Governo do Estado reforça planejamento para combater o coronavírus em Ilhéus e Itabuna

/ Saúde

Com 114 leitos destinados a pacientes da Covid-19, os municípios de Ilhéus e Itabuna, no sul da Bahia, estão recebendo o apoio do Governo do Estado para enfrentar a pandemia. A estrutura deve ser ampliada nos próximos dias. Para isso, o município de Ilhéus aguarda ainda o credenciamento de mais 13 leitos no Hospital São José e outros 30 na montagem de um hospital de campanha, além da montagem de 20 leitos no Centro de Convenções. Já Itabuna aguarda a habilitação do Hospital de Base Luis Eduardo Magalhães, que poderá ofertar até 21 leitos de UTI e 38 clínicos.
O secretário da Saúde do Estado, Fábio Vilas-Boas, destaca que o número de casos de coronavírus tem crescido muito na região de Ilhéus-Itabuna e que é preciso ficar atento aos sintomas da doença. ”Quem apresentar sintomas como febre, garganta inflamada, coriza, falta de ar, deve procurar imediatamente as unidades que são a porta de entrada para o Sistema de Saúde. Em Itabuna é a Upa de Monte Cristo, e em Ilhéus é o Centro de Convenções”, afirma Vilas-Boas.
O secretário também ressalta os cuidados básicos para se evitar a Covid-19. ”Fique em casa, só saia em caso de necessidade e usando máscaras, e mantenha a distância de um metro e meio das outras pessoas. Lave bem as mãos e passe álcool gel”.
Hospital Regional Costa do Cacau
Com 30 leitos de UTI adultos, o Hospital Regional Costa do Cacau estabeleceu um planejamento para o acolhimento do paciente com suspeita da doença atendendo um fluxograma elaborado para recepção e cuidados, além da precaução da não transmissibilidade do vírus em ambiente hospitalar. A pessoa que chega ao hospital, apresentando febre e com sintomas respiratórios, recebe uma máscara cirúrgica e é colocado em isolamento, com o objetivo de evitar ou minimizar os riscos de transmissão do Covid-19.
Funcionários de todos os setores do Hospital Regional Costa do Cacau são treinados com frequência em relação à higienização e uso adequado dos Equipamentos de Proteção Individual (EPIs) para diminuir o risco de contágio pela Covid-19. Além disso, a distribuição de EPIs ocorre para trabalhadores de todo hospital, de acordo com suas funções. As máscaras cirúrgicas, por exemplo, são distribuídas para colaboradores de diversos setores, como recepções, portaria, administrativo, entre outros.
Já no caso das máscaras n95 ou PFF2, a entrega é feita para profissionais em ambiente hospitalar para proteção contra aerossóis contendo agentes biológicos, conforme recomendações da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). Dois setores estão responsáveis pela distribuição de EPIs no HRCC, a Central de Abastecimento Farmacêutica (CAF) e o Serviço Especializado em Engenharia de Segurança e em Medicina do Trabalho (SESMT).

Sem histórico de comorbidades, médico de 32 anos morre vítima de Covid-19 em São Paulo

/ Saúde

O médico Frederic Jota Lima tinha 32 anos. Foto: Rede social

O médico Frederic Jota Lima tinha 32 anos e nenhum histórico de comorbidades – ou seja, doenças que predispõem o organismo à forma mais grave do novo coronavírus. Mesmo assim, o profissional perdeu a luta para a Covid-19.

Frederic morreu pouco depois de dar entrada no Instituto de Infectologia Emílio Ribas, onde foi entubado mas acabou morrendo. O médico trabalhava no combate ao novo coronavírus no Hospital Santa Marcelina, na zona leste da capital paulista, e na Unidade de Pronto Atendimento (UPA) do Rudge Ramos, em São Bernardo, no ABC.

De acordo com O Globo, ele buscou, sozinho, atendimento no hospital. Chegou de Uber à unidade de saúde em que veio a falecer poucas horas depois, após apresentar estado grave. Ainda conforme reportagem, Frederic não tinha comorbidades. Sua morte, conforme corpo médico, causou comoção em todo o Instituto Emílio Ribas.

Itiruçu: Defensora da ciência, prefeita flexibiliza quarentena para comércio e exige uso de máscaras

/ Itiruçu

Lorena afrouxou as medidas no comércio. Foto: Blog Marcos Frahm

A prefeita de Itiruçu, Lorena Di Gregório, que é médica, defensora da ciência e tem afirmado em entrevistas desde o início da pandemia do novo coronavírus que acredita no isolamento social como principal medida para evitar a proliferação do vírus decidiu por flexibilizar o comércio, que estava fechado e com o funcionamento apenas de estabelecimentos que comercializam produtos essenciais na cidade.

Através do novo decreto, de Nº 039, datado de (20) de abril, a gestora afrouxa o funcionamento do comércio, exceto academias, bares, quiosques e restaurantes, estes três últimos funcionando por meio do sistema de delivery, conforme decretos anteriores.

Os demais estabelecimentos e repartições públicas voltaram a funcionar, mediante o cumprimento de restrições impostas pela prefeitura, como o uso de máscaras, álcool em gel, luvas de proteção por parte de funcionários e fica proibido nas lojas o acesso de pessoas com sintomas gripais.

