Se Eures cair na UPB, prefeito de Jaguaquara pode assumir presidência da instituição

/ Jaguaquara

Martinelli poderá comandar a UPB. Foto: Blog Marcos Frahm

Um período de incerteza se aproxima da União dos Municípios da Bahia – UPB. Com a luz das novas evidências reveladas nesta sexta-feira (2), pelo Ministério Público Federal – MPF, que aponta o atual presidente da entidade representativa como líder de um esquema de fraude a licitações que teria desviado mais de R$ 12 milhões nos municípios de Bom Jesus da Lapa, São Félix, Serra do Ramalho e Coribe, o prefeito de Bom Jesus da Lapa, Eures Ribeiro (PSD), o chefe do Executivo de Jaguaquara, Giuliano Martinelli (PP), aparece como provável substituto de Eures, já que o MPF pede o afastamento imediato e o bloqueio de bens do prefeito da Lapa. Giuliano foi eleito na chapa de Eures como primeiro vice-presidente da UPB, que tem o gestor de Araci, Antônio Carvalho, como vice-presidente administrativo. Conforme apurado pelo Blog Marcos Frahm, a sucessão é simples. De acordo com fonte do BMF, em caso de deposição do presidente, assume o primeiro vice-presidente. Com uma eventual saída de Eures, Martinelli passaria a ter tinta na caneta na UPB, já que os rumores são de que o prefeito de Jaguaquara não goza da liberdade que esperava ter na instituição que representa os 417 municípios baianos. Também seria voo alto na carreira de Giuliano, que exerce o segundo mandato de prefeito e, segundo um guru político, teria pretensão de disputar vaga de deputado estadual em 2022.

Jequié: Prefeito exonera mais aliados de Antônio Brito, entre eles o secretário sobrinho de César Borges

/ Jequié

Fabrício é exonerado da Infraestrutura. Foto: Blog Marcos Frahm

O prefeito de Jequié, Sérgio da Gameleira (PSB), está mesmo com a caneta afiada após o período eleitoral de 2018. Gameleira promoveu novas mudanças no alto escalão da gestão pública municipal, exonerando outros membros da ala de secretários. Depois de exonerar, em (8) de outubro último, o vice-prefeito Hassan Iossef do cargo de secretário de Saúde, para o qual havia sido indicado pelo seu cunhado, o deputado federal Antônio Brito (PSD), ocasião em que também foi mandado outro aliado de Brito, o agora ex-secretário de Agricultura Adilson Miranda, Sérgio voltou a soltar a tinta da caneta, nesta quinta-feira (1), exonerando o secretário de Infraestrutura do município, o jovem Fabrício Borges, filiado ao PSD de Brito e sobrinho do ex-senador César Borges, conforme informa o Decreto 19.441, sendo designado pela Portaria 534, para responder interinamente pelo cargo Alexsandro Souza Santos, Secretário Municipal de Governo.  E não para por aí. O Decreto 19.440 traz a exoneração de Jorge Garcia Galvão, do cargo de Secretário de Relações Institucionais e Comunicação Social, que passa a ser exercido interinamente pela Secretária de Administração, Sibely da Silva Ribeiro. Ainda com data de 1º de novembro, através da Portaria 532 foi designado o Secretario de Serviços Públicos, Carlos Renê de Souza Andrade, para responder interinamente pela Secretaria de Agricultura, Irrigação e Meio Ambiente. Nos bastidores da política, as informações dão conta o prefeito vai passar o rodo em todos os aliados de Antônio Brito após ruptura política do gestor com o deputado reeleito.

Prefeito Eures teria mandado assessor queimar casa de testemunha para evitar denúncias, diz MPF

