Mandetta diz que permanece no cargo e reiterou que ”médico não abandona paciente”

/ Brasília

Medidas de Mandetta contrariam Bolsonaro. Foto: Isac Nóbrega

O ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, anunciou na noite desta segunda-feira (6), que permanece no cargo, reiterou que ”médico não abandona paciente” e, sem citar diretamente o presidente Jair Bolsonaro, reclamou de críticas que, em sua visão, criam dificuldades para o seu trabalho à frente da pasta.

Mandetta acumulou uma série de desgastes com o presidente Jair Bolsonaro ao defender um amplo distanciamento social da população como enfrentamento do novo coronavírus. O ministro, aplaudido pela equipe do ministério ao chegar para a declaração feita à imprensa, se colocou como ”dono das dúvidas”, e não da verdade.

O ministro observou que a crítica construtiva “enobrece” e nos faz dar passos à frente. ”O que temos dificuldade é quando em determinadas situações, ou determinadas impressões, as críticas não vêm no sentido de construir, mas para trazer dificuldade no ambiente de trabalho. Isso tem sido uma constante. Vamos continuar, continuando a gente vai enfrentar nosso inimigo. Médico não abandona paciente, eu não vou abandonar”, reiterou, em um recado a Bolsonaro.

”Eu não vou abandonar, agora as condições de trabalho dos médicos precisam ser para todos. A única coisa que pedimos é o melhor ambiente para trabalhar. Começamos a semana com mais um solavanco, esperamos que possamos seguir em paz”, disse.

Mandetta destacou que, desde que chefiou o Ministério da Saúde, trabalha com uma equipe técnica, da qual é ”apenas o porta-voz”. Afirmou que a pasta é fruto ”de históricos e da melhor equipe técnica que eu sonhei em trabalhar”

”É muito difícil nesse sistema onde a gente não sabe ao certo como vai ser o próximo dia, a próxima semana. A gente não sabe se o comportamento da doença vai ser como nos outros países”, ressaltou Mandetta.

Empresário de Jequié que testou positivo para Covid-19 está recuperado da doença

/ Jequié

Empresário Juvenal Maia está curado do Covid-19. Foto: Facebook

No dia 22 de março, o empresário do setor gráfico em Jequié, Juvenal Maia publicou post em sua página pessoal no Facebook confirmando que teve positivo o seu novo para a Covid-19.

Juvenal permanecia até o Boletim da Secretaria do Saúde da Bahia (Sesab), divulgado às 17h de domingo (5), como o primeiro e único caso confirmado da infecção no município de Jequié.

De acordo com o empresário, cerca de duas semanas depois dele ter apresentados os sintomas que o levou ao encaminhamento de amostras para o exame no Laboratório Central da Bahia (Lacen), ele já não estava com os sintomas do vírus.

Foi realizado o reteste para a doença e foi confirmado como negativo. Com este resultado, também anunciado pela Secretaria de Saúde de Jequié que o paciente encontra-se recuperado. As informações são do Jequié Repórter

Mais de R$ 50 milhões serão injetados no Vale do Jiquiriçá através do Cadastro Único

Esta semana o Governo Federal deve começar a pagar o benefício emergencial, aprovado pelo Congresso Nacional, aos trabalhadores informais, aos beneficiários do Programa Bolsa Família e as mulheres que cuidam sozinha de suas casas, o valor entre R$ 600,00 e R$ 1.200,00. Na proposta inicial, o Governo Federal ofereceu apenas R$ 200,00.

O instrumento que será utilizado para pagamento dos benefícios será o Cadastro Único, então administrado pelas Prefeituras e que possuem a obrigação de mantê-los atualizado, facilitando assim o acompanhamento dos beneficiários nos programas do governo federal. Esse serviço guarda as informações pessoais e de condição de vida de famílias em situação de pobreza ou extrema pobreza e tem sido bastante utilizado nas políticas sociais, a exemplo do Programa Bolsa Família. Nos municípios do Vale do Jiquiriçá temos 81.077 famílias cadastradas no CADÚNICO, sendo que 52% estão em situação de extrema pobreza (dados dez/2019).

