Novo boletim da prefeitura de Jaguaquara eleva para 153 o número de casos do coronavírus

/ Jaguaquara

Jaguaquara registrou novos casos do vírus. Foto: Blog Marcos Frahm

O novo boletim da Prefeitura de Jaguaquara, publicado na noite desta quarta-feira (25) na rede social, revela a ocorrência de mais 11 casos do coronavírus, perfazendo um total de 153 casos, desde o início da pandemia.

Conforme o boletim da gestão pública municipal, 10 homens e 01 mulher contraíram a doença nas últimas horas.

Jequié confirma mais 15 pessoas com o coronavírus, perfazendo um total de 808 casos, diz boletim

/ Jaguaquara

Jequié ultrapassar os 800 casos de Covid-19. Foto: Blog Marcos Frahm

A Prefeitura de Jequié, através da Secretaria de Saúde,apresentou, na noite desta quarta-feira (25), o boletim epidemiológico do coronavírus, atualizado às 19h, que registrou mais 15 pessoas confirmadas com a doença, perfazendo um total de 808 casos positivos.

Destes, 329 foram diagnosticados por meio do método laboratorial RT-PCR. 483 pacientes encontram-se recuperados e não apresentam mais os sintomas da doença. Os que estão em quarentena somam 1573 pessoas.

O boletim local conta, agora, com os dados encaminhados pelo Hospital Geral Prado Valadares (HGPV) relativos a ocupação de adultos nos leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI). Até às 12h a taxa de ocupação era de 57,9%.

 

 

boletim epidemiológico: Bahia registra 2.360 novos casos de Covid-19 nas últimas 24 horas

/ Bahia

Na Bahia, nas últimas 24 horas, foram registrados 2.360 casos de Covid-19 (taxa de crescimento de +4,5%), 60 óbitos (+3,9%) e 1.672 curados (+6,1%). Dos 54.291 casos confirmados desde o início da pandemia, 29.193 já são considerados curados, 23.497 encontram-se ativos e 1.601 tiveram óbito confirmado.

As confirmações ocorreram em 366 municípios do estado, com maior proporção em Salvador (49,88%). Os municípios com os maiores coeficientes de incidência por 100.000 habitantes foram Ipiaú (1.323,32), Gandu (1.197,42), Itajuípe (1.156,61), Uruçuca (1.111,17) e São José da Vitória (1.025,28).

O boletim epidemiológico contabiliza 54.291 casos confirmados, 149.657 casos descartados e 69.531 em investigação. Estes dados representam notificações oficiais compiladas pelo Centro de Informações Estratégicas em Vigilância em Saúde da Bahia (Cievs-BA), em conjunto com os Cievs municipais e as bases de dados do Ministério da Saúde até as 17 horas desta quinta-feira (25).

Na Bahia, 7.025 profissionais da saúde foram confirmados para Covid-19. Para acessar o boletim completo, clique aqui.

Taxa de ocupação

Na Bahia, dos 2.178 leitos disponíveis do Sistema Único de Saúde (SUS) exclusivos para coronavírus, 1.388 possuem pacientes internados, o que representa uma taxa de ocupação de 64%. No que se refere aos leitos de UTI adulto e pediátrico, dos 898 leitos exclusivos para o coronavírus, 690 possuem pacientes internados, compreendendo uma taxa de ocupação de 77%.

Cabe ressaltar que o número de leitos é flutuante, representando o quantitativo exato de vagas disponíveis no dia. Intercorrências com equipamentos, rede de gases ou equipes incompletas, por exemplo, inviabilizam a disponibilidade do leito. Ressalte-se que novos leitos são abertos progressivamente mediante o aumento da demanda.

Óbitos

A Secretaria da Saúde do Estado da Bahia (Sesab) contabiliza 1.601 mortes pelo novo coronavírus.

1542º óbito – mulher, 90 anos, residente em Salvador, sem informações acerca de comorbidades e, também sem informações sobre a data de internação, foi a óbito dia 24/06, em hospital filantrópico, em Salvador;

1543º óbito – mulher, 76 anos, residente em Salvador, portadora de doença cardiovascular e doença renal crônica. Internada dia 01/06, foi a óbito dia 14/06, em hospital da rede pública, em salvador;

1544º óbito – homem, 85 anos, residente em Salvador, portador de hipertensão arterial e diabetes mellitus. Internado dia 27/05, foi a óbito dia 28/05, em hospital da rede pública, e, Salvador;

1545º óbito – homem, 75 anos, residente em Camacã, sem comorbidades. Internado dia 19/06, foi a óbito dia 20/06, em hospital da rede pública de saúde, em Camacã;

1546º óbito – homem, 71 anos, residente em Teixeira de Freitas, portador de diabetes. Internado dia 18/06, foi a óbito dia 20/06, em unidade da rede pública, em Teixeira de Freitas;

1547º óbito – homem, 66 anos, residente em Salvador, portador de hipertensão arterial, diabetes mellitus e neoplasias. Internado dia 19/06, foi a óbito dia 22/06, em hospital da rede particular, em Salvador;

1548º óbito – homem, 69 anos, residente em Paulo Afonso, portador de hipertensão arterial e diabetes mellitus. Sem informações acerca da data de internação, veio a óbito dia 17/06, em hospital da rede pública, em Paulo Afonso;

1549º óbito – mulher, 55 anos, residente em Simões Filho, portadora de hipertensão arterial. Internada dia 08/06, veio a óbito dia 10/06, em hospital da rede pública, em Simões Filho;

