Em dois dias, 600 mil mulheres entram em grupo de rejeição a Bolsonaro em rede social

/ Política

Líder de pesquisas, Jair é também o mais rejeitado. Foto: Divulgação

Um grupo chamado ”Mulheres unidas contra Bolsonaro” foi criado no Facebook há cerca de 13 dias e já contabiliza mais de um milhão de participantes. A página possui nove administradoras e cerca de 50 moderadoras. As publicações feitas no grupo incentivam o engajamento de eleitoras que não desejam ver o candidato Jair Bolsonaro (PSL) ocupando a Presidência da República. O aumento expressivo do número de membros em um curto período surpreendeu as administradoras da página. Entre 9 e 11 de setembro, um intervalo de dois dias, foram registradas cerca de 600 mil novas adesões. A inclusão de novos membros é feita através duas maneiras: quem já está dentro pode acrescentar novas pessoas ou quem está de fora pode pedir para fazer parte. Pesquisas de intenção de voto apontam as eleitoras brasileiras representam o maior índice de rejeição ao candidato. Segundo a pesquisa divulgada pelo instituto Datafolha nesta segunda-feira (10), a rejeição de Bolsonaro entre as mulheres é de 49%. A professora Maíra Motta, uma das responsáveis pelo grupo, explicou como acontece a inserção de mulheres ao grupo: ”Temos uma equipe de plantão apenas para aprovação dos novos membros e utilizamos filtros para que apenas mulheres, incluindo as trans, tenham acesso ao grupo. Observamos o perfil e recusamos eleitoras que tenham apoio declarado ao candidato que combatemos”.

Com cálculo na vesícula, Ângelo Coronel passa por operação e se afasta de campanha ao Senado

/ Política

Ângelo Coronel se recupera de cirurgia. Foto: Facebook

O presidente da Assembleia Legislativa da Bahia (AL-BA) e candidato ao Senado, Angelo Coronel (PSD), vai precisar se afastar das atividades de campanha pelo menos nos próximos 8 dias. Ele foi diagnosticado nesta quarta-feira (12) com colecistite aguda, conhecida comumente como pedra na vesícula, e vai passar por uma operação cirúrgica nesta tarde, para retirar o cálculo.  A informação foi publicada pelo site Bahia Notícias e confirmada pelo próprio Coronel, também pelo senador e presidente estadual do PSD, Otto Alencar. ”Ele sentiu dor abdominal, com irradiação para o flanco direito. Fez tomografia, ultrassom e o diagnóstico foi de colecistite aguda, com indicação cirúrgica”, explicou Otto, que também é médico. O candidato ao Senado está internado no Hospital Aliança, para onde foi pela manhã, após sentir dores abdominais e também de garganta – esta última provocada por uma provável virose. Coronel afirmou que, por causa da operação, todos os compromissos de sua agenda serão cancelados. A previsão é de que, no pós-operatório, o candidato precise ficar pelo menos duas semanas de repouso. Mas ele quer voltar às atividades de campanha antes. ”Caí no canivete. Os médicos deram previsão de duas semanas, mas acho que devo voltar em oito. Oito é por conta e risco”, disse o social-democrata. Já para Otto, a hora é de se preocupar com a saúde, e não com campanha. ”Quando você tem um doente, pensa em salvar a vida dele. Ele não corre risco de vida, está bem, mas, se não fizer a cirurgia, pode sofrer com muitas dores e ter mais problemas”, explicou. Nesta quarta, Coronel participaria de um encontro com mulheres junto ao candidato à reeleição Rui Costa (PT), o candidato à reeleição para vice João Leão (PP) e o candidato ao Senado, Jaques Wagner (PT).

Jaguaquara: Eleição para escolha do novo presidente da Câmara ainda é uma grande incógnita

/ Jaguaquara

Raimundo e Nildo Pirôpo estão no páreo. Foto: Blog Marcos Frahm

A escolha do próximo presidente da Câmara Municipal de Jaguaquara, cuja eleição ocorrerá somente em dezembro deste ano, continua sendo uma grande incógnita. Os dois pré-candidatos à presidência, Raimundo Lousado (PR), que já presidiu à Casa, e Nildo Pirôpo (PSB), pertencem à base de sustentação do prefeito Giuliano Martinelli (PP), a quem caberá a palavra final, conforme os próprios presidenciáveis afirmam. O prefeito, no entanto, não demonstra ter pressa em bater o martelo, deixando seus aliados à vontade em busca de apoio entre seus pares. De fato, ambos vêm se movimentando para pegar musculatura, embora isso pareça pouco relevante, já que, para muitos, Martinelli já decidiu, faltando apenas o anúncio oficial do seu preferido para comandar os destinos do Poder Legislativo da maior cidade do Vale do Jiquiriçá no Biênio 2019/2020.