Indiscutivelmente, o Programa Bolsa Família (PBF) tem sido referência no mundo todo como um instrumento eficiente de transferência de renda para a população mais carente; sendo transferido aos beneficiários R$ 31 bilhões em 2019 (apenas 3% do que o governo federal pagou de juros, refinanciamento e amortização da dívida aos rentistas). Dados atualizados em março de 2020 mostram um total de 13 milhões de famílias e de 38 milhões de pessoas beneficiárias do programa, ou seja, 18% de toda população Brasileira.

É grande a força do PBF na economia dos pequenos municípios. Tomando como exemplo o Território do Vale do Jiquiriçá, em 2019 foram injetados recursos do Programa nos vinte municípios num total de mais de R$ 97 milhões, enquanto a Secretaria da Fazenda do Estado da Bahia arrecadou, no mesmo ano, de ICMS/IPVA/ITD e Taxas Estaduais pouco mais de R$ 47 milhões (49% do PBF). No Vale do Jiquiriçá apenas em Jaguaquara a arrecadação da SEFAZ-BA é maior do que os recursos do Programa Bolsa Família, enquanto Cravolândia, Irajuba e Nova Itarana não chegam a 9% da arrecadação em relação ao PBF. Temos 115.582 beneficiários no Vale que representam 37% da atual população estimada pelo IBGE para 2019.

A aversão ao Bolsa Família vem de uma herança histórica e social de exclusão, através da qual as classes mais abastadas ainda defendem a ideia de que é um absurdo os mais pobres se promoverem. Existem relatos que indicam a importância do “crédito” na vida das pessoas, destacando a maneira como saíram do anonimato e ganharam um perfil público. Pobres que tinham até vergonha de frequentar locais públicos, graças ao consumo se sociabilizaram, não apenas venceram a fome e a insegurança financeira, mas ousaram novas profissões, novos voos é a recuperação do sonho que aprenderam a sonhar.

*Por Valmir Sampaio
Consultor

Jaguaquara permite funcionamento de clínica, escritório de advocacia, hotel e até motel

/ Jaguaquara

Jaguaquara flexibiliza algumas categorias. Foto: Blog Marcos Frahm

A Prefeitura de Jaguaquara, no Vale do Jiquiriçá, decidiu prorrogar até o dia (13) de abril o decreto que suspende atividades no comércio local, restringindo, sobretudo, o funcionamento de estabelecimentos que prestam serviços não essenciais à população.

Mas o novo decreto, assinado pelo prefeito Giuliano Martinelli, flexibiliza o funcionamento de alguns estabelecimentos, exigindo que cumpram medidas restritivas para evitar aglomerações, tendo como objetivo a não propagação do novo coronavírus. Farmácias, supermercados, bancos e loterias já funcionavam desde o primeiro decreto, publicado no último dia (18) de março.

Já a nova decisão, permite, desta feita, o funcionamento, mediante agendamento individual, de estabelecimentos como clínicas: médica, odontológica, de fisioterapia e terapia ocupacional, além de salão de beleza, barbearia, petshop, escritórios de contabilidade e advocacia, devendo os responsáveis adotar medidas preventivas. Hotéis, pousadas e motéis, classificados no decreto como serviços essenciais, também estão autorizados ao funcionamento.

Apesar da autorização, a Prefeitura recomenda o distanciamento entre as pessoas. Lojas de móveis, calçados e confecções permanecem impedidas de abrir as portas. Restaurante funcionam com o serviço de delivery. Uma nova reunião, marcada para o dia 13, entre prefeitos do Vale do Jiquiriçá, representantes do Ministério Público e da CDL irá decidir sobre manutenção ou não do isolamento social na cidade mais populosa do Vale do Jiquiriçá.

Porque Jaguaquara figura entre cidades que oferecem alto risco de propagar casos de Covid-19?

/ Jaguaquara

Estudo diz que cidade oferece risco de Covid. Foto: Blog Marcos Frahm

Jaguaquara é um município localizado no Vale do Jiquiriçá, na microrregião de Jequié, no Sudoeste do Estado da Bahia, com 54.163 habitantes, (IBGE/2018). O município é servido pelas BR-116 e BR-420 e pela BA-250.