1550º óbito – homem, 80 anos, residente em Salvador, portador de hipertensão arterial. Sem informações acerca da data de internação, foi a óbito dia 29/05, em hospital da rede pública, em Salvador;

1551º óbito – homem, 73 anos, residente em Feira de Santana, sem comorbidades. Sem informações acerca da data de internação, foi a óbito dia 12/06, em hospital da rede pública, em Salvador;

1552º óbito – homem, 75 anos, residente em Salvador, portador de hipertensão arterial e diabetes mellitus. Internado dia 21/05, foi a óbito dia 06/06, em hospital filantrópico, em Salvador;

1553º óbito – mulher, 85 anos, residente em Salvador, portadora de demências, incluindo Alzheimer. Internada dia 09/06, veio a óbito dia 15/06, em hospital da rede pública, em Salvador;

1554º óbito homem, 82 anos, residente em Vitória da Conquista, portador de hipertensão arterial e diabetes mellitus. Internado dia 09/06, foi a óbito dia 22/06, em hospital filantrópico, em Vitória da Conquista;

1555º óbito – homem, 40 anos, residente em Salvador, portador de doenças hematológicas. Internado dia 17/05, veio a óbito dia 02/06, em hospital da rede pública, em Salvador;

1556º óbito – mulher, 60 anos, residente em Simões Filho, sem comorbidades. Internada dia 25/05, foi a óbito dia 21/06, em hospital da rede pública, em Salvador;

1557º óbito – mulher, 67 anos, residente em Salvador, sem informações acerca de comorbidades. Internada dia 02/06, foi a óbito dia 07/06, em hospital da rede pública, em Salvador;

1558º óbito – mulher, 64 anos, residente em Salvador, portadora de hipertensão arterial e diabetes mellitus. Internada dia 26/05, foi a óbito dia 03/06, em hospital da rede pública, em Salvador;

1559º óbito – mulher, 81 anos, residente em Salvador, portadora de hipertensão arterial. Internada dia 08/06, foi a óbito dia 16/06, em hospital da rede pública em Salvador;

1560º óbito – mulher, 87 anos, residente em Salvador, portadora de doença do sistema nervoso. Sem informações acerca da data de internação, foi a óbito dias 04/06, em hospital da rede particular, em Salvador;

1561º óbito – homem, 75 anos, residente em Itamaraju, portador de doença cardiovascular. Internado dia 19/06, foi a óbito dia 21/06, em hospital da rede pública, em Itamaraju;

1562º óbito – mulher, 92 anos, residente em Salvador, portadora de hipertensão arterial. Internada dia 03/06, foi a óbito dia 123/06, em hospital da rede pública, em Salvador;

1563º óbito – homem, 58 anos, residente em Salvador, portador de hipertensão arterial e diabetes mellitus. Internado dia 05/06, foi a óbito dia 19/06, em hospital da rede pública, em Salvador;

1564º óbito – homem, 39 anos, residente em Alagoinhas, sem comorbidades. Internado dia 21/06, foi a óbito no mesmo dia de internação (21/06), em hospital da rede pública, em Alagoinhas;

1565º óbito -mulher, 61 anos, residente em Salvador, portadora de diabetes mellitus. Internada dia 10/06, foi a óbito dia 13/06, em hospital da rede pública, em Salvador;

1566º óbito – homem, 64 anos, residente em Salvador, portador de hipertensão arterial e doença cardiovascular. Internado dia 13/06, foi a óbito dia 20/06, em hospital da rede pública, em Salvador;

1567º óbito – homem, 42 anos, residente em Salvador, sem comorbidades. Internado dia 14/05, foi a óbito dia 25/05, em hospital da rede pública, em Salvador;

1568º óbito – homem, 36 anos, residente em Jequié, portador de diabetes mellitus e obesidade. Sem informação acerca da data de internação, foi a óbito dia 22/06, em hospital da rede pública, em Jequié;

1569º óbito – homem, 74 anos, residente em Salvador, portador der hipertensão arterial. Internado dia 19/05, foi a óbito dia 15/06, em hospital da rede pública, em Salvador;

1570º óbito – mulher, 83 anos, residente em Jequié, portadora de hipertensão arterial e diabetes mellitus. Sem informação acerca da data de internação, foi a óbito dia 22/06, em hospital da rede pública, em Jequié;

1571º óbito -homem, 66 anos, residente em Salvador, portador de hipertensão arterial. Internado dia 02/06, foi a óbito dia 20/06, em hospital filantrópico, em Salvador;

1572º óbito – homem, 34 anos, residente em Gandu, portador de hipertensão arterial. Internado dia 08/06, foi a óbito dia 17/06, em hospital da rede pública, em Ilhéus;

1573º óbito – mulher, 74 anos, residente em Valença, portadora de diabetes mellitus. Internada dia 02/06, foi a óbito dia 18/06, em hospital da rede pública, em Ilhéus;

1574º óbito – mulher, 32 anos, residente em Feira de Santana, portadora de doença cardiovascular. Internada dia 08/06, foi a óbito dia 10/06, em hospital da rede pública, em salvador;

1575º óbito – mulher, 33 anos, residente em Salvador, sem informações sobre comorbidades. Internada dia 21/05, foi a óbito dia 19/06, em hospital da rede pública, em Salvador;

1576º óbito – mulher, 69 anos, residente em Salvador, portadora de imunodeficiências. Internada dia 14/05, foi a óbito dia 21/06, em hospital filantrópico, em Salvador;

1577º óbito – homem, 83 anos, residente em Teixeira de Freitas, portador de hipertensão arterial. Sem informações acerca da data de internação, foi a óbito dia 24/06, em unidade pública, em Teixeira de Freitas;

1578º óbito – homem, 48 anos, residente em Salvador, portador de hipertensão arterial. Internado dia 06/05, foi a óbito dia 18/06, em hospital da rede pública, em salvador;

1579º óbito – homem, 85 anos, residente em Teixeira de Freitas, portador de hipertensão arterial e diabetes mellitus. Internado dia 22/06, foi a óbito dia 23/06, em unidade da rede pública, em Teixeira de Freitas;

1580º óbito – homem, 57 anos, residente em Eunápolis, portador de hipertensão arterial e doença cardiovascular. Sem informações acerca do dia de internação, foi a óbito dia 16/06, em hospital da rede pública, em Itabuna;

1581º óbito – homem, 95 anos, residente em Teixeira de Freitas, sem informação de comorbidades, data de admissão não informada, foi a óbito dia 24/06, em unidade da rede pública, em Teixeira de Freitas;

1582º óbito – homem, 36 anos, residente em Teixeira de Freitas, sem informação de comorbidades, foi internado dia 14/06 e foi a óbito dia 24/06, em unidade da rede pública, em Teixeira de Freitas;

1583º óbito – homem, 77 anos, residente em Salvador, portador de demências, incluindo Alzheimer, foi internado dia 18/06 e foi a óbito dia 21/06, em unidade da rede pública, em Salvador;

1584º óbito – homem, 85 anos, residente em Salvador, portador de hipertensão arterial e diabetes, data de admissão não informada, foi a óbito dia 19/06, em unidade da rede pública, em Salvador;

1585º óbito – mulher, 61 anos, residente em Salvador, sem comorbidades, data de admissão não informada, foi a óbito dia 21/06, em unidade da rede pública, em Salvador;

1586º óbito – mulher, 74 anos, residente em Salvador, sem informação de comorbidades, foi internada dia 04/06 e foi a óbito dia 19/06, em unidade da rede pública, em Salvador;

1587º óbito – mulher, 68 anos, residente em Candeias, portadora de hipertensão arterial e diabetes, foi internada dia 12/06 e foi a óbito dia 13/06, em unidade da rede filantrópica, em Salvador;

1588º óbito – homem, 53 anos, residente em Salvador, portador de hipertensão arterial, diabetes e obesidade, foi internado dia 01/06 e foi a óbito dia 21/06, em unidade da rede pública, em Salvador;

1589º óbito – homem, 78 anos, residente em Salvador, portador de hipertensão arterial, foi internado dia 19/06 e foi a óbito na mesma data (19/06), em unidade da rede pública, em Salvador;

1590º óbito – homem, 74 anos, residente em Feira de Santana, portador de hipertensão arterial e diabetes, data de admissão não informada, foi a óbito dia 22/06, em unidade da rede pública, em Feira de Santana;

1591º óbito – homem, 90 anos, residente em Salvador, portador de diabetes, foi internado dia 18/05 e foi a óbito dia 07/06, em unidade da rede filantrópica, em Salvador;

1592º óbito – mulher, 54 anos, residente em Salvador, portadora de hipertensão arterial e diabetes, foi internada dia 12/06 e foi a óbito dia 19/06, em unidade da rede pública, em Salvador;

1593º óbito – homem, 70 anos, residente em Salvador, portador de diabetes, foi internado dia 19/06 e foi a óbito dia 21/06, em unidade da rede pública, em Salvador;

1594º óbito – mulher, 73 anos, residente em Salvador, portadora de hipertensão arterial e diabetes, foi internada dia 08/06 e foi a óbito dia 18/06, em unidade da rede pública, em Salvador;

1595º óbito – mulher, 69 anos, residente em Salvador, portadora de hipertensão arterial, foi internada dia 31/05 e foi a óbito dia 02/06, em unidade da rede pública, em Salvador;

1596º óbito – homem, 88 anos, residente em Teixeira de Freitas, portador de doença cardiovascular e doença renal crônica, foi internado dia 21/06 e foi a óbito dia 24/06, em unidade da rede pública, em Teixeira de Freitas;

1597º óbito – homem, 63 anos, residente em Salvador, portador de doença cardiovascular, doença renal crônica e doença respiratória crônica, data de admissão não informada, foi a óbito dia 11/06, em unidade da rede pública, em Salvador;

1598º óbito – mulher, 95 anos, residente em Salvador, portadora de hipertensão arterial, diabetes e doença respiratória crônica, foi internada dia 10/06 e foi a óbito dia 20/06, em unidade da rede filantrópica, em Salvador;

1599º óbito – homem, 81 anos, residente em Salvador, portador de diabetes e doença cardiovascular, foi internado dia 28/05 e foi a óbito dia 19/06, em unidade da rede filantrópica, em Salvador;

1600º óbito – homem, 48 anos, residente em Salvador, sem comorbidades, foi internado dia 02/06 e foi a óbito dia 18/06, em unidade da rede filantrópica, em Salvador;

1601º óbito – mulher, 82 anos, residente em Salvador, portadora de hipertensão arterial, diabetes e doença cardiovascular, foi internada dia 30/05 e foi a óbito dia 02/06, em unidade da rede pública, em Salvador.

Rodrigo Maia defende adiamento das eleições e critica prefeitos que querem manter a data

/ Brasília

Maia é a favor de adiar as eleições. Foto: Agência Câmara

O presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), defendeu nesta quinta-feira (25) o adiamento das eleições municipais e criticou o que viu como incoerência de prefeitos que defendem a manutenção da data, mas reivindicam verbas para enfrentar a pandemia do novo coronavírus.

Maia tenta costurar um acordo para votar já na semana que vem a PEC (Proposta de Emenda à Constituição) que adia as eleições de outubro para novembro. Para isso, pretende conversar com líderes de partidos que estão rachados sobre o adiamento da data.

A divisão nas bancadas é fruto de uma pressão de prefeitos e vereadores que buscam a reeleição. Caso o calendário do TSE (Tribunal Superior Eleitoral) seja mantido, os adversários teriam menos tempo para fazer campanha junto aos eleitores, o que, em tese, beneficiaria os atuais ocupantes dos cargos. Maia criticou a pressão de prefeitos por recursos para combater os efeitos da pandemia na economia, com queda na arrecadação.

”Eu só acho que é incoerente o prefeito estar dizendo que ainda tem crise, que precisa de mais recursos para a saúde, para manter a prefeitura funcionando, e ao mesmo tempo uma boa parte desses prefeitos defendendo a manutenção da data de outubro”, disse. ”Tem uma incoerência nisso”.

Para o deputado, ”a eleição não pode estar à frente de salvar vidas e de proteger as famílias brasileiras”.

Ele defendeu que o adiamento ajudaria o eleitor a conhecer de ”forma democrática e transparente” seus candidatos. ”Se me perguntar, ‘em outubro a crise do coronavírus vai estar toda resolvida? Do ponto de vista sanitário, econômico e social?’ Não”, disse.

”Mas certamente a probabilidade de, em outubro, nossa situação ser muito melhor do que essa situação a partir de 15 de agosto, para mim é um dado da realidade. É por isso que eu defendo o adiamento. Mas depende de 308 deputados e deputadas”.

Maia afirmou que está dialogando com os partidos para tentar conseguir um consenso. ”Tá avançando, né? Hoje alguns partidos já avançaram e vamos ver se até a próxima semana nós conseguimos pelo menos ter a garantia da votação e cada um votando com sua consciência”, disse.

”Não estou aqui para pressionar, para atropelar. O diálogo é o que resolve os problemas na Câmara dos Deputados”.

Apesar da articulação do presidente da Câmara por um acordo, há grande resistência dentro de legendas de centro. Bancadas de partidos como MDB, PP, PL, DEM, Republicanos e PSL estão rachadas sobre o adiamento. Somadas, as legendas têm 216 deputados —de um total de 513 da Casa.

Para passar na Câmara, a proposta precisa ser aprovada pelo plenário em dois turnos e obter o apoio de pelo menos três quintos dos deputados (308 votos) em cada votação.

Depois disso, é promulgada pelo Congresso.

Conforme o texto aprovado pelo Senado na terça-feira (23), o primeiro turno das eleições seria adiado de 4 de outubro para 15 de novembro. O segundo turno do pleito passaria de 25 de outubro para 29 de novembro.

Parlamentares criticam a decisão do Senado de começar a tramitação pela Casa. Eles argumentam que, como a resistência é maior na Câmara, que é mais municipalista e onde há mais interesse nesse período eleitoral, o debate deveria ter sido esgotado primeiro entre os deputados.

Inicialmente, a intenção do presidente da Câmara é levar a PEC para votação direto em plenário, como ocorreu com a única outra PEC votada virtualmente, a do Orçamento de Guerra.

Maia, porém, rejeitou colocar o texto para votar antes de conseguir um consenso com os líderes. ”Essa é uma construção coletiva, estamos dialogando. Essa questão de ‘vou votar de qualquer jeito’, ‘não vou votar de jeito nenhum’…eu acho o pleito do TSE é justo, o Senado já votou. O correto é que a Câmara possa avançar na votação”, afirmou.

Um dos principais argumentos usados por congressistas que defendem a manutenção das datas do calendário do TSE é a falta de consenso sobre quando haverá, de fato, uma queda na curva da pandemia.

Alguns especialistas falam em agosto e setembro, enquanto outros só veem uma melhora a partir de outubro. Além disso, a pandemia atinge os municípios de maneira diferente, como ressaltou o próprio Maia em entrevista na semana passada.

Sem uma clareza sobre quando seria seguro realizar os dois turnos, eles avaliam que adiar para novembro ou dezembro seria inócuo. Por trás do impasse há ainda a tentativa de alguns congressistas do centrão —grupo formado por partidos como PP, PL e Republicanos— de tentarem unificar a eleição municipal com o pleito de 2022.

A proposta é rechaçada pelo presidente do TSE, o ministro Luís Roberto Barroso, que descarta qualquer medida que prorrogue mandatos de prefeitos e vereadores. Em maio, o ministro afirmou que unir eleições municipais e nacionais traria um ”inferno gerencial”, ao TSE.

Enquanto não há um cenário claro sobre a votação da PEC na Câmara, alguns deputados alertam para a aproximação de alguns prazos importantes estabelecidos pelo TSE. A partir de 4 de julho, por exemplo, ficaria proibida a transferência voluntária de recursos da União aos estados e municípios e dos estados aos municípios. É a mesma data também para desincompatibilização de servidores públicos.

 

 

Justiça acata pedido de Flávio e retira da 1ª instância processo sobre ”rachadinhas”

/ Justiça

Justiça acata pedido de Flávio Bolsonaro. Foto: Reprodução

A Justiça do Rio de Janeiro retirou da primeira instância o processo que investiga a prática de ”rachadinha” no gabinete de Flávio Bolsonaro na Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro (Alerj). A 3ª Câmara Criminal do Tribunal de Justiça do estado acatou pedido de habeas corpus da defesa do agora senador.

