Pesquisa diz que Zé Cocá lidera todos os cenários pesquisados para prefeitura de Jequié

/ Política

Zé Cocá é um dos nomes cogitados para 2020. Foto: Divulgação

As intenções de voto para as eleições de 2020 na cidade de Jequié em levantamento realizado pelo Bahia Notícias, de Salvador, e a empresa Séculus Análise e Pesquisa revelaram que o deputado estadual Zé Cocá (PP) aparece a frente em todos os cenários pesquisados.

Em uma primeira conjuntura estimulada, o progressista surge com 42,26%, mais que o dobro do segundo colocado Roberto Britto (15,90%). Os nomes que aparecem em seguida são os de Dr. Fernando (10,46%), do deputado federal Leur Lomanto Junior (6,53%), Hassan (5,02%), Professor Roberto Godim (3,01%), Alexandre Iossef (2,18%), Dr. Alex (1,67%), Roberto Pina (0,33%) e Vitor Lavinsk (0,17%). A opção “nenhum” foi a escolha de 5,02%, não souberam 5,27% e 2,18% não opinaram.

Outro cenário, em que foram apresentados sete nomes aos eleitores, Zé Cocá somou 43,82% e seguiu em vantagem sobre o segundo colocado Roberto Britto (14,34%). Leur Lomanto Junior aparece com 9,16%, Alexandre com 4,46%, Pé Roxo com 4,38%, Roberto Pina 3,19% e Professor Godim 1,99%. Os eleitores que não souberam representam 9,56%, os que não escolheriam nenhum 6,37% e 2,73% não opinaram.

Em uma simulação em que Zé Cocá enfrentaria Alexandre Iossef, o deputado estadual pontuou 66,11% contra 8,37% de Iossef. 11,72% não escolheriam nenhum, 9,62% não sabem e 4,18% não opinaram.

Se o embate fosse entre Cocá e Roberto Britto o progressista sairia em vantagem com 53,56% contra 26,78%. Aqueles que não sabem somaram 8,36%, os que não escolheriam nenhum 7,53% e não opinaram 3,77%. Em outra possibilidade levantada, Zé Cocá pontuaria 60,25% contra 20,08% de Dr. Fernando. 8,37% não escolheriam nenhum dos dois, 7,53% não souberam e 3,77% não opinaram.

O último cenário estimulado pesquisado revelou Zé Cocá com 62,76% e Professor Roberto Godim com 9,62%. “Nenhum” foi a alternativa de 12,13%, “não sabe” 9,21% e ‘não opinou” 6,28%.

No cenário em que não foram apresentados nomes aos eleitores Zé Cocá aparece com 38,49%, seguido de Roberto Britto (13,81), Antônio Brito (8,79%), Dr. Fernando (5,86%), Hassan (3,35%), Leur Lomanto Junior (1,92%), Marcel Rodeiro (1,17), Professor Godim (1,09%), Edgar da Coorperativa (0,84%), Rui Costa (0,67%), Pé Roxo e Colorido pontuaram igualmente 0,50%, assim como Ivan do Leite e e Euclides Fernandes com 0,42%, Caçote (0,25%) e Roberto Pina (0,17%).

O nome do deputado Antonio Brito não foi incluído porque o parlamentar até o momento não esternou sua intenção de se candidatar se assim o fizer incluiremos não próxima

O atual prefeito Sérgio Gameleira não poderá concorrer a prefeitura de Jequié me 2020, pois já geriu a cidade por dois mandatos. O primeiro quando assumiu a gestão por ser vice de Tânia Brito, e depois quando foi eleito prefeito em 2016. Uma nova candidatura e eleição configuraria um terceiro mandato.

O levantamento Bahia Notícias e Séculus Análise e Pesquisa ouviu 1.555 pessoas entre os dias 05 e 06 de novembro. O intervalo de confiança é de 95% e a margem de erro máxima estimada é de três pontos percentuais para mais ou para menos sobre os resultados encontrados no total da amostra.

