Após ser liberado parcialmente, trecho da BR-330 entre Jequié e Jitaúna volta a ser interditado

/ Trânsito

Estrada foi interdita após deslizamento de terras. Foto: BMFrahm

A Rodovia BR-330, no trecho entre Jequié e Jitaúna, no Médio Rio de Contas, segue apresentado dificuldades para trafegabilidade em decorrência de um deslizamento de terras registrado após uma chuva forte no sábado, que provocou a interdição total da estrada.

Alguns motoristas estão utilizando um desvio, passando por estradas vicinais dos municípios de Jequié (distrito de Itajuru) e Aiquara (distrito de Palmeira) para ter acesso a BR-330.

Neste domingo, a estrada chegou a ser liberada parcialmente no final da tarde, mas o fluxo de veículos voltou a ser interrompido às 18h, por uma equipe do Departamento Nacional de Infraestrutura e Transporte – DNIT, que voltou a fazer intervenção no local, mas segundo a PRF, os serviços serão retomados para conclusão e liberação do tráfego na manhã desta segunda-feira.

Instituto de Câncer incentiva a deixar de fumar para evitar efeito grave da covid-19

/ Saúde

Tendo em vista o conjunto de sintomas de covid-19 e a sobrecarga da rede de saúde no país, o Instituto Nacional de Câncer (Inca) alerta os fumantes sobre a importância de largar o hábito no atual contexto. Em nota, a entidade pontuou que o tabagismo provoca inflamações e prejudica o sistema imunológico, aumentando o risco de infecções por vírus, bactérias e fungos.

O Inca também observou que os fumantes têm mais tendência a desenvolver sintomas graves de covid-19, devido à suscetibilidade ocasionada pelas substâncias nocivas do cigarro. Conforme menciona o instituto, os fumantes convivem, geralmente, com a capacidade pulmonar já reduzida. Por isso, são acometidos mais frequentemente por infecções como sinusite, traqueobronquite, pneumonia e tuberculose. ”Podemos dizer que o tabagismo, por sua vez, é fator de risco para a covid-19”, acrescenta o comunicado.

De acordo com a Organização Mundial da Saúde, em média, um em cada seis infectados por covid-19 apresenta o quadro grave da doença e tem dificuldade para respirar. No Brasil, dos 800 óbitos informados pelo Ministério da Saúde até a tarde de quarta-feira (8), 655 tinham como causa a Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG). A SRAG é capaz de desencadear a disfunção de órgãos, exigindo internação do paciente, inclusive em leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI). Ainda segundo o boletim do ministério, 59,1% dos pacientes que faleceram por SRAG eram homens.

A taxa de tabagismo caiu 40% no país, entre 2006 e 2018. Apesar disso, enquanto 6,9% das mulheres declararam ainda manter o hábito em 2018, o índice entre homens chegava a 12,1%, conforme demonstrou relatório do Sistema de Vigilância de Fatores de Risco e Proteção para Doenças Crônicas por Inquérito Telefônico (Vigitel).

O documento do Vigitel ressalta outras informações que são relevantes, se cruzadas com os do perfil dos infectados por covid-19. No grupo de fumantes idosos com 65 anos de idade ou mais, a proporção era de 6,1%, naquele ano. Já entre pessoas na faixa etária de 55 a 64 anos, o índice dobrava, passando a ser 12,3%.

Outro aspecto a ser lembrado são os danos do fumo passivo. Anualmente, o tabagismo passivo causa cerca de 880 mil mortes em todo o mundo, das quais 58 mil, aproximadamente, são de crianças de 0 a 14 anos.

A fumaça do cigarro contém mais de 7 mil compostos e substâncias químicas. Desse total, 69, no mínimo, são cancerígenos. Embora talvez se possa pensar que não haja nada tão danoso, o Inca aponta que a fumaça que sai da ponta do cigarro e se espalha pelos ambientes carrega até 50 vezes mais substâncias cancerígenas do que a fumaça que o fumante inala.