Flávio, filho de Jair Bolsonaro, é apontado pelo Ministério Público como chefe de organização criminosa que desviava recursos públicos da Alerj por meio do esquema. Há informações que os promotores, inclusive, estão prontos para oferecer à Justiça denúncia contra o senador por organização criminosa, peculato e improbidade administrativa.

Com a decisão, o processo passa agora a ser avaliado pelo Órgão Especial, na segunda instância. De acordo com informações do G1, os desembargadores decidiram também, por outro lado, manter as decisões do juiz Flávio Itabaiana no processo.

Assim, Fabrício Queiroz segue preso, da mesma forma que segue em aberto o mandado de prisão contra sua esposa, Márcia. Caberá ao Órgão Especial do TJ-RJ assumir o caso e rever as decisões.

A defesa de Flávio Bolsonaro questionou a competência da primeira instância para conduzir o processo. Isso porque o objeto da investigação são práticas que teriam ocorrido na época em que Flávio era deputado estadual.

Por outro lado, investigadores do caso se apoiavam em jurisprudência criada em tribunais superiores de que o foro especial se encerra quando o mandato termina. Sob essa perspectiva, o processo poderia continuar com Itabaiana.

 

 

 

Bolsonaro anuncia presidente do FNDE, Carlos Decotelli, como novo ministro da Educação

/ Educação

Carlos é o terceiro titular da pasta no governo. Foto: Agência Brasil

O presidente Jair Bolsonaro anunciou, na tarde desta quinta-feira (25), que o professor Carlos Alberto Decotelli da Silva será o novo ministro da Educação. O decreto de nomeação foi publicado em edição extra do Diário Oficial da União. Em uma postagem nas redes sociais, Bolsonaro publicou uma foto ao lado de Decotelli e destacou sua formação acadêmica. 

O novo ministro ocupava até recentemente o cargo de presidente do Fundo Desenvolvimento da Educação (FNDE), autarquia vinculada ao Ministério da Educação, responsável por executar parte das ações da pasta relacionadas à educação básica em apoio aos municípios, como alimentação e transporte escolar. Ele entra no lugar de Abraham Weintraub, demitido na semana passada. É o terceiro ministro a comandar o MEC desde o início do governo Bolsonaro.

Segundo informações oficiais, Decotelli atuou durante toda a transição de governo após a eleição de Bolsonaro, em 2018, e ajudou a definir ideias e novas estratégias para as políticas educacionais da atual gestão. Financista, autor de livros e professor, Decotelli fez pós-doutorado na Bergische Universitãt Wuppertal (Alemanha), é doutor em administração financeira pela Universidade Nacional de Rosário (Argentina), mestre em administração pela Fundação Getúlio Vargas (FGV), possui MBA em administração também pela (FGV) e é bacharel em Ciências Econômicas pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ). O novo ministro ainda passou pelas Forças Armadas como professor, e atualmente é oficial da reserva da Marinha. Da Agência Brasil

 

 

Governo já pagou quase R$ 88 bilhões de auxílio emergencial, somando 64,1 milhões de pessoas

/ Economia

Em balanço, o Ministério da Cidadania informou que o governo federal já creditou R$ 87,8 bilhões para os beneficiários do auxílio emergencial, que somam 64,1 milhões de pessoas. A terceira parcela do benefício só começou a ser paga aos integrantes do Bolsa Família que se inscreveram para receber o auxílio – cerca de 19 milhões de pessoas. Esse grupo continua recebendo em um calendário de pagamentos que termina no próximo dia 30.

Já o calendário de pagamento para os demais grupos ainda não foi informado pela Caixa Econômica Federal, responsável pela operacionalização do programa.

Aprovado em abril, o auxílio é um benefício no valor de R$ 600 (que pode chegar a R$ 1.200 para mulheres chefes de família) destinado aos trabalhadores informais, microempreendedores individuais, autônomos e desempregados, e tem por objetivo fornecer proteção emergencial no enfrentamento à crise causada pela pandemia do novo coronavírus (covid-19).

Até agora, cerca de R$ 40 milhões foram devolvidos aos cofres púbicos por pessoas que receberam o benefício, mas que não preenchiam os requisitos exigidos pela legislação. O Ministério da Cidadania disponibilizou uma página na internet com o passo a passo para a devolução.

Em outra ação, o Ministério da Cidadania e a Defensoria Pública da União fizeram parceria para ajudar a quem precisa contestar o resultado do pedido do auxílio emergencial sem necessidade de abrir um processo judicial. Do total de 124,18 milhões de solicitações do auxílio emergencial, 64,14 milhões foram considerados elegíveis e 41,59 milhões foram apontados como inelegíveis, por não atenderem aos critérios do programa.

Saiba o que fazer quando tiver o pedido negado. Existem ainda 16,69 milhões de inscrições classificadas de inconclusivas, que é quando faltam informações para o processamento integral do pedido. Quem estiver nessa situação deve refazer o cadastro por meio do site ou aplicativo do programa. Da Agência Brasil

Noite de São João faz isolamento social ”despencar” em Itaquara, Cravolândia e Planaltino

Itaquara aparece com 25,5% de isolamento. Foto: Rede social

Pelo visto a noite de São João na Bahia não atendeu aos apelos de distanciamento social. Dados da Superintendência de Estudos Sociais e Econômicos do Estado (SEI) divulgados nesta quarta-feira (24) apontaram que quase 10% das cidades nem chegaram a ultrapassar a barreira de 30% de isolamento social no tradicional dia da fogueira. Foram 38 municípios nesta faixa, ou 9,1% dos 417 municípios baiano.

A maioria está situada no Oeste e Sudoeste. Guajeru, na região de Vitória da Conquista, segurou a lanterna. Foi o município com menor índice. Conseguiu apenas 20,6% de isolamento social. Itaquara, no Vale do Jiquiriçá, foi o penúltimo, com 25,5% e Palmas de Monte Alto, terceiro pior lugar, teve 26,2%. Pilão Arcado, no Sertão do São Francisco, com 26,9%, foi o quarto pior; e Nova Itarana, também no Vale do Jiquiriçá, foi o quinto pior com 26,9%.

Para se ter ideia, 50% de isolamento social é o mínimo recomendado por autoridades sanitárias para evitar a disseminação da Covid-19. Os dez piores ainda tem Ibirataia (27%), Maetinga (27,1%), São Félix do Coribe, Piripá e Itatim (com 27,3% cada uma). A lista é completada por Santana, Condeúba e Paramirim (27,5%), Itapebi (27,8%), Cravolândia (28%), Nova Fátima (28,1%), Cipó (28,2%), Malhada (28,3%), Livramento de Nossa Senhora e Planaltino (28,3%), Candiba e Caculé (28,4%), Itapitanga (28,5%), Sítio do Mato e Conceição do Jacuípe (29%), e Licínio de Almeida (29,5%).

Também ficaram com percentual de isolamento abaixo dos 30% os municípios de Cariranha (29,6%), Ibiassucê (29,7%), Tabocas do Brejo Velho, Pindaí e Almadina (29,8%), Igaporã (29,9%) Tanque Novo, São Felipe (29,9%), Luis Eduardo Magalhães, Barra do Choça, Barra do Rocha e Boninal (30%). Os dados divulgados pela SEI são obtidos através de geolocalização de dispositivos móveis [celulares, tablets] pela plataforma InLoco. Com informações do site Bahia Notícias

Mais oito municípios têm transporte suspenso na Bahia; decreto autoriza retomada em Itiruçu

/ Bahia

O transporte intermunicipal será suspenso Abaíra, Cristópolis, Formosa do Rio Preto, Maiquinique, Nova Redenção, Nova Soure, Uibaí e Utinga a partir de sexta-feira (26). A decisão, que foi publicada em decreto no Diário Oficial do Estado (DOE) nesta quinta (25), tem o objetivo de conter o avanço do coronavírus na população baiana.

Ficam proibidas nesses municípios a circulação, a saída e a chegada de qualquer transporte coletivo intermunicipal, público e privado, rodoviário e hidroviário, nas modalidades regular, fretamento, complementar, alternativo e de vans. Também continuam suspensas, até o dia 6 de julho, a circulação, a saída e a chegada de ônibus interestaduais no território baiano.

O decreto ainda autoriza a retomada do transporte intermunicipal em Iramaia, Itanagra, Itiruçu, Jucuruçu, Pé de Serra, São José do Jacuípe e São Miguel das Matas 7, cidades com 14 dias ou mais sem novos casos de Covid-19.

Site se equivoca; MP prorroga inquérito que apura gasto com combustíveis em Itiruçu e não Jaguaquara

/ Itiruçu

Gestão investiga em inquérito é a de Itiruçu. Foto: Reprodução

A 2ª Promotoria de Justiça da Comarca de Jaguaquara, no Vale do Jiquiriçá, prorrogou um inquérito que apura suposto gasto excessivo em combustíveis pela prefeitura de Itiruçu, na mesma região. Em decisão publicada nesta quarta-feira (24) no Diário da Justiça online, a promotoria comunicou o adiantamento da ação por um ano.

De acordo com a informação, a investigação se concentrará na apuração dos gastos entre 2017 e janeiro de 2019, dentro da gestão da prefeita Lorenna di Gregorio, eleita em 2016. O inquérito ficará sob responsabilidade do promotor Lúcio Meira Mendes.

ATUALIZAÇÃO

Inicialmente, divulgamos que a prefeitura de Jaguaquara era alvo do inquérito. No entanto, a promotoria de Jaguaquara investiga a aquisição excessiva de combustíveis no município de Itiruçu. O erro foi corrigido.

Nota do site Bahia Notícias

Taxa de contaminação vai demorar pra cair se a população não colaborar, diz governador

/ Bahia

O governador Rui Costa (PT) afirmou na manhã desta quinta-feira (25) que a pandemia do novo coronavírus tenderá a perdurar por mais tempo no estado caso a população, sobretudo as pessoas infectadas, não colabore com as medidas de distanciamento adotadas para evitar o avanço da doença.

”Pra mim, tem chegado muitos relatos de que, na periferia, pessoas até estavam tomando cuidado, com medo de contrair a doença. Mas muitos, depois que contraíram, dizem ‘agora eu já peguei mesmo’ e estão indo pra rua. Essa é uma péssima notícia, porque significa que nós vamos demorar de cair a taxa de contaminação”, disse, durante inauguração de uma UBS (Unidade Básica de Saúde) no bairro do IAPI, em Salvador.

O equipamento foi entregue em mais uma agenda conjunta com o prefeito ACM Neto (DEM).

Ao apresentar dados que mostram um relativa estabilização na disseminação da Covid-19 no território baiano, o governador disse que alguns indicadores, dentre os quais de óbitos diários, ainda estão em um patamar muito alto.

