”Eu vejo, eu ouço”, diz o ministro Sérgio Moro sobre manifestações de apoio à Lava Jato

/ Brasil

Manifestações saíram as ruas em apoio a Moro. Foto: Reprodução

O ministro da Justiça, Sérgio Moro, fez uma breve manifestação sobre os protestos promovidos pelo MBL Brasil em todo o país em apoio a ele e à Operação Lava Jato. Em suas redes sociais, Moro compartilhou uma notícia sobre as manifestações deste domingo (30) acompanhada da legenda: “Eu vejo, eu ouço”. As manifestações ocorrem semanas após o site The Intercept Brasil começar a divulgar supostas conversas entre o ex-juiz da Lava Jato e procuradores do Ministério Público Federal.

Bebê de dois meses abandonado em avenida de Camaçari é resgatado por policiais militares

/ Bahia

Bebê foi abandonado em avenida de Camaçari. Foto: Divulgação/SSP-BA

Um bebê do sexo masculino, de dois meses, foi encontrado por policiais militares, na manhã deste sábado (29), na Avenida Jorge Amado, em Camaçari, cidade da região metropolitana de Salvador. A informação é da Secretaria de Segurança Pública (SSP-BA).

De acordo com a secretaria, a criança foi deixada na avenida, ao lado de uma pasta com documentos, pela guarnição do 12° Batalhão da Polícia Militar (BPM/Camaçari). A SSP-BA informou que os militares faziam patrulhamento de rotina, em Camaçari, quando foram avisados por populares sobre um bebê que foi abandonado na Avenida Jorge Amado. Quando os PMs chegaram ao local indicado confirmaram a denúncia.

O Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) foi acionado e fez o atendimento da criança, ainda na avenida. Em seguida, uma mulher apareceu alegando ser a mãe e os policiais notaram que a mulher aparentava ter distúrbios mentais.

Conforme informações do Conselho Tutelar, a mulher que alegou ser mãe da criança é a genitora. Ela foi encaminhada para o Hospital Geral de Camaçari para passar por uma avaliação médica pois, segundo o Conselho, na tentativa de diálogo, a mulher falava coisas desconexas e pedia o filho de volta. Com isso, não foi possível saber o motivo do abandono.

Jovem de 19 anos é detido após destruir móveis de casa e tentar agredir mãe com machado

/ Polícia

Machado usado pelo jovem foi apreendido. Foto: Divulgação/SSP

Um jovem de 19 anos foi detido após tentar agredir a mãe com um machado, na manhã deste domingo (30), na cidade de Paulo Afonso, no norte da Bahia. Segundo a Secretaria da Segurança Pública do estado (SSP-BA), o suspeito foi flagrado com a ferramenta na mão depois de destruir móveis e aparelhos eletrônicos da casa da família.

De acordo com a SSP, guarnições do 20° Batalhão da Polícia Militar (BPM/Paulo Afonso) estiveram no local após um vizinho denunciar o caso, por volta das 6h. Quando os policiais chegaram no imóvel, no bairro Jardim Aeroporto, o suspeito tentou resistir à ação policial, mas foi contido e levado para a delegacia da cidade, junto com a mãe e o machado.

Na unidade policial, conforme informou a SSP, a vítima preferiu não registrar queixa contra o filho, contudo, Jeferson Rodrigues da Silva foi foi autuado por dano e ameaça, como prevê a Lei Maria da Penha. Após o registro, o jovem foi liberado. O caso está sob investigação da Polícia Civil. G1

Plano Real, que segurou inflação, completa 25 anos

/ Economia

Os brasileiros com mais de 40 anos têm fácil memória das estratégias das famílias para mitigar os efeitos da hiperinflação sobre a renda nos anos 1980 e 1990. “Era uma ginástica danada. Tinha que ir atrás de promoções e nem sempre eram suficientes”, conta Rute Maria de Souza, dona de um restaurante self-service há quase 30 anos na zona central de Brasília.

Tendo que repor constantemente a despensa da cozinha do estabelecimento, a empresária ia mais de uma vez ao dia em supermercados e sempre via a mesma cena: “Eu me lembro das remarcações no mercado. Quando chegava, lá estava a maquininha trabalhando”.

