Estado autoriza pavimentação e drenagem de vias em Amargosa, Itagi, Manoel Vitorino e outros municípios

/ Bahia

Prefeito de Amargosa comemora ordem de serviço. Foto: Paula Fróes

Durante solenidade na tarde desta quinta-feira (02), no Salão de Atos da Governadoria, no Centro Administrativo da Bahia, em Salvador, foram assinadas ordens de serviço para pavimentação e drenagem de vias de 20 municípios baianos, em diferentes regiões do território estadual. Autorizadas pelo governador Rui Costa, as obras serão executadas pela Companhia de Desenvolvimento Urbano do Estado (Conder).

As intervenções envolvem um investimento superior a R$5,5 milhões, oriundo de emendas parlamentares e de recursos próprios do Estado. ”Hoje aqui, estiveram assinando, conosco, prefeitos de vários partidos políticos, isso caracteriza um jeito novo de fazer política, de respeitar a população de cada cidade, de governar pra todos, independente de qual partido político o a prefeita ou prefeito pertence”, afirmou o governador Rui Costa.

O presidente da Conder, Sérgio Silva, acrescenta que ”hoje é somente o ato oficial, mas algumas das obras contratadas já foram iniciadas. São 21 contratos em 20 municípios e são serviços relevantes que melhoram a trafegabilidade e acessibilidade desses habitantes e também reduzem as chances de ocorrerem alagamentos”.

Os municípios beneficiados são Canarana, Feira da Mata, Ibitiara, Ipirá, Itagí, Nova Ibiá, Pau Brasil, Pé de Serra, Santa Cruz Cabrália, Santa Maria da Vitória, Teofilândia, Uibaí, Araçás, Dias D’Ávila, Manoel Vitorino, Una, Amargosa, Governador Mangabeira, Serra do Ramalho e Boa Vista do Tupim.

O prefeito de Amargosa, Júlio Pinheiro, assume que ”o sentimento que prevalece é gratidão, tanto no que se refere aos deputados e também ao governo estadual, que é sempre parceiro dos municípios, contribuindo para melhorias em diferentes áreas”. O prefeito de Boa Vista do Tupim, Helder Campos, conta que ”se trata de uma obra importantíssima para a cidade e a escolha da avenida beneficiada foi feita pela Câmara de Vereadores. Em seguida, o projeto foi formulado e entregue à Conder”

O evento contou com a presença de diversas autoridades, dentre elas o secretário do Desenvolvimento Urbano do Estado (Sedur), Sérgio Britto; secretária de Relações Institucionais (Serin), Cibele Carvalho; de Políticas para as Mulheres (SPM), Julieta Palmeira; do Trabalho, Emprego, Renda e Esporte (Setre), Davidson Magalhães; do senador Otto Alencar e o vice-governador e titular da Secretaria de Desenvolvimento do Estado (SDE), João Leão.

Abertas inscrições para seleção de professor visitante nacional e estrangeiro da UFRB

/ Educação

Estão abertas até 24 de maio as inscrições para a seleção de professor visitante nacional e estrangeiro, para uma vaga do Programa de Pós-Graduação em Ciências Agrárias da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB).

O salário pode variar de R$ 18.610,68 (Classe D, com mínimo de dez anos de doutorado) a R$ 20.443,24 (Classe E, com no mínimo de quinze anos de doutorado). O regime de trabalho é de 40 horas semanais, com dedicação exclusiva. As inscrições devem ser realizadas exclusivamente via postal (apenas remessas por SEDEX), para o endereço: UFRB – PPGCI, Rua Rui Barbosa, nº 710, Centro, Cruz das Almas (BA), CEP: 44380-000.

A contratação de professor visitante nacional e de professor visitante estrangeiro será, inicialmente, pelo período de doze meses. O tempo de contratação pode ser prorrogado até 24 meses, em se tratando de Professor Visitante Nacional; e até 48 meses, no caso do Professor Visitante Estrangeiro. Os candidatos serão avaliados com base na análise do Currículo Lattes e do Plano de Trabalho apresentados. A Comissão de Avaliação terá até o dia 11 de junho para divulgar a relação das inscrições homologadas no site de Concursos da UFRB.

