Aos 63 anos, Jair Bolsonaro, do PSL, é eleito matematicamente presidente da República

/ Eleições 2018

Jair Bolsonaro está matematicamente eleito. Foto: Reprodução

O candidato Jair Bolsonaro (PSL) foi eleito presidente na disputa do segundo turno, com 88,4% das urnas apuradas, segundo o Tribunal Superior Eleitoral (TSE). O capitão reformado tem 55,70% dos votos válidos. Fernando Haddad (PT) tem 44,30% dos votos válidos. Até então, foram 51.945.420 votos para o candidato do PSL e 41.319.261 para o petista. Ainda faltam 11,56% das urnas para serem totalizadas.

 

Candidato do PSD, João Doria derrota Márcio França e é eleito governador de São Paulo

/ Eleições 2018

Doria derrotou Márcio França, do PSB. Foto:; Reprodução

João Doria, candidato do Partido da Social Democracia Brasileira (PSDB), foi eleito governador do Estado de São Paulo neste domingo, 28. Com 98% das urnas apuradas, Doria tem 51,77% dos votos. Seu concorrente, Márcio França, do Partido Socialista Brasileiro (PSB), está com 48,23% dos votos. No primeiro turno, Doria teve 6.431.555 votos (31,77%), enquanto França teve 4.385.998 (21,53%). Doria iniciou sua carreira política em 1983 como secretário de turismo em São Paulo. Em 1986, assumiu o cargo de presidente da Embratur e do Conselho Nacional de Turismo na gestão de José Sarney e foi eleito prefeito de São Paulo em 2016 pelo PSDB. Para concorrer nas eleições para governador, teve de renunciar ao cargo ainda no segundo ano de mandato, deixando a posição com seu vice, Bruno Covas.

Fernando Haddad diz que não há nenhuma ”decepção” e evita falar sobre Ciro Gomes

/ Eleições 2018

Fernando Haddad vota acompanhado da esposa. Foto: AFP

O candidato à Presidência Fernando Haddad (PT) se disse confiante em um ”grande resultado” neste domingo da eleição. Ao chegar para um café da manhã com aliados em hotel na capital paulista, o petista disse que não há nenhuma ”decepção” por não ter conseguido apoios de votos declarados de Ciro Gomes (PDT) e do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso (PSDB). ”Não há nenhuma decepção, eu festejo os apoios que foram declarados”, declarou Haddad ao ser perguntado sobre FHC e Ciro. Quando questionado especificamente sobre Ciro, o petista não fez nenhum comentário direto sobre o vídeo feito pelo pedetista ontem. ”Vamos olhar para os brasileiros que neste momento da vida nacional tiveram uma postura de honradez e defenderam a democracia”, disse. Do hotel, Haddad segue para votar em uma escola em Moema, na zona Sul de São Paulo. O petista deve passar o dia em casa com familiares e voltar ao hotel para acompanhar a apuração dos resultados.

Bolsonaro vota em escola municipal do Rio de Janeiro sob forte esquema de segurança

/ Eleições 2018

Jair Bolsonaro vota na zona norte do Rio. Foto: Estadão

O candidato Jair Bolsonaro (PSL) votou na Escola Municipal Rosa da Fonseca, na Vila Militar, em Marechal Hermes, zona norte do Rio, por volta das 9h20. O comboio com batedores da Polícia Militar e agentes da Polícia Federal entrou pelos fundos da escola, despistando jornalistas. Depois de votar, o candidato fez uma breve aparição na frente do local e acenou para apoiadores que esperavam desde cedo por sua chegada, gerando correria e breve tumulto. Ele não deu declarações. Desde que a seção foi aberta, soldados da Polícia do Exército revistavam todas as pessoas que chegavam para votar. A revista era feita inclusive em crianças e com auxílio de um detector de metais. Ao mesmo tempo, policiais federais faziam varredura nas áreas interna e externa da escola.

Eleições 2018: Eleitor que não votou no primeiro turno pode votar no segundo turno

/ Eleições 2018

Os eleitores vão às urnas neste domingo (28) para votar no segundo turno das eleições. No dia 7 deste mês, foi realizado o primeiro turno. E quem não votou no primeiro, pode votar no segundo turno? Sim, pode. O eleitor poderá votar no segundo turno desde que esteja em situação regular com a Justiça Eleitoral, com título eleitor ativo. Se o título estiver cancelado ou suspenso, o eleitor não pode votar. De acordo com a Justiça Eleitoral, cada turno de votação é considerado como uma eleição independente. Por isso, se o eleitor não compareceu em um turno, não fica impedido de votar no outro.

Justificativa

O eleitor que não votou no primeiro turno é obrigado a justificar a ausência. O prazo é de 60 dias após cada turno. Desta forma, se o eleitor não justificou a ausência do primeiro turno até o dia 28, não fica impossibilitado de votar neste domingo, poderá votar. A regra da justificativa vale também para quem não comparecer neste domingo (28).  Para justificar, basta preencher o formulário de justificativa eleitoral pela internet ou entregá-lo pessoalmente em qualquer cartório eleitoral. Há também a possibilidade de enviar o formulário pelo correio para o juiz eleitoral da zona eleitoral.  Além do formulário, o eleitor deve anexar documentos que comprovem o motivo que o impediu de comparecer no dia do pleito. Pela internet, o eleitor pode justificar a ausência utilizando o ”Sistema Justifica” nas páginas do TSE ou dos tribunais regionais. No formulário online, o eleitor deve informar seus dados pessoais, declarar o motivo da ausência e anexar comprovante do impedimento para votar. O requerimento de justificativa gerará um código de protocolo que permite ao eleitor acompanhar o processo até a decisão do juiz eleitoral. A justificativa aceita será registrada no histórico do eleitor junto ao Cadastro Eleitoral.

Multa

Para regularizar sua situação eleitoral, o cidadão terá de pagar uma multa R$ 3,61 por votação não comparecida. O Tribunal Superior Eleitoral explica que a não regularização da situação com a Justiça Eleitoral pode resultar em sanções, como impedimento para obter passaporte ou carteira de identidade para receber vencimentos, remuneração, salário ou proventos de função ou emprego público.

A não justificativa também pode impedir que o eleitor participe de concorrência ou administrativa da União, dos estados, Distrito Federal e municípios, além de ficar impedido de se inscrever em concurso público ou tomar posse em cargo e função pública.