/ Bahia

Eures é acusado de liderar esquema. Foto: Blog Marcos Frahm

Apontado como líder de um esquema de fraude a licitações que teria desviado mais de R$ 12 milhões nos municípios de Bom Jesus da Lapa, São Félix, Serra do Ramalho e Coribe, o prefeito de Bom Jesus da Lapa e presidente da União dos Municípios da Bahia (UPB), Eures Ribeiro (PSD), teria ameaçado testemunhas que tentam denunciá-lo desde 2011.  O escândalo que envolve superfaturamentos e a contratação ilícita de uma empresa para transporte escolar pertencente a Ítalo Silva (PSD), prefeito de Serra do Ramalho e aliado do gestor, foi revelado nesta sexta-feira (2)pelo Bahia Notícias (lembre aqui). De acordo com os pedidos de afastamento dos gestores do PSD, apresentados pelo Ministério Público Federal em 15 de outubro, Eures utiliza o seu assessor, Mário Abreu Filardi, e o comando da Polícia Militar (PM) de Bom Jesus da Lapa para intimidar ou tentar impedir quem fala em fiscalizá-lo ou denunciá-lo pelos supostos esquemas de desvio e concessões ilegais da prefeitura. Nos depoimentos, Mário Filardi é descrito como articulador, perigoso, violento e ”operador financeiro” do esquema que já dura, pelo menos, 5 anos nas cidades, segundo as investigações. Homem de confiança de Eures, Filardi teria recebido ordem do gestor para incendiar a casa de um homem em 2011. Na época, o atual prefeito de Bom Jesus da Lapa era deputado estadual, enquanto Mário Filardi ocupava cargo no seu gabinete na Assembleia Legislativa da Bahia (AL-BA). ”Mário é uma pessoa perigosa e foi um agente de Eures para tentar incendiar minha casa”, relatou Edimar. A tentativa teria ocorrido após o depoente ter feito representação na Polícia Federal e no Ministério Público Federal, além de dar entrevista em uma rádio local sobre um ”hospital fantasma” não construído em Bom Jesus da Lapa em 2011.  Ainda segundo o informante, a maioria dos moradores do município tem medo de denunciar irregularidades envolvendo Eures Ribeiro e Mário Filardi por temer ameaças de morte. ”O prefeito [Eures] se considera o todo-poderoso, intocável, e pensa estar às margens da lei”, declarou uma testemunha. O atual presidente da União dos Municípios da Bahia é colocado, pelo que se apurou, como “coronel” que utiliza o poder do cargo para operar o esquema. Em outro caso que revelaria o comportamento intimidatório de Eures, o MPF relata que ele chantageou professores que ingressaram com ação judicial questionando direitos que entendiam legítimos. O gestor também teria tentando embaraçar a fiscalização de órgãos de controle e de políticos da cidade. O vereador Romeu Thessing (PCdoB) teria sido impedido de fiscalizar a reforma da escola Jonas Rodrigues e estaria sendo impedido de acompanhar os pregões, apontados como ilegais pelo MPF. Quem insiste em fiscalizar as licitações, segundo a denúncia, é intimidado com a ameaça de registro criminal. Fato que pode ter acontecido com o vereador Neto Magalhães (DEM) quando o mesmo tentou ter acesso a um documento. Procurado para repercutir as denúncias, Eures não quis atender a reportagem.

O CASO

O Ministério Público Federal (MPF) pediu à Justiça Federal o afastamento imediato e o bloqueio de bens do prefeito de Bom Jesus da Lapa e presidente da União dos Municípios da Bahia (UPB), Eures Ribeiro (PSD), e do prefeito de Serra do Ramalho, Ítalo Rodrigo Anunciação (PSD). O MPF solicitou o bloqueio de R$ 12 milhões em bens dos prefeitos, outras três pessoas e uma empresa envolvida no esquema. O pedido está em sigilo, mas o Bahia Notícias teve acesso ao documento. Os prefeitos do PSD são investigados pelo envolvimento em um esquema de enriquecimento ilícito na fraude de licitações e superfaturamento na contratação do transporte escolar, reforma e construção de escolas, fornecimento de materiais escolares e de combustíveis no município de Bom Jesus da Lapa. Do Bahia Notícias

MPF pede afastamento e bloqueio de R$ 12 milhões do prefeito de Bom Jesus da Lapa e presidente da UPB