Para fugir das intermináveis remarcações, a então professora de ensino fundamental Cléia Gerin, mãe de quatro filhos, estocava alimentos, material de limpeza e sabão para lavar roupa. “O feijão ficava velho, e assim era mais difícil de cozinhar. Acabava que gastava mais gás”, comenta, ao citar a necessidade de sempre comprar mais do que efetivamente precisava no mês para fugir da imparável subida de preços.

“A partir do momento em que recebia, era aquela loucura de ir ao mercado para comprar o máximo que pudesse, para durar o mês todo, e para não ter que voltar porque no dia seguinte o preço seria diferente”, descreve ao recordar os tempos de inflação galopante.

Apesar das dificuldades, Cléia era professora da rede pública do Distrito Federal e tinha a segurança do pagamento todo mês. Em alguns momentos, era acrescido em sua remuneração um “gatilho” para repor as perdas inflacionárias.

Essa hipótese não existia para todos os brasileiros, como João Batista, engraxate há 45 anos em um ponto no Setor Comercial Sul de Brasília. Ele não podia majorar o preço do serviço quando precisava atualizar sua remuneração. “Só podia aumentar quando a passagem [do ônibus] aumentava”, revelando um incidental indexador da renda para trabalhadores autônomos.

A vida de João Batista foi positivamente marcada pela estabilidade monetária após o Plano Real. “Eu não tinha nada. Hoje, graças a Deus e de tanto eu trabalhar, consegui minha casa, consegui formar meus filhos”, orgulha-se.

Comunicação e convencimento

Pessoas como a pequena empresária Rute, a assalariada Cléia e o autônomo João tiveram ser convencidas que a moeda que entrou em circulação em 1º de julho de 1994, o real, não era mais uma tentativa fadada ao fracasso para estabilizar a economia, como ocorreu em seis planos emergenciais anteriores: Cruzado 1 (fevereiro de 1986); Cruzado 2 (novembro de 1986); Bresser (junho de 1987); Verão (janeiro de 1989); Collor 1 (março de 1990) e Collor 2 (janeiro de 1991).

A comunicação foi um ponto chave para que o Plano Real, implementado em etapas, fosse assimilado e tivesse engajamento. “Sem muita explicação, verbo, liderança e apoio da mídia não se consegue o principal, que é convencer, ou seja, vencer junto tanto com as cúpulas político-tecnocráticas como, principalmente, junto com o povo”, assinala o presidente Fernando Henrique Cardoso, em nota à imprensa sobre os 25 anos da iniciativa.

O jornalista Thomas Traumann, autor do livro O Pior Emprego do Mundo, que narra a trajetória de 14 ministros da Fazenda desde 1967, também aponta para o cuidado com a disseminação das medidas econômicas no lançamento do real.

Segundo Traumann, o Plano Real contou com “apoio didático preponderante da mídia”. “Os telejornais foram favoráveis ao plano desde o seu dia zero”, destaca. A informação sem sustos evitou comportamentos que em outros planos criam corrida a bancos, supermercados e postos de combustível. “Não houve surpresa. Isso foi fundamental”, acrescenta.

A transparência é elogiada até pelo ex-ministro da Fazenda Delfim Netto, crítico de alguns resultados da medida. “O Plano Real foi uma pequena joia que fará a glória dos competentes economistas que o conceberam. Mostrou que mesmo projetos complexos, quando expostos na sua integridade (começo, meio e fim), podem ser compreendidos e contar com suporte da sociedade”, escreveu à Agência Brasil. Ele admitiu que quando viu “o povo comprando berinjela em URV”, Unidade Real de Valor, ficou “na maior alegria” e viu “que o controle da inflação seria bem-sucedido”.

Ajuste fiscal e troca da moeda

De acordo com o site do Banco Central, o plano desenvolveu-se em três fases a partir do segundo semestre de 1993. Antes de a moeda entrar em circulação, houve um “esforço de ajuste fiscal, com destaque para a criação do Fundo Social de Emergência (FSE), concebido para aumentar a arrecadação tributária e a flexibilidade da gestão orçamentária em 1994 e 1995”.