 

Triste ver o STF decidir jurisprudência ao gosto do freguês, diz Joice Hasselmann em Salvador

/ Política

Joice participa de lançamento de pré-candidatura. Foto: Vagner Souza

A deputada federal Joice Hasselmann (PSL-SP), ex-líder do governo Bolsonaro na Câmara Federal está em Salvador, neste sábado (9), para participar do Congresso Nacional do Avante. A parlamentar comentou sobre a soltura do ex-presidente Luís Inácio Lula da Silva, que deixou a carceragem da Polícia Federal em Curitiba, nesta sexta-feira (8).

”É uma tristeza para o Brasil porque a gente tem visto que o STF tem decidido sua jurisprudência de acordo com o freguês. Tínhamos até 2009 uma jurisprudência que se condenado em segunda instancia era prisão. De 2009 até 2016 mudou de novo. Em 2016 muda de novo e agora muda de novo? Em nenhum país sério, a Constituição fica sendo interpretada ao gosto do freguês. É muito triste porque isso mostra que nossa Constituição é fraca ou se faz fraca pela mão do Supremo”, disse.

Para Joice, caberá ao Congresso Nacional decidir, através de uma Proposta de Emenda à Constituição, a prisão de condenados em segunda instância. ”Agora cabe a nós do congresso nacional decidirmos, uma vez por todas, se vale ou não vale. E vamos ver quem tem maioria. A gente não tem que dar trela para polarização. É o que lula quer e o é que radicais da direita querem. Eu sou de direita assumidamente, mas não sou xiita. Estar aqui hoje é a prova disso”, completou. As informações são do BNews

Deputado Isidório lança pré-candidatura a prefeito de Salvador e é enaltecido por Bacelar

/ Política

Sargento Isidório será candidato pelo Avante. Foto: Vagner Souza

Com presença de vários políticos, incluindo o vice-governador João Leão (PP), o deputado federal Pastor Sargento Isidório (Avante) oficializou, na manhã deste sábado (09), sua pré-candidatura à prefeitura de Salvador, em evento nacional do partido. Em seu discurso, o deputado federal Bacelar (Podemos), também pré-candidato e especulado para compor a chapa com Isidório, elogiou o colega e afirmou que Salvador precisa deixar de ser uma cidade excludente.

”Salvador vai se tornar uma cidade de todos. E não uma cidade dessa minoria que há séculos só faz se aproveitar da cidade. À frente, Isidório”, bradou o parlamentar, conforme publicação do site Política Livre

Também presente, o vice-governador João Leão (PP) afirmou que o governador Rui Costa (PT) não compareceu porque está com gripe. Sobre Isidório, o pepista disse que ele cuidará dos pobres. ”ACM Neto cuidou dos ricos. Isidório vai cuidar dos pobres”, discursou. O evento também contou com a presença da deputada federal Joice Hasselmann (PSL).

PF deflagrou operação para investigar atos irregulares cometidos durante a aplicação de provas do Enem

/ Educação

A Polícia Federal (PF) deflagrou neste sábado (9) uma operação para investigar atos irregulares cometidos durante a aplicação de provas do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), na Bahia e no Rio de Janeiro.

Com o nome de ”Thoth”, o deus egípcio da escrita e da sabedoria, a operação pretende buscar provas sobre problemas que teriam acontecido no último domingo (3), quando foram aplicadas as provas de Linguagens, Ciências Humanas e Redação.
Foram cumpridos dois mandados de busca e apreensão expedidos pela 12ª Vara Federal de Fortaleza, nas casas de mulheres que aplicaram os exames. Embora os mandados tenham sido cumpridos na capital do Ceará, a PF informou também que continua investigando, com o apoio do Inep, casos relatados na Bahia e no Rio de Janeiro.

As suspeitas podem ser indiciadas pelo crime de fraude em certames de interesse público. Se forem condenadas, elas podem ter que cumprir até cinco anos de prisão, além de multa. O segundo dia de provas do Enem acontece amanhã (10).

