Jequié: Vereadores protocolam novas denúncias contra a gestão do prefeito Sérgio da Gameleira

/ Jequié

Colorido, Reges Silva, Laninha e Admilson. Foto: Divulgação

Vereadores de Jequié, Colorido, Reges Silva, Laninha e Admilson Careca estiveram na sede da Polícia Federal, em Vitória da Conquista, onde protocolaram denúncias contra a gestão do prefeito Sérgio da Gameleira, em relação à aplicação de verbas oriundas do chamado precatório da educação. De acordo com relatos desses e de outros vereadores, existem diversas irregularidades praticadas nas reformas de prédios escolares no Município, que precisam ser apuradas. As mesmas denúncias também foram protocoladas no Ministério Público Federal e no Ministério Público Estadual, ambos sediados em Jequié, nesta sexta-feira (9). ”Consta em planilha o pagamento de mais de R$ 29 mil reais destinados a Escola Municipal Judith Rabelo Borges, localizada no povoado de Monte Branco (distrito) onde a reforma está muito distante da realidade encontrada. Essa escola é uma pequena ponta do grande Iceberg do desmazelo que vem acontecendo com nossa educação”, escreveu o vereador Colorido, no Facebook. *Por Souza Andrade

”Brasil deu o maior cheque em branco da sua história”, diz ACM Neto sobre Jair Bolsonaro

/ Política

Prefeito ACM Neto palestra em Nova York. Foto: Divulgação

O Brasil deu o maior cheque em branco de sua história ao eleger Jair Bolsonaro como seu próximo presidente, afirmou nesta sexta-feira (9) o prefeito de Salvador, ACM Neto, em Nova York. Ele falou sobre sua administração na capital baiana a empresários, políticos e outras personalidades brasileiras e americanas na Brazilian-American Chamber of Commerce. ”O Brasil deu o maior cheque em branco da sua história para alguém nessa eleição de 2018”, disse ACM Neto, presidente nacional do DEM. ”Nunca um presidente teve um cheque em branco tão grande quanto o Bolsonaro tem.” Durante a campanha, afirmou ACM Neto, não houve preocupação em aprofundar o pensamento dos candidatos. ”Ninguém estava nem aí para discutir educação, saúde, infraestrutura. Nada.” Só agora, após a votação e com a formação dos ministérios, será possível saber o que o novo governo pensa e se propõe a fazer, complementou. Ele afirmou ainda que a participação do partido na administração de Bolsonaro vai depender dessas propostas. ”Nossa participação do governo não está vinculada a cargos, está vinculada exclusivamente à agenda que o governo terá para o país”, ressaltou. ”Mas a decisão não foi tomada ainda”. Até agora, o presidente eleito escolheu dois nomes da legenda para compor seus ministérios: Onyx Lorenzoni (DEM-RS), para a Casa Civil; e Tereza Cristina (DEM-MS), para a Agricultura. ”Não são indicações do Democratas. São quadros qualificadíssimos, que nos orgulham”, afirmou. Ele avalia as primeiras composições do governo anunciadas até o momento como ‘coerentes e acertadas”. “Não que tenham acertado em tudo, mas acertaram mais do que erraram até agora.” ACM Neto diz ter conversado com Paulo Guedes, que deve ser ministro da Economia de Bolsonaro, e discutido a agenda econômica e social do futuro governo. ”No caso da Previdência, eu tenho defendido que seja uma reforma que alcance os três entes da Federação: a União, os estados e municípios. Porque a situação dos estados e municípios é tão ruim e tão duras quanto é a do governo federal”, ressaltou.

O prefeito de Salvador defendeu ainda que se vote qualquer parte da reforma da Previdência neste ano, mesmo que, em 2019, sejam feitas mudanças maiores. Criticou, porém, declarações de Guedes, sem citar o futuro ministro, sobre dar uma ”prensa” no Congresso para aprovar a Previdência. ”Na prática, não funciona assim. É bom que haja uma crescente pressão popular, mas essa pressão popular bate, faz efeito, mas nem sempre ela decide o posicionamento do parlamentar. Então tem que ter política, tem que ter conversa, tem que ter construção”, ressaltou. O político afirmou ainda que o governo Bolsonaro vai ter que ter muito cuidado com a eleição da Presidência da Câmara e do Senado, em fevereiro. ‘Isso vai fazer toda a diferença”, disse, lembrando que os dois precisam estar comprometidos em ajudar o presidente eleito a passar sua agenda. Para ACM Neto, Bolsonaro tem a oportunidade de mostrar que consegue estruturar políticas sociais mais modernas que a dos governos petistas e conquistar os eleitores do Nordeste, ”pegando os mais pobres e tirando da pobreza, não deixando-os sempre reféns da pobreza, como talvez tenha sido a lógica do PT.”

Presidente eleito, Bolsonaro diz que tentará aparar universidades e critica centros acadêmicos

/ Política

Bolsonaro critica centros acadêmicos. Foto: Agência Senado

O presidente eleito Jair Bolsonaro (PSL) afirmou que tentará ”aparar” as universidades, em uma crítica ao estado dos centros acadêmicos. Na mesma transmissão, ele também criticou o Enem e afirmou que quer ver a prova antes de sua próxima aplicação, no ano que vem. Bolsonaro fez um pronunciamento ao vivo em sua página no Facebook. ”As universidades aqui, pelo amor de Deus, uma parte considerável delas é dinheiro jogado fora. Olha o centro acadêmico, é tanta besteira que a gente vê, tem que ir à UnB em Brasília, fui lá em Santa Catarina, o cara… maconha, era camisinha, preservativo no chão, cachaça na geladeira, tudo pichado, parecia um ninho de rato”, criticou. Bolsonaro afirmou que mudar este cenário será ”difícil”. ”Vamos querer aparar as universidades, (vão) me chamar de homofóbico, fascista, ditador… A gente vai tentar mudar isso aí, porque o brasileiro, a maioria do brasileiro que votou em mim, não quer mais isso e ponto final. Eu também não quero isso”, contou.