O FSE desvinculou despesas e receitas orçamentárias. “De social, [o FSE] não tinha nada, mas foi a primeira vez em que se fez um ajuste nas entranhas das contas do governo”, aponta Thomas Traumann. Segundo ele, ali começou a haver uma preocupação sobre os limites até onde poderia ir o déficit público.

O economista José Ronaldo Souza Júnior, pesquisador do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea), assinala que a inflação produzia desequilíbrios nas contas públicas e dificultava a percepção do rombo. “Nem sequer tínhamos uma contabilidade pública na época. A clareza a respeito era muito pouco. Com inflação muitíssimo elevada e o déficit sendo coberto com emissão de moeda, havia uma nuvem que dificultava enxergar o problema”, disse.

Além do FSE, Souza Júnior pondera que “uma série de medidas foram tomadas com o objetivo de organizar o setor público porque se sabia que haveria uma redução de arrecadação do que se chama imposto inflacionário [quando a arrecadação sobe mais por causa do aumento de preços]”.

A gestão fiscal exigiu limitação da emissão de moeda e beneficiou-se da compra de títulos da dívida externa no mercado financeiro internacional antes do lançamento do plano. Mais adiante, o ajuste levou à renegociação das dívidas dos estados com a União e à imposição de controles das contas pelos entes federativos.

“Compreendemos que a ‘mágica’ de cortar zeros, mudar o nome da moeda ou mesmo da URV precisava de apoio em um processo de controle dos gastos públicos, renegociação das dívidas externas, privatização de bancos estaduais, enfim de uma reforma do estado. Lembre-se que a Lei de Responsabilidade Fiscal só foi aprovada em 2000 e as privatizações tomaram anos (vide telefônicas) para que seus efeitos positivos fossem sentidos”, descreve em nota o presidente e ex-ministro da Fazenda FHC.

A segunda etapa, iniciada com Medida Provisória nº 434, assinada pelo então presidente Itamar Franco em 27 de fevereiro de 1994, estabeleceu a utilização de uma moeda escritural, a citada Unidade Real de Valor (URV), que serviu como uma ponte para conversão monetária entre o cruzeiro que deixaria de existir para o real que entraria em circulação quatro meses depois.

Na última fase, iniciada há exatos 25 anos, finalmente se introduziu o real. O novo padrão monetário “implicou a necessidade de rápida e abrangente disponibilização do novo meio circulante a partir de 1º. julho de 1994”, registra página eletrônica do BC. Da Agência Brasil

Reunião discute preocupação dos comerciantes com a situação da segurança pública em Jitaúna

Segurança pública de Jitaúna é tema de audiência. Foto: Divulgação

Preocupados com a situação da segurança pública em Jitaúna, dezenas de comerciantes estiveram reunidos em busca de soluções práticas. A preocupação não é por acaso. Nos últimos tempos, uma onda de assaltos e arrombamentos a estabelecimentos comerciais tem deixado todos em polvorosa.

De acordo relatos de empresários, os marginais estão desafiando o Estado, pois ignoram os órgãos de segurança, atuando, algumas vezes, em plena luz do dia. O encontro contou com a participação do prefeito Patrick Lopes; do comandante da Cia, capitão Joabas dos Santos; do comandante da Cipe Central, major Fábio Rodrigo; além do chefe da Guarda Municipal, Aleilton e o representante da Polícia Civil, o investigador Máximos. As informações são do site Jequié e Região

Preço médio da gasolina termina semana em queda; caiu na bomba cai pela 7ª semana seguida

/ Economia

O preço médio da gasolina nas bombas terminou a semana em queda pela sétima vez consecutiva, de acordo com dados divulgados nesta sexta-feira pela Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) divulgados nesta segunda-feira (24).

O valor caiu 0,45%, para a média de 4,425 – uma redução de R$ 0,02 na comparação com a semana anterior. O número representa uma média calculada pela ANP com dados coletados em postos de diversas regiões.

O preço, portanto, pode variar de acordo com o local pesquisado. Nos primeiros 6 meses do ano, o preço da gasolina nas bombas subiu aproximadamente 1,86%. O preço médio do diesel também terminou a semana em queda. O valor recuou cerca de 0,5%, para R$ 3,57, na quinta redução semanal seguida. Da mesma maneira que ocorre com a gasolina, o número é uma média calculada pela ANP e pode variar.