O município de Jaguaquara deve ter sido incluído nessa lista de alto risco em propagar novos casos do COVID-19, por dois motivos: presença do Ceasa e de empresas de distribuição de gêneros alimentícios e ração. O Ceasa é um centro de abastecimento que concentra a comercialização de produtos hortifrutigranjeiros e que promove a integração da produção nacional.

O Ceasa/Jaguaquara opera 24h por dia abastecendo num raio de 150 km todas as cidades, incluindo Jequié e Santo Antônio de Jesus. Em média, recebe 800 veículos entre cargas e descargas semanais. É local de um fluxo grande pessoas e veículos oriundo das cidades da Bahia e de outros estados, incluindo os da região Sudeste. Já as empresas de médio e grande porte fornecem gêneros alimentícios alimentos e ração animal para várias cidades da Bahia e do Brasil.

E claro, a presença da BR-116 que é a principal, mais movimentada e maior rodovia pavimentada do país, que atravessa o distrito Stela Câmara Dubois com mais de 10.000 habitantes, distante aproximadamente 10 km da sede e que mantém um fluxo intenso de pessoas e mercadorias com a sede, no caso a cidade de Jaguaquara.

Assim, a população do município deve redobrar a atenção quanto aos cuidados de isolamento social (quando possível), lavar as mãos com água e sabão ou use álcool em gel, cobrir o nariz e boca ao espirrar ou tossir, evitar aglomerações, manter os ambientes bem ventilados e não compartilhar objetos pessoais.

*Por Marco Antonio Reis Rodrigues / professor de Climatologia do IF Baiano / Campus de Santa Inês

Covid-19: Brasil tem 553 mortes e 12 mil casos confirmados, informa Ministério da Saúde

/ Brasil

O Brasil chegou a 553 mortes em razão da pandemia do novo coronavírus, segundo atualização divulgada hoje (6) pelo Ministério da Saúde. O número representa um aumento de 13% em relação a ontem (5), quando foram registrados 486 óbitos.

São Paulo segue como epicentro da pandemia com mais da metade das mortes de todo o país (304). O estado é seguido por Rio de Janeiro (71), Pernambuco (30), Ceará (29) e Amazonas (19).

Além disso, foram registradas mortes no Paraná (11), Distrito Federal (10), Santa Catarina (10), Minas Gerais (nove), Rio Grande do Norte (sete), Rio Grande do Sul (sete), Espírito Santo (seis), Goiás (cinco), Paraíba (quatro), Sergipe (quatro), Piauí (quatro), Pará (três), Maranhão (duas), Alagoas (duas), Rondônia (uma), Roraima (uma), Mato Grosso (uma) e Mato Grosso do Sul (uma).

Já o número de casos passou a casa dos 12 mil (12.056). O número marca um crescimento de 8% em relação a ontem, quando o balanço do Ministério da Saúde marcou 11.130. A taxa de letalidade do país ficou em 4,4%.

No balanço de hoje, foram 67 novas mortes, índice menor do que em dias anteriores. Contudo, o ritmo avança. Há uma semana (30/3), o número de mortes estava em 159. No período, a elevação do total foi de 350%. Já os casos confirmados somavam 4.579 há sete dias, o que representou um avanço de 263% até o resultado de hoje, que tem 12.056 casos.

Já o número de novos casos confirmados foi de 926, menor do que em outros dias da semana passada. O secretário de Vigilância em Saúde do Ministério da Saúde, Wanderson de Oliveira, destacou o ritmo de avanço da pandemia no país.

Na comparação entre estados, o ministério utiliza o indicador de incidência por 100.000 habitantes. A média nacional está em 5,7. Acima dela e que demandam uma atenção maior estão São Paulo, Rio de Janeiro, Amazonas, Ceará e Distrito Federal. Próximo da média, mas que implica atenção, estão Rio Grande do Norte e Roraima. O restante dos estados estão abaixo da média de incidência.

Já na comparação entre países, o secretário do Ministério da Saúde disse que o Brasil está em 15º lugar em número de casos confirmados, em 13º em número de óbitos e em oitavo em taxa de letalidade (a média global é de 5,1%).

No tocante ao perfil das mortes, 58% eram homens e 42% eram mulheres. No recorte por idade, 81% tinham acima de 60 anos. Na semana passada, esse percentual era de 90%. Já sobre as complicações associadas ao óbito, 237 tinham cardiopatia, 169 possuíam diabetes, 57 apresentavam alguma pneumopatia e 39 experimentavam alguma condição neurológica. As hospitalizações atingiram 2.424. Da Agência Brasil

Câmara de Ipiaú fará devolução de R$ 50 mil à prefeitura para compra de cestas básicas

Câmara anuncia devolução de recursos em Ipiaú. Foto: Divulgação

A Câmara Municipal de Ipiaú, cidade do Médio Rio de Contas com cinco casos confirmados de coronavírus anunciou, por meio de nota emitida nesta segunda-feira (06), pelo presidente da Casa, San de Paulista, que irá transferir aos cofres públicos da Prefeitura a quantia de R$ 50.250,00 (cinquenta mil, duzentos e cinquenta reais), com o propósito de que estes valores sejam destinados exclusivamente na aquisição de cestas básicas a serem entregues a famílias em situação vulnerabilidade social.

Na nota, o presidente diz que essa é uma das medidas adotadas pelo Poder Legislativo, objetivando contribuir com as ações que beneficiem a população, minimizando os impactos decorrentes da proliferação da Covid-19.

Após sugestão apresentada pelos vereadores Simone Coutinho, Emerson Fit, Pery de Margarete, Edson Marques, Lucas do Social, pelo vereador licenciado Jean Kleber e pelo próprio presidente da Câmara, a equipe técnica sinalizou a legalidade na pratica de devolução de parte das receitas auferidas a título de duodécimo, cujo crédito é mensalmente transferido aos cofres do Poder Legislativo, a fim de que estes valores fossem aplicados nas ações de auxílio a famílias em vulnerabilidade social, a serem executadas pelo Poder Executivo.

San esclareceu que a Câmara não dispõe de autonomia financeira para realizar a compra de cesta básicas, podendo apenas devolver parte de suas receitas, para que a Prefeitura promova a compra e distribuição de alimentos a população.

Com os valores devolvidos, será possível a aquisição e distribuição de mais de 900 (novecentas) cestas básicas, se for aplicado na compra os mesmos valores que foram recentemente licitados pelo município, através do pregão presencial 005/2020, podendo a compra ser realizada diretamente no comercio local, em razão da situação de calamidade pública que foi decretada pela prefeita Maria das Graças, em todo o território do município, no prazo de 180 dias, já que o art. 24 da Lei de Licitações permite a dispensa de licitação em casos de calamidade pública.

Vitória da Conquista: Prefeito volta atrás após críticas, revoga decreto e cancela reabertura do comércio

/ Bahia

Herzem Gusmão Pereira volta atrás e revoga decreto. Foto: PMVC

A prefeitura de Vitória da Conquista, no sudoeste baiano, decidiu, na tarde desta segunda-feira (6), revogar o decreto que autorizava a reabertura do comércio no município.

A gestão de Herzem Gusmão Pereira (MDB) sofreu críticas fortes pela decisão de reabrir estabelecimentos comerciais, visto que a cidade já tem seis casos confirmados do novo coronavírus, além de 78 aguardando resultado de exame e 25 esperando coleta.

A informação foi publicada no site Bahia Notícias, que disse ter sido informado pela Secretaria de Comunicação da Prefeitura de Vitória da Conquista.

Sancionado PL que isenta inscritos na Tarifa Social de pagar conta de água por três meses

/ Bahia

Governador sancionou projeto de lei. Foto: Mateus Pereira
O governador Rui Costa sancionou, nesta segunda-feira (6), o projeto de lei nº 23.812/2020, que isenta da conta de água, por três meses, famílias inscritas na Tarifa Social da Embasa com consumo mensal inferior a 25 metros cúbicos (m3) de água. A medida entra em vigor a partir da publicação do Diário Oficial do Estado (DOE), prevista para esta terça (7).
Mais de 233 mil famílias de baixa renda, em diversos municípios baianos, terão suas contas de água pagas pelo Governo do Estado pelos próximos 90 dias, conforme o texto do projeto. Cerca de 860 mil pessoas devem ser beneficiadas pela isenção temporária da conta de água, proporcionando uma transferência imediata de renda à parcela economicamente mais vulnerável da população baiana.