Postos de combustíveis, por exemplo, só poderão funcionar até as 18h. Lorena determinou a realização de barreiras sanitárias, chegando a bloquear com pedras, inclusive, uma das duas entradas da cidade, às margens da Rodovia BA-250. O município de Itiruçu não tem caso confirmado da Covid-19.

Mais um profissional de saúde testa positivo para Covid-19 em Jequié, que já registra 22 casos

/ Jequié

Mais um profissional de saúde contraiu Covid-19. Foto ilustrativa

O número de casos confirmados do novo coronavírus em Jequié aumentou, nesta terça-feira (21), com o registro de mais uma pessoa infectada pela doença, chegando a 22 casos. Desta feita, segundo informou a prefeitura através de boletim epidemiológico, a nova vítima é profissional da saúde, que testou positivo e já inicia o tratamento.

Veja abaixo a lista de casos em Jequié

– 22 casos confirmados (pessoas que testaram positivo para Covid-19, sendo que os dois novos), destes, 2 casos foram recuperados;

– 135 casos suspeitos (pessoas que apresentaram sinais e sintomas de síndrome gripal e foram notificados para Covid-19);

– 73 casos descartados (pessoas que testaram negativo para Covid-19;

– 10 casos aguardando resultado (pessoas que realizaram o exame e aguardam o resultado);

– 30 casos aguardando coleta (pessoas que apresentaram sinais e sintomas de síndrome gripal, foram notificadas para Covid-19, e aguardam coleta);

– 243 casos em quarentena (pessoas que apresentam sinais e sintomas respiratórios/contatos com casos suspeitos e confirmados de covid-19/casos confirmados de covid-19).

A pessoa que tiver dúvida sobre a doença ou apresentar os sintomas do coronavírus no município, deve acionar o Disque Covid Jequié, através dos telefones (73) 98866 2779 ou (73) 98866 2164.

Um mês após pandemia, prefeitura de Jaguaquara fecha entradas da cidade e faz barreiras sanitárias

/ Jaguaquara

Prefeitura monitora entrada de pessoas. Foto: Rede social

O combate ao coronavírus em Jaguaquara ganhou novos ares, depois do registro do 4º caso positivo da doença no município mais populoso do Vale do Jiquiriçá. O prefeito Giuliano Martinelli (PP), voltou atrás na idéia de que era inviável realizar barreira sanitária nas vias de acesso ao município sob alegação de que Jaguaquara possui várias entradas, por ser um município margeado por três rodovias: BRs 116, 420 e BA-545 que registram diariamente grande fluxo de caminhões transportando produtos hortifrutigranjeiros comercializados no Mercado Produtor – Ceasa instalado na sede no Centro da cidade.

Essa era a justificativa de Martinelli, até esta semana, quando decidiu limitar a circulação de veículos e pessoas, fechando algumas entradas e realizando barreiras sanitárias em outras. No distrito Stela Dubois – Entroncamento de Jaguaquara, localidade cortada pela BR-116 e com três pessoas de uma só família infectadas pela Covid-19 a prefeitura bloqueou varias ruas com montanhas de terra. Segundo informações apuradas pelo BMFrahm, as três pessoas do distrito que testeram positivo para o novo coronavírus encontram-se em isolamento domiciliar, não sendo necessária a internação hospitalar dos pacientes. Já a quarta vítima é da sede, um profissional de saúde servidora do Hospital Geral Prado Valadares – HGPV, em Jequié, onde está internada para e reage bem ao tratamento.

O coronavírus transformou a rotina e virou de cabeça para baixo a vida dos cerca de 60 mil habitantes, com o comércio fechado durante um mês, voltando a funcionar na última segunda-feira (19), por meio de um novo decreto, que autorizou o funcionamento pelo escalonamento, com os estabelecimentos funcionando em dias alternados e horário reduzido, dependendo ainda da área de atuação.

Amargosa: Comércio é reaberto com medidas impostas pela prefeitura, que distribui máscaras

/ Jaguaquara

Prefeitura faz distribuição de máscaras. Foto: Divulgação/PMA

O comércio de Amargosa, no Vale do Jiquiriçá, foi autorizado a voltar a funcionar nesta terça-feira (21), com algumas restrições. Segundo o novo decreto publicado na segunda-feira (20), todos os estabelecimentos comerciais deverão atender às exigências sanitárias, como condição para funcionamento com portas abertas conforme o documento. Amargosa ainda não tem caso confirmado de coronavírus.

No decreto, a prefeitura dispõe sobre as medidas preventivas complementares para enfrentamento da emergência de saúde pública decorrente da Covid-19, mas, flexibilizando as atividades comerciais em Amargosa.

O documento destaca ainda, que permanecem suspensos todos os eventos públicos e particulares, sejam eles de caráter cultural, religioso ou comemorativo, cuja previsão de aglomeração seja superior a 20 (vinte) pessoas. As informações são do site Bahia Notícias.