Dicas para abandonar o cigarro

Na nota, o Inca pondera, ainda, que os fumantes podem estar colocando a saúde em risco pelo simples gesto de levar a mão à boca sem higienizá-la adequadamente, o que facilita a infecção por covid-19. Comentando que os pulmões já funcionam melhor em um intervalo de 12 a 24 horas após o corte no hábito, o instituto listou orientações que podem ser seguidas:

1. Marque uma data ainda esta semana para deixar de fumar.
2. Enquanto não chega o dia que você marcou, reduza o número de cigarros diariamente, começando pelo adiamento do primeiro cigarro do dia. Não fume logo depois do café da manhã, do almoço, do lanche e do jantar. Essas medidas ajudam a diminuir o número de cigarros e vão preparando seu corpo para o dia da parada.
3. Um dia antes da data que marcou para deixar de fumar, quando for dormir, molhe com água todos os cigarros que sobraram no maço e jogue-os no lixo.
4. Não deixe nenhum cigarro para o dia seguinte porque, se tiver vontade de fumar e não tiver cigarros em casa, você terá mais sucesso, pois dificilmente você sairá devido ao risco da contaminação pelo coronavírus.
5. Se der vontade de fumar, lembre-se de que a vontade de fumar só dura cinco minutos. Para se distrair nesses cinco minutos: ligue a televisão, tome um banho, coma uma fruta, faça um exercício respiratório… Enfim, faça alguma atividade para esse tempo passar.
6. Lembre-se que essa vontade de fumar irá diminuir à medida que os dias forem passando. Tenha paciência. Da Agência Brasil

Chuva inunda cidade de Dario Meira, invade cerca de 500 imóveis e deixa famílias desalojadas

Moradores perderam móveis e eletrodomésticos. Foto: Reprodução

Fortes chuvas, na noite de sábado (10), fizeram o Riacho do Meio transbordar, provocando uma inundação no município baiano de Dario Meira, localizado na região do Médio Rio de Contas.

De acordo com informações do superintendente da Defesa Civil do Estado (Sudec), Paulo Sérgio Luz, a  água invadiu cerca de 500 imóveis e provocou a perda de móveis, eletrodomésticos, colchões, roupas e alimentos dos moradores.

”Muitas famílias estão desalojadas e desabrigadas, assistência social e defesa civil municipal estão fazendo o levantamento”, informou Paulo Luz, acrescentando que além do apoio do apoio estadual, também está sendo acionada a Defesa Civil Nacional para o envio de ajuda humanitária.

Diante da situação, ele informou que a prefeitura municipal irá decretar situação de emergência. Segundo o superintendente, o governo estadual está enviando colchões e cestas básicas, enquanto a Secretaria de Infraestrutura da Bahia disponibilizaram máquinas, caçambas e carros pipas para lavar as ruas e residências. ”O governador Rui Costa está em contato permanentemente com o prefeito de Dario Meira e está determinando essa ajuda dos órgãos estaduais”, afirmou Paulo Luz. As informações são do site Bahia Notícias

Boletim epidemiológico: Estado da Bahia registra 674 casos confirmados do novo coronavírus, diz Sesab

/ Bahia

A Bahia registra 674 casos confirmados do novo coronavírus (Covid-19) e a boa notícia é que 148 pessoas já estão recuperadas, representando mais de 21% dos casos. Este número contabiliza todos os registros de janeiro até as 17 horas deste domingo (12).

Até o momento, 4.916 casos foram descartados e 66 pessoas encontram-se internadas, sendo 28 em UTI. Também foram registrados 21 óbitos, sendo 11 do município de Salvador e dez nos municípios de Lauro de Freitas (2), Gongogi (1), Itapetinga (1), Utinga (1) e Adustina (1), Araci (1), Itagibá (1), Uruçuca (1) e Ilhéus (1). Estes dados representam notificações oficiais compiladas pelo Centro de Informações Estratégicas em Vigilância em Saúde da Bahia (Cievs-BA), em conjunto com os Cievs municipais.

Os casos confirmados estão distribuídos em 71 municípios do estado, com maior proporção em Salvador (55,16%). Quanto ao sexo dos casos confirmados, 365 (54,23%) são do sexo feminino. A mediana de idade é 39 anos, variando de 4 dias a 96 anos. A faixa etária mais acometida foi a de 30 a 39 anos, representando 28,93% do total. Porém, o coeficiente de incidência por 100 mil habitantes foi maior na faixa de 50 a 59 anos (8,68/100.000 habitantes), indicando o maior risco de adoecer.