Durante discurso em SP, Lula chama Moro de canalha e diz que Deltan montou quadrilha

/ Política

Lula foi solto na sexta-feira, em Curitiba. Foto: Ricardo Stuckert

Em discurso que aconteceu na tarde deste sábado (9), em São Bernardo do Campo, no ABC, na sede do Sindicato dos Metalúrgicos do ABC, o ex-presidente Lula chamou o ministro da Justiça, Sérgio Moro, de ‘canalha’ e afirmou que o procurador Deltran Dallagnol montou uma quadrilha.

”Eu tomei a decisão de ir lá pra Polícia Federal, eu poderia ter ido a uma embaixada, eu poderia ter udo a um outro país, mas eu tomei a decisão de ir lá, porque eu preciso provar que o juiz Moro não era juiz, era um canalha que estava me julgando”, afirma Lula em discurso em São Bernardo.

O petista atacou também o procurador da República Deltan Dallagnol, chefe da força-tarefa da Lava Jato em Curitiba. ”Eu precisava provar que o Dallagnol não representa o Ministério Público, que é uma instituição séria. Ele montou uma quadrilha.”

Além de Moro e Deltram, Lula também chamou o ministro da Economia, Paulo Guedes, de ‘destruidor de empresas públicas’.

”Eu duvido que o seu Bolsonaro durma com a consciência tranquila que eu durmo. Eu duvido que o ministro demolidor de sonhos, destruidor de empregos e empresas públicas, chamado Guedes, durma com a consciência tranquila que eu durmo. E eu quero dizer pra eles que eu estou de volta, eu estou de volta.”

Leilão da folha de benefícios do INSS gera arrecadação e aumenta bancos pagadores

/ Economia

Mais bancos vão pagar benefícios do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS). Foi concluído nessa quinta-feira (7) o pregão da folha de benefícios. Com isso, sobe de 17 para 23 o número de bancos que passam a pagar o benefício, informou hoje (9) o INSS.

Segundo do órgão, o leilão deve gerar uma arrecadação de R$ 24 bilhões nos próximos cinco anos. Ao todo, 23 instituições bancárias participaram do certame, concorrendo pelo direito ao pagamento de novos benefícios a serem concedidos entre 2020 e 2024.

O pregão da folha do INSS foi realizado nos dias 5, 6 e 7 de novembro, em Brasília. Com o resultado, estima-se uma arrecadação para os cofres públicos de R$ 1,3 bilhão no primeiro ano, superada a expectativa inicial de arrecadação de R$ 266 milhões. Como os benefícios concedidos se acumulam durante a vigência do contrato, o pregão realizado responderá por uma arrecadação total de cerca de R$ 24 bilhões.

Segundo o INSS, com o aperfeiçoamento das regras do edital, bancos de médio e pequeno porte também puderam concorrer. Isso permitiu aumentar em 23% o número de bancos que passam a pagar os benefícios.

O órgão também destaca “significativa melhora” na precificação dos valores mínimos de cada um dos lotes, que foram, antes mesmo da abertura do pregão, reajustados em mais de 3.000% se comparados aos valores mínimos iniciais do pregão anterior.

No pregão anterior, havia bancos que pagavam apenas R$ 0,15 centavos para receber as contas dos segurados em praças como a cidade de São Paulo, por exemplo. Com o novo pregão realizado, para o lote de São Paulo o lance mínimo foi de R$ 10,97, sendo o lance vencedor no valor de R$ 65,50 para cada benefício pago, informou o INSS.

Atualmente o INSS possui em sua folha de pagamentos mais de 35 milhões de benefícios, com a expectativa de 5 milhões de novos benefícios por ano.

Somados todos os 26 lotes, o ágio médio alcançado foi de 612%, com destaque para os lances vencedores do lote 2 (Alagoas e Sergipe), que atingiu ágio de 9.200% do preço inicial; lote 3 (Mato Grosso e Mato Grosso do Sul), com ágio de 1.720% e lote 23 (Paraíba), que registrou ágio de 999%.

Segundo o INSS, o elevado grau de concorrência também foi constatado pelo elevado número de rodadas em cada um dos lotes. No caso da disputa do lote 14 (interior do Rio Grande do Sul), por exemplo, o vencedor somente foi definido após 782 rodadas de lances.