O candidato selecionado deve atuar como suporte ao desenvolvimento e aperfeiçoamento qualitativo dos Programas de Pós-Graduação; apoiar os Programas de Pós-Graduação Stricto sensu acadêmicos e de projetos estratégicos de desenvolvimento institucional; viabilizar a participação de pesquisadores e profissionais de alto nível nas equipes docentes da Instituição, visando o intercâmbio científico, tecnológico e a inovação, em conjunto com grupos de competência na UFRB; e contribuir com a proposição institucional de internacionalização da pesquisa e da pós-graduação da UFRB. Mais detalhes sobre o processo seletivo e o edital estão disponíveis no site da UFRB.

Homem morre após carro invadir sinal vermelho e bater em motocicleta em Vitória da Conquista

/ Trânsito

Acidente aconteceu em um cruzamento. Foto: Reprodução/ TV Sudoeste

Um motoboy de 32 anos morreu em um acidente ocorrido na noite de quarta-feira (1º), em um cruzamento no município de Vitória da Conquista, segundo o G1. Testemunhas disseram que o motorista de um carro de passeio invadiu o sinal vermelho e atingiu a moto em que a vítima estava. Segundo a Polícia Rodoviária Federal (PRF), os dois ocupantes do carro, de 25 e 17 anos, estavam alcoolizados. A vítima, identificada como Paulo Henrique, morreu no local. O rapaz trabalhava no comércio da região há muitos anos.

O caso ocorreu na Avenida Dez de Novembro, no bairro Alto Maron. Moradores disseram que ouviram um grande barulho e quando viram era o acidente que tinha acontecido. Na manhã desta quinta (2), ainda era possível ver os pedaços da motocicleta espalhados pelo chão. De acordo com testemunhas, o motociclista descia pela Avenida São Geraldo quando foi surpreendido pelo carro de passeio, que seguia pela Avenida Dez de Novembro. Com o impacto, a motocicleta foi arrastada por cerca de dez metros.

Os ocupantes do veículo tentaram fugir, mas os moradores seguraram eles até a chegada de policiais militares. Nenhum dos dois tem carteira de habilitação. Eles não assumiram quem estava dirigindo o carro. Ainda conforme a polícia, tinha uma quantidade de maconha dentro do veículo. Segundo a polícia, há indícios de que o veículo envolvido no acidente era conduzido pelo adolescente. O carro pertence á família dele. Ele e o outro ocupante do automóvel foram apresentados na delegacia de Vitória da Conquista e liberados, após depoimento. O caso é investigado pela Polícia Civil.

Mais de 98 mil eleitorespodem ter o título cancelado na Bahia; saiba como consultar e regularizar

/ Bahia

Um total de 98.227 mil eleitores identificados como faltosos poderá ter o título cancelado, caso não procure um posto ou cartório da Justiça Eleitoral até o próximo dia 6 de maio, para regularizar a situação, segundo informações divulgadas pelo Tribunal Regional Eleitoral (TRE-BA). São considerados faltosos aqueles que não votaram nem justificaram a ausência nas três últimas eleições (regulares ou suplementares), sendo cada turno de um pleito considerado uma eleição. Em Salvador, conforme o TRE, 7.439 eleitores estão passíveis de cancelamento.

No portal do TRE-BA, é possível fazer a consulta da situação eleitoral de forma simples e gratuita. Basta procurar a opção “situação eleitoral”, no canto superior esquerdo da página principal. Após preencher o nome completo ou número do título, o serviço indicará se o título está regular ou irregular. O eleitor irregular deverá comparecer a um cartório ou posto da Justiça Eleitoral munido de documento oficial com foto e comprovante de residência. Além disso, será necessário pagar uma multa no valor aproximado de R$ 3,50 (por cada ausência sem justificativa). O processo de regularização pode ser iniciado pela internet, na página do TRE, seguindo o caminho: Eleitor e eleições> Débitos do eleitor.

Após o preenchimento dos dados pessoais, a página possibilitará a emissão de Guia de Recolhimento da União (GRU) para a quitação da multa. Depois de emitir a GRU e realizar o pagamento da pendência, o eleitor precisará se dirigir apenas uma vez ao cartório eleitoral para regularizar a situação.

Prazos

O prazo para atualização do Cadastro Eleitoral está previsto na Resolução do TSE nº 23.594/2018, que estabelece todos os procedimentos relativos ao cancelamento dos títulos eleitorais e à regularização da situação dos eleitores. Segundo o TRE-BA, os nomes dos eleitores e os números dos respectivos documentos cancelados serão disponibilizados pela Justiça Eleitoral a partir do dia 24 de maio.