Prefeito de Duque de Caxias testa positivo para Covid; gestor teria pedido para abrir igrejas

/ Saúde

Washington Reis está internado no Rio de Janeiro. Foto: Divulgação

O prefeito de Duque de Caxias (RJ), Washington Reis (MDB), testou positivo para a Covid-19. A informação foi divulgada pela assessoria de imprensa da Prefeitura, segundo o G1.

Reis já estava internado no Hospital Pró-Cardíaco, em Botafogo, na Zona Sul da capital, onde realizou o exame. Ele está em observação na unidade de tratamento semi-intensiva. Se quadro de saúde apresenta ”evolução satisfatória”.

No mês passado o prefeito de Duque de Caxias havia publicado um vídeo defendendo que as igrejas permanecessem abertas. Na época, o governador do Estado Wilson Witzel (PSC) assinou um decreto suspendendo eventos com aglomerações.

Em Duque de Caxias há 81 casos confirmados de Covid-19, com 16 óbitos registrados. Em todo o estado, até este domingo, são 170 mortes e 2.855 casos confirmados.

Prefeito de Simões Filho reduz o próprio salário para ações no combate do coronavírus

/ Política

A medida do gestor será valida por 90 dias. Foto: Reprodução

Em edição extraordinária do Diário Oficial do Município de Simões Filho publicada na noite do último sábado (11), o prefeito Diógenes Tolentino anunciou a redução do próprio salário para o combate ao coronavírus na região. As informações são do site G1 Bahia.

Será feito um corte de 25% no salário do prefeito, e de 10% no do vice-prefeito. A medida será valida por 90 dias ou enquanto durar o estado de calamidade proclamado no município.

Além desta redução, outras medidas para ajudar no combate da Covid-19 em Simões Filho também foram anunciadas, como a suspensão dos atos de concessão de gratificações por Condições Especiais de Trabalho – CET, exceto para quem trabalha diretamente no combate ao coronavírus.

E a renegociação dos contratos de imóveis locados pelo município, uma tentativa de reduzir o valor do aluguel em até 20%.

Até o momento o estado possui 640 casos confirmados de coronavírus com 21 mortes, de acordo com o último boletim divulgado pela Secretaria de Saúde da Bahia (Sesab).

”A região sul está enfrentando um grave surto de coronavírus”, alerta secretário da Saúde

/ Bahia

Secretário estadual de Saúde, Vilas-Boas. Foto: Carol Garcia

O secretário da Saúde do Estado da Bahia, Fábio Vilas Boas, postou um vídeo nas redes sociais no qual fez um alerta para toda a região Sul da Bahia, em especial, o município de Ilhéus, que tem crescido o número de casos positivos de coronavírus (Covid-19). ”Toda a região sul está enfrentando um grave surto de coronavírus. Os números no município de Ilhéus subiram assustadoramente””, disse o secretário, ao salientar que a população deve colaborar ficando em casa. ”Colabore, fique em casa! E caso saia, use máscara. Faço um apelo que os estabelecimentos comerciais distribuam máscaras para os funcionários e consumidores”, recomendou Vilas-Boas.

Idosa de 97 anos se cura do novo coronavírus e recebe alta do hospital em São Paulo

/ Saúde

Aos 97 anos, Gina Dal Colleto recebeu alta. Foto: Reprodução

Aos 97 anos, Gina Dal Colleto recebeu alta do hospital neste domingo, após se curar do novo coronavírus. Ela estava internada desde o dia 1º de abril no Hospital Vila Nova Star, da Rede D’Or São Luiz, em São Paulo.

Gina foi ao médico depois de apresentar sintomas como tosse e confusão mental. O diagnóstico revelou Influenza (gripe comum) e covid-19 (coronavírus). Ela teve de ser internada na UTI (Unidade de Terapia Intensiva), com oxigênio para ajudar a respiração.

A idade avançada já deixaria Gina no grupo de risco do coronavírus. Além disso, tem dois stents no coração, que também foi afetado pela doença. Ela teve inflamação cardíaca e pulmonar.