”A percepção nossa é que estabilizou, parou de crescer a ritmos acelerados. A demanda, por exemplo, pra leitos hospitalares no estado está em torno de 1%, 1,4%, 1,5%. É uma demanda baixa, ou seja, cresce diariamente 1%, 1,5%. Isso, em maio, era 10%. Então nós conseguimos reduzir. A boa notícia é que estabilizou. A má notícia é que estabilizou num patamar muito alto. Nós estamos com mais de 1.000 casos diários, novos, e temos um patamar hoje de óbitos em torno de 50 nos últimos cinco dias, um patamar alto”, observou.

”De um lado a gente pode enxergar a luz no final do túnel. Não dá pra comemorar nada, porque a estabilização se deu num patamar muito alto. A expectativa é que haja um envolvimento maior e uma consciência maior principalmente das pessoas que testam positivo”, disse o governador. Com informações do Bahia.ba

Rui Costa e ACM Neto voltam a inaugurar obras em Salvador; posto de saúde foi entregue na capital

/ Bahia

Rui e Neto durante inauguração em Pau da Lima. Foto: Camila Souza

Uma nova Unidade Básica de Saúde (UBS) foi entregue pelo Governo do Estado à Prefeitura de Salvador na manhã desta quinta-feira (25). O novo equipamento fica no bairro do IAPI e teve investimento de R$ 3,5 milhões, distribuído entre obra e equipamentos.

O governador Rui Costa esteve na UBS na manhã de hoje, acompanhado pelo prefeito ACM Neto, e pontuou a relevância da UBS para fortalecer o atendimento à população. ”Nesta área foi necessário também o investimento na contenção de encosta nos fundos do terreno para construir a unidade e, ao mesmo tempo, dar segurança à própria instalação física da unidade e aos moradores da região. Com a entrega nesta UBS, a gestão passa a ser do município de Salvador. Esse investimento faz parte de um planejamento do Estado de reforçar a atenção básica na capital e região metropolitana, para, assim, melhorar a assistência à saúde pública. Toda vez que você faz a prevenção, você melhora o resultado em procedimentos de alta complexidade. Essa é a nossa crença e a nossa aposta”, revelou.

A nova unidade de saúde irá oferecer atendimentos básicos em diversas áreas, entre elas: pediatria, ginecologia, clínica geral, enfermagem e odontologia. Na UBS IAPI, os pacientes também poderão ser encaminhados para especialidades, além de ter acesso à medição básica.

O Governo da Bahia já entregou quatro UBS à prefeitura municipal. Os equipamentos estão instalados nos bairros de Itapuã, Imbuí, San Martin e Cajazeiras. Os municípios de Candeias e Camaçari também já receberam uma unidade, cada. Ainda há previsão de que nos próximos meses seja entregue uma UBS no bairro de Pirajá.

Bolsonaro diz que ”entedimento” com Toffoli, Maia e Alcolumbre sinaliza ”dias melhores”

/ Brasília

Jair Bolsonaro fala em ”dias melhores”. Foto: Marcos Corrêa

O presidente Jair Bolsonaro disse nesta quinta-feira (25) que o ”entendimento” entre ele e os presidentes do Supremo Tribunal Federal (STF), Dias Toffoli, da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ) e do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP) é uma sinalização de ”dias melhores” para o Brasil. A informação é do G1.

De acordo com a publicação, Bolsonaro discursou em um evento no Palácio do Planalto que celebrou um acordo de cooperação entre os poderes para integração de sistemas de informática. Maia, Alcolumbre e Toffoli estavam presentes.

”Esse entendimento, essa cooperação bem revela o momento que vivemos aqui no Brasil. Eu costumo sempre dizer quando estou com o presidente Toffoli, também com o Alcolumbre, ao Maia que são presidentes da Câmara e do Senado, que nós somos pessoas privilegiadas. O nosso entendimento, sim, em um primeiro momento, é o que pode sinalizar que teremos dias melhores para o nosso país”, disse.

Com Minas Gerais, sobe para 9 estados brasileiros com mais de 80% das UTIs ocupadas

/ Brasil

A escalada dos casos graves do novo coronavírus fez crescer a ocupação dos leitos de UTI em 16 estados brasileiros. Com isso, já chega a nove o número de estados com mais 80% dos leitos para o tratamento da Covid-19.

O estado de Minas Gerais assumiu a ponta entre as unidades da federação com maior taxa de ocupação dos leitos. Roraima, Mato Grosso e Rio Grande do Norte aparecem na sequência, também em rota de crescimento do número de casos graves da doença.

Em Minas, com avanço dos casos confirmados no interior e na capital, a taxa de ocupação total de UTIs em Minas Gerais atingiu 90,6% na segunda-feira (22) e deixou o estado próximo ao colapso. Sem separar leitos para Covid-19, a Secretaria Estadual de Saúde informa que 16% das internações de pacientes graves são relacionadas à doença.

Há um mês, a ocupação total de leitos de UTI no estado era de 69%. Com a flexibilização da economia em várias regiões, incluindo Belo Horizonte, os números saltaram e tiraram o estado da zona de tranquilidade que tinha, em comparação ao cenário nacional.

Uma previsão do Ministério Público de Minas Gerais, com base em análises e estudos, incluindo uma nota técnica elaborada pela UFMG, estimava na semana passada que o estado chegaria ao esgotamento dos leitos nesta quinta. A data foi adiada graças à expansão na rede estadual, segundo o secretário adjunto de saúde, Marcelo Cabral.