Segunda noite do São Pedro de Ipiaí foi animada por Tayrone, Daniel Vieira e Larissa

/ Entretenimento

Público lota a Praça Salvador da Matta. Foto: Divulgação

A segunda noite do São Pedro de Ipiaú foi animada na área do palco principal, na Praça Salvador da Matta as bandas Cupim de Ferro, Daniel Vieira, Tayrone e Larissa. A principal atração da noite foi o cantor Tayrone, que cantou para uma multidão durante os festejos juninos. O São Pedro de Ipiaú, que tem se tornado tradição na região é realizado pela prefeitura local com o apoio da Bahiatursa.

Número de militares condenados por envolvimento com drogas subiu 706% nos últimos 8 anos

/ Polícia

A quantidade de militares das Forças Armadas condenados por posse ou tráfico de drogas cresceu 706% entre o período de 2010 e 2017. Os dados do levantamento feito pelo Superior Tribunal Militar (STM) vêm à tona em meio à polêmica prisão de um militar da Aeronáutica flagrado com 39kg de cocaína na Espanha. O resultado da pesquisa inclui as decisões em primeira e segunda instância de casos julgados na Justiça Militar da União (JMU), que é responsável pelos militares da Aeronáutica, Marinha e Exército.

Segundo o ministro da defesa, Fernando Azevedo e Silva, casos de tráfico como o que o sargento do Exército no avião da Força Aérea Brasileira (FAB) é acusado, são raros. Ele alega que a maior parte são de condenados por posse ou uso de substâncias entorpecentes, e este fator estaria ligado ao suposto aumento de usuários no Brasil nos últimos anos. Azevedo categorizou a atitude do militar como “inaceitável” e garantiu que as Forças Armadas não vão aceitar “criminosos” em sua companhia.

De acordo com o STM, em 2010 apenas 16 militares foram condenados por crimes ligados ao envolvimento com drogas. Em 2017, o número saltou para 129, com o ápice atingido em 2015, com nada menos do que 154 condenados, com um total de 358 agentes envolvidos. No total, a maior parte é composta por ”praças” – cargos de menor hierarquia militar. Somente quatro oficiais foram condenados por tais crimes neste período. Mesmo com o crescimento, o número absoluto, segundo o UOL, ainda é considerado baixo, visto o grande efetivo de militares no país, que pode chegar a 370 mil pessoas.

De topless, Preta Gil protesta contra gordofobia: ”Meu corpo é consequência das vivências”

/ Entretenimento

”A vida é um sopro”, diz Preta Gil. Foto: Reprodução/Instagram

A cantora Preta Gil resolveu protestar contra os padrões de beleza de mais uma vez. A artista, que está no México, posou de topless e fez um post no Instagram defendendo a liberdade individual de exibir o corpo. ”A vida é um sopro e eu vou ficar aqui me escondendo? Você realmente acha que eu devo me esconder ter vergonha de quem sou? Sou livre, vencedora, batalhadora eu quero mais e ser feliz”, iniciou.

”Meu corpo é consequência das minhas vivências e escolhas e posso te afirmar que vivi muitas coisas lindas e outras não tão lindas, mas que me fizeram ser quem sou: uma mulher às vésperas de completar 45 anos e extremamente realizada e grata a vida! Saia daí desse seu mundinho infeliz de julgamento e receba minha luz. Abra seu coração e vá ser feliz como eu! Sim, tenho que falar sobre isso muitas vezes sim. É chato? Para mim não, mas pra você que é gordofóbico e preconceituoso talvez seja! Ah, mas que saco… para que ela precisa se expor ? porque ela pode!”, lembrou. Nos comentários, a musa recebeu diversos elogios pela coragem de ”ser quem é”.

Prefeita de Camamu, afastada da Prefeitura, explica afastamento e diz estar apta a disputar nova eleição

/ Política

Ioná Queiroz foi afastada por improbidade. Foto: TV Guaibim

Após a divulgação de que prefeita de Camamu, no Baixo Sul baiano, Ioná Queiroz, foi afastada da prefeitura a partir de um processo por improbidade administrativa – no caso, abuso de poder econômico – nas eleições de 2008, a assessoria da gestora se manifestou informando que o indeferimento se deu em sede recursal da decisão da Justiça Eleitoral, que havia aceitado o registro de sua candidatura nas eleições de 2016.