Gina foi tratada com antibióticos, diuréticos, corticoide e cloroquina. Ela deixou o hospital neste domingo sob aplausos dos médicos. A idosa tem seis netos, cinco bisnetos e mora em Santos.

”É possível ter que fazer esse adiamento”, diz o ministro Barroso sobre eleições municipais

/ Justiça

O ministro Luís Roberto Barroso, do STF. Foto: Reprodução

O ministro Luís Roberto Barroso, do STF (Supremo Tribunal Federal), afirma que a aglomeração das convenções partidárias e a fase de testes das urnas eletrônicas são os principais obstáculos à realização das eleições municipais de outubro em meio à pandemia do novo coronavírus.

Barroso assume a presidência do TSE (Tribunal Superior Eleitoral) a partir de 26 de maio, no lugar de Rosa Weber. O primeiro turno do pleito está marcado para 4 de outubro e o segundo, para o dia 25.

Em entrevista ao jornal Folha de S. Paulo, o ministro defendeu que um possível adiamento das eleições seja por poucas semanas e se disse contrário à prorrogação do mandato de prefeitos e vereadores para depois de 1º de janeiro de 2021. A entrevista foi feita na quinta-feira (9) por videoconferência, por causa do isolamento social.

O ministro se mostrou favorável às decisões do STF impondo limites ao governo de Jair Bolsonaro na crise do coronavírus e rebateu as acusações do presidente sobre a confiabilidade das urnas eletrônicas.

As eleições municipais vão ocorrer em outubro?

A minha bola de cristal está um pouco embaçada para responder com certeza. Essa decisão não precisa ser tomada agora, mas a gente não deve fechar os olhos à realidade. Se chegarmos em junho sem um decréscimo substancial da pandemia, é possível ter que fazer esse adiamento, que não deve ser por um período mais prolongado do que o absolutamente necessário para fazerem eleições com segurança. Gostaria de trabalhar com a ideia de que não seja necessário adiar e que, se necessário, que estejamos falando de algumas semanas e nada mais do que isso.

Qual problema pode atrapalhar as eleições devido à pandemia?

Há questões políticas e operacionais. As políticas são as datas das convenções partidárias, que têm limite até 5 de agosto e envolvem aglomeração. Além do próprio início da campanha, em 15 de agosto. Portanto, se houver risco de aglomerações em agosto, temos um problema.

Além disso, o sistema de urnas eletrônicas funciona primorosamente bem, mas depende de testes de segurança ao longo do período. Temos como marco junho para fazermos os testes e correções. Já temos o número de urnas suficiente para fazermos as eleições. A despeito disso, periodicamente se substitui uma parte das urnas que vão ficando antigas. Se isso não for possível, apenas teremos que aumentar o número de eleitores por urna.

A eventual destinação do fundo eleitoral para o enfrentamento do coronavírus poderia atrapalhar as eleições?

Esse é outro debate, sobre conveniência ou não desse fundo. As instituições vão ter que se adaptar à nova realidade dessa pandemia. Se o Congresso deliberar destinar parte do fundo ao coronavírus, a consequência será ter que fazer campanhas mais baratas.

Como o senhor vê, num possível adiamento das eleições, a possibilidade de prorrogar o mandato dos atuais prefeitos?

A prorrogação de mandato deve ser evitada até o limite do possível. Se ocorrer, que seja pelo mínimo tempo possível. Sou totalmente contrário à ideia de se fazer coincidir com as eleições em 2022, por questão de respeito ao princípio democrático, pois os prefeitos e vereadores foram eleitos por quatro anos e não têm mandato popular para ir além. Acho que não mudar as regras do jogo é um valor importante a ser preservado.

O senhor é a favor do voto obrigatório, qual sua opinião a respeito?

Eu ainda acho bom o voto obrigatório. Há um conceito que eles usam nos Estados Unidos chamado ‘nudge’, que é: umas coisas na vida precisam ainda de um empurrãozinho. Embora ache que a democracia brasileira tenha evoluído bem, que nós tenhamos percorrido muitos ciclos do atraso em uma única geração, que criamos uma democracia estável, ainda sim acho que ela precisa desse empurrãozinho do voto obrigatório.

Nesse momento da vida brasileira não correria o risco da deslegitimação da política pelo baixo comparecimento do eleitorado. Portanto acho que o voto é um direito fundamental e acho que ainda deve por mais algum tempo ser uma obrigação. No mundo ideal, acho que deveria ser facultativo. Na vida brasileira desse momento, eu ainda acho que ele deve ser obrigatório para evitar as deslegitimação da política.

O senhor falou que a bola de cristal está um pouco embaçada, mas qual é seu sentimento sobre esse período de quarentena?

As minhas preocupações são institucionais e com o bem do país. Há um varejo político, um varejo econômico e um médico, em que não sou o melhor interlocutor. Estou acompanhando as notícias que vêm da OMS, do Ministério da Saúde e das associações médicas. Estou me guiando por elas e, inclusive, em isolamento social. De modo que acho que precisamos de uma agenda pensada desde agora para o pós-pandemia.

Qual sua agenda?

Selecionei seis itens: solidariedade, igualdade, competência, educação básica, ciência e tecnologia. Integridade é premissa de tudo, precede ideologias e escolhas políticas. Solidariedade significa não ser indiferente à dor alheia e ter disposição para ajudar a superá-la. Quem puder ajudar o outro, desde pagando antecipadamente serviços futuros, seja do cabeleireiro, do garçom, estou estimulando. Há uma reserva mínima de justiça que o país precisa ter. Nos desencontramos disso e a pandemia jogou luz sobre a igualdade abissal que existe.

O Brasil tem sido o país do nepotismo, do compadrio. Precisamos revalorizar o mérito e a virtude. Nós só universalizamos o ensino básico cem anos depois dos Estados Unidos. Estamos precisando de um choque de iluminismo em muitas áreas. Em toda parte do mundo pesquisa depende de apoio governamental, e olha que quem está falando isso é uma pessoa que defende a diminuição do Estado econômico brasileiro, não a diminuição do estado social.

O STF tem tomado decisões nas últimas semanas tentando impor limites ao governo quando não levar em conta a ciência. O senhor concorda?

O STF produziu até agora três linhas de decisões: liberação de recursos, liberou estados do pagamento da dívida com a União e uma decisão em favor da federação, ou seja, reconhecendo a competência de governos estaduais e municipais.

Acho que há um discurso sério e consistente pelo isolamento social vindo das autoridades sanitárias. É a valorização da ciência, que foi minha própria decisão contra a campanha [do governo], que já tinha entrado na internet, “O Brasil não pode parar”, que defendia volta ao trabalho.

Há recomendação do CNJ para que juízes evitem tomar decisão no sentido de estimular o uso da cloroquina enquanto não houver a comprovação científica devida.

Não tenho dificuldade de falar porque votei em um caso parecido, que foi a da fosfoetanolamina, em que se procurou distribuir a famosa pílula do câncer, que não tinha teste clínico nem registro na Anvisa. Evidentemente, votei contra. Quando você está lidando com a vida e a saúde de terceiros, não pode lidar com especulações, superstições.

Se a cloroquina funciona ou não, não sou a pessoa certa para dizer. Para ser sincero, acho que nem o presidente da República é a pessoa certa para dizer. Há autoridades sanitárias competentes, de modo que, se disserem que é bom, acho que tem que fazer; se disserem que é ruim, não deve fazer.

O que fazer, do ponto de vista jurídico, com quem desrespeitar as recomendações e seguir fazendo aglomerações nas ruas?

A primeira coisa é a conscientização e a segunda é a intervenção para impedir as pessoas de adotarem comportamentos de risco. Eu apostaria mesmo é na conscientização. Se pessoas não cumprirem leis espontaneamente, não há polícia nem Exército que dê conta.

Outro ponto que chamaria a atenção [é] que a imprensa voltou a ter uma centralidade muito importante na vida brasileira. A imprensa perdeu espaço para as redes sociais, para o streaming e para a circulação de notícias via rede social. Isso já era um problema porque a imprensa tem papel vital de filtro das informações. A internet se tornou um espaço, infelizmente, de fake news, que são as campanhas de desinformação, de ódio.