/ Bahia

Eures é alvo do Ministério Público. Foto: Blog Marcos Frahm

O Ministério Público Federal (MPF) pediu à Justiça Federal o afastamento imediato e o bloqueio de bens do prefeito de Bom Jesus da Lapa e presidente da União dos Municípios da Bahia (UPB), Eures Ribeiro (PSD), e do prefeito de Serra do Ramalho, Ítalo Rodrigo Anunciação (PSD). O MPF solicitou o bloqueio de R$ 12 milhões em bens dos prefeitos, outras três pessoas e uma empresa envolvida no esquema. O pedido está em sigilo, mas o Bahia Notícias teve acesso ao documento. Os prefeitos do PSD são investigados pelo envolvimento em um esquema de enriquecimento ilícito na fraude de licitações e superfaturamento na contratação do transporte escolar, reforma e construção de escolas, fornecimento de materiais escolares e de combustíveis no município de Bom Jesus da Lapa.  O afastamento imediato do cargo foi pedido, segundo o MPF, em razão da ação dos gestores para tentar atrapalhar, com intimidação e chantagem, as investigações que apuram desvio de recursos públicos. No esquema, que teria iniciado em 2013, Eures e Ítalo contrataram irregularmente, de acordo com o MPF, a empresa Prestação de Serviços, Transporte e Locação Ltda (PSTL), com sede em Serra do Ramalho. A empresa é a responsável pelo transporte escolar do município de Bom Jesus da Lapa.

 

Ao longo das investigações, foram colhidas, segundo o órgão, ”robustas evidências” da existência de um esquema organizado na contratação de veículos e motoristas inadequados para o serviço escolar. Entre as irregularidades, são apontadas contratações de empresas de fachada e pagamentos por serviços não realizados, especialmente praticadas pelo prefeito Eures Ribeiro. O presidente da UPB teria direcionado a licitação para enriquecer ilicitamente. Gelson Dourado Filho, atual Controlador Interno do Município de Serra do Ramalho e representante da empresa contratada, também é investigado.  Além de Eures e Ítalo, são investigados e foram alvos dos pedidos de bloqueio de bens o ex-secretário de Transportes e atual secretário de Infraestrutura e Serviços do município, o vereador licenciado Fábio Nunes Dias, e Marcondes Barbosa Ferreira, pregoeiro e presidente da Comissão Permanente de Licitação.  Estão envolvidos ainda, no esquema, o ”assessor dos dois prefeitos”, Mário Abreu Filardi, e o secretário de Administração de Bom Jesus da Lapa, Eudes Matos Dias. Eles são apontados, respectivamente, como operadores financeiro e administrativo da operação fraudulenta.  Eures já é réu em outra ação de improbidade, que investiga a omissão do gestor na declaração de dados quanto à gestão do lixo na cidade. O MPF pediu afastamento dos prefeitos pelo prazo de 180 dias, que pode ser prorrogado. Caso a solicitação seja atendida pela Justiça Federal, eles ficam proibidos de frequentar ou acessar as dependências das prefeituras municipais de Bom Jesus da Lapa e de Serra do Ramalho, como também as respectivas secretarias, sob pena de multa pessoal de R$ 100 mil por cada ato de descumprimento. Com informações do Bahia Notícias

Cruz das Almas: Adolescente de 13 anos grávida de 7 meses morre em tiroteio entre polícia e suspeito

/ Polícia

Uma garota de 13 anos, com 7 meses de gestação, foi morta com um tiro no peito durante a madrugada desta sexta-feira (2), em Cruz das Almas, no Recôncavo Baiano. O caso ocorreu durante uma ação de combate as drogas no bairro Banguela. De acordo com informações do site Forte Noticia, Evelin Carla Conceição dos Santos foi encontrada ferida em via pública por agentes da Polícia Militar logo após uma intensa troca de tiros com um suspeito de trafico de drogas que estava escondido em uma residência. Ela chegou a ser socorrida e encaminhada a Unidade de Pronto Atendimento (UPA), mas não resistiu. A mãe da adolescente pediu por justiça enquanto aguardava a remoção do corpo para o Instituto Médico Legal (IML). ”Mataram minha filha e minha netinha, quero justiça”. Durante a operação foram apreendidas uma pistola de calibre 9mm de uso restrito das forças armadas e um revólver de calibre.38. Dentro de uma casa utilizada por suspeitos de trafico de drogas foram encontradas 170 pedras de crack e duas pedras de crack maiores, 25 pacotes de maconha, 118 pinos maiores contendo cocaína, 73 pinos menores contendo cocaína, 64 papelotes menores de maconha, 1 vazo plástico com pó para refino, 3 porções maiores de cocaína, 1 tablete grande de maconha, dois pacotes de sacos para condicionar drogas, 1 rádio comunicador com base para carregar, 6 celulares e R$ 2.853 reais em dinheiro. Com um suspeito identificado como  Osvaldo Ferreira  foram apreendidos um saco contendo maconha, 20 pedras de crack, 40 pinos de cocaína, 28 trouxas de maconha e um celular.

