Prefeito de Jequié emite nota pública declarando voto em Fernando Haddad para presidente

/ Eleições 2018

Sérgio diz que momento do país é grave. Foto: Blog Marcos Frahm

Aliado do governador Rui Costa (PT), o prefeito de Jequié, maior colégio eleitoral do Território de Identidade Médio Rio de Contas e atual presidente do consórcio intermunicipal que representa os municípios da região, Sérgio da Gameleira (PSB), emitiu nota pública à imprensa no final da tarde desta sexta-feira (26), faltando 2 dias para as eleições presidenciais declarando apoio ao candidato petista, Fernando Haddad e, nas entrelinhas, criticou o candidato do PSL, Jair Bolsonaro. Tão logo divulgada pela sua assessoria, a nota de Gameleira foi reproduzida pelo governador nas redes sociais. Leia abaixo a nota na íntegra

O Brasil vai às urnas neste domingo para escolher o seu próximo presidente da República e está perigosamente dividido.
Entre Fernando Haddad e Jair Bolsonaro, votarei em Haddad!

Muito mais que semelhanças ideológicas, há de minha parte a responsabilidade de afirmar a crença na conciliação e no diálogo como instrumentos de superação da profunda crise brasileira.

O momento é grave e exige um presidente conciliador e comprometido com a paz, com o respeito aos contrários, com a justiça social e com a democracia.

Fora disto é empurrar o Brasil para o embrutecimento e o abismo!

A vitória de Haddad será importante, não apenas pelas razões que expus mas, sobretudo, pela necessidade de termos na presidência alguém que olhe para a Bahia com o sentimento de respeito, justiça e carinho com os baianos.

Por amar e querer o melhor para Jequié, a Bahia e o Brasil, votarei em Fernando Haddad, 13!

Sergio da Gameleira
Prefeito de Jequié

ACM Neto manda Wagner se preocupar com a derrota que o PT sofrerá no próximo domingo

/ Eleições 2018

Neto rebate Wagner após ser chamado de covarde. Foto: A Tarde

O prefeito de Salvador, ACM Neto (DEM), resolveu responder à alfinetada do senador eleito Jaques Wagner (PT), que, em entrevista coletiva nesta sexta-feira (26), disse que o maior erro do gestor municipal foi não sair candidato ao Governo do Estado em 2018 e só ter avisado às vésperas das eleições. ”O governador Jaques Wagner deveria se preocupar mais com sua vida e com a contundente derrota que o PT vai sofrer no próximo domingo do que perder tempo falando o que não deve”, bradou Neto pelo Twitter. Para Wagner, a consequência dessa ação de Neto foi o aprisionamento de novas lideranças, o que pode levar integrantes do grupo dele a querer presidir o PSL na Bahia. ”O maior erro foi ele mesmo, que acabou com o grupo dele. Eu continuo dizendo: ele tomou a decisão correta, eu completei o meu segundo mandato, mas ele tinha que ter avisado em julho de 2017 e não no dia 7 de abril. Não sei porque ele deixou para avisar nessa data. Agora alguém que lidera um grupo e diz o tempo todo que vai ser, isola o surgimento de novas lideranças e depois, quando chega na hora, diz que não vai ser. Ele decepcionou não foi a mim, mas aos torcedores dele. Ele facilitou”, criticou o senador eleito. Com informações do Bocão News

Artistas contrários a Bolsonaro se reúnem em movimento ”Vira Voto” ao redor do Brasil

/ Eleições 2018

Artistas tentam mudar voto. Foto: Reprodução: Instagram

Faltando apenas 3 dias para definir o futuro do Brasil o movimento ‘Vira Voto’ criado através das redes sociais ganhou adeptos da música e da televisão. Contrários a candidatura de Jair Bolsonaro (PSL), artistas se espalharam pelas ruas do Brasil na intenção de conversar um eleitor que está na dúvida de quem votar no domingo (28) em troca de um pedaço de bolo e um copo de café, e explicar o porquê do candidato deles, Fernando Haddad (PT), seria a melhor opção para o cenário da política brasileira. O perfil que hoje conta com mais 200 mil seguidores compartilhou nesta sexta-feira (26) cliques de artistas globais em conversa com eleitores nas ruas. Entre as celebridades estão Patrícia Pillar, ex-mulher de Ciro Gomes, Letícia Sabatella, Letícia Collin e Luisa Arraes, protagonistas da novela Segundo Sol, Enrique Diaz e Paulo Betti. A maioria dos artistas que aderiram ao ‘Vira Voto’ também fizeram parte do coro que ganhou repercussão internacional ‘#EleNão’ no primeiro turno das eleições.