Jequié: Vereador propõe audiência pública sobre retirada de caixas eletrônicos na cidade

/ Jequié

Audiência pública é proposta por Gutinha. Foto: Blog Marcos Frahm

A Câmara Municipal de Jequié realizará uma Audiência Pública sobre a retirada dos caixas eletrônicos da cidade, no dia (19), uma quarta-feira, às 19 horas. A proposta foi apresentada pelo vereador Gutinha. Em Requerimento, aprovado por unanimidade. Gutinha propõe que as providências necessárias por parte da Câmara, sejam realizadas no sentido de promover essa abordagem, pois a retirada dos caixas eletrônicos de locais como o Terminal Rodoviário, Hospital Geral Prado Valadares, UESB, Farmácias, Mercadinhos, entre outros, tem causado transtornos e prejuízos à população. ”Hoje os serviços estão centralizados nas instituições bancárias e com isso, tem provocado transtornos também para essas instituições”. Gutinha sugere a participação na Audiência Pública de representantes do Ministério Público Estadual, 19º Batalhão de Policia Militar, CDL, Associação Comercial, Conselho Comunitário, Clubes de Rotary, Lojas Maçônicas, Sindicato dos Bancários, UESB, HGPV e gerentes de todas as agências bancárias. ”É inaceitável que a população continue sofrendo em razão da retirada dos caixas eletrônicos para atendimento rápido em pontos estratégicos da cidade. O ideal é, não somente o retorno dos caixas que foram retirados, como também a instalação de novas unidades em outras áreas para facilitar a vida dos moradores”, destacou Gutinha.

Vale do Jiquiriçá: Polícia prende suspeito de atear fogo à casa de ex-companheira em Amargosa

Leandro foi preso nesta terça. Foto: Divulgação | Ascom Polícia Civil

Foi preso nesta terça-feira (11), por equipes da Delegacia Territorial (DT) de Amargosa, homem suspeito de esfaquear ex-companheira e também atear fogo na casa da vítima, no povoado Boa Vista, na zona rural do município. O caso ocorreu no mês de agosto. Segundo informações da Polícia Civil, Leandro Correia dos Santos teve a prisão solicitada à Justiça pela polícia, que através das investigações, apontaram que ele teria invadido a casa da vítima, a agredido com tapas e esganado. Em seguida, o agressor teria se armado com uma faca, tipo peixeira, e desferido um golpe que atingiu a mão da mulher. No dia seguinte, ele teria retornado ao local e colocado fogo ao imóvel destruindo todo o local. Leandro vai responder pelos crimes de violação de domicílio, ameaça, dano, lesão corporal, injúria e incêndio criminoso. Ele ficará custodiado na carceragem da DT/ Amargosa aguardando deliberação judicial.

Educação: Estados e municípios pedem Fundeb permanente e mais recursos da União

/ Educação

O Conselho Nacional de Secretários de Educação (Consed) e a União Nacional dos Dirigentes Municipais de Educação (Undime) esperam que a próxima legislatura do Congresso Nacional, a ser eleita em 7 de outubro, torne permanente o Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação (Fundeb), previsto para acabar em 2020. De acordo com o vice-presidente do Consed, Fred Amancio, ”existe consenso” sobre a importância do fundo e ‘o fim do Fundeb não é mais uma preocupação”. Segundo ele, “o fundo é uma garantia de recursos permanentes para a educação”. Para o presidente da Undime, Alessio Costa Lima, o Fundeb é a ”forma mais descentralizada” de uso de recursos da educação e assegura autonomia a estados e municípios. Além de tornar o fundo perene, estados e municípios querem que a União aumente a complementação estabelecida em lei, como preveem duas propostas de emenda à Constituição (PECs) em discussão no Congresso Nacional, uma na Câmara dos Deputados e outra no Senado Federal. A expectativa de estados e municípios, tratada nas discussões das duas emendas, é que a União aumente gradativamente os seus repasses e, em dez anos, a complementação suba dos atuais 10% e alcance entre 30% e 40%. O fundo cobre toda a educação básica, da creche ao ensino médio, é a principal fonte para o pagamento dos professores da rede pública em todo o país e ainda pode ser usado para a manutenção de escolas, aquisição de material didático e capacitação dos docentes, entre outras despesas. Em 2017, o Fundeb movimentou R$ 145,3 bilhões (dado do Tesouro Nacional). O Fundeb é formado por dinheiro proveniente dos impostos e das transferências obrigatórias aos estados, Distrito Federal e municípios (fundos de participação constitucionais). Além desses recursos, a União faz aporte complementar em alguns estados o que, no ano passado, representou R$ 13 bilhões. O recurso da União é repassado quando o valor por aluno no estado não alcança o mínimo definido nacionalmente (atualmente, R$ 3.016,17 ao ano). Em cada estado, os recursos apurados são redistribuídos conforme o número de alunos das redes de ensino estaduais e municipais. O Fundeb foi instituído pela Emenda Constitucional nº 53, de 19 de dezembro de 2006, em substituição ao Fundo de Manutenção e Desenvolvimento do Ensino Fundamental e de Valorização do Magistério (Fundef), criado em 1996.