A imprensa tem o papel decisivo neste momento, que é ajudar a fazer o filtro do que é verdade e do que não é. A pandemia fez renascer essa vitalidade da imprensa. Está todo mundo em busca de notícia de qualidade, confiável. Acho que isso pode significar um certo renascimento da imprensa tradicional com a sua credibilidade.

Como assegurar à população que as urnas são confiáveis quando o próprio presidente da República coloca em xeque essa questão?

Trabalho com o direito à luz das evidências. Até hoje, e as urnas estão aí desde 1996, não se demonstrou a ocorrência de fraude. Nunca houve notícia de fraude, ao tempo que na votação em papel os episódios de fraude eram incontáveis desde a República Velha. Acabar com a urna eletrônica e voltar para o papel é um pouco como cancelar assinatura da Netflix ou Globoplay e abrir uma locadora.

Agora, qualquer pessoa que me traga um elemento concreto e objetivo de algum problema, acho que a Justiça Eleitoral deve ser a primeira a querer apurar. Meu compromisso é com eleições limpas.

Brasil registra mais 99 mortes por coronavírus e 1.442 novos casos em 24 horas

/ Brasil

O Brasil registrou neste domingo (12), 99 novas mortes provocadas pela covid-19 e 1.442 novos casos da doença (7% de incremento) nas últimas 24 horas, segundo informações do Ministério da Saúde.

Com isso, em todo o País, o número de mortes de pessoas infectadas pelo novo coronavírus chegou a 1.223 (5,5% de letalidade) com um total de 22.169 casos. No dia anterior, eram 20.727 casos confirmados.

O Estado de São Paulo continua sendo o mais afetado, com 8.755 casos e 588 mortes, seguido por Rio de Janeiro (2.855 e 170 óbitos), Ceará (1.676 e 74) e Amazonas (1.206 e 62).

Neste sábado, 11, a adesão da população de São Paulo ao isolamento social como forma de evitar a propagação do novo coronavírus ficou em 55%. Na quinta-feira, o índice de isolamento social atingiu apenas 47%. O governo de São Paulo afirma que o ideal é 70% de isolamento para conter o avanço da doença no Estado, o mais afetado no País, com o maior número de mortes e casos confirmados.

A taxa de isolamento vem sendo medida pelo governo paulista com o apoio das operadoras de telefonia e é referente a 40 cidades com população acima de 30 mil habitantes. Em nenhuma delas o índice chegou aos 70%. As cidades com o menor índice neste sábado foram Limeira e Presidente Prudente, interior do Estado, com apenas 47% de isolamento. Já São Vicente foi a cidade com o maior índice, 62%.

Na última quinta-feira, 9, o governador de São Paulo, João Doria (PSDB), prometeu tomar medidas mais rigorosas caso a adesão popular ao isolamento social não cresça espontaneamente nesta semana. Entre essas medidas estão a aplicação de multa e até a prisão de quem desrespeitar o distanciamento, visto como essencial para mitigar a propagação do novo coronavírus. ”Espero que não tenhamos que chegar nesse patamar, mas se for necessário faremos em defesa da vida”.

Mesa Diretora da Assembleia Legislativa se reúne virtualmente nesta segunda-feira (13)

/ Bahia

A Mesa Diretora da Assembleia Legislativa da Bahia (ALBA) se reúne nesta segunda-feira (13), a partir das 14h30, para apreciar proposições legislativas relacionadas ao combate do coronavírus – principal preocupação dos deputados estaduais. São matérias que não são submetidas ao plenário, como indicações e moções, que sugerem ações preventivas, mitigadoras ou de assistência do âmbito do Executivo (nos três níveis) que serão distribuídas a relatores e votadas.

Esta será a primeira reunião do colegiado realizada através do Sistema de Deliberação Remota (SDR), agora adaptado para um público menor, e dotado de maior segurança para que não ocorram vazamento de dados. Nessa emergência, foi priorizado o funcionamento do plenário, que tem trabalhado e votado projetos urgentes.

