Maracás: Mineradora doa máscaras e cestas básicas para auxiliar Prefeitura no combate ao coronavírus

Largo Resources faz doação à Prefeitura de Maracás. Foto: Divulgação

A Largo Resources, proprietária da mina de vanádio Maracás Menchen, instalada no município de Maracás irá auxiliar a Prefeitura no combate ao coronavírus. Nesta sexta-feira (08), a mineradora fez a entrega de 10 mil máscaras que foram produzidas por pessoas contratadas temporariamente pela Associação Jiquiriçá de Artes Marciais – AJAM, com o apoio financeiro da Largo.

Num encontro na sede da entidade, o prefeito Soya Novaes, a primeira-dama Agnólia Galvão, Valéria Rocha, da Largo Resources  e a representante da AJAM, Josi Machado discutiram sobre a distribuição, que ocorrerá, por parte da Prefeitura, a partir do próximo dia (13), priorizando áreas onde residem pessoas carentes do município. A Largo também fará a doação de 1.187 cestas básicas a Secretaria de Desenvolvimento Social.

”Estamos fazendo um grande esforço para combater o vírus em nossa cidade. Tivemos o registro de três casos e graças a Deus dois já estão curados, mas a luta continua. A Largo sempre foi parceira da estão, e, para nós, é um orgulho e muito bom ouvir que estamos contando com um apoio importante nesse momento preocupante não apenas para Maracás, mas para todo o Brasil. A prefeitura já vem fazendo a sua parte com a distribuição de cestas básicas as pessoas que estão em situação de vulnerabilidade, e com esse apoio da Largo só aumenta a nossa vontade de cuidar das pessoas”, disse o prefeito Soya.

Morre aos 69 anos Astor Moura Araújo, ex-prefeito e tradicional liderança política de Itaquara

/ Itaquara

Astor ovacionado por eleitores em 2012. Foto: Blog Marcos Frahm

O município de Itaquara, no Vale do Jiquiriçá, perdeu hoje um dos símbolos da política local. O ex-prefeito da cidade, Astor Moura Araújo, morreu aos 69 anos, no fim da manhã desta sexta-feira (08), em Salvador, onde estava internado em uma unidade hospitalar acometido por problemas de saúde, que não foram revelados pelos seus familiares. O corpo foi sepultado às 16h, no Cemitério Jardim da Saudade, na capital baiana. Astor ingressou na vida pública na década de 80, tendo sido prefeito de Itaquara de 89 a 93 e de 97 a 2005 e secretário de Governo de 2013 a 2017, quando a sua esposa, a médica Iracema Guimarães Araújo, governou o município após ter sido eleita com o seu apoio em 2012, quando Araújo foi impedido pelo TRE de disputar as eleições à época. Influente no cenário político, Astor, que tinha parentesco com o então deputado federal  Afrísio Vieira Lima (In memoriam) pai do ex-ministro Geddel Vieira Lima e do ex-deputado Lúcio Vieira era militante do PMDB, atual MDB e chegou a ocupar cargo na Companhia Baiana de Pesquisa Mineral – CBPM, no primeiro mandato do ex-governador Jaques Wagner (PT), por indicação do seu partido, quando Edmundo Pereira, pelo PMDB, integrou a chapa de Wagner em 2006 como vice-governador.

Repercussão

Nas redes sociais, lideranças políticas lamentaram a morte de Astor, que era figura querida pelos seus aliados e simpatizantes. O deputado estadual Pedro Tavares (DEM) publicou nota em seu Instagram: ”Tive grande convivência com Astor, lembro de sua amizade e de suas características, de um homem leal, lutador, que tinha como marcas a alegria e o riso fácil”, lamentou. Também na internet, escreveu o deputado Euclides Fernandes (PDT): ”Qualquer palavra nesta hora é pequena demais para a grandeza dessa perda”. O federal Leur Lomanto Jr (DEM) publicou: ”Somente as boas lembranças do amigo, homem batalhador, alto-astral, que tanto se dedicou ao povo de Itaqara”. O deputado estadual Zé Cocá (PP), postou: ”Meus sentimentos a todos os amigos e familiares de Astor Moura Araújo”. Prefeito da cidade vizinha, Giuliano Martinelli (PP) também se manifestou: ”Que fiquem os ensinamentos e as experiências exitosas para que continuemos a lidar com as motivações para administrar nossas cidades”. Antigo correligionário do ex-prefeito, o ex-vice-prefeito de Itaquara, Antônio Carlos Lemos – Dé, disse no Facebook: ”Vai com Deus”. Vereadores da cidade e amigos também lamentaram a morte do político.