Fora da campanha

Apesar do alto volume de recursos mobilizados, da importância do Fundeb para a educação básica e do impacto nas contas da União com eventual aumento de repasse, chama a atenção dos representantes das secretarias de educação e de especialistas a ausência de debate sobre o futuro do fundo na campanha eleitoral. ”Eu ainda não vi os candidatos falarem especificamente do Fundeb”, observa Fred Amancio, do Consed.

”Os mecanismos de financiamento da educação básica deveriam ser uma das prioridades do governo federal. Por causa do vencimento em 2020, a discussão terá que ser feita em 2019. Infelizmente vem sendo pouco debatido nesse período eleitoral”, avalia Gabriel Corrêa, gerente de Políticas Educacionais do movimento Todos pela Educação. Para Corrêa, ”há oportunidades” para o próximo presidente da República perpetuar o Fundeb e ”propor avanços na redistribuição de recursos”. Ele defende que a complementação da União e a redistribuição nos estados contemplem a situação do gasto por aluno por município. Segundo ele, a mudança tem potencial de aumentar em 30% o gasto do Fundeb nos municípios mais pobres. Corrêa defende que a União aumente o repasse de recursos ao Fundeb, mas assinala que é preciso fazer “estudo de viabilidade” respeitando o desafio fiscal. De acordo com projeção do governo federal, em 2021, as despesas obrigatórias atingirão 98% do orçamento da União.

Controle social

O Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) fez estudo sugerindo que estados e municípios invistam, integralmente no Fundeb, o mínimo constitucional (25% de toda a arrecadação) destinado a educação. Atualmente, estados e municípios já investem esse percentual em educação, mas não são obrigados a fazê-lo via Fundeb. Segundo Camillo de Moraes Bassi, especialista do Ipea, o Fundeb precisa ganhar mais importância e o aumento de gastos investidos pelos estados e municípios teria a vantagem de fazer todo investimento local em educação básica ”ganhar controle social e visibilidade”. Alessio Costa Lima, da Undime, critica a ideia. ”Essa alternativa é boa apenas para a União”, destacando que, sem mais recursos federais, não haverá como aumentar as matrículas em creches, lema de campanha de diferentes candidatos. Da Agência Brasil

Desembargador manda soltar dono da rede de farmácias Pague Menos, após condenação

/ Justiça

Deusmar Queirós é liberado da prisão no Ceará. Foto: Reprodução

O empresário Deusmar Queirós, dono da rede de farmácias Pague Menos, foi solto por decisão do desembargador Francisco Roberto Machado, do Tribunal Regional Federal da 5ª Região (TRF-5). O magistrado, segundo o jornal Valor Econômico, acatou o pedido de liminar apresentado pela defesa do empresário e determinou a sua soltura imediata. Deusmar está preso desde sábado, com três empresários, condenados em segunda instância por crimes contra o sistema financeiro, relacionados à atuação em uma corretora de valores entre 2000 e 2006. Segundo as investigações, entre 2001 e 2006, por meio das empresas Renda Corretora de Mercadorias e Pax Corretora de Valores e Câmbio, os quatro sócios atuaram no mercado de valores mobiliários sem registro junto à Comissão de Valores Mobiliários (CVM) e lucraram em torno de R$ 2,8 milhões, na época, com a chamada “garimpagem” de ações.

Confirmado no posto de candidato à presidência, Fernando Haddad visita Jequié neste sábado

/ Política

Fernando Haddad visitará Jequié com Manuela. Foto: Estadão

O ex-prefeito de São Paulo e agora candidato do PT na corrida ao Palácio do Planalto, Fernando Haddad, voltará à Bahia, em campanha, no próximo sábado (15). O petista vai se concentrar em visita as cidades de Jequié, onde desembarca as 11h30, e Vitória da Conquista, com o apoio prometido pelo governador da Bahia e candidato à reeleição, Rui Costa. O petista será acompanhado pela candidata a vice, Manuela D’Ávila (PCdoB), que também teve o nome oficializado nesta terça-feira (11), após a Justiça Eleitoral barrar a candidatura do ex-presidente Lula, preso na Polícia Federal de Curitiba desde abril. No dia 21 de agosto, ainda como candidato a vice, Haddad cumpriu agenda em Salvador e viveu ”dia de Lula” no bairro da Liberdade.

Polícia Federal prende filho do governador de Mato Grosso do Sul e um deputado estadual

/ Polícia

Filho de Reinaldo Azambuja é preso pela PF. Foto: Reprodução

O filho do governador de Mato Grosso do Sul, Reinaldo Azambuja, candidato à reeleição pelo PSDB, Rodrigo, e o deputado estadual José Roberto Teixeira (DEM), o ”Zé Teixeira”, foram presos durante Operação Vostok, da Polícia Federal, deflagrada nesta quarta-feira (12). A operação investiga um esquema de pagamento de propina a representantes da cúpula do Poder Executivo Estadual. Dentre os alvos da Vostok, além de Azambuja, estão pecuaristas locais responsáveis pela emissão das notas fiscais ”frias”, inclusive, o conselheiro do Tribunal de Contas Estadual, Márcio Monteiro. Segundo a Operação Vostok, o conselheiro, que foi secretário estadual de Fazenda, teria emