acompanhado de vereadores aliados, secretários municipais e representantes de moradores das áreas beneficiadas, assinou ordem de serviço para início das obras de pavimentação em paralelepípedo três vias públicas da cidade.

Segundo o gestor, as obras, orçadas em R$ 490 mil, através de emenda parlamentar alocada pelo deputado federal Jorge Solla (PT), irá beneficiar moradores das ruas: Arlindo Soares, Rua das Flores e parte da Avenida Agenor Araújo. ”Entendemos que, mesmo com a crise provocada pela pandemia do coronavírus, o trabalho não vai parar”, garantiu Marco Aurélio.

Câmara de Jequié autoriza Hassan a assumir a prefeitura; desta vez, o vice não chorou

/ Jequié

Presidente Tinho, Hassan e vereadores da oposição. Foto: Divulgação

O presidente da Câmara Municipal de Jequié, Emanuel Campos – Tinho – recebeu, no gabinete da presidência da Casa, na manhã desta sexta-feira (3), o vice-prefeito do município, Hassan Iossef. Na ocasião, fora confeccionada uma ATA em que o Poder Legislativo o autoriza assumir, interinamente, o cargo de prefeito, diante a vacância a partir do afastamento temporário do titular, Sérgio da Gameleira, por determinação do Tribunal Regional Federal 1ª Região (TRF-1), em decisão anunciada no dia anterior, a fim de evitar possíveis interferências nas investigações que apuram denúncias de irregularidades no âmbito do Município em relação a utilização de verbas da educação.

O encontro no gabinete da presidência da Câmara foi restrito, com a presença de alguns vereadores e outros, em virtude das medidas adotadas para mitigar a Covid-19.

O presidente da Câmara também enaltece o comportamento republicano do prefeito interino que, mais uma vez, acena para importância da boa convivência entre os poderes constituídos. ”Trata-se de um gesto de grandeza do prefeito interino de reconhecer o valor da união de todos, especialmente, no momento em que o nosso Município enfrenta grandes desafios”, comentou.

Hassah Iossef disse que sempre que for chamado estará à disposição para exercer suas funções com honradez e espírito público. Hassan, que chegou a assumir o cargo no mês passado, quando a Câmara decidiu afastar cautelarmente Gameleira e a Justiça decidiu pela solta sua volta no dia seguinte, não se emocionou desta vez. Iossef, à época, chorou quando empossado. Hoje, preferiu não chorar.

Obras de reforma da Rodovia BA-084 beneficia 95 mil habitantes no Recôncavo Baiano

/ Trânsito

Mesmo durante o enfrentamento à pandemia de Covid-19, o Governo do Estado continua avançando com obras de infraestrutura importantes para o desenvolvimento da Bahia. Um exemplo disso é a conclusão da requalificação de 25 quilômetros da BA-084, no trecho entre a BR-324 e o distrito de Oliveira dos Campinhos, em Santo Amaro. As intervenções, que foram finalizadas em março, receberam um investimento de mais de R$ 14 milhões.

Desde janeiro de 2015, mais de cinco mil quilômetros de rodovias já foram entregues em todo o estado. ”A continuidade das obras de manutenção e recuperação das rodovias baianas é de grande importância, pois, além de melhorar a logística para o escoamento da produção de alimentos e insumos hospitalares, por exemplo, tão importantes durante este período de pandemia, também é uma forma de colaborar para o desenvolvimento social e econômico do estado”, ressalta o secretário de Infraestrutura da Bahia, Marcus Cavalcanti.

As obras na BA-084 beneficiam 95 mil moradores das cidades de Amélia Rodrigues, Cachoeira e Conceição do Jacuípe, junto com Santo Amaro. As intervenções vão contribuir ainda para o desenvolvimento turístico da região. A estrada é o caminho utilizado para chegar às praias da região de Saubara, Itapema e Bom Jesus dos Pobres.

MP intima ex-mulher de Bolsonaro para depor sobre ”rachadinha” no gabinete de Carlos Bolsonaro

/ Justiça

Ana Cristina Siqueira Valle é intimada pelo MP. Foto: Reprodução

O Ministério Público do Rio de Janeiro (MP-RJ) intimou Ana Cristina Siqueira Valle, ex-mulher do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) e mãe de Jair Renan [quarto filho do presidente], para depor no  inquérito que investiga prática de ”rachadinha” e uso de funcionários-fantasmas no gabinete do vereador carioca Carlos Bolsonaro (Republicanos-RJ). De acordo com a CNN Brasil, os investigadores esperam o depoimento de Ana Cristina para a próxima quarta-feira (09).

Carlos Bolsonaro é alvo de uma investigação do Ministério Público do Rio desde o ano passado. O MP-RJ enviou 21 ações contra vereadores para a primeira instância, após o Supremo Tribunal Federal (STF) entender que vereadores não tem direito ao foro privilegiado [medida prevista na Constituição do estado do Rio de Janeiro].

Ana Cristina Siqueira Valle foi chefe do gabinete de Carlos Bolsonaro entre 2001 e 2008. A família da ex-mulher do presidente aparece na investigação sobre o esquema de ”rachadinhas” apurado pelo MP no gabinete de Flávio Bolsonaro(Republicanos-RJ), hoje senador, mas na época da investigação era deputado estadual na Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro (Alerj).

Empresário, indicado para o MEC já defendeu extinção da pasta e privatização do ensino

/ Educação

Renato Feder deve assumir o MEC. Foto: Divulgação/SEED

Indicado pelo presidente Jair Bolsonaro para ser o novo ministro da Educação, o empresário Renato Feder, 41, já defendeu a extinção da pasta e a privatização de todo o ensino público, a começar pelas universidades. As informações são do jornal Folha de S. Paulo.

Segundo a publicação, a proposta da qual Feder disse ser entusiasta, que incluía a concessão de vouchers para as famílias matricularem os filhos em escolas privadas, está no livro Carregando o Elefante –como transformar o Brasil no país mais rico do mundo, de 2007.

Trata-se de um compilado de críticas e sugestões para as diversas áreas da administração pública brasileira, idealizadas por Feder e seu antigo colega de trabalho, Alexandre Ostrowiecki. Quando assumiu a secretaria de educação do Paraná, porém, ele afirmou que mudou de ideia sobre opiniões apresentadas no livro, incluindo a de privatização do ensino.

Para os autores, deveriam ser mantidos apenas oito ministérios e as funções das pastas da saúde e educação deveriam ser transferidas para agências reguladoras. ”Muitos ministros acabam não conseguindo nem falar com o presidente e assumem papel decorativo”, afirmam.

Eles sugerem a privatização de todo o ensino, com a implantação do sistema de vouchers, em que famílias receberiam uma espécie de cupom com o qual matriculam os filhos em uma escolar particular. O valor do cupom então seria pago diretamente à escola pelo governo.

Para os autores, a livre iniciativa e a competição formariam uma ”irresistível pressão” para a melhoria do ensino. O Estado, de outro lado, se livraria de uma atividade e ganharia com a venda dos imóveis que dão lugar às escolas, valor que seria destinado à dívida pública.

”Portanto, apesar do gasto operacional ser o mesmo, financeiramente a privatização do ensino sairá muito mais barato”, completam.

Ex-réu por crimes fiscais, empresário diz ter mudado de opinião

Feder também disse não defender mais o formato proposto desde que assumiu a Secretaria de Educação do Paraná, em 2019. Ao jornal Gazeta do Povo, ele relatou ter mudado de opinião após estudar o tema com maior profundidade e perceber que não houve vantagens na adoção do modelo para o aprendizado, como em experiências adotadas no Chile e nos Estados Unidos.

Antes de assumir a pasta, a convite do governador Ratinho Jr. (PSD), Feder tinha como realidade o mundo corporativo de São Paulo. Aos 24 anos, em 2003, se tornou CEO da Multilaser ao lado do amigo Alexandre, que o chamou para assumir em parceria a companhia após a morte do pai.

Eles transformaram a pequena empresa de cartuchos reciclados em uma gigante do setor da tecnologia, com faturamento anual que supera os R$ 2 bilhões.

À frente da empresa, ambos se tornaram réus por crimes fiscais por terem deixado de recolher ICMS por um ano entre 2013 e 2014.

A denúncia foi recebida em maio de 2017 pela Justiça de São Paulo. Advogado na ação, Arthur Castilho Gil afirmou que o processo está suspenso com o aval do Ministério Público Estadual. Segundo Gil, como a empresa é credora do Estado em R$ 95,7 milhões, pediu a compensação tributária para quitar a dívida.

Em nota, a Promotoria afirmou que a Justiça tem dado a Multilaser ”sucessivos prazos” para a compensação e que já se manifestou pelo seguimento da ação. ”O que não é possível, sob risco de prescrição ou perda de provas, é ficar parado o processo”, completa a nota.

Com 41 anos, perfil empreendedor e liberal, Feder é mestre em Economia pela Universidade de São Paulo (USP) e graduado em Administração pela Fundação Getúlio Vargas (FGV). Foi professor da Educação de Jovens e Adultos de matemática por dez anos e diretor de escola por oito anos. Também foi assessor voluntário da Secretaria da Educação do Estado de São Paulo.

Sem passagens por cargos eletivos, o ex-executivo atuava apenas nos bastidores. Ele doou R$ 120 mil para a campanha de João Dória (PSDB) à Prefeitura de São Paulo, em 2016. Com a quantia, foi o sétimo maior doador do candidato, hoje desafeto do presidente Jair Bolsonaro.

Jair Bolsonaro veta obrigação do uso de máscara em igrejas e comércios e escolas

/ Brasília

Jair Bolsonaro veta o uso de máscara. Foto: Marcos Corrêa

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) fez diversos vetos no projeto de lei sobre uso de máscaras durante a pandemia, entre eles dispositivos que tornavam obrigatório o uso do equipamento de proteção em igrejas, comércios e escolas.

O projeto foi aprovado pelo Congresso em 9 de junho, enquanto que os vetos e os trechos sancionados por Bolsonaro foram publicados nesta sexta-feira (3), no Diário Oficial da União.

A nova lei torna obrigatório, durante a emergência sanitária no novo coronavírus, manter ”boca e nariz cobertos por máscara de proteção individual, conforme a legislação sanitária e na forma de regulamentação estabelecida pelo Poder Executivo federal, para circulação em espaços públicos e privados acessíveis ao público, em vias públicas e em transportes públicos coletivos”.

O uso de máscara, seja a clínica ou artesanal, também passa a ser compulsório em ”ônibus, aeronaves ou embarcações de uso coletivo fretados”.

No entanto, o texto avalizado pelos parlamentares especificava em seguida uma série de outros locais e situações em que os equipamentos também seriam exigidos —estabelecimentos comerciais e industriais, templos religiosos, estabelecimentos de ensino e demais locais fechados em que haja reunião de pessoas—, mas o dispositivo foi vetado pelo presidente.

Agora, deputados e senadores devem decidir em votações se aceitam ou se derrubam a decisão de Bolsonaro. Com informações da Folha de S.Paulo

Só 9% dos infectados pelo novo coronavírus se dizem assintomáticos, diz estudo

/ Saúde

Apenas 9% dos infectados pelo coronavírus dizem não ter sentido algum sintoma de que poderiam ter sido contaminados. Foi o que relataram entrevistados do estudo nacional Epicovid-BR, que procura estimar o espalhamento do vírus e da doença pelo país e as características da população afetada.

O estudo testou e entrevistou 89.397 pessoas em três etapas de coleta de dados, a primeira delas em maio, a mais recente entre os dias 21 e 24 de junho, em 133 cidades de todos os estados do país.