Impedimentos

Confira alguns impedimentos para quem tiver o título cancelado:

  • Obter passaporte ou carteira de identidade;
  • Receber vencimentos, remuneração, salário ou proventos de função ou emprego público, autárquico ou paraestatal, bem como de fundações governamentais, empresas, institutos e sociedades de qualquer natureza, mantidas ou subvencionadas pelo governo ou que exerçam serviço público delegado, correspondentes ao segundo mês subsequente ao da eleição;
  • Participar de concorrência pública ou administrativa da União, dos estados, dos territórios, do Distrito Federal, dos municípios ou das respectivas autarquias;
  • Obter empréstimos nas autarquias, nas sociedades de economia mista, nas caixas econômicas federais e estaduais, nos institutos e caixas de previdência social, bem como em qualquer estabelecimento de crédito mantido pelo governo, ou de cuja administração este participe, e com essas entidades celebrar contratos;
  • Inscrever-se em concurso ou prova para cargo ou função pública, e neles ser investido ou empossado;
  • Renovar matrícula em estabelecimento de ensino oficial ou fiscalizado pelo governo;
  • Praticar qualquer ato para o qual se exija quitação do serviço militar ou imposto de renda;
  • Obter certidão de quitação eleitoral, conforme disciplina a Resolução-TSE nº 21.823/2004;
  • Obter qualquer documento perante repartições diplomáticas a que estiver subordinado.

Preso segundo suspeito de participar em assassinato de casal de colombianos em Ilhéus

/ Polícia

Casal de colombianos foi encontrado morto. Foto: TV Santa Cruz

Um homem suspeito de envolvimento na morte do casal de colombianos Andres Alban Tenório e Diana Paola Zuluaga, ocorrida na cidade de Ilhéus, sul da Bahia, em maio de 2018, foi preso na quarta-feira (2). De acordo com a Polícia Civil, o suspeito foi localizado quando estava em um bar na cidade e encaminhado para a 7ª Coordenadoria do Interior (Coorpin/Ilhéus).

Outro suspeito de envolvimento no crime, o empresário Magno Rodrigues, que confessou o assassinato do casal, chegou a ser preso, mas foi solto em agosto após a Justiça conceder um habeas corpus. Magno responde ao processo em liberdade.

De acordo com a polícia, o empresário alegou que agiu em legítima defesa após ter uma arma apontada para a cabeça por uma das vítimas. O homem devia R$ 7 mil ao casal, que praticava agiotagem na cidade. Conforme a defesa de Magno, a legítima defesa foi usada no pedido de habeas corpus para a Justiça, que, de acordo com a decisão, também levou em conta a falta de antecedentes criminais do suspeito e o fato dele ter emprego fixo.

Caso

As vítimas foram encontradas mortas na noite do dia 18 de maio de 2018, na BA-001, entre as cidades de Ilhéus e Itacaré, ao sul da Bahia. Eles tinham se mudado para Ilhéus havia pouco mais de seis meses. De acordo com a polícia, as investigações apontaram que, para matar o casal, o empresário marcou um encontro com os colombianos, dizendo que iria pagar o empréstimo, mas na verdade, ele planejava roubar as vítimas para pagar outra dívida de R$ 50 mil, que ele teria contraído com um grupo de ciganos.

Conforme a investigação, o suspeito ligou para os colombianos e pediu para eles irem buscar a quantia. A polícia acredita que as vítimas seguiram de carro com Magno e outros dois comparsas, que levaram os colombianos para as proximidades de um cemitério, onde foram executados. Os suspeitos foram flagrados pela polícia quando tentavam enterrar as vítimas em uma cova rasa, mas conseguiram fugir.

O suspeito alegou que marcou com os estrangeiros com a intenção de negociar a dívida, mas durante o encontro, Andres teria apontado uma arma para a cabeça dele. O empresário diz ainda que, em seguida, teria entrado em luta corporal com a vítima, conseguiu tirar a arma dele e acabou atirando neles. O empresário foi preso no dia 6 de junho após procurar a polícia. Não há informações sobre o paradeiro dos outros suspeitos apontados pela polícia. G1

Ministério da Educação prorroga calendário de renovação dos contratos do Fies; vai até dia 15

/ Educação

O Ministério da Educação estendeu o calendário de renovação dos contratos do Fies (Fundo de Financiamento Estudantil). O novo prazo termina em 15 de maio. A medida, publicada nesta quinta-feira (2) no Diário Oficial da União, é válida apenas para os contratos já firmados.