Segundo a nota, na época, a então candidata teve o seu registro impugnado por adversários, já que em 2008 teve julgada contra si uma ação de impugnação de mandato eletivo (AIME), por supostamente ter fornecido refeições a apoiadores de sua campanha, o que geraria a sua inelegibilidade por oito anos. Contudo, informou a equipe, na ação de investigação judicial eleitoral que versou sobre os fatos, a candidata havia sido absolvida das acusações, tendo o TRE entendido que não houve qualquer ato ilícito, já que a lei eleitoral autorizava o fornecimento de alimentos para cabos eleitorais.

Sendo assim, como esta seria a única ação apta a gerar inelegibilidade, segundo o entendimento do TSE, não havia impedimento para que a candidata disputasse a eleição de 2008, e por isto, o registro foi deferido. Entretanto, o órgão teria mudado o entendimento sobre o tema, e passou a admitir que a AIME geraria inelegibilidade, que no caso vigorou  até o dia 5/10/2016  e como a eleição se deu no dia 2/10/2016, o registro de candidatura foi indeferido, ensejando a substituição da prefeita pelo presidente da Câmara, até a realização de eleições suplementares, que serão convocadas pelo TRE. Por fim, a nota atesta que não há qualquer impedimento jurídico para que a prefeita dispute as eleições suplementares que serão convocadas, já que o prazo da suposta inelegibilidade já restou superado. Com informações do Bahia Notícias

Prefeito de Jequié responsabiliza concessionária Via Bahia por ”crateras” na entrada da cidade

/ Entrevista

Sérgio endurece críticas a Via Bahia. Foto: Blog Marcos Frahm

O prefeito de Jequié, Sérgio da Gameleira (PSB), respondeu aos questionamentos da população e da imprensa, sobre as crateras que se formam na no Trevo do Poliduto, no perímetro urbano da BR-116, na entrada da cidade e que tem complicado a trafegabilidade de veículos no local.

Em entrevista ao Blog Marcos Frahm, o chefe do Executivo de Jequié responsabilizou a concessionária Via Bahia pelo desleixo e disse ter audiência marcada com representantes da empresa que administra a rodovia para tratar do assunto. ”Tem um ano e meio que, através da prefeitura, temos provocado constantemente a Via Bahia, com reuniões em Jequié e lá na sede da empresa, em Salvador. Temos um convênio para ser assinado e que vai tornar mais barato o custo da iluminação da BR-116 por parte da Via Bahia no trecho de Jequié e nós não assinamos, pois ela está pendente com o município e já ultrapassou os limites da irresponsabilidade no que se refere à iluminação e manutenção de péssima qualidade da rodovia no perímetro do nosso município”.

O prefeito garante que a problemática do Trevo do Poliduto, onde está instalada a base da Petrobras, trecho que registra diariamente grande fluxo de veículos, será o principal assunto em pauta de uma audiência marcada para o próximo dia (08/07), na sede da Prefeitura e endurece críticas a concessionária. ”O trevo é de competência da concessionária e a relação tranquila entre município e Via Bahia já está passada. Nós vamos nos reunir com eles e lutar para que os direitos do município no que concerne aos serviços prestados sejam prevalecidos. A população está correndo sérios riscos de acidentes e assaltos e queremos providências urgentes”, concluiu.

Motoristas que passam pelo local relatam que a situação se agravou com as chuvas que caíram na região nos últimos dias. O trecho te se tornado perigoso e os usuários que utilizam a via a noite temem ações criminosas.

Deputado Antônio Brito leva Raimundo ao encontro de Rui e pede apoio para 2020 em Jaguaquara

/ Jaguaquara

Raimundo, Brito e Rui trocam informações. Foto: Divulgação

Mesmo que esteja distante, a disputa sucessória municipal em Jaguaquara, que só ocorrerá em 2020,  já começa a ser articulada pelos grupos políticos que pretendem apresentar nomes para concorrer à Prefeitura do maior colégio eleitoral do  Vale do Jiquiriçá.