Já a prefeitura, informou, nesta terça-feira, que uma equipe da gestão pública local deu início ao processo de higienização dos ambientes públicos da cidade. ”Estamos tomando todas as medidas necessárias para cuidar do nosso povo e garantir que a saúde seja preservada”. Além de desinfetar as ruas contra o coronavírus, a prefeitura de Amargosa também faz a distribuição gratuita de máscaras as pessoas, desde sábado (18), inclusive nas barreiras sanitárias montadas nas vias de acesso ao município.

Quem tem auxílio emergencial negado pode fazer nova solicitação para contestar o resultado da análise

/ Economia

O cidadão que tiver o auxílio emergencial de R$ 600,00 negado pode agora contestar o resultado da análise e pedir novamente o benefício diretamente pelo aplicativo ou site do programa. A atualização nas plataformas foi feita a partir desta segunda-feira (20), informou a Caixa Econômica Federal.

No aplicativo ou no site, quem receber o aviso de ”benefício não aprovado” pode verificar o motivo e fazer uma contestação. Se o aviso for de ”dados inconclusivos”, o solicitante pode fazer logo a correção das informações e entrar com nova solicitação, de acordo com a Caixa.

A responsável por informar o motivo do auxílio emergencial não ter sido aprovado é a Dataprev, estatal federal de tecnologia que analisa os dados informados pelo solicitante. O resultado é depois homologado pelo Ministério da Cidadania.

Para ter direito ao auxílio é preciso atender aos critérios estabelecidos pela legislação, como não ter emprego formal, não receber outro benefício do governo (com exceção do Bolsa Família), não ter renda familiar mensal maior que  R$ 3.135,00 ou R$ 522,50 per capita (por pessoa), entre outros. As condições completas são descritas no site do programa.

Segundo a Caixa, responsável pelos pagamentos, as principais inconsistências nos dados informados pelos solicitantes são:

• marcação como chefe de família sem indicação de nenhum membro;

• falta de inserção da informação de sexo;

• inserção incorreta de dados de membro da família, tais como CPF e data de nascimento;

• divergência de cadastramento entre membros da mesma família;

• inclusão de alguma pessoa da família com indicativo de óbito.

CadÚnico

Os trabalhadores informais que possuem Cadastro Único para Programas Sociais do Governo Federal, o CadÚnico, têm sua elegibilidade para receber o auxílio emergencial analisada automaticamente pela Dataprev.

Nesse caso, se tiver o auxílio negado mesmo acreditando ter direito ao benefício, o trabalhador também pode recorrer diretamente no aplicativo do auxílio emergencial ou no site do programa, informou a Caixa. Da Agência Brasil

Única baiana no Big Brother Brasil 20, Mari Gonzalez é eliminada com 54,16% dos votos

/ Entretenimento

Mari Gonzalez foi eliminada do reality show. Foto: Reprodução

Única baiana entre os 20 confinados do ”Big Brother Brasil 20”, Mari Gonzalez foi eliminada do reality em sua terceira ida ao paredão, nesta terça-feira (21), com 54,16% dos votos. A influenciadora digital disputou a penúltima berlinda ao lado de Manu, a segunda mais votada com 41,26% dos votos e Babu, o menos votado da rodada, com 4,58 % dos votos.

Na reta final da edição da casa mais vigiada do Brasil, o paredão foi formado no domingo (19). Líder do momento, Rafa Kalimann indicou Mari. Manu Gavassi, por sua vez, foi indicada após receber votos de Babu e Thelma. Com direito a contragolpe, a cantora escolheu o ator para disputar ao lado dela e da influencer a decisão do público.

Previsto para encerrar no dia 27 de abril, uma segunda-feira, o ”BBB 20” terá mais uma eliminação. O último paredão antes da final será formado após realização da prova de imunidade. O participante que vencer a dinâmica será o primeiro dos três finalistas da edição. *Por por Ian Meneses/BN

Brasil tem 43 mil casos de coronavírus e 2,7 mil mortes registradas, diz Mistério da Saúde

/ Saúde

O Ministério da Saúde divulgou hoje (21) novos números sobre a pandemia do novo coronavírus (covid-19) no país. De acordo com levantamento diário feito pela pasta, o Brasil tem 43.079 casos confirmados da doença e 2.741 mortes foram registradas. A taxa de letalidade está em 6,4%. Nas últimas 24 horas, o ministério registrou 2.498 novos casos e 166 mortes.

O número de pacientes que se recuperaram da doença é 24.325, o que representa um percentual de 56,5% do número de infectados.

A Região Sudeste registra 23.133 (53,7%) casos confirmados da doença. Em seguida, aparecem as regiões Nordeste, com 10.868 (25,2%); Norte, com 4.431 (10,3%); Sul, com 2.991 (6,9%), e Centro-Oeste, com 1.656 (3,8%).

Em 11 de março, a Organização Mundial da Saúde (OMS) declarou situação de pandemia de coronavírus em todos os países. O termo é usado quando uma epidemia – grande surto que afeta uma região – se espalha por diferentes continentes com transmissão sustentada de pessoa para pessoa.

A Agência Brasil reuniu as principais dúvidas e perguntas sobre covid-19. Veja o que se sabe sobre a pandemia e sobre o vírus até agora.