Portanto, é significativa a quantidade de proposições na pauta algumas delas, inclusive, já executadas pela administração estadual, como o uso do hospital Espanhol para tratar vítimas do Covid-19, sugerido através de indicação pelo deputado Samuel Júnior protocolada há mais de um mês.

PROGRAMAÇÃO

Na terça-feira (14), às 10h, se reunirão também virtualmente as comissões conjuntas – Constituição e Justiça, Finanças e Orçamento e Educação e Serviços Públicos. Na pauta, o projeto que fixa em dez salários mínimos as chamadas ”obrigações de pequeno valor” oriundas de ações judiciais de terceiros contra o Estado que terão de ser pagas em até 90 dias.

Quarta-feira (15), o plenário virtual volta a se reunir, a partir das 9h30, para votar um novo grupo de mensagens de municípios solicitando a decretação de ”estado de calamidade pública” – providência que flexibiliza o manejo do orçamento anual e as suas metas fiscais.

O Legislativo continua com acesso vedado ao público externo, com acesso permitido apenas aos servidores essenciais à realização dos trabalhos. As reuniões da Mesa Diretora e das comissões técnicas só poderão ser acompanhadas através da TV ALBA, no canal aberto 61.2, da SKY 361.2, ou no canal 16 da NET – que também fornecerá imagens para o uso das emissoras de TV.

Brasil poderá realizar até 50 mil testes de covid-19 por dia, diz secretário de Vigilância em Saúde

/ Saúde

O secretário de Vigilância em Saúde, Wanderson Kleber de Oliveira, disse ontem (11) que o Brasil poderá realizar entre 30 mil e 50 mil testes, por dia, para diagnosticar a covid-19. Atualmente são feitos cerca de 4 mil testes por dia.

“Estamos fazendo o máximo possível de acordo com a disponibilidade de insumos neste momento e de acordo com realidade do Brasil”, disse em entrevista coletiva para apresentar o Boletim Epidemiológico Diário.

Segundo ele, não será possível fazer o teste em todas as pessoas, mas será feito em quantidade suficiente para analisar a propagação da doença. ”Teremos testes em quantidade suficiente para realizarmos a avaliação do cenário epidemiológico. Não teremos testes para todas as pessoas. Os testes são para conhecer a epidemia e para algumas regiões do país para que a gente possa tomar a decisão baseada na evidencia mais robusta possível”, disse Wanderson.

O secretário disse serão criados centros de coleta, onde as pessoas com sintomas leves farão os testes e receberão o resultado pelo celular em até 36 horas. ”Ainda não implementamos porque esperando as máquinas serem instaladas no parceiro privado que ganhar a concorrência. Estamos trabalhando para que isso seja o mais breve possível. Devemos iniciar o piloto em Curitiba e no Rio de Janeiro, com as máquinas da Fundação Oswaldo Cruz. Estamos em parceria com o Instituto Butantan para o estado de São Paulo”, disse. Da Agência Brasil

Jaguaquara: PM atua pra fazer cumprir decreto e combate jogos de azar em plena quarentena

/ Jaguaquara

Polícia Militar faz cumprir decreto municipal. Foto: Blog Marcos Frahm

A Polícia Militar de Jaguaquara segue fazendo fiscalização rigorosa para exigir o cumprimento do decreto municipal que restringe o funcionamento de determinados estabelecimentos comerciais no município, como forma de prevenção ao coronavírus.

Neste sábado (11), por volta das 12h, policiais militares atuaram na localidade de Inferninho, área externa do Mercado Municipal, onde segundo a PM, através de nota emitida pela 3ª Cia, um estabelecimento/Box estava em funcionamento, com seus ocupantes praticando jogos de azar. O local foi fechado e o responsável conduzido à Delegacia para adoção de medidas cabíveis.

Material apreendido

✅ R$ 995,00 (Novecentos e noventa e cinco reais) em espécie;
✅ 01 (um) celular Motorola Moto G7;
✅ Vários baralhos utilizados na jogatina;
✅ 01 (uma) pulseira prata;
✅ 01 (um) molho de chaves;
✅ 02 (dois) anéis de prata;
✅ 01 (uma) aliança dourada;
✅ 01 (uma) CNH (Carteira Nacional de Habilitação) em nome do proprietário do estabelecimento.