Cemitério de Jaguaquara sem espaço para sepulturas; Prefeitura diz que começou a construir um novo

/ Jaguaquara

Cemitério está em péssimas condições. Foto: Blog Marcos Frahm

O município de Jaguaquara possui, na sede, apenas um cemitério, que enterra ultimamente praticamente corpos de pessoas que já sejam proprietárias de covas. O restante da população passa por  maus bocados tentando encontrar um espaço para sepultar seus entes queridos. Construído em 1923, na gestão do então prefeito Guilherme Martins do Eirado Silva, o cemitério público municipal, localizado no bairro Palmeira, foi esquecido pelas últimas administrações e pela atual, e está defasado, com a sua estrutura física comprometida. Nesta sexta-feira (2), Dia de Finados, a reportagem do Blog Marcos Frahm, durante visita ao órgão, voltou a receber informações de que os coveiros estavam enterrando os corpos em covas rasas, e que agora a situação se complica, com a falta de espaço para sepultamento. Foram construídas gavetas, cujo número não atende a demanda. As pessoas que circulavam no interior do cemitério para prestar homenagem aos mortos lamentavam a falta de espaço para sepultura e a deteriorização do local.

Novo Cemitério

Procurada, a Prefeitura de Jaguaquara informou que o problema está prestes a chegar ao fim, com a entrega de um novo cemitério, que está com sua construção em fase avançada no loteamento Arco – Íris, bairro Casca e que de acordo com a administração municipal deverá ser inaugurado em 2019. A Prefeitura informou ainda ter encontrado dificuldades na viabilização de uma área para construir um novo cemitério, com resistência de populares de alguns bairros, mas que, de fato, a problemática será solucionada.

Mais de 3 mil galinhas transportadas irregularmente de MG são apreendidas na BR-116

/ Trânsito

Ação ocorreu no trecho do município de Jequié. Foto: PRF

Policiais rodoviários federais apreenderam 3.200 mil galinhas transportadas irregularmente em uma carreta na BR-116, no trecho de Jequié, na madrugada desta sexta-feira (2). Segundo a Polícia Rodoviária Federal (PRF), a ação ocorreu no KM-667 da BR-116, durante uma fiscalização. O condutor da carreta, que não teve a identidade divulgada, não tinha Guia de Trânsito Animal (GTA), que é necessária para esse tipo de transporte. Conforme a PRF, o homem, que tem 52 anos, contou que saiu da cidade de Uberlândia (MG) com destino a Feira de Santana, município a cerca de 100 km de Salvador. O veículo foi interceptado a cerca de 250 km do destino. Após a apreensão, as aves ficaram sob responsabilidade da Agência de Defesa Agropecuária da Bahia (ADAB). De acordo com a PRF, as galinhas devem ser encaminhadas para inspeção veterinária e abate sanitário. O motorista será notificado.

Preparo emocional é fator importante na hora de realizar vestibulares, afirma Psicóloga

/ Educação

Mais de cinco milhões de brasileiros realizam neste domingo (4) a primeira etapa do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). Neste ano, a prova que era feita em um final de semana, será aplicada em dois domingos, 4 e 11. Faltando poucos dias para a realização do exame que garante vagas em diversas instituições de ensino superior do país, a tensão acompanha os alunos e alguns acabam deixando que ela interfira de maneira negativa no processo. Terminado o ensino médio, a entrada no ensino superior é desejada por grande parte dos estudantes. Em outros casos, muitos veem na graduação uma maneira de profissionalização para o mercado de trabalho. Independente da motivação, a aprovação é algo muito almejado e esse desejo torna o momento que antecede o exame ainda mais angustiante. De acordo com a psicóloga do Hapvida, Marta Érica Souza, a agonia nesse período pré-prova é reflexo do resultado que as pessoas mais próximas, os pais e amigos, esperam dos candidatos. “Os jovens costumam colocar suas esperanças nas avaliações e a sociedade cobra incessantemente que esse estudante sempre dê o seu melhor. Para que essa tensão não se agrave, é importante que o estudante esteja preparado, sinta-se confiante e receba apoio daqueles que estão à sua volta. Sem tais cuidados temos uma grande chance do agravamento dos fatores como ansiedade, tensão e, em alguns casos, a depressão. Durante as provas é aconselhável levar ”petiscos” para a distração da mente, é uma saída positiva. Segundo Marta, um doce ou um salgado pode ser ingerido quando alguma resposta difícil for resolvida ou ainda quando chegar um certo nível de cansaço. ”Pôr um perfume de Jasmim ou Camomila em um local específico da roupa ou mão também auxilia bastante para que em caso de crises a pessoa possa se sentir ambientalizada”, finalizou. Na véspera do exame, é aconselhável que o estudante durma bem, procure distrair-se com amigos ou familiares, se alimentar de forma leve e revisar apenas os pontos essenciais, além de se programar para a avaliação. Outro ponto levantado por Marta é a respiração diafragmática, que poderá ser utilizada em caso de ansiedade ou esquecimento repentino no dia da prova.

Homem é condenado a quase 5 anos por tentar matar ex com mais de 50 facadas em Feira

/ Justiça

Foto mostra ferimentos em vítima após crime. Foto: Aldo Matos

Um homem foi condenado a quatro anos e sete meses em regime aberto pela tentativa de assassinato contra a ex-namorada com 54 facadas no ano passado, em Feira de Santana, segunda maior cidade da Bahia. Uma amiga que tentou impedir o crime também foi ferida. O julgamento ocorreu na quinta-feira (1º), no Fórum Desembargador Filinto Bastos. O Ministério Público informou que vai recorrer da decisão. De acordo com a polícia, Henrique Cerqueira de Oliveira, de 27 anos, atacou Thainá Ellen Santos de Oliveira, de 20 anos, com quem teve um relacionamento. A amiga, também atingida pelos golpes, é Aline Silva de Jesus. O crime aconteceu no dia 25 de agosto de 2017 na casa de Aline, que fica no bairro Monte Pascoal, em Feira de Santana. Segundo familiares de Thainá, Henrique não aceitava o fim do namoro. A mãe da jovem relembrou da gravidade do estado de saúde da filha por conta do ataque. ”Ela levou 54 facadas. Uma atingiu o pulmão e foi a mais grave. Ela precisou ficar internada, tomou três bolsas de sangue”, relatou Sinete Santos. Após o julgamento, Henrique voltou para Conjunto Penal de Feira de Santana para aguardar a liberação de um juiz e começar a cumprir a pena em liberdade.

O caso

Conforme denúncia do Ministério Público Estadual (MP-BA), Thainá começou um relacionamento amoroso com Henrique em 2 de julho de 2017, e pouco mais de um mês, decidiu não dar continuidade.No dia 25 de agosto do mesmo ano, por volta das 6h, Henrique foi até a casa de Aline, onde Thainá estava e bateu no portão. Thainá preferiu não atender, mas após insistência do ex, a jovem foi até o portão. Ao abrir, Henrique logo desferiu os golpes de faca contra a vítima. Ela foi atingida nas regiões da cabeça, pescoço, abdômen, tórax, braço e virilha. Aline, amiga da vítima, ao ver a situação, tentou intervir e foi ferida no abdômen. Após os crimes, Henrique fugiu do local, mas abandonou a faca usada para atingir as vítimas na casa de Aline. No mesmo dia ele, foi encontrado e preso por policiais militares no bairro Feira X, também no município.

Educação: bom uso do português será diferencial na redação do Enem, diz professor