Vantagens operacionais para o INSS
Para o INSS, o pregão atual trouxe outras vantagens além das financeiras. Os bancos que participaram do pregão além do pagamento de benefícios, terão que cumprir outras obrigações, como a realização da prova de vida e a notificação dos beneficiários em caso de suspeita de irregularidades, por exemplo. Outra novidade é a obrigatoriedade de os bancos emitirem de forma gratuita o primeiro cartão de saque com função de débito, sem a necessidade de abertura de conta.

O segurado não terá custos
O INSS esclarece que a realização do pregão e o fato de haver uma grande arrecadação de valores para o INSS não representa qualquer custo para os beneficiários do INSS. De acordo com as regras que regularam o pregão, os custos do pagamento da folha são exclusivos das instituições pagadoras, não existindo nenhum ônus ou valor que recaia sobre o benefício concedido ao cidadão.

”O valor arrecadado pelo INSS é usado para a própria manutenção dos serviços da autarquia, que com essa arrecadação poderá continuar investindo na sua modernização e na melhoria do atendimento”, diz o órgão.

Como funciona o pregão
O pregão da folha é o procedimento de licitação destinado à escolha das instituições financeiras responsáveis pelo pagamento dos benefícios previdenciários e assistenciais concedidos pelo INSS. Esses pregões acontecem desde 2009, a cada cinco anos.

Pelas regras do pregão, a instituição bancária vencedora receberá a preferência para realizar o pagamento dos novos benefícios concedidos nos anos de 2020 a 2024, podendo manter o pagamento da respectiva carteira pelos 15 anos subsequentes.

Os bancos participantes recebem novos benefícios até o limite de sua capacidade operacional, que é previamente informada ao INSS. Esgotando-se a capacidade de atendimento do banco vencedor, o banco que ofertou o segundo maior lance recebe o direito de fazer o pagamento do benefício e assim sucessivamente.

Quem já é segurado
A entrada das novas instituições pagadoras não afeta os contratos em vigor, que permanecem firmados com as instituições vencedoras dos pregões anteriores.

Com isso os beneficiários que já recebem benefício não terão qualquer modificação na forma de recebimento dos seus benefícios.

Agência Brasil

ACM Neto critica decisão do Supremo e alfineta soltura de Lula; ”não há o que discutir”

/ Política

ACM discorda da decisão do Supremo. Foto: Vagner Souza

O prefeito ACM Neto (DEM) criticou, na noite desta sexta-feira (8), a decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) de proibir a prisão após condenação em segunda instância. O presidente nacional do Democratas alfinetou, sem citar nomes, ao comentar sobre a soltura do ex-presidente Lula da carceragem da Polícia Federal em Curitiba.

”É claro que a soltura do ex-presidente Lula passa a ser um consequência natural da decisão tomada pelo Supremo Tribunal Federal e deve ser vista, portanto, dentro da legalidade. Da mesma forma que a prisão dele foi feita dentro da legalidade, a soltura ocorre dentro da legalidade”, pontuou ao site Política Livre.

Questionado sobre rumores que a liberdade do petista poderia unir a relação hoje desgastada de parlamentares de direita ao presidente Jair Bolsonaro (PSL), Neto classificou a teoria como ”muito genérica”. ”Eu acho que a soltura do ex-presidente Lula tendo sido jurídica deve ser respeitada. Mais cedo ou mais tarde, iria acontecer e não vejo que isso venha mudar o cenário político brasileiro. Mesmo preso, o ex-presidente Lula tinha sua liderança e continuava fazendo política”.

Ainda em entrevista, o democrata afirmou ter ”receio” que a nova jurisprudência do STF contribua para a impunidade no país. ”Já manifestei que decisão do Supremo tem que ser respeitada, mesmo quando com ela não se concorda. Eu não concordo com a decisão do Supremo. Eu, particularmente, defendo a possibilidade de prisão após o julgamento em segunda instância. Receio que isto acabe contribuindo para a impunidade no Brasil, mas a decisão foi tomada. Tecnicamente não há o que discutir, tem que ser, portanto, respeitada”, destacou.