Irmão mais velho de Ivete Sangalo, Jesus Sangalo está internado na UTI do Hospital Cárdio Pulmonar

/ Saúde

Jesus está internado desde a semana passada. Foto: Divulgação

O empresário Jesus Sangalo, irmão mais velho da cantora Ivete Sangalo, está internado, desde a semana passada, no hospital Cárdio Pulmonar, em Salvador. Nesta quinta-feira (25), de acordo com informações do Alô Alô Bahia, ele teve uma intercorrência e foi removido novamente para a UTI – a previsão de alta seria nos próximos dois dias. Jesus deu entrada no hospital com um quadro de septicemia.

Eleito senador, Wagner diz que ACM Neto passou ”imagem de covarde” ao desistir de candidatura

/ Entrevista

Wagner comenta cenário político baiano. Foto: Edén Valadares

O senador eleito e ex-governador da Bahia, Jaques Wagner (PT), atribui a ACM Neto (DEM) o revés imposto aos aliados do prefeito de Salvador nas eleições deste ano. Para o petista, o maior erro do grupo foi o próprio Neto —fiador da candidatura do ex-prefeito de Feira de Santana, Zé Ronaldo (DEM), desbancado por Rui Costa (PT) na disputa pelo Palácio de Ondina, e presidente da coligação de Geraldo Alckmin (PSDB), derrotado no primeiro turno da corrida presidencial. ”Quem acabou com o grupo foi ele. Eu continuo dizendo: ele tomou a decisão correta, no meu juízo. Tanto que eu completei meu segundo mandato. Na minha opinião, ele teria que terminar o segundo mandato. Só não tinha que avisar 7 de abril. Ele tinha que ter avisado em julho de 2017. Aí não sei porque ele deixou pra 7 de abril. Tem várias teorias. Ele ficou com medo? Ele estava ameaçado? Aí eu não sei, porque não é da minha conta. Eu não conheço o fórum íntimo dele”, declarou Wagner ao site bahia.ba, durante entrevista nesta sexta-feira (26), no seu escritório, em Salvador. Segundo o coordenador da campanha de Fernando Haddad à Presidência, o chefe do Executivo municipal e presidente nacional do Democratas passou uma imagem de ”covarde” ao recuar do pleito estadual. ”Agora, alguém que lidera um grupo dizer ‘é você, é você, é você’ aprisiona o surgimento de novas lideranças. Depois, quando chega na hora da eleição, diz que não vai ser mais. Aí tem que sair correndo. Ele decepcionou não foi a mim, não. Ele decepcionou os torcedores dele. Passou a imagem de covarde”. ”Ele facilitou, mas, mesmo que fosse candidato, na minha opinião, a votação de Rui estaria entre 65% e 70% dos votos. Mesmo que fosse ele. Não sei se foi esse elemento que fez ele não ser candidato. Pra mim, o grande erro foi do líder do grupo”, avaliou Wagner. Questionado sobre o possível futuro do grupo do prefeito, ironizou: ”Provavelmente, vai ter gente do grupo dele que vai quer ser presidente você sabe de que partido, do PSL na Bahia”.

Treinador Tite convoca Allan e volta a chamar Paulinho e Douglas Costa à seleção Brasileira