Terão direito à renovação o estudante que precisar mudar de curso ou de instituição onde está matriculado, segundo a portaria assinada por Carlos Alberto Decotelli da Silva, presidente do FNDE (órgão ligado ao ministério da Educação que faz a gestão do financiamento federal). Pelo Fies, os alunos fazem a faculdade em uma instituição privada, e a União paga as mensalidades. O estudante tem de começar a quitar as prestações um ano e meio depois de formado.

PROBLEMAS
Em março, muitos estudantes tiveram dificuldades para formalizar novos contratos do Fies. O MEC precisou estender o prazo de finalização da tomada de crédito por várias vezes depois de verificar que erros num sistema estavam barrando as novas contratações.

A chamada única do Fies para o primeiro semestre deste ano saiu em 25 de fevereiro. Os estudantes tiveram entre 26 de fevereiro e 7 de março para complementar a inscrição com documentos que atestam que eles preenchem os requisitos do programa federal. Foi nessa etapa que os alunos tiveram problemas.

Reportagem da Folha mostrou parte dos alunos ficou impedida de frequentar as aulas, que já haviam começado há mais de um mês, e até de fazer as provas. Eles disseram que chegaram a fazer périplos diários por quase um mês em agências bancárias e instituições de ensino na tentativa de resolver a questão. O problema ocorreu principalmente na obtenção do Documento de Regularidade de Inscrição (DRI) ou de Regularidade de Matrícula (DRM), necessários para a contratação ou continuidade do financiamento.

Por falha na transmissão de dados do governo federal, as instituições de ensino não estavam conseguindo emitir o documento. “Sempre aparece que o sistema do Fies está fora do ar ou que o documento está sem data ou chave de segurança”, disse Sandy da Silva, 21, de Cabedelo (PB). Por meio de nota, o FNDE disse na ocasião que as falhas ou problemas em seus sistemas podem levar o MEC a prorrogar o prazo de conclusão da inscrição para até 30 de junho.

Grupo de chineses fazem proposta milionária e encaminham compra do time do CSA

/ Esporte

CSA está de volta a Série A do Brasileiro. Foto: Divulgação

Uma empresa chinesa formalizou uma proposta de compra do CSA. Em entrevista ao jornal alagoano “Alagoas 24Horas”, o presidente do clube, Rafael Tenório, falou da provável parceria e apontou os possíveis ganhos da instituição, inclusive com a construção de um estádio.

“Os investimentos são altos e a empresa acenou com a vontade de construir uma arena, investir mais na base e tornar o CSA ainda mais forte do que está hoje. Isto tem sido estudado há algum tempo. Surgiu esta proposta de tornar o clube privado, estamos iniciando um processo de negociação comercial e que possamos dar continuidade a esta conversa”, afirmou.

Apesar da possibilidade de uma venda, Rafael Tenório garantiu que o CSA não perderá suas raízes e seus elementos mais tradicionais como nome, escudo e cores. “Isso é uma das coisas das quais não abrimos mão. O CSA tem uma tradição centenária, uma torcida e uma história mundial. Nós iremos acordar isso, mas o nome Centro Sportivo Alagoano permanecerá para sempre. O que mudará será o investimento, a administração. Nada que interfira em nossa paixão. Eles não demonstraram nenhum interesse do tipo. Estamos negociando uma marca que é forte, ninguém teria interesse em acabar com ela”, disse.

Os valores da transação não foram revelados, mas a estimativa é que os chineses desembolsem mais de R$ 100 milhões para comprar o CSA. Em dois jogos disputados no Brasileirão, o CSA perdeu o primeiro e empatou o segundo. O time ocupa a 17ª colocação com um ponto conquistado.

Otto Alencar compara Rui a Lula: ”Não fez um governo de esquerda e sim de centro-social”

/ Entrevista

Otto enaltece Rui Costa. Foto: Jonas Pereira/Agência Senado

Especulado pela imprensa nacional como uma alternativa do PT para disputar o Palácio do Planalto nas próximas eleições presidenciais, o governador Rui Costa ganhou o apoio do senador Otto Alencar (PSD).

Em conversa com jornalistas nesta quinta-feira (02), Otto disse que o nome de Rui já circula “há algum tempo” em Brasília. “A Bahia precisa de um presidente da República”, acrescentou.

O líder do PSD no Senado ainda comparou Rui ao ex-presidente Lula, pontuando que embora pertençam a um partido de esquerda, ambos decidiram fazer um governo de centro-social.

“Faz um governo bom, como Lula fez. Lula é do PT, de esquerda, mas não fez um governo de esquerda e sim um governo de centro-social, com [Henrique] Meirelles [presidente do Banco Central], com pessoas do centro, o vice dele era José Alencar”, falou.

“Rui tem o mesmo perfil do Lula, que fez um governo para o povo e não discriminou absolutamente nenhuma área, nenhum setor da sociedade brasileira. Não vejo no Brasil hoje mais condições de se governar para os extremos”, completou.

Depois, no seu discurso, o senador voltou a tocar no assunto, desta vez na frente de Rui. “Conte com meu apoio. Vou trabalhar por isso”, brincou. “O cafezinho do Palácio do Planalto é bem melhor do que o de Ondina”, completo o senador.

Otto e Rui participaram do ato de assinatura da ordem de serviço para obras de pavimentação em 20 municípios. A solenidade aconteceu na Governadoria.

”Ação de caráter ideológico e persecutório”, diz ACM, aliado de Bolsonaro, sobre corte de verba da Ufba

/ Entrevista

ACM critica decisão do Governo Bolsonaro. Foto: Max Haack

O prefeito de Salvador, ACM Neto (DEM), criticou nesta quinta-feira (2) o corte de 30% dos recursos que, dentre outras instituições, atingiu a Universidade Federal da Bahia (Ufba), medida anunciada pelo governo Jair Bolsonaro (PSL) na noite de terça (30).

Em entrevista coletiva pela manhã, ACM Neto afirmou não concordar com nenhum tipo de ação de caráter “ideológico” ou “persecutório” à universidade e disse esperar que a tesourada seja revista pelo ministro da Educação, Abraham Weintraub.

“Já dialoguei com o reitor [da Ufba], professor João Carlos [Salles], com a minha preocupação, como eu acho que deve ser de todo cidadão baiano. A universidade federal é um patrimônio da Bahia. Não pode haver nenhum tipo de ação que possa trazer caráter ideológico ou persecutório à universidade. Nós não concordamos com isso. Acho que todos nós devemos lutar para que o orçamento da universidade seja preservado, para que suas atividades acadêmicas possam se desenvolver com plena capacidade”, disse o prefeito, que cursou Direito na Ufba entre os anos de 1997 e 2001.

“A gente sabe que um corte de 30% tem capacidade de inviabilizar o trabalho da universidade. É claro que ninguém vai concordar com isso. Nós esperamos que possa haver uma revisão por parte do Ministério da Educação em relação a essas medidas que foram tomadas”, assinalou ACM Neto.

‘Balbúrdia’

Inicialmente, antes de recuar e afirmar que o corte seria estendido a todas as universidades do país, o Ministério da Educação (MEC) havia informado que a decisão afetaria instituições que não apresentaram desempenho acadêmico esperado e, ao mesmo tempo, promoviam “balbúrdia” em seus câmpi.

Indagado sobre tais justificativas, ACM Neto afirmou desconhecer quaisquer argumentos plausíveis. “Eu até vi uma entrevista do reitor, muito equilibrada, na dizendo ele que nem ele próprio sabia o que havia fundamentado a decisão. Nós tínhamos visto, primeiro, o anúncio sobre três universidades; depois, o governo disse que isso seria aplicado a todas as universidades do Brasil. A gente não sabe quais são o argumento e o fundamento pra essa decisão. Então, tem que saber qual é o argumento dessa decisão. Com o corte de 30%, a universidade não tem como sobreviver e que, portanto, ninguém vai concordar com isso”, declarou o prefeito.

Professor Edvaldo Brito diz que ao invés de cortar, MEC precisa ampliar verbas para educação

/ Educação

Edvaldo Brito critica corte do MEC a Ufba. Foto: Reprodução/G1

O professor da Ufba e vereador de Salvador, Edvaldo Brito (PSD), condenou hoje os cortes determinados pelo ministro da Educação, Abraham Weintraub, nas Universidades brasileiras. “Num país com tantas carências e desigualdades, toda política de inclusão é bem vinda. As universidades públicas são uma das principais portas de transformação, de ascensão social. Eu sou um exemplo de superação através da educação, pois, filho de uma lavadeira e de um pedreiro, não poderia me dar ao luxo de pagar para estudar”, afirmou Edvaldo, acrescentando que a Universidade Federal da Bahia “é o meu maior e melhor exemplo, a casa amada onde comecei em 1954 como empregado de um professor, depois estudante, professor e hoje emérito em plena atividade, ensinando no doutorado”. Por isso, segundo o vereador, ele acredita que o ensino público, em qualquer nível e com qualidade, deve ser ampliado para promover a inclusão social e o desenvolvimento do país. “Apesar da difícil situação econômica do Brasil, vejo com reservas cortes de verbas para a educação, que deve ser prioridade. Portanto, em vez de corte, os recursos para a escola pública devem ser ampliados”, declarou.

Presidente Bolsonaro orienta retirar manifestantes de prédio público sem ordem judicial

/ Brasília

O governo Jair Bolsonaro (PSL), por meio da AGU (Advocacia-Geral da União), orientou os órgãos federais a fazer reintegração de posse de imóveis públicos ocupados ou invadidos por manifestantes sem acionar a Justiça. Antes, os responsáveis pelos prédios pediam à AGU para ajuizar uma ação de reintegração de posse -o que, para o governo, causava demora e interrupção dos serviços nos órgãos ocupados.

Agora, segundo a AGU, os gestores deverão chamar diretamente a Polícia Federal para, com o auxílio das polícias estaduais, retirar os manifestantes. A nova norma tem como base um parecer da Consultoria-Geral da União (um setor dentro da AGU) que foi elaborado no final de 2017, no governo de Michel Temer (MDB), e desengavetado pelo ministro André Mendonça em fevereiro deste ano. A orientação foi elencada pela AGU como uma das principais ações da pasta no início deste governo. Iniciativa semelhante foi tomada em 2016 pelo governo de Geraldo Alckmin (PSDB) em São Paulo, em meio a uma onda de ocupações de escolas estaduais por estudantes.

Na esfera federal, a orientação deve se aplicar, por exemplo, às universidades federais, caso venham a registrar protestos após os cortes de verbas anunciados nesta semana, ou a unidades do Incra e da Funai, palcos comuns de manifestações de sem-terra e de indígenas, respectivamente. No caso de São Paulo, a orientação para os órgãos estaduais partiu da Procuradoria-Geral do Estado, que atendeu a uma consulta do então secretário da Segurança Pública, Alexandre de Moraes -atualmente ministro do Supremo Tribunal Federal. A norma paulista foi questionada no STF, e a ação não teve uma análise dos ministros da corte. O relator é o próprio Moraes, que travou o processo, como informou reportagem da Folha de S.Paulo no último dia 23. Conforme o novo entendimento da AGU, a administração pública federal tem o direito e o dever de atuar para proteger o patrimônio e a continuidade dos serviços.

O parecer invoca o artigo 37 da Constituição, que estabelece que a administração deve obedecer ao princípio da eficiência. Segundo o órgão, para um serviço ser eficiente, ele não pode ser descontinuado. O parecer cita um decreto-lei de 1946 (nº 9.760) que diz que “o chefe de repartição que tenha a seu cargo próprio [imóvel] nacional não poderá permitir, sob pena de responsabilidade, sua invasão, cessão, locação ou utilização em fim diferente do que lhe tenha sido prescrito”.

Rede Bahia promove série de ”demissões” na emissora nesta manhã de quinta-feira

/ Imprensa

A Rede Bahia, tradicional empresa de comunicações do estado, anunciou uma série de demissões na manhã desta quinta-feira (02). Segundo informações, a lista de desligamento pode ter chegado a 100 nomes. Entre eles estão Telma Verçosa, Márcia Freire e Mara Viana, tradicionais funcionárias da empresa. O motivo das demissões ainda não é conhecido, mas especula-se que a baixa audiência é uma das causas.