*Por Marcos Frahm, às 21 de

 

Brasil registra 751 mortes por covid-19 em 24h e bate novo recorde, diz ministério da Saúde

/ Brasil

Com 10.222 novos casos confirmados de covid-19, o Brasil chegou a 145.328 pessoas infectadas, um aumento de 7,5% em relação a ontem, quando foram registradas 135.106 pessoas nessa condição. A atualização foi divulgada pelo Ministério da Saúde nesta sexta-feira (8). O número foi o segundo mais alto, abaixo apenas do recorde de quarta-feira(6), quando os novos casos atualizados somaram 10.503. Do total de casos confirmados, 76.134 estão em acompanhamento (52,4%), 59.297 estão recuperados (40,8%) e 1.852 mortes estão em observação.

O Brasil bateu novo recorde de mortes nas últimas 24h, com 751. A marca de 9.897 representou um acréscimo de 8,2% em relação a ontem, quando foram contabilizados 9.146 falecimentos. O número levou a um novo patamar, depois de uma semana na casa dos 600 óbitos ao longo da semana. A letalidade ficou em 6,8%.

Segundo o boletim epidemiológico divulgado nesta noite, até hoje foram identificadas 107 mil hospitalizações por Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG), cerca de 606% em relação ao mesmo período do ano anterior. Deste total, 27.086 são por covid-19, sendo 37.101 classificados como não especificados e 38.096 em investigação. Ou seja, o número de hospitalizações pode crescer caso essas investigações atestem o diagnóstico de infecção com o novo coronavírus.

Sobre o perfil das hospitalizações por covid-19, 54,8% são brancos, 36,3% são pardos, 6,7% são pretos, são 1,9% amarelos e 0,3%, indígenas.

São Paulo se mantém como epicentro da pandemia no país, concentrando o maior número de falecimentos (3.416). O estado é seguido pelo Rio de Janeiro (1.503), Ceará (966), Pernambuco (927) e Amazonas (874).

Além disso, foram registradas mortes no Pará (515), Maranhão (330), Bahia (183), Espírito Santo (165), Minas Gerais (139), Paraíba (114), Alagoas (108), Paraná (106), Rio Grande do Sul (91), Rio Grande do Norte (81), Santa Catarina (63), Amapá (66), Goiás (49), Rondônia (39), Acre (38), Piauí (37), Distrito Federal (37), Sergipe (28), Roraima (16), Mato Grosso (14), Mato Grosso do Sul (11), e Tocantins (9).

Os estados com maior incidência (número de casos por um milhão de habitantes) são o Amapá (2.746), Amazonas (2.588), Roraima (1.684), Ceará (1.638) Acre (1.335) e Pernambuco (1.212). Da Agência Brasil

Continua em ritmo crescente o número de casos de coronavírus em Jequié, agora com 84

/ Jequié

HGPV faz testagem rápida em profissionais. Foto: Divulgação

A Prefeitura de Jequié, através da Secretaria de Saúde, divulgou na noite desta sexta-feira (08) novo boletim epidemiológico do Coronavírus, atualizado às 19h, e informa que a cidade continua registrando novos casos positivos, totalizando 84 pessoas acometidas pelo Covid-19. Destes, 52 foram diagnosticados por meio do método laboratorial RT-PCR. 49 pacientes encontram-se recuperados e não apresentam mais os sintomas da doença.

Estes são os dados atualizados desta sexta-feira:

– 84 casos confirmados (pessoas que testaram positivo para Covid-19), destes, 49 casos foram recuperados;

– 2 óbitos (pessoa que foi vitimada em função da Covid-19);

– 476 casos suspeitos (pessoas que apresentaram sinais e sintomas de síndrome gripal e foram notificados para Covid-19);

– 275 casos descartados (pessoas que testaram negativo para Covid-19;

– 62 casos aguardando resultado (pessoas que realizaram o exame e aguardam o resultado);

– 55 casos aguardando coleta (pessoas que apresentaram sinais e sintomas de síndrome gripal, foram notificadas para Covid-19, e aguardam coleta);

– 716 casos em quarentena (pessoas que apresentam sinais e sintomas respiratórios/contatos com casos suspeitos e confirmados de covid-19/casos confirmados de covid-19).

Boletim epidemiológico: Bahia registra 4.818 casos confirmados e 183 óbitos de Covid-19

/ Bahia

Casos ocorreram em 158 municípios. Foto: Mateus Pereira

A Bahia registra 4.818 casos confirmados de Covid-19, o que representa 24,95% do total de casos notificados no estado. Considerando o número de 1.286 pacientes recuperados e 183 óbitos, 3.349 pessoas permanecem monitoradas pela vigilância epidemiológica e com sintomas da Covid-19, o que são chamados de casos ativos.

Os casos confirmados ocorreram em 158 municípios do estado, com maior proporção em Salvador (64,94%). Os municípios com os maiores coeficientes de incidência por 1.000.000 habitantes são Ipiaú (2.223,53), Ilhéus (1.706,43), Uruçuca (1.657,00), Itabuna (1.336,63) e Coaraci (1.118,11).

O boletim epidemiológico registra 10.864 casos descartados e 19.307 notificações em toda a Bahia. Estes dados representam notificações oficiais compiladas pelo Centro de Informações Estratégicas em Vigilância em Saúde da Bahia (Cievs-BA), em conjunto com os Cievs municipais.

Taxa de ocupação

Na Bahia, dos 888 leitos disponíveis do Sistema Único de Saúde (SUS) exclusivos para Covid-19, 446 possuem pacientes internados, o que representa uma taxa de ocupação de 50%. No que se refere aos leitos de UTI adulto e pediátrico, dos 422 leitos exclusivos para o coronavírus, 235 possuem pacientes internados, compreendendo uma taxa de ocupação de 55,7%. Cabe ressaltar que o número de leitos é flutuante, representando o quantitativo exato de vagas disponíveis no dia. Intercorrências com equipamentos, rede de gases ou equipes incompletas, por exemplo, inviabilizam a disponibilidade do leito. Ressalte-se que novos leitos são abertos progressivamente mediante o aumento da demanda.

Exames

O Laboratório Central de Saúde Pública da Bahia (Lacen-BA) realizou 24.557 exames do tipo RT-PCR, que é o padrão ouro para identificar o genoma viral do coronavírus, no período de 1° de março a 8 de maio de 2020. Atualmente, 2.944 amostras estão em análise laboratorial e os exames são liberados em até 48 horas.

Óbitos

A Secretaria da Saúde do Estado da Bahia (Sesab) contabiliza 183 mortes pelo novo coronavírus nos seguintes municípios: Adustina (1); Água Fria (1); Araci (1); Belmonte (1); Buerarema (3); Camaçari (2); Capim Grosso (3); Catu (1); Coaraci (1); Feira de Santana (2); Gandu (1); Gongogi (2); Ibirataia (1); Ilhéus (10); Ipiaú (2); Itabuna (6); Itagibá (1); Itapé (1); Itapetinga (2); Jequié (1); Juazeiro (1); Lauro de Freitas (5); Maraú (1); Nilo Peçanha (1); Ribeira do Pombal (1); Salvador (118); São Francisco do Conde (1); Ubaitaba (1); Uruçuca (4); Utinga (1); Vera Cruz (1); Vereda (1) e Vitória da Conquista (4). Estes números contabilizam todos os registros de janeiro até as 17 horas desta sexta-feira (8).

171º óbito: homem de 66 anos, residente em Salvador, com histórico de diabetes e doença cardiovascular crônica. O paciente estava internado em um hospital público na capital baiana, vindo a falecer no dia 30/04.

172º óbito: mulher de 76 anos, residente em Salvador, com histórico de hipertensão e doença cardiovascular crônica. A paciente estava internada em uma unidade pública de saúde na capital baiana, vindo a falecer na última segunda (4).

173º óbito: homem de 43 anos, residente em Salvador, sem comorbidades. O paciente estava internado em um hospital municipal na capital baiana, vindo a falecer no dia 27/04.

174º óbito: mulher de 72 anos, residente em Salvador, com histórico de hipertensão. A paciente estava internada em uma unidade pública de saúde na capital baiana, vindo a falecer no dia 22/04.

175º óbito: homem de 54 anos, residente em Salvador, com histórico de hipertensão. O paciente estava internado em um hospital privado na capital baiana, vindo a falecer ontem (7).

176º óbito: mulher de 33 anos, residente em Salvador, com histórico de obesidade. A paciente estava internada em um hospital municipal na capital baiana, vindo a falecer no último sábado (2).

177º óbito: mulher de 54 anos, residente em Salvador, sem comorbidades. A paciente estava internada em uma unidade de saúde na capital baiana, vindo a falecer na última sexta (1).

178º óbito: homem de 78 anos, residente em Salvador, sem comorbidades. O paciente estava internado em um hospital municipal na capital baiana, vindo a falecer no dia 28/04.

179º óbito: homem de 44 anos, residente em Salvador, com histórico de obesidade. O paciente estava internado em uma unidade de saúde na capital baiana, vindo a falecer no último domingo (3).

180º óbito: mulher de 74 anos, residente em Salvador, sem comorbidades. A paciente estava internada em um hospital municipal na capital baiana, vindo a falecer no dia 30/04.

181º óbito: mulher de 86 anos, residente em Salvador, com histórico de doença respiratória crônica. A paciente estava internada em uma unidade de saúde na capital baiana, vindo a falecer no dia 15/04.

182º óbito: homem de 79 anos, residente em Salvador, sem comorbidades. O paciente estava internado em um hospital municipal na capital baiana, vindo a falecer ontem (7).

183º óbito: homem de 64 anos, residente em Salvador, com histórico de diabetes. O paciente estava internado em uma unidade de saúde na capital baiana, vindo a falecer no último domingo (3).

Faixa etária

Quanto ao sexo dos casos confirmados, 51,12% foram do sexo feminino. A faixa etária mais acometida foi a de 30 a 39 anos, representando 25,01% do total. O coeficiente de incidência por 1.000.000 de habitantes foi maior na faixa etária de 80 anos ou mais (644,72/1.000.000 habitantes), indicando que o risco de adoecer foi maior nesta faixa etária, seguida da faixa de 30 a 39 anos (525,26/1.000.000 habitantes).

Grávida, irmã do secretário de Saúde de Salvador é infectada pelo novo coronavírus

/ Saúde

Irmã de Léo Prates contraiu o novo coronavírus. Foto: Bahia Notícias

A irmã do secretário municipal de Saúde, Léo Prates, contraiu o novo coronavírus. O diagnóstico foi anunciado pelo secretário, nas redes sociais.

Prates contou que, além dele, vários familiares integram frentes de combate ao novo coronavírus. ”Nesta luta alguns de nós se contaminam”, ressaltou. ”Vivo neste momento o drama de muitos profissionais de Saúde e familiares”.

O secretário acrescentou que a paciente está grávida de uma filha. ”As 2 passam bem”, informou, também nas redes sociais. Com informações do site bahia.ba

Governo recorre ao STJ para não entregar resultados de exames de Bolsonaro para coronavírus

/ Brasília

Resultado de exame de Jair vira mistério. Foto: Marcos Corrêa

A Advocacia-Geral da União (AGU) recorreu, nesta sexta-feira (8), ao Superior Tribunal de Justiça (STJ) para derrubar as decisões anteriores que obrigavam o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) a entregar os resultados dos exames para o novo coronavírus. De acordo com o site G1.

Duas decisões determinavam que o presidente deveria entregar os resultados dos exames. Uma do Tribunal Regional Federal da 3ª Região (TRF-3) e a outra da Justiça Federal de São Paulo. O caso será analisado pelo presidente do STJ, ministro João Otávio Noronha.

A AGU defende que não existe obrigação legal de apresentar os resultados dos exames do presidente. A Justiça Federal de São Paulo determinou na semana passado que o governo deveria entregar os exames em 48 horas.

O governo entregou um relatório médico do presidente, contudo a juíza federal Ana Lúcia Petri Betto, da 14ª Vara Cível Federal de São Paulo, entendeu que a medida do governo ”não atendia de forma integral à determinação judicial”.

O governo recorreu, pela primeira vez, ao TRF-3 no último sábado (2). A desembargadora de plantão, Mônica Nobre, atendeu pedido da AGU e suspendeu a entrega dos exames. Contudo, deu um prazo de cinco dias para o relator do caso decidir sobre a entrega ou não.