Entre as pessoas examinadas, 2.064 tinham anticorpos, o que indica que foram infectadas pelo coronavírus. Dentre os infectados, os sintomas relatados com mais frequência foram as alterações em olfato e paladar (62,9%) e a dor de cabeça (62,2%).

Como têm indicado outros estudos, os mais pobres são mais atingidos pela epidemia. No quinto mais pobre da população (os 20% com menor renda), a taxa de infecção era de 4,1% na terceira etapa da pesquisa; entre o quinto mais rico, de 1,8%. A diferença da taxa de contaminação entre mais pobres e mais ricos aumentou entre maio e junho: da primeira para a terceira fase do estudo, passou de 1,1 ponto percentual para 2,3 pontos.

Segundo os dados da Epicovid, a prevalência do vírus é maior entre os que se declararam indígenas: 5,4%, o quíntuplo da taxa de infecção de brancos (1,1%) e mais que o dobro dos que se dizem pretos (2,5%).

”O percentual da população com anticorpos não diferiu entre homens e mulheres em nenhuma das fases da pesquisa. Da mesma forma, não foi observada uma tendência nítida por idade, confirmando que o risco de infecção não depende da idade”, escrevem os pesquisadores. Ressaltam, no entanto, que a doença tende a ser mais severa, assim como a taxa de letalidade, entre os mais velhos.

No estado de São Paulo, segundo dados oficiais, cerca de 74% dos mortos de Covid-19 têm mais de 60 anos; os homens são 58% das vítimas de todas as idades.

Nas casas em que havia uma pessoa com anticorpos para o coronavírus, os demais moradores também foram testados. Dentre essas pessoas, 39% também tiveram testes positivos, indicou a pesquisa.

A prevalência da doença nas cidades estudadas ainda seria relativamente baixa, segundo o estudo Epicovid, de 3,8% em 83 cidades nas quais foi possível entrevistar mais de 200 pessoas nas três fases da pesquisa.

Ainda assim, trata-se de um número seis vezes maior que o de casos oficialmente notificados nesses municípios. Com base nos dados da população de todas as 133 cidades pesquisadas, a taxa de letalidade (número de mortes dividido pelo número de infectados) seria de pouco mais de 1%.

A taxa de infecção para a cidade de São Paulo estimada pela Epicovid é muito diferente daquela obtida por outra pesquisa amostral, realizada pela prefeitura paulistana em meados de junho. Na terceira etapa da Epicovid, a prevalência seria de apenas 1,4%, na terceira etapa (ante mais de 3,3% na primeira). Pelo estudo paulistano, de 9,5%.

Segundo os dados da Epicovid, o número de contaminados na cidade seria então próximo daquele divulgado pelas estatísticas oficiais da doença, os quais costumam registrar apenas os casos de pessoas com sintomas mais evidentes ou doentes que precisam de internação.

Em geral, estudos por amostragem indicam que o número oficial de casos representa um sexto do total de infecções, por vezes bem menos (um nono, na estimativa da prefeitura).

O epidemiologista Pedro Hallal, coordenador da pesquisa, diz que pode ter havido um problema com a amostra paulistana. ”Existem diferenças metodológicas importantes. O estudo de São Paulo não incluiu crianças e adolescentes, por exemplo. O tamanho de amostra do estudo de São Paulo é bem maior do que o nosso”, diz Hallal, que, no entanto, reconhece que tais diferenças não explicam a disparidade dos números e que o dado da prefeitura está mais próximo da realidade. No estudo da prefeitura, foram examinadas 5.664 pessoas. No estudo Epicovid, 250.

O estudo Epicovid é um teste de uma amostra da população. Na terceira fase, o pesquisadores colheram exames gratuitos de 33.207.

O trabalho é coordenado por Hallal, reitor da Universidade Federal de Pelotas, em colaboração com pesquisadores de Universidade de São Paulo, a Universidade Federal de São Paulo, a Universidade do Estado do Rio de Janeiro, a Fundação Getúlio Vargas e a Universidade Federal de Ciências da Saúde de Porto Alegre.

*por Vinicius Torres Freire | Folhapress