/ Educação

A prova de redação do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) deverá ser mais exigente este ano, e os estudantes deverão estar atentos, sobretudo ao uso da língua portuguesa, segundo o coordenador pedagógico do Vetor Vestibulares, Rubens César Carnevale, que foi corretor da redação do Enem por três anos seguidos, de 2014 a 2016. ”O que aparece na correção do Enem é a gramática instrumental. O aluno tem que ser usuário do idioma. Não precisa ser especialista, não tem que saber nomenclatura, mas tem que saber usar”, diz. Neste domingo (4), os 5,5 milhões inscritos no Enem farão as provas de linguagem, ciências humanas e redação. Terão para isso, o tempo de 5 horas e 30 minutos. O Enem continua no dia 11 de novembro, com as provas de ciências da natureza e matemática.O rigor da correção, segundo o professor, tem aumentado a cada ano. Em 2018, a previsão é que os corretores estejam mais exigentes, principalmente em relação ao uso da língua portuguesa. Pelo menos duas competências das cinco avaliadas no Enem cobram explicitamente o idioma. ”O Enem tem aperfeiçoado o método de correção. Não tem mais a expectativa de que aconteça o que ocorreu há quatro anos, quando alunos colocavam receitas ou hinos e tiravam nota. A expectativa não é mais essa. O treinamento dos corretores está mais rigoroso. Vai ter treinamento depois da prova. Isso é feito em todas as bancas de vestibular”, afirmou. Para ir bem na prova, o professor dá algumas dicas, como fazer um rascunho com os principais tópicos que pretende abordar no texto. Além disso, dar atenção ao primeiro parágrafo porque ele vai definir o estilo e a linha de discurso: ”O melhor é já causar uma boa primeira impressão”.  Se o tema for polêmico, Carnevale recomenda que os estudantes coloquem a visão contrária para que o avaliador entenda que o autor da dissertação compreende o panorama completo. Apesar disso, ressalta: ”O texto deve ter uma conclusão clara e, embora seja possível listar outros pontos de vista na redação, não deve haver dúvida sobre a mensagem que o autor do texto pretende passar”. Na proposta de intervenção, exigida no texto, o estudante deve deixar claro alguns elementos, primeiro, o agente, que é quem vai tomar a medida; a ação necessária; depois o meio para que seja executada e a finalidade da intervenção. Desde o ano passado, desrespeito aos direitos humanos não é mais motivo para zerar a redação inteira, mas, ainda poderá zerar uma das competências, resultando em perda de 200 pontos.

Capacitação

Em 2018, a correção será de responsabilidade da Fundação Getúlio Vargas (FGV). O preparo dos corretores começou em agosto. Segundo a FGV, todos os supervisores e avaliadores de redação do Enem passaram por uma capacitação a distância por cerca de um mês. A seleção dos melhores foi baseada em uma série de avaliações realizadas ao longo desse curso. Além da capacitação a distância, os avaliadores também participarão, nos dias 24 e 25 de novembro, de uma capacitação presencial. Antes do início da correção efetiva, eles passam ainda por um pré-teste. Durante a correção efetiva, que começará no dia 28 de novembro, os supervisores e coordenadores acompanham diariamente o desempenho dos avaliadores por meio de relatórios gerados pelo software de correção, com números em tempo real, para que os alinhamentos ocorram de forma rápida, sem prejuízos aos participantes.

Correção

Os textos serão avaliados por, pelo menos, dois professores, sem que um conheça a nota atribuída pelo outro. A redação será avaliada considerando-se cinco competências. Para cada uma delas, os avaliadores darão uma nota de 0 a 200. A soma desses pontos comporá a nota total de cada avaliador, que pode chegar a 1 mil pontos. A nota final do participante será a média aritmética das notas totais atribuídas pelos dois avaliadores. Caso as notas atribuídas individualmente pelos avaliadores tiverem uma diferença de mais de 100 pontos, ou a nota de qualquer uma das competências tiver uma diferença de mais de 80 pontos, a redação passará por um terceiro avaliador. Nesse caso, a nota final será a média aritmética das duas notas totais que mais se aproximarem. Se a diferença continuar depois da terceira avaliação, a redação será avaliada por uma banca presencial composta por três professores, que atribuirá a nota final do participante.

Competências

As competências avaliadas nas redações são:

Competência 1: Demonstrar domínio da modalidade escrita formal da língua portuguesa. Competência 2: Compreender a proposta de redação e aplicar conceitos das várias áreas de conhecimento para desenvolver o tema, dentro dos limites estruturais do texto dissertativo-argumentativo em prosa.

Competência 3: Selecionar, relacionar, organizar e interpretar informações, fatos, opiniões e argumentos em defesa de um ponto de vista.

Competência 4: Demonstrar conhecimento dos mecanismos linguísticos necessários para a construção da argumentação.

Competência 5: Elaborar proposta de intervenção para o problema abordado que respeite os direitos humanos.