O deputado federal Antônio Brito (PSD), se movimenta visando o pleito do ano que vem, tanto em Jaguaquara quanto em outros municípios, a exemplo de Jequié, onde o parlamentar tenho conquistado capital político nos últimos anos. Nesta sexta-feira (28), Brito esteve em Ipiaú, para acompanhar a visita do governador Rui Costa, que fazia o lançamento do canal digital da TVE na cidade e levou ao encontro do chefe do Executivo Estadual o presidente da Câmara de Jaguaquara, Raimundo Louzado, filiado ao PR, um dos nomes cogitados pelas oposições para candidatura de prefeito.

Rui parece estar ciente de como anda o cenário político na Toca da Onça, onde o seu vice-governador João Leão (PP) tem o atual prefeito como afilhado político e o senador Otto Alencar tem o produtor de eventos Flavinho Souza como aposta do PSD. Enquanto caminhava em direção ao palanque, o governador ouviu Antônio Brito, que inclusive é da mesma sigla de Otto dizer: ”esse aqui será o nosso candidato a prefeito de Jaguaquara e queremos o seu apoio. Ele é querido pela população”.

Governador Rui Costa realiza lançamento do canal digital 4.1 da TVE na cidade de Ipiaú

/ Tecnologia

Ipiaú conta com canal aberto com sinal digital. Foto: Mateus Pereira

Os moradores de Ipiaú, no Médio Rio de Contas, passam a ter mais uma opção de canal aberto com sinal digital. Na tarde desta sexta-feira (28), o governador Rui Costa realizou o lançamento do canal digital 4.1 da TVE no município. Com um investimento de R$ 120,4 mil na nova estação retransmissora, a iniciativa também beneficia a população de Ibirataia e Itajubá.

”Nós vamos, neste ano, liberar o sinal digital da TVE para mais de 60 cidades. Queremos fazer isso de forma acelerada para garantir o acesso à diversidade cultural e para que os baianos possam se ver na televisão. Por isso, peço aos prefeitos e prefeitas que mandem para a TVE bons exemplos de educação, cultura, arte e agricultura que aconteçam em seus municípios. A TVE pertence ao povo da Bahia”, afirmou Rui.

Ao lado da prefeita Maria Mendonça, Rui Costa preside cerimônia

O canal do Instituto de Radiodifusão Educativa da Bahia (Irdeb) já chega com qualidade digital a mais de 5 milhões de baianos. As cidades de Juazeiro, Guanambi e Ipirá serão as próximas contempladas. No lançamento do canal digital em Ipiaú, o governador ainda realizou a inauguração simbólica de novos sistemas de abastecimento. Construídas pela Companhia de Engenharia Hídrica e Saneamento (Cerb), as obras atendem as localidades de Cajueiro, Passa Com Jeito e Córrego de Pedra.

Em Cajueiro, o sistema incluiu 72 ligações domiciliares, com investimento de R$ 240 mil. Já em Córrego de Pedra, o sistema atende 700 ligações domiciliares já existentes e recebeu R$ 290 mil em recursos. Na localidade de Passa Com Jeito, 50 ligações domiciliares foram implantadas a partir de um investimento de R$ 150 mil. No município, Rui também autorizou a recuperação da pavimentação da travessia urbana, em um trecho com 1,5 mil metros de extensão. O investimento é de R$ 668 mil, beneficiando 47 mil habitantes da região.

Ação da Polícia Militar de Maracás detém dois homens com droga no bairro São Miguel

/ Polícia

Dois homens foram presos pela Polícia Militar de Maracás, nesta sexta-feira (28), quando a guarnição avistou o primeiro suspeito, Raimundo da Silva Santos, 46 anos, que foi encontrado na Rua José Raimundo dos Santos, no bairro São Miguel.

Segundo a PM, ao proceder abordagem e pesca pessoal os militares encontraram com o mesmo trouxas de maconha, tendo o suspeito revelado que adquiriu a droga com o indivíduo identificado como Diemerson dos Santos Souza, 28, que foi localizado numa barbearia na mesma via pública. Com a dupla foram apreendidos dinheiro e droga. Raimudo e Diemerson foram levados para a Delegacia de Maracás.