”Apesar de todos os problemas, conseguimos jogar mais para frente a data estimada para o esgotamento de leitos. Esses dados são dinâmicos, já que o trabalho de ampliação das vagas é feito diariamente”, afirmou o secretário em entrevista à imprensa nesta quarta (24).

Das 14 macrorregiões de saúde do estado, seis têm percentual de ocupação de UTIs acima de 90%. As regiões de Belo Horizonte, Uberlândia e Juiz de Fora estão entre elas.

Nesta quarta, Minas chegou a 31.343 casos de Covid-19 confirmados e 771 mortes. As internações por Síndrome Respiratória Aguda Grave tiveram aumento de 718% em comparação ao mesmo período do ano passado.

Um dos primeiros estados a autorizar a reabertura de comércio e de parques públicos, Mato Grosso continua com uma escalada no número de pacientes graves. A ocupação dos leitos de UTI, que há duas semanas era de 13%, subiu para 76% na semana passada e 87% nesta semana.

A situação é mais grave no interior: nas cidades de Rondonópolis, Cáceres e Sorriso, a ocupação dos leitos era de 100% nesta terça-feira (22). Em Várzea Grande, cidade da Grande Cuiabá, apenas um dos 40 leitos de UTI para pacientes com Covid-19 estava disponível.

Estados como Pernambuco, Maranhão e Ceará também registraram ocupação acima de 80%, mas vivem uma desaceleração no número de casos graves.

No Maranhão, onde o sistema de saúde atingiu o colapso há cerca de dois meses, o governo começou a redirecionar UTIs que estavam reservadas para pacientes com o novo coronavírus para pessoas com outras doenças. Em uma semana, o número de leitos para Covid-19 foi reduzido de 474 para 416.

A Secretaria Estadual da Saúde apontou queda na ocupação de leitos, do número de novos casos e da taxa de contágio na Grande Ilha, formada pela capital São Luís e pelas cidades de São José de Ribamar, Paço do Lumiar e Raposa. O novo cenário fez o governo retomar na serviços ambulatoriais e procedimentos cirúrgicos na Grande São Luís.

No interior do estado, porém, houve um incremento no número de casos graves. Na segunda (22), 80% dos leitos fora da Grande Ilha estavam ocupados. Há duas semanas, eram 68%. Pernambuco também tem registrado queda na demanda de pacientes com Síndrome Respiratória Aguda Grave por leitos de UTI.

Na terça-feira (23), a taxa de ocupação das UTIs na rede pública estadual era de 83%. Desde o início da pandemia, 762 vagas foram abertas. Há uma semana, o índice registrado foi de 87%. A fila para pacientes aguardando por um leito de UTI, que no início de maio chegava a 256 pacientes, foi zerada.

No Rio de Janeiro, a taxa de ocupação das UTIs vem caindo há algumas semanas. Nesta segunda, 57% dos leitos nas unidades estaduais de referência para a doença. Contribuiu para a melhora a inauguração de um hospital de campanha em São Gonçalo na última quinta (18), ainda com 20 das 80 UTIs previstas.

Outros cinco hospitais de campanha prometidos pelo governador Wilson Witzel (PSC) não foram abertos até hoje. Um estudo técnico da própria Secretaria de Saúde recomendou que eles não fossem mais construídos, já que a ocupação está baixa e os custos de manutenção seriam altos, como revelou a TV Globo.

A fila por vagas de enfermaria e terapia intensiva no estado subiu levemente na última semana —de 73 na última segunda (15) para 91. Epidemiologistas que acompanham os números da Covid-19 se preocupam com a abertura da economia em várias cidades e o aumento de casos no interior, que podem voltar a inundar o sistema de saúde da capital.

Em São Paulo, o governo do estado afirma que não houve tensionamento nos leitos de UTI a despeito do novo recorde de óbitos em 24 horas registrado nesta terça-feira (22). A taxa de ocupação dos leitos para pacientes graves é de 65,7%, chegando a 68% na Grande São Paulo.

Os números são menores do que os registrados na semana anterior, quando as taxas estavam em 70% no estado e em 77% na Grande São Paulo.

Bahia, Paraná e Distrito Federal continuam em rota de crescimento no número de pacientes graves. Ao todo, a Bahia tem 75% dos leitos de UTI para Covid-19 ocupados nesta terça, percentual que sobe para 82% em Salvador.

O estado tem cerca de 50 mil casos do novo coronavírus e 1.491 mortes. Cidades como Juazeiro, Santo Antônio de Jesus, Conceição do Coité e São Francisco do Conde registraram rápido crescimento no número de casos nos últimos dias.

O Distrito Federal também segue tendência de alta na ocupação dos leitos após medidas de reabertura. Com 33.282 novos casos e 433 mortes até segunda (22), a capital federal tinha de 67,2% dos leitos ocupados.

No Paraná, alguns hospitais públicos de Curitiba e na região oeste do estado estão sem leitos exclusivos para tratamento de pacientes com o novo coronavírus.

A taxa média de 59% só é empurrada para baixo graças às condições favoráveis das outras áreas do estado. Mesmo com novos 71 leitos, houve crescimento em relação à semana anterior, em que o porcentual era de 51%. Na capital, 78% das UTIs estão preenchidas.

Em meio a medidas de flexibilização do isolamento, Mato Grosso do Sul continua sendo o único estado com ocupação de leitos abaixo de 50%, mas com tendência de alta. O número de leitos ocupados subiu de 10% para 23% em uma semana. Com informações do Bahia Notícias