Bolsonaro enaltece Sérgio Moro, após decisão do STF que deve soltar ex-presidente Lula

/ Política

Bolsonaro não comenta decisão do STF. Foto: Isac Nóbrega

Ainda sem comentar a decisão do STF (Supremo Tribunal Federal) sobre prisão em segunda instância que pode beneficiar o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, o presidente Jair Bolsonaro (PSL) atribuiu sua eleição à atuação do ministro Sergio Moro (Justiça) enquanto juiz.

Em discurso na cerimônia de formatura de curso para Polícia Federal, Bolsonaro elogiou sua equipe de ministros, entre eles Moro, que estava no evento. O presidente lembrou do episódio de 2017 em que o ex-juiz ignorou o capitão reformado em um aeroporto e disse que isso ocorreu porque Moro não poderia se aproximar de políticos ou ter partido.

”Ele estava cumprindo sua missão. Se essa missão dele não fosse bem cumprida, eu também não estaria aqui”, disse. ”Então parte do que acontece na política no Brasil devemos a Sergio Moro. Se for comparar a uma corrente, talvez o elo mais forte dessa corrente”.

Bolsonaro ainda não comentou publicamente a decisão do STF. Na noite de quinta-feira (7), o plenário do Supremo decidiu, com placar apertado de 6 votos a 5, que um condenado só pode ser preso após o trânsito em julgado (o fim dos recursos), alterando a jurisprudência, que desde 2016, tem permitido a prisão logo após a condenação em segunda instância.

A decisão, uma das mais esperadas dos últimos anos, tem potencial de beneficiar cerca de 5.000 presos, segundo o CNJ (Conselho Nacional de Justiça), incluindo Lula, preso desde abril de 2018 pelo caso do tríplex de Guarujá (SP). O Brasil tem, no total, aproximadamente 800 mil presos.

No início do julgamento, ele havia publicado em suas redes sociais uma mensagem dizendo ser favorável à prisão após condenação de segunda instância. ”Aos que questionam, sempre deixamos clara nossa posição favorável em relação à prisão em segunda instância. Proposta de Emenda à Constituição que encontra-se no Congresso Nacional sob a relatoria da deputada federal Caroline de Toni (PSL-SC)”, escreveu.

Mais tarde, a publicação na rede de Bolsonaro foi apagada. O filho do presidente Carlos Bolsonaro (PSC-RJ), vereador na cidade no Rio, pediu desculpas pela mensagem. ”Eu escrevi o tweet sobre segunda instância sem autorização do presidente. Me desculpem todos!”, escreveu o vereador na sua conta do Twitter. ”A intenção jamais foi atacar ninguém! Apenas expor o que acontece na Casa Legislativa!”, afirmou o vereador.

Folhapress

Petista, Rui Costa comemora liberdade de Lula: ”Significa que o país pode ser pacificado”

/ Política

Rui Costa teria visitado Lula em Brasília. Foto: Reprodução

O governador da Bahia, Rui Costa (PT), comemorou a liberdade do ex-presidente Lula (PT), após 580 dias preso na Polícia Federal em Curitiba. Para o chefe do Palácio de Ondina, ”Lula livre significa que o país pode ser pacificado”.

”Não queremos mais ódio, queremos amor. Queremos respeito ao próximo. É a luta por um país mais igual”, disse o petista.

Lula foi solto no início da noite desta sexta-feira (8), após mudança no entendimento do Supremo Tribunal Federal (STF) sobre a prisão após condenação em 2ª instância. O petista foi preso no dia 7 de abril de 2018, no âmbito da Operação Lava Jato, por corrupção e lavagem de dinheiro no caso do tríplex do Guarujá

Na noite de quinta (7), após voto de Minerva do presidente da Corte, Dias Toffoli, o Supremo determinou, por 6 votos a 5, que nenhum réu poderá ser preso até que todos os recursos fossem julgados. Segundo o Ministério Público Federal, pelo menos 38 condenados pela Operação Lava Jato serão beneficiados.