/ Esporte

Tite anuncia convocação da seleção. Foto: Globoesporte.com

O técnico Tite anunciou na manhã desta sexta-feira (26), na sede da Confederação Brasileira de Futebol (CBF), no Rio de Janeiro, a convocação da seleção brasileira para os amistosos contra Uruguai e Camarões, em novembro. A grande novidade da lista é o volante Allan, 27, do Napoli (ITA), que ganha sua primeira chance com a seleção. Outro convocado pela primeira vez foi o goleiro Gabriel Brazão, 18, do sub-20 do Cruzeiro. Quem retorna à equipe é o volante Paulinho, do Guangzhou Evergrande (CHN), que ainda não havia sido chamado após a Copa do Mundo da Rússia. O atleta foi titular na campanha da equipe que parou nas quartas de final do torneio, para a Bélgica. Destaque nos dois amistosos do Brasil depois do Mundial, o atacante Douglas Costa também volta a ser chamado por Tite. O técnico havia dado um puxão de orelha público no jogador após ato de indisciplina em jogo do Campeonato Italiano. Douglas Costa, da Juventus (ITA), discutiu com Di Francesco, do Sassuolo (ITA), e deu uma cusparada no rosto do adversário. Ele recebeu cartão vermelho e e pegou quatro jogos de suspensão. Só um convocado para enfrentar Uruguai e Camarões atua no futebol brasileiro: o zagueiro Dedé, do Cruzeiro. Segundo Edu Gaspar, coordenador de seleções da CBF, a comissão técnica optou por não convocar jogadores envolvidos na reta final do Campeonato Brasileiro. No caso do Cruzeiro, houve acordo com a equipe, campeã da Copa do Brasil e sem maiores pretensões no Nacional. Os mineiros ocupam a 10ª colocação e já estão classificados para a Libertadores de 2019. O Brasil encara o Uruguai e Camarões nos dias 16 e 20 de novembro, respectivamente. Os dois jogos serão realizados em Londres.

Confira a lista de convocados:

Goleiros
Alisson – Liverpool (ING)
Ederson – Manchester City (ING)
Gabriel Brazão – Cruzeiro

Defensores
Danilo  Manchester City (ING)
Dedé –  Cruzeiro
Fabinho – Liverpool (ING)
Filipe Luís – Atlético de Madri (ESP)
Marcelo – Real Madrid (ESP)
Marquinhos – Paris Saint-Germain (FRA)
Miranda – Inter de Milão (ITA)

Meios-campistas
Allan – Napoli (ITA)
Arthur – Barcelona (ESP)
Casemiro – Real Madrid (ESP)
Paulinho –  Guangzhou Evergrande (CHN)
Philippe Coutinho –  Barcelona (ESP)
Walace – Hannover (ALE)

Atacantes
Douglas Costa – Juventus (ITA)
Firmino – Liverpool (ING)
Gabriel Jesus – Manchester City (ING)
Neymar – Paris Saint-Germain (FRA)
Richarlison – Everton (ING)
Willian – Chelsea (ING)

Veja as propostas dos candidatos Jair Bolsonaro e Fernando Haddad para a política externa

/ Eleições 2018

Os candidatos à Presidência da República Jair Bolsonaro (PSL) e Fernando Haddad (PT) apresentam caminhos distintos para a política externa. Bolsonaro tem acenado com uma maior aproximação com os Estados Unidos e elogiado as políticas implementadas pelo governo de Donald Trump. No âmbito regional, o candidato defende o distanciamento do Brasil de países como Venezuela e Cuba. Haddad, por sua vez, defende o aprofundamento da integração na América Latina por meio do Mercosul, da União das Nações Sul-Americanas (Unasul) e da Comunidade de Estados Latino-Americanos e Caribenhos (Celac). Seu plano de governo também prevê o fortalecimento da participação brasileira em mecanismos multilaterais como o Brics (grupo formado por Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul).

Jair Bolsonaro

Na proposta de governo entregue pelo candidato ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE), Bolsonaro fala em um “novo Itamaraty”. Segundo o texto, o Ministério das Relações Exteriores precisa estar a serviço de valores que sempre foram associados ao povo brasileiro. A outra frente, diz o programa, será fomentar o comércio exterior com países que possam agregar valor econômico e tecnológico ao Brasil. ”Deixaremos de louvar ditaduras assassinas e desprezar ou mesmo atacar democracias importantes como EUA, Israel e Itália. Não mais faremos acordos comerciais espúrios ou entregaremos o patrimônio do povo brasileiro para ditadores internacionais”, diz o documento. Sobre comparações feitas entre ele e o presidente dos Estados Unidos, Bolsonaro respondeu, em coletiva de imprensa, no último dia 20: ” Trata-se de querer um Brasil grande assim como ele quer uma América grande.”Ele [Trump] diminuiu a carga tributária do setor produtivo, foi criticado, mas isso gerou emprego e atraiu novas empresas de fora. A Inglaterra fez isso há 20 anos. Admiro muito ele [Trump] por isso aí, ou vão querer que eu admire [Nicolás] Maduro [presidente venezuelano] ou o governo cubano?”, acrescentou Bolsonaro. No âmbito regional, o plano de Bolsonaro prevê aprofundamento da integração ”com todos os irmãos latino-americanos que estejam livres de ditadura”. ”Precisamos redirecionar nosso eixo de parcerias”. Sobre o Mercosul, o candidato afirmou, na entrevista do dia 20, que não se pode “jogar para o alto” o acordo. ”O que não pode é continuarmos usando acordos como esse em função de interesses ideológicos como o PT fez”, criticou. ”Vamos partir para o bilateralismo onde for possível. Conversei com o [Mauricio] Macri [presidente da Argentina], ontem com o do Paraguai [Mario Abdo], encontrei senadores do Chile. Vamos buscar fazer acordos com os países da América do Sul sem o viés ideológico”.

Fernando Haddad

Em seu programa de governo registrado no TSE, Haddad aponta para a ”retomada de uma atitude proativa no plano internacional” com o fortalecimento de iniciativas como o Brics e o Fórum de Diálogo Índia, Brasil e África do Sul (Ibas). ”Isso é essencial para criar um mundo mais equilibrado e menos dependente de um único polo de poder, de modo a superar a hegemonia norte-americana”, diz o documento. O candidato também defende o aprofundamento das relações de ”amizade e parceria” com os países africanos e árabes e disse que sua administração estará empenhada em promover a reforma do Conselho de Segurança da Organização das Nações Unidas (ONU) em prol de um mundo mais multipolar e equilibrado.

”As mudanças no cenário internacional, especialmente nos EUA sob o governo Trump, apontam no sentido de esvaziamento dos organismos multilaterais, menor peso para aspectos normativos e maior ênfase à velha política de poder de ações unilaterais. Isso apresenta grandes riscos como exacerbação de conflitos e ações militares unilaterais, mas também cria aberturas para um mundo mais multipolar, menos submetido à influência hegemônica de um polo de poder”, diz o plano do candidato do PT. Segundo a proposta, o Brasil deve retomar e aprofundar a política externa de integração latino-americana e a cooperação Sul-Sul de forma a apoiar o multilateralismo, a busca de soluções pelo diálogo e ”o repúdio à intervenção e a soluções de força”. ”O Brasil também voltará a ter presença ativa no Sistema Internacional de Direitos Humanos”, diz o texto. Para o petista, é necessário recuperar os avanços na integração regional. Seu governo, afirma, promoverá a integração das cadeias produtivas regionais, a expansão da infraestrutura e o fortalecimento de instrumentos de financiamento do desenvolvimento, como o Fundo para a Convergência Estrutural do Mercosul (Focem). Da Agência Brasil

Jequié: Idosa de 70 anos é brutalmente assassinada em casa e tem cabeça enrolada com toalha

/ Jequié

Crime ocorreu no bairro Jequiezinho. Foto: Repórter Del Santos

Um crime bárbaro foi registrado na manhã desta sexta-feira (26), em Jequié, no Médio Rio de Contas. Uma idosa de 70 anos foi brutalmente assassinada e, segundo informações preliminares da polícia, Maria Jesus Pereira foi encontrada dentro de sua casa, na Rua H, no Loteamento Água Branca, com a cabeça enrolada por uma toalha e apresentando perfurações. Informações passaram a circular de que o autor poderia ter utilizado uma tesoura para golpear a vítima, mas a Polícia Técnica, em contato com o Blog Marcos Frahm, informou que só a autópsia irá confirmar qual material cortante foi usado para o crime. No imóvel, a polícia constatou que uma TV foi subtraída e trabalha com a hipótese de latrocínio. O corpo de Maria José já foi encaminhado ao Instituto Médico Legal. O delegado que acompanha o caso, Dr. José Fonseca, colheu o depoimento do irmão da vítima e buscas pelo criminoso estão sendo feitas.

Apostador de Curitiba acerta Mega Sena e leva prêmio sorteado em Jequié de R$ 20 milhões

/ Esporte

Um apostador de Curitiba acertou os seis números do Concurso 2.091 da Mega Sena, sorteado na noite de ontem (25) em Jequié (BA), e ganhou um prêmio de R$ 20 milhões. Houve 75 apostas que acertaram a quina e receberão R$ 25 mil cada e 3.855 apostas que acertaram a quadra, que teve um prêmio de R$ 696. Os números sorteados foram 10, 11, 12, 37, 38 e 39. No próximo sorteio, no sábado (27), a estimativa do prêmio é R$ 2,5 milhões para quem acertar as seis dezenas. As apostas podem ser feitas até esta quinta-feira (25) às 19h (horário de Brasília), em qualquer casa lotérica credenciada pela Caixa em todo o país. A aposta simples, com seis dezenas, custa R$ 3,50.

Prefeitura de Jequié realiza desfile cívico em comemoração aos 121 de emancipação

/ Jequié

Prefeito Sérgio homenageia professora Ione Cotrin. Fotos: Secom

Com a presença de grande público e tendo como tema ‘Uma rosa para o centenário de Luiz Neves Cotrim’, a Prefeitura de Jequié, através da Secretaria de Educação e Secretaria de Cultura e Turismo, celebrou, na manhã desta quinta-feira, 25, o centenário de nascimento do professor e poeta, Luiz Cotrim, e comemorou o aniversário de 121 anos de emancipação política da cidade. O desfile teve início às 8h, com a passagem do prefeito de Jequié, Sérgio da Gameleira, em revista às tropas militares. Estiveram presentes, além do prefeito, o comandante do 19º Batalhão da Polícia Militar, o Tenente-Coronel, Itamar Gondim; o comandante do 8º Grupamento do Corpo de Bombeiros, o Tenente-Coronel Miguel Filho; o comandante da Companhia Independente de Polícia Especializada (CIPE Central), o Major Fábio Rodrigo; os vereadores José Augusto de Aguiar, o Gutinha; Márcio de Oliveira Melo, o Marcinho; e o vereador Roque Silva; a esposa do professor Luiz Cotrim, a professora Ione Cotrim e familiares do homenageado; e secretários municipais. Em seguida após a execução do Hino Nacional Brasileiro e do Hino Oficial de Jequié, integrantes dos Núcleos Estaduais ade Orquestras Juvenis e Infantis da Bahia (NEOJIBA), Núcleo ‘Cidade Sol’, mantido em parceria com a Prefeitura de Jequié, através da Secretaria de Cultura e Turismo, abriu o desfile tocando clássicos da música.

Tradicional desfile foi realizado ao longo da Avenida Rio Branco

O desfile, que contou com uma comissão de frente representada por estudantes do CEEP Régis Pacheco, foi dividido em alas que foram compostas por alunos das escolas municipais e privadas, pelos clubes de serviço, pelas entidades sociais e pelos projetos esportivos que são apoiados pelo município, sendo a primeira ala dedicada às forças de segurança. Através da diversas alas, o público foi conhecendo um pouco da história de Jequié e da obra do poeta Luiz Cotrim, representada por meio dos figurantes e através dos carros alegóricos que compuseram o desfile. Destaque para a participação dos alunos da Escola Municipal Joaquim Marques Monteiro; da Escola Municipal Curral Novo; da Escola José Augusto Barreto; da Escola Municipal Professora Alíria Argolo Pereira; do Colégio Social de Jequié; e do Centro Educacional Presidente Médici. O desfile contou, ainda, com a participação da Ordem Demolay, dos agentes do Juizado da Infância e com a apresentação da Fanfarra Banda Império, formada por integrantes da comunidade do KM 3 e com a participação da Fanfarra do Município de Apuarema (FAMUAP), que levantou o público com sua execução. O evento, alusivo às comemorações dos 121 anos de emancipação política de Jequié, foi encerrado às 11h, com a passagem da equipe da Secretaria de Serviços Públicos, responsável pela limpeza urbana e que são tão importantes para o bom funcionamento da ordem pública; seguidos pelo projeto musical ‘Aulão Show!’ e pela passagem de integrantes do Clube do Cavalo de Jequié.

Mais de 98 mil baianos ainda não sacaram abono salarial referente a 2016; valor chega a R$ 74,8 mi

/ Bahia

Mais de 98 mil trabalhadores ainda não sacaram o abono salarial ano-base 2016 na Bahia. O valor que deveria ter sido repassado e está parado nas agências bancárias chega a R$ 74,8 milhões. As informações foram divulgadas pelo Ministério do Trabalho (MTE), nesta quinta-feira (25). De acordo com o MTE, o saque deve ser realizado até o dia 28 de dezembro deste ano. Após a data, não haverá prorrogação. O dinheiro que não for sacado retornará ao Fundo de Amparo ao Trabalhador (FAT). Em toda a região Nordeste, segundo o MTE, 317 mil trabalhadores ainda têm, no total, R$ 243 milhões a receber. O valor disponível em todo o Brasil chega a R$ 1,36 bilhão. São 1,85 milhão de trabalhadores que ainda não sacaram o benefício no país, o que corresponde a 7,56% do total das pessoas com direito ao abono de 2016. Pode receber o abono salarial ano-base 2016 quem estava inscrito no PIS/Pasep há pelo menos cinco anos, trabalhou formalmente por, pelo menos, 30 dias em 2016 com remuneração mensal média de até dois salários mínimos (R$ 1.908) e teve seus dados informados corretamente pelo empregador na Relação Anual de Informações Sociais (RAIS). A quantia destinada a cada trabalhador depende do tempo que ele trabalhou formalmente em 2016. Quem esteve empregado o ano todo recebe o valor cheio, que equivale a um salário mínimo (R$ 954). Quem trabalhou por apenas 30 dias recebe o valor mínimo, que é de 1/12, e assim sucessivamente. Trabalhadores da iniciativa privada devem procurar a Caixa Econômica Federal. A consulta pode ser feita pessoalmente, no site do banco, ou pelo telefone 0800-726 02 07. Para servidores públicos, a referência é o Banco do Brasil, que também fornece informações pessoalmente, no site, ou pelo telefone 0800-729 00 01.

Em rede social, artistas baianos fazem convite para caminhada com Haddad em Salvador

/ Eleições 2018

Artistas estarão em ato pró-Haddad em Salvador. Foto: BNews

Artistas baianos usaram as redes sociais para convidar os seus seguidores para a ”Caminhada da Paz”, que acontece na tarde desta sexta-feira (26), em Salvador. Previsto para começar às 15h, o evento terá início no monumento das Gordinhas, em Ondina, e seguirá até o Farol da Barra. O ato vai contar com a presença do candidato à Presidência da República, Fernando Haddad (PT), e do governador da Bahia, Rui Costa (PT). Os cantores Luiz Caldas, Katê, Marcia Castro e Marcia Short, Zelito Miranda e Daniela Mercury, Mari Antunes, estão entre os artistas que fizeram as gravações.

Paulo Caffarelli pede demissão da presidência do Banco do Brasil para assumir a Cielo

/ Economia

Paulo Caffarelli não é mais presidente do BB. Foto: Estadão

O presidente do Banco do Brasil, Paulo Caffarelli, vai deixar o cargo no dia 1º de novembro. O executivo apresentou “pedido de renúncia” aos cargos de presidente e membro do conselho de administração nesta sexta-feira (26). De acordo com o comunicado, para ocupar o cargo no lugar de Cafarellli, o presidente Michel Temer indicou Marcelo Augusto Dutra Labuto, de 47 anos, atual vice-presidente de Negócios de Varejo no BB. A assessoria do Banco do Brasil afirmou que Caffarelli recebeu convite para assumir o comando da empresa de meios de pagamento e credenciadora de cartões Cielo. Marcelo Augusto Dutra Labuto é funcionário de carreira do banco desde 1992. Entre os cargos que já ocupou, foi presidente da BB Seguridade, diretor de Seguros, Previdência Aberta e Capitalização, diretor de Empréstimos e Financiamentos; gerente geral na Unidade Governança de Entidades Ligadas e gerente geral na Unidade Parcerias Estratégicas do BB. É graduado em Administração pela Universidade de Brasília (UNB) e em Administração de Sistemas de Informação pela União Educacional de Brasília (UNEB), com MBA em Marketing, pela COPPEAD UFRJ.

Bolsonaro pede empenho e Fernando Haddad faz corpo a corpo na reta final de campanha

/ Eleições 2018

Candidatos chegam na reta final da campanha. Foto: Reprodução

As candidaturas de Jair Bolsonaro (PSL) e Fernando Haddad (PT) adequaram os discursos e táticas para os dois últimos dias da campanha presidencial. O capitão reformado, que lidera as pesquisas de intenção de voto e esta semana chegou a dizer que estava com a “mão na faixa”, procura conter o excesso de otimismo e pediu ontem empenho dos apoiadores. A campanha petista, por outro lado, investe na reta final do segundo turno numa estratégia de corpo a corpo e convencimento dos eleitores nas ruas. Para evitar possíveis prejuízos eleitorais na votação de domingo, o candidato do PSL reafirmou que será neutro nas disputas pelos governos estaduais, especialmente em São Paulo. Pesquisa do Datafolha divulgada nesta quinta-feira, 25, mostrou Bolsonaro com 56% das intenções de voto, enquanto Haddad aparece com 44%. Na comparação com o último levantamento do instituto, a diferença entre os candidatos diminuiu de 18 pontos porcentuais para 12 pontos em uma semana. “Quero neutralidade, porque não está garantida minha eleição no próximo domingo, e a eleição mais importante para quem está do meu lado é a minha”, disse Bolsonaro, que cobrou empenho dos correligionários: “Em São Paulo, por exemplo, a preocupação número um não é eleger um ou outro candidato a governador, e sim somar votos para a nossa candidatura.” Na noite de quarta-feira, 24, em discurso transmitido por seu perfil no Facebook, Bolsonaro já havia reclamado da disputa paulista. “Estou vendo uma briga em São Paulo… em vez de brigar por voto pra mim, fica um (apoiando um) candidato (e outro) apoiando o outro, pelo amor de Deus! O objetivo de vocês é Jair Bolsonaro, depois é (Márcio) França (do PSB) ou (João) Doria (do PSDB)”, disse. “Uma briguinha que parece que vocês se elegeram por mérito próprio. Com toda certeza, alguns seriam eleitos, (mas) a maioria não.” No Estado, o maior colégio eleitoral do País, Doria associa sua candidatura à do presidenciável do PSL, mas o senador eleito Major Olímpio (PSL) faz campanha para França. Apesar de a desvantagem nas pesquisas ainda ser significativa, a ordem no PT é mobilizar militantes e voluntários nas ruas para tentar virar votos de eleitores que dizem apoiar Bolsonaro. O comando do partido enviou um comunicado para que todos os diretórios se mobilizem nestes últimos dias. Segundo o PT, foram registradas recentemente iniciativas semelhantes e espontâneas – sem a participação de filiados – de centenas de grupos organizados em diversos segmentos pró-Haddad. Alguns petistas comparam o momento com a reta final do segundo turno em 2014, quando o partido acredita que a militância espontânea fez a diferença na disputa entre Dilma Rousseff e Aécio Neves (PSDB). Nas grandes cidades, o PT montou equipes para percorrer as periferias batendo de porta em porta. O objetivo é tentar reconquistar votos que já foram do partido. Isso faz parte de uma mudança de estratégia adotada no início da semana passada. Depois de dez dias “perdidos” no início do segundo turno à espera de uma ampla “frente democrática” que pudesse ampliar a candidatura de Haddad para o centro do espectro político, a campanha decidiu mudar de rumo e reorientar esforços com foco no eleitorado petista tradicional, em especial a população de baixa renda. O resultado na cidade de São Paulo da mais recente pesquisa do Ibope/Estado/TV Globo – na qual Haddad aparece numericamente à frente do adversário, com 51% ante 49% – foi o que mais animou a campanha petista. As promessas de Haddad de reajustar o salário mínimo acima da inflação, aumentar em 20% o valor do Bolsa Família e fixar teto de R$ 49 para o botijão de gás fazem parte dessa reorientação.