Redação nota zero

As redações do Enem receberão a nota zero nos seguintes casos:

Fuga total ao tema;

Não obediência à estrutura dissertativo-argumentativa;

Caso tenham até sete linhas, tamanho considerado insuficiente;

Cópia integral de um ou mais textos motivadores da Proposta de Redação e/ou de textos motivadores apresentados no Caderno de Questões;

Impropérios, desenhos e outras formas propositais de anulação, tais como números ou sinais gráficos fora do texto;

Parte deliberadamente desconectada do tema proposto;

Assinatura, nome, apelido ou rubrica fora do local devidamente designado para a assinatura do participante;

Texto predominantemente em língua estrangeira;

Folha de redação em branco, mesmo que haja texto escrito na folha de rascunho.

Mais detalhes e exemplos de redações de edições anteriores podem ser acessadas na Cartilha do Participante.

Morena clicada com Mourão foi investigada por Sergio Moro em suposta ligação com tráfico

/ Justiça

Carola clicada dando colher de sorvete a Mourão. Foto: Reprodução

Carola Cimini, a morena famosa após ser clicada dando uma colherada de sorvete de “aviãozinho” ao general Hamilton Mourão, eleito vice-presidente, já foi investigada pelo juiz Sérgio Moro, que aceitou o convite para comandar o ministério da Justiça de Jair Bolsonaro (PSL). Em 2014, segundo o jornal Extra, a maquiadora de 27 anos foi presa pela Polícia Federal (PF), acusada de envolvimento em uma quadrilha de tráfico internacional de drogas. Na época, ela era casada com o empresário Edvaldo Muniz da Silva, conhecido como Toni Boiada, apontado como chefe do bando e preso até hoje. “Na verdade, já estávamos separados. Me lembro como se fosse hoje. Eu estava dormindo quando os policiais federais chegaram ao meu apartamento. Bateram várias vezes na porta e, quando abri, foram entrando com um mandado de busca e apreensão. Eu não entendi nada”, lembra Carola. Ela ficou presa durante dez dias e depois liberada, após não serem encontradas evidências da sua ligação com o crim. Não acharam nada que me ligasse à quadrilha. Eu realmente não fazia ideia de nada, não tinha nada no meu nome que me comprometesse”, garante: “Obviamente, eu pensava que podia ter algo errado. Mas o Edvaldo me levava nas fazendas, eu via aquelas cabeças de gado, o patrimônio dele era imenso. Como poderia imaginar que tinha droga envolvida?”. Carola foi processada e foi quando ficou de frente com o juiz Sérgio Moro. Ela respondeu durante dois anos e foi absolvida, mas afirma que ainda sofre problemas com por ter sido indiciada. “Isso me atrapalha até hoje. Até para arrumar um namorado”, lamenta ela, que diz ter sofrido de depressão após o caso. A moça ficou conhecida após uma foto ao lado de Mourão viralizar nas redes sociais. A fatídica colherada de sorvete foi oferecida ao general no Paraná, no lançamento da campanha de um deputado local. “Eu estava no lançamento de campanha do Paulinho Vilella a deputado quando vi o General tomando um sorvete e decidi dar a ele. Foi uma brincadeira mesmo, não imaginei que pudesse haver repercussão”, explica.

Pelo Twitter, presidente eleito Bolsonaro tenta limitar declarações de equipe à imprensa