Na última quarta-feira (6), o desembargador André Nabarrete optou por manter a obrigação da entrega dos resultados. Nabarrete afirmou que, dada a importância do cargo que ocupa para todos os brasileiros e das consequências que contatos pessoais podem provocar, é de sumo interesse público que os cidadãos conheçam as condições médicas do presidente.

Faroeste: Desembargadores baianos tornam-se réus no STJ por venda de decisões judiciais

/ Justiça

Por unanimidade, a Corte Especial do Superior Tribunal de Justiça (STJ) recebeu na última quarta-feira (6) denúncia do Ministério Público Federal (MPF) contra quatro desembargadores e três juízes do Tribunal de Justiça da Bahia (TJ-BA) e mais 15 pessoas por organização criminosa e lavagem de dinheiro. O grupo é apontado por negociação e venda de decisões judiciais para regularização de terras no oeste baiano.

A ação é decorrente de inquérito instaurado no âmbito da Operação Faroeste, a partir da descoberta de indícios da existência de uma organização criminosa, que operou entre 2013 e 2019, e que tem como principal operador Adaílton Maturino dos Santos. A investigação apurou a prática de crimes praticados por três núcleos: núcleo judicial, formado por desembargadores, juízes e servidores do TJ-BA; núcleo causídico, composto por advogados responsáveis pela intermediação entre os julgadores e produtores rurais; e núcleo econômico, que conta com produtores rurais. Todos tinham a intenção de negociar decisões, em especial, para a legitimação de terras no oeste da Bahia.

Entre os denunciados estão os ex-presidentes da Corte baiana, Maria do Socorro Barreto Santiago e Gesivaldo Nascimento Britto, os desembargadores José Olegário Monção Caldas e Maria da Graça Osório Pimentel, os juízes Sérgio Humberto de Quadros Sampaio, Márcio Reinaldo Miranda Braga e Marivalda Almeida Moutinho, além do suposto idealizador do esquema, Adailton Maturino.

Ao receber a denúncia pelos crimes de organização criminosa e lavagem de dinheiro, o colegiado confirmou a decisão afastamento dos magistrados pelo prazo de um ano, contado a partir de fevereiro – data em que a corte determinou o afastamento dos quatro desembargadores e dos juízes Sérgio Humberto de Quadros Sampaio e Marivalda Almeida Moutinho.

Marcha de Bolsonaro ao STF lembrou ACM contra fechamento do Econômico, recorda deputado

/ Política

A marcha liderada pelo presidente Jair Bolsonaro (sem partido) e o ministro Paulo Guedes (Economia), na companhia de empresários e representantes da indústria, até o Supremo Tribunal Federal, hoje à tarde, onde foram recebidos pelo presidente, o ministro Dias Tóffoli, foi comparada há pouco por um deputado baiano a um episódio marcante ocorrido em Brasília por ocasião do fechamento do Banco Econômico.

Era 1995 e o Banco Central decidira intervir no mais antigo banco do país, fundado em 1834, então comandando pelo banqueiro baiano Angelo Calmon de Sá. Irritado com a medida, o à época senador ACM se fez cercar por praticamente toda a bancada baiana no Congresso e marchou em direção ao Palácio do Planalto para tomar satisfações do presidente Fernando Henrique Cardoso, seu aliado, no governo de quem a intervenção fora decretada.

A demonstração de força do cacique baiano, registrada por todos os veículos de comunicação na época, teria tido, no entanto, pouco efeito prático. O banco seria liquidado judicialmente no ano seguinte e, tempos depois, ele acabaria se desentendendo com Calmon de Sá, de quem morreu inimigo.

Largados por Bolsonaro contra pandemia, prefeitos e governadores assumem monopólio de defesa da vida

/ Política

Rui Costa e ACM Neto unem forças na capital. Foto: Divulgação

A dicotomia criada pelo presidente Jair Bolsonaro entre a economia e a vida, provocada por sua recusa em aceitar o isolamento social como medida fundamental para evitar a disseminação do coronavírus, tem sido utilizada por governadores e prefeitos para mostrar seu compromisso com a população.

Largados sozinhos pelo governo federal na tarefa de enfrentar a pandemia, eles assumiram em Estados e municípios a responsabilidade das ações contra a doença, em muitos casos superando divergências políticas para adotar medidas contra a expansão da pandemia que ameaça de colapso todo o sistema de saúde do país.

Na Bahia, por exemplo, onde ontem pela primeira vez na história concederam uma coletiva virtual conjunta, exatamente para anunciar suas ações contra o coronavírus, o governador Rui Costa (PT) e o prefeito ACM Neto (DEM) fizeram questão de destacar que a prioridade deles é com a vida das pessoas.

Em diversas oportunidades na entrevista, os dois enfatizaram que seu interesse era preservar o bem maior da população. Ao recorrer ao Twitter para explicar que nos anúncios de ontem não decretara um lockdown, como a imprensa especulara, o prefeito voltou a relacionar as decisões tomadas seguido de uma frase:

”Nosso maior compromisso é preservar vidas”. Também nas redes sociais para destacar a distribuição de máscaras nas estações do metrô, onde a partir de hoje o uso do equipamento se tornou obrigatório, Rui fez questão de lembrar o que já havia dito ontem no encontro com o prefeito e a imprensa.

”Só vamos vencer esta guerra contra o #coronavirus juntos”, tuitou o governador, que, junto com o prefeito de Salvador, tem utilizado o mesmo argumento adotado por outros gestores municipais e estaduais no país para defender as medidas restritivas impostas à população para conter o avanço da doença.

Foi o caso, por exemplo, ontem, do prefeito Bruno Covas (PSDB) e do governador de São Paulo, João Dória Jr., que adotaram restrições ainda mais radicais para o Estado e a capital paulista como forma de conter a expansão do número de casos da doença que chegou a um patamar preocupante.

Embora venham todos igualmente acrescentando às ações pelo isolamento outras medidas de caráter social, como distribuição de máscaras e cestas básicas e até de recursos para trabalhadores informais e sem tetos, suprindo muitas vezes lacunas do governo federal, eles resolveram se apegar à idéia de que sua preocupação principal é com a vida.

Assim, fazem contraposição à figura do presidente Jair Bolsonaro, que acaba sempre em seus discursos e pronunciamentos ressalvando sua atenção para com o desastre econômico que as medidas restritivas de Estados e municípios estão causando no país.

Alguns chegam a argumentar que, por ter percebido que perdeu o discurso para os gestores estaduais e municipais de preocupação com a vida, os quais, em função das iniciativas que vêm tomando, não podem ser acusados de negligência, o presidente teria feito a marcha de ontem até o STF, na tentativa de jogar no colo do Supremo Tribunal Federal a responsabilidade pelo caos econômico, contra o qual seu esforço é acusado de meramente retórico, sem a contrapartida de ações que mostrem seu verdadeiro empenho em tirar o país da crise. Com informações do site Política Livre

 

Jequié: Vereador defende retorno dos cultos presenciais nas igrejas, com as restrições

/ Jequié

Dorival Júnior que reabertura de igrejas. Foto: Emanuel Jr.

O vereador Dorival Júnior (PRB), apresentou um ofício, endereçado ao prefeito de Jequié, Sérgio da Gameleira (PSB), em que solicita que as igrejas tenham o direto de voltar a fazer cultos religiosos presenciais. No documento, o vereador deixa claro que a reabertura, nesses tempos de pandemia de Covid-19, deve ocorrer com toda responsabilidade e segurança, respeitando as determinações do Ministério da Saúde e da Organização Mundial da Saúde.

”Assumimos o compromisso de adotar todas as providências para evitar aglomerações, permitindo o ocupação de apenas 10 a 20% dos assentos, obedecer ao distanciamento, inclusive, as pessoas devem permanecer 2 metros de distância umas das outras no interior das igrejas, bem como, cada igreja deve adotar todas as medidas relacionadas a higienização já na entrada, permitindo o ingresso de pessoas somente se devidamente usando máscara”, justifica Dorival Jr.

O vereador considera a realização de cultos presenciais de fundamental importância nesses momentos porque, segundo ele, muitas pessoas sofrem a síndrome do pânico ou de depressão e necessitam buscar justamente esse conforto espiritual. As informações são do Blog Jequié e Região

Nova etapa da distribuição de kits emergenciais aos alunos municipais de Jequié iniciará segunda-feira

/ Jequié

A terceira etapa da distribuição dos kits emergenciais destinados aos alunos das escolas municipais de Jequié, como parte das ações de enfrentamento  Covid-19, terá início na segunda-feira (11), seguindo os critérios elaborados pelo Conselho de Alimentação Escolar e pela administração municipal, conforme resolução do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE). As informações são da Prefeitura.

