Jornalista é identificada como vítima fatal da queda de aeronave em pista de um resort em Barra Grande

/ Bahia

Avião caiu na pista de um resort, em Barra Grande. Foto; Reprodução

A aeronave de pequeno porte de propriedade do banqueiro José João Abdalla Filho  que caiu durante o pouso na pista de um resort em Barra Grande, distrito do município de Maraú, baixo-sul da Bahia,  na quinta-feira (14), não apresentou anormalidade durante procedimento de decolagem em Jundiaí, interior de São Paulo, segundo informou o Consórcio VOA-SP. De acordo com a empresa, o avião com prefixo PT-LTJ pousou no Aeroporto Estadual Comandante Rolim Adolfo Amaro de Jundiaí por volta das 13h15, vindo de Sorocaba (SP).

O pouso foi feito em uma pista particular, ao lado do resort Kiaroa Eco-Luxury Resort, que está desativado. A mulher que morreu na queda do avião foi identificada como Marcela Brandão Elias, 37 anos, jornalista e relações públicas que estava no avião com a irmã Maysa Marques Mussi, que é casada com Eduardo Mussi, irmão do deputado federal licenciado Guilherme Mussi (PP-SP).

Outros nove passageiros feridos foram inicialmente, levados para um posto de saúde de Barra Grande e, posteriormente foram encaminhadas para o Hospital Geral do Estado (HGE), uma para o Hospital do Subúrbio e três para o Hospital Municipal de Salvador, em Cajazeiras, em aeronaves do Grupamento Aéreo da Polícia Militar (Graer). Segundo a Secretaria da Saúde do Estado (Sesab), do total de feridos, oito são adultos, sendo cinco homens e três mulheres, e uma criança do sexo masculino.

Celulares pré-pagos de 17 estados, incluindo a Bahia, devem ser recadastrados até segunda

/ Tecnologia

Titulares de linha telefônica pré-paga em 17 estados têm até a próxima segunda-feira (18) para recadastrar e atualizar seus dados, sob risco de ficarem com o serviço bloqueado. A medida faz parte do projeto da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) para a criação do cadastro nacional de usuários dos serviços de telefonia celular pré-paga.

A exigência vale para os moradores dos estados de Alagoas, Amazonas, Amapá, Bahia, Ceará, Espírito Santo, Maranhão, Piauí, Rio Grande do Norte, Pará, Paraíba, Pernambuco, Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul, Roraima, Sergipe e São Paulo. Os demais estados e o Distrito Federal já concluíram essa etapa de recadastramento.

Esta é última fase da campanha de comunicação aos consumidores com cadastros desatualizados, realizada pelas prestadoras Algar, Claro, Oi, Sercomtel, Tim e Vivo, dentro do Projeto Cadastro Pré-Pago.

Segundo a agência reguladora, o objetivo da iniciativa é assegurar uma base cadastral correta e atualizada, para evitar a ocorrência de fraudes de subscrição (linhas associadas indevidamente a CPFs) e, dessa forma, ampliar a segurança dos consumidores.

Recadastramento

Os usuários de pacotes pré-pagos serão acionados pelas operadoras por canais como mensagem de texto, ligações ou pop ups em sites. O procedimento é aplicado apenas aos usuários com pendências cadastrais. As operadoras também disponibilizaram canais de atendimento para fornecer mais informações sobre o recadastramento, como páginas específicas nos sites e números.

Pessoas que tiverem a linha pré-paga bloqueada poderão atualizar os dados cadastrais junto à sua prestadora por meio dos canais de atendimento disponíveis, como call center e espaço reservado ao consumidor na internet. Nesse contato, devem ser informados o nome completo e o endereço com o número do CEP. No caso de pessoa física, é necessário informar o número do CPF e, para pessoa jurídica, o CNPJ. Também poderão ser solicitadas informações adicionais de validação do cadastro.

Para evitar fraudes, os usuários podem confirmar se o SMS de solicitação de recadastramento recebido foi, de fato, encaminhado pela prestadora contratada. Da Agência Brasil

Euclides Fernandes defende maior segurança para os usuários dos terminais rodoviários e hidroviário

/ Política

Euclides Fernandes apresenta projeto na AL-BA. Foto: Divulgação

O deputado Euclides Fernandes (PDT) apresentou, na Assembleia Legislativa, o Projeto de Lei 23.649/2019, que dispõe sobre a obrigatoriedade de instalação de sistema de segurança, com detector de metais, nos terminais rodoviários e hidroviários de embarque e desembarque de passageiros, sob concessão pública, às empresas privadas localizadas no estado da Bahia.

No documento, Fernandes proíbe a criação ou majoração de tarifas de qualquer natureza dos passageiros para o aparelhamento do sistema de segurança. O legislador escreve que o PL visa reduzir os problemas de segurança enfrentados pelos cidadãos que utilizam este tipo de serviço.

De acordo com o pedetista, o sistema com detector de metais possibilita o gerenciamento do controle do fluxo de pessoas, proporcionando maior segurança a todos que transitam nos terminais.

Euclides Fernandes explica que, nos últimos meses, a Bahia constatou diversos ataques por meio de assaltos nos ônibus, inclusive com armas de fogo, causando inúmeros transtornos aos consumidores. Ele fala que o sistema de segurança deficiente coloca em risco a integridade física e a própria vida dos trabalhadores e clientes dos terminais de transporte, concluiu o parlamentar.

Projeto deverá passar pelas comissões de Constituição e Justiça; Meio Ambiente, Seca e Recursos Hídricos; Saúde e Saneamento; Educação, Cultura, Ciência e Tecnologia e Serviço Público; e Finanças, Orçamento, Fiscalização e Controle.

 

Morre aos 79 anos, em Salvador, Carlos Luiz Alencar, irmão do senador Otto Alencar

/ Política

Um dos irmãos do senador Otto Alencar (PSD), Carlos Luiz Mendonça de Alencar, morreu na noite desta quinta-feira (14) aos 79 anos. Em nota, o parlamentar lamentou a perda. ”Carlos Alencar cessa de viver aos 79 anos e deixa uma história de vida marcada por sentimentos de amizade, trabalho e solidariedade com todos aqueles que com ele conviveram”, diz o texto enviado pela assessoria de imprensa. O sepultamento será nesta sexta-feira (15), às 16h, no Cemitério Jardim da Saudade, em Salvador.

Ministro da Educação afirma que feriado da República é ”infâmia contra Pedro II”

/ Educação

Ministro da Educação, Abraham Weintraub. Foto: Gabriel Jabur

O ministro da Educação, Abraham Weintraub, criticou por meio de seu perfil no Twitter as comemorações a respeito da proclamação da República, comemorada nesta sexta-feira (15). De acordo com ele, o imperador Dom Pedro II foi injustiçado. ”Há 130 anos foi cometida uma infâmia contra um patriota, honesto, iluminado, considerado um dos melhores gestores e governantes da História (Não estou restringindo a afirmação ao Brasil)”, disse o ministro.

Dom Pedro II cedeu o comando do país em 15 de novembro de 1889 ao Marechal Deodoro da Fonseca, primeiro presidente do regime republicano. O chefe do MEC também aproveitou para criticar a ex-presidente Dilma Rousseff (PT) e fez elogios à princesa Isabel, filha de Dom Pedro II ,e à dona Leopoldina, mulher de Dom Pedro I.