O projeto já havia passado pela validação da Assembleia Legislativa da Bahia (Alba), onde foi aprovado por unanimidade em sessão virtual realizada no último sábado (4). A medida visa socorrer a parcela mais carente da população dos efeitos econômicos provocados pela pandemia de coronavírus.

Dispensa de licitação 

Também nesta segunda-feira (6), o governador sancionou lei que dispõe sobre procedimentos complementares para enfrentamento ao coronavírus na Bahia. Conforme o documento, as contratações públicas destinadas ao atendimento de demandas relacionadas ao combate do coronavírus poderão ser realizadas por dispensa de licitação, na forma da lei federal nº 13.979. Os contratos terão prazo de duração de até 180 dias, prorrogáveis por períodos sucessivos, enquanto perdurar a situação de emergência.

Boletim epidemiológico: Estado da Bahia registra 437 casos da doença; 83 pessoas estão curadas

/ Bahia

A Bahia registra 437 casos confirmados do novo coronavírus (Covid-19), o que representa 6,7% do total de casos notificados. Até o momento, 2.511 casos foram descartados e houve dez óbitos, sendo 08 no município de Salvador (05 idosos do sexo masculino, 01 idosa do sexo feminino, 01 pessoa do sexo masculino de 55 anos e 01 pessoa de 41 anos do sexo feminino), 01 óbito no município de Utinga (sexo masculino, 80 anos) e 01 no município de Itapetinga (sexo feminino, 28 anos). A letalidade foi de 2,28%.

Este número contabiliza todos os registros de janeiro até as 17 horas desta segunda-feira (6). Ao todo, 83 pessoas estão recuperadas e 46 encontram-se internadas, sendo 26 em UTI. Estes dados representam notificações oficiais compiladas pelo Centro de Informações Estratégicas em Vigilância em Saúde da Bahia (Cievs-BA), em conjunto com os Cievs municipais.

A mediana de idade é 40 anos, variando de 4 dias a 96 anos. A faixa etária mais acometida foi a de 30 a 39 anos, representando 26,77% do total. Porém, o coeficiente de incidência por 100.000 habitantes foi maior na faixa de 50 a 59 anos (5,92/100.000 hab), indicando o maior risco de adoecer entre essa faixa etária.

Os casos confirmados estão distribuídos em 51 municípios do estado, com maior proporção em Salvador (59,95%).

AL-BA antecipa sessão que vai votar novos pedidos de calamidade dos municípios baianos

/ Bahia

Assembleia Legislativa da Bahia faz sessão virtual. Foto: Divulgação

A Assembleia Legislativa da Bahia (AL-BA) antecipou para esta quarta-feira (8) a votação dos novos pedidos de calamidade pública feitos por municípios baianos, em razão da pandemia causada pelo novo coronavírus.

A sessão estava marcada para esta quinta (9) e a alteração da data foi confirmada pelo presidente da Casa, deputado Nelson Leal, em publicação do Diário Oficial deste domingo (5).

O estado de calamidade píblica tem como consequência a flexibilização da execução orçamentária dos municípios, inclusive isentando do cumprimento de metas fiscais.

O decreto tem validade até o dia 31 de dezembro deste ano para os municípios com mais de 100 mil habitantes. Já nas cidades com menos de 100 mil moradores, a validade será de 90 dias, podendo ser prorrogados por igual período.

Em sessão anterior, ocorrida em 1º de abril, a Casa Legislativa aprovou 22 pedidos de calamidade pública. Até o momento, tiveram aprovados os pedidos feitos pelos municípios de Feira de Santana, Camaçari, Lauro de Freitas, Canarana, Jequié, Prado, São Domingos e Conde, as cidades de Amélia Rodrigues, Itaetê, Irecê, Uibaí, Casa Nova, Curaçá, Monte Santo, Filadélfia, Lapão, Abaíra, Quijingue, Itanhém, Macaúbas e Jitaúna. As informações do BNews

IF Baiano produz e entrega álcool 70° a serviços de saúde no sudoeste da Bahia

/ Bahia

O Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia Baiano (IF Baiano) entregou, na última semana, 130 litros de álcool etílico líquido 70° INPM Glicerinado a serviços de saúde dos municípios de Guanambi e Pindaí, localizados na região sudoeste da Bahia. O álcool está sendo produzido por alunos e servidores nos laboratórios do Campus Guanambi do IF Baiano.

A iniciativa conta com o apoio das prefeituras dos municípios, através de uma parceria firmada pela direção do campus, visando o enfrentamento da pandemia do coronavírus. ”Entregamos 100 litros para a prefeitura de Guanambi e 30 litros para a prefeitura de Pindaí”, informou o coordenador da produção, Ricardo Brandão, técnico de laboratório do instituto.

A ideia de produzir e entregar álcool para os profissionais de saúde surgiu dos estudantes do curso de Licenciatura em Química, em meados de março. Hoje, são 10 pessoas colaborando na produção, dentre elas, professores, técnicos e sete alunos do curso.

O álcool etílico líquido 70° INPM Glicerinado que está sendo produzido é equivalente ao álcool 77° GL, também chamado de álcool 70%, que é a concentração mínima considerada eficaz no combate ao coronavírus. Segundo Brandão, o processo de produção baseia-se na concentração em massa do álcool etílico, com a utilização do álcool 92,8º INPM ou 99,5° INPM. ”O processo é rigorosamente executado sob temperatura de 20°C e aferido com o aparelho alcoômetro”, explica o servidor.

A pretensão é dar continuidade aos trabalhos e produzir mais 120 litros de álcool nesta terça-feira, 07. ”Já temos a matéria-prima e estamos aguardando a chegada de mais insumos para aumentar a produção”, concluiu.

Festival online contará com shows dos cantores Marília Mendonça, Léo Santana e Dilsinho

/ Entretenimento

Léo e Marília participarão de festival online. Foto: Flaney Gonzallez

O escritório artístico Work Show, promete 7 horas de muita música com um Festival ao vivo online reunindo grandes nomes da música brasileira na atualidade.

Após o sucesso das lives de Gusttavo Lima e Jorge & Mateus, o escritório convocou Marília Mendonça, Léo Santana, Maiara e Maraisa, Dilsinho, Luiza e Maurilio, Diego e Victor Hugo, Paulo e Natan e João Neto e Frederico para um mega show no dia 17 de abril.

O evento vai acontecer da casa de cada artista e será transmitido no Youtube simultaneamente. Os shows tem início a partir das 19h.

Ministério da Educação autoriza antecipar formaturas de medicina, enfermagem, farmácia e fisioterapia

/ Saúde

MEC autoriza antecipar formatura da área de saúde. Foto: Reprodução

O Ministério da Educação autorizou a formatura de alunos dos cursos de medicina, enfermagem, farmácia e fisioterapia, exclusivamente para atuação desses profissionais nas ações de combate à pandemia do novo coronavírus. A Portaria nº 374/2020 foi publicada hoje (6) no Diário Oficial da União.

A medida vale para instituições federais de ensino e tem caráter excepcional, enquanto durar a situação de emergência de saúde pública. Para antecipar a colação de grau, os alunos precisam ter cumprido 75% da carga horária prevista para o período de internato médico ou estágio supervisionado.

O internato médico é o período de dois anos de estágio curricular obrigatório para os estudantes de medicina. Já o estágio obrigatório supervisionado para os cursos de enfermagem, farmácia e fisioterapia equivalente a 20% da carga horária total do curso.

A seleção e alocação dos profissionais será articulada com os órgão de saúde municipais, estadusia e distritais.

De acordo com a portaria, a carga horária dedicada pelos profissionais no esforço de contenção da pandemia deverá ser computada pelas instituições de ensino para complementação das horas devidas de estágio obrigatório, para a obtenção do registro profissional definitivo. A atuação dos profissionais também será bonificada, uma única vez, com o acréscimo de 10% na nota final do processo de seleção pública para o ingresso nos programas de residência.

Na semana passada, o governo encaminhou ao Congresso a Medida Provisória (MP) nº 934/2020 que estabelece normas excepcionais sobre o ano letivo da educação básica e do ensino superior. Nela está previsto que instituições de educação superior poderão abreviar a duração desses cursos, desde que o aluno cumpra, no mínimo, 75% da carga horária do internato do curso de medicina ou do estágio curricular obrigatório dos cursos de enfermagem, farmácia e fisioterapia.