O cronograma com a relação das escolas onde serão feitas a distribuição dos kits emergenciais do aluno, nesta terceira etapa está no Portal da Prefeitura www.jequie.ba.gov.br

Jitaúna: Prefeito e secretária confirmam 05 casos de Covid-19, com um óbito registrado

Secretária Patrícia e o prefeito Patrick Lopes. Foto: Reprodução

Quase dois meses após a confirmação do primeiro caso de coronavírus no Médio Rio de Contas, a doença afeta fortemente o território, com mais de 200 casos, inclusive registro de mortes, sobretudo em Jequié e Ipiaú, municípios com maior número de casos na região. Agora, Jitaúna também enfrenta à pandemia, com o registro do 5º caso na manhã desta sexta-feira (08).

Em vídeo publicado na rede social, o prefeito Patrick Lopes e a secretária de Saúde do município, Patrícia Lopes, confirmaram mais um caso da Covid-19, e revelaram a primeira morte.

O paciente era um homem de 50 anos, e que possuía comorbidades (era diabético, hipertenso, histórico de acidente vascular cerebral sem seqüelas) e estava internado no Hospital Geral Prado Valadares – HGPV, em Jequié, onde faleceu.

Dentre os casos confirmados, um foi importado de outro município, três foram constatados por meio do teste rápido, além do óbito registrado. Outros casos, considerados suspeitos, estão em isolamento domiciliar.

MP-BA e MPF pede para Justiça obrigar Banco do Brasil e BNB a pagar auxílio emergencial

/ Bahia

O Ministério Público da Bahia (MP-BA) e o Ministério Público Federal (MPF) pediram que a União descentralize o pagamento do auxílio emergencial com a inclusão do Bando do Brasil e do Bando do Nordeste no rol de instituições aptas a realizar o procedimento. O pedido foi feito através de um aditamento da ação civil pública ajuizada no último dia 2 de maio para organizar os pagamentos sem aglomeração de pessoas.

Segundo o promotor de Justiça Fernando Lins e o procurador da República Leandro Bastos Nunes, “a manutenção da atual rede bancária é absolutamente incapaz de lidar com os volumes financeiros e o alcance populacional proposto pelo auxílio emergencial”. Eles complementaram que o aditamento da ação civil pública se deu em razão do aspecto emergencial relacionado às aglomerações nas filas da Caixa, aliado à deficiência na prestação do serviço digital em prol da população apta a receber o benefício.

No documento, eles requerem que a União seja determinada, no prazo de 10 dias, a implementar solução técnica capaz de oportunizar o saque do auxílio emergencial, por intermédio também das redes disponibilizadas pelos Bancos do Brasil (BB) e Banco do Nordeste (BNB). Assim, haveria o compartilhamento e oferta de suas infraestruturas de rede, processamento de pagamentos e dados, incluindo os meios digitais (aplicativos e contas digitais, dentre outros), compensações bancárias ou qualquer outra solução técnica elegível pela equipe econômica do Ministério da Economia.

De acordo com a petição, o custo do benefício emergencial foi avaliado pelo Governo Federal em R$ 51,64 bilhões, e até o final de abril, aproximadamente 50 milhões de brasileiros já haviam recebido o benefício num período de apenas 15 dias. ”Além disso, foi noticiado que mais de 12 milhões de pessoas irão se recadastrar para receber o auxílio, o que aumentará ainda mais o número de pessoas a serem atendidas”, ressaltaram.

Eles destacaram ainda que diversas instituições financeiras possuem larga capilaridade no país e dispõem de ampla estruturação física, equipamentos conectados em rede e de pessoal qualificado, de modo a poderem oferecer com mais racionalidade e conforto aos milhões de beneficiários do auxílio emergencial. Somente com o reforço das agências do Banco do Brasil, o número de agências bancárias à disposição dos brasileiros mais que dobraria e a inserção das demais instituições aumentaria em cinco vezes mais o número de agências no processo de pagamentos. Com informações do Bahia Notícias