/ Política

Jair desautoriza as informações de sua equipe. Foto: Estadão

O presidente eleito Jair Bolsonaro (PSL) escreveu nesta sexta-feira, em seu Twitter, que desautoriza as informações de sua equipe para a imprensa. “Desautorizo informações prestadas junto a mídia por qualquer grupo intitulado ‘equipe de Bolsonaro’ especulando sobre os mais variados assuntos, tais como CPMF, previdência, etc”, afirmou. Ele citou diretamente os temas que já foram objeto de divergência entre membros da equipe econômica e seus assessores mais próximos da área política. Nesta sexta-feira, 2, Bolsonaro também se recusou a responder as perguntas da reportagem do Estado ao embarcar para um passeio de barco com a família pela Restinga da Marambaia, uma área de reserva da Marinha, em Mangaratiba, município do litoral sul do Rio. Ele estava acompanhado da mulher, Michele, da filha mais nova e do filho Carlos Bolsonaro, entre outros familiares, amigos e seguranças da Polícia Federal. Foi recebido por oficiais da Marinha, que possui um restaurante de acesso restrito na Reserva. O presidente posou para fotos com eleitores e autorizou o embarque de um cinegrafista de TV em um barco de apoio. Desde a manhã desta sexta, Bolsonaro e sua equipe dão sinais de que vão restringir os contatos com a imprensa. Ao embarcar, o presidente, que ficou cerca de 5 minutos interagindo com dezenas de pessoas que correram para o deck, ignorou todas as perguntas. Mais cedo, ao sair de uma reunião na casa de Bolsonaro, o futuro chefe da Casa Civil, Onyx Lorenzoni, se recusou a responder a maior parte das perguntas. Ele informou apenas que havia aprovado os nomes da equipe de transição e confirmou a agenda do novo presidente em Brasília essa semana. Segundo ele, Bolsonaro só voltará a falar na quarta-feira, em Brasília, após encontro com o presidente Michel Temer. Perguntado se havia sido baixada uma lei do silêncio, Onyx negou, mas avisou que os contatos com jornalistas serão mais restritos. O Estadão/Broadcast perguntou para a futura primeira-dama, Michelle Bolsonaro, se eles pretendem retornar nesta sexta da restinga. Ela não respondeu, mas policiais do Batalhão de Choque que fazem a escolta do presidente eleito informaram que foram orientados a permanecer em Itacuruça. Além disso, em 31 de outubro, o presidente eleito informou que anunciará oficialmente os nomes de todos ministros pelas suas redes sociais. “Qualquer informação além é mera especulação maldosa e sem credibilidade”, escreveu. Na quinta, os jornais impressos foram barrados da primeira coletiva do presidente. Em uma lista regulada por uma policial federal na porta do condomínio, Bolsonaro só permitiu que emissoras de TV (menos a TV Brasil), algumas rádios e dois sites entrassem. O Estado, a Folha de S. Paulo, O Globo e as agências internacionais não puderam passar da guarita do condomínio. Quando jornalistas que participaram da coletiva lhe perguntaram por que alguns veículos tinham sido barrados, Bolsonaro respondeu que “não sei quem marcou isso (coletiva)” e que não mandou restringir ninguém. Desde o episódio da facada, Bolsonaro não tem concedido entrevistas a jornais impressos e privilegiado meios eletrônicos, como emissoras de televisão e rádio.

Amab emite nota de desagravo sobre o caso da juíza vaiada na cidade de Jaguarari

/ Justiça

Em resposta às agressões verbais sofridas pela juíza Maria Luiza Nogueira Cavalcanrti, titular da comarca de Jaguarari, nesta terça-feira (30), por parte de populares (veja aqui), a Associação dos Magistrados da Bahia (AMAB), entidade de classe que representa os juízes e desembargadores integrantes do Poder Judiciário do Estado, emitiu uma nota em apoio à juíza. ”Reafirmamos que em um Estado Democrático de Direito não se pode admitir que se desrespeite o princípio do convencimento motivado do magistrado no seu ato de julgar. A decisão proferida legitimamente pelo juiz de direito é passível de revisão, por meio do recurso próprio a ser interposto pela parte que se sentir insatisfeita, e apreciado pelos órgãos judicantes correspondentes, pois existe um sistema recursal específico para se questionarem, de forma lídima, legal e correta, os atos jurisdicionais”, afirmou a nota. A nota também fala que é necessário harmonia e colaboração recíproca de todos os segmentos da sociedade para que seja possível alcançar uma prestação jurisdicional eficiente para toda a sociedade baiana, sem prejuízo da defesa das prerrogativas, dos direitos e dos deveres inerentes à magistratura.

Presidente do Inep é cotada para assumir o Ministério da Educação, diz coluna

/ Educação

O nome de Maria Inês Fini, presidente do Inep (Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais), circulava como opção para o MEC (Ministério da Educação) no governo de Bolsonaro. De acordo com a colunista Mônica Bergamo, do jornal Folha de S.Paulo, além da experiência como educadora, ela tem boa relação com setores militares, em especial com o general Augusto Heleno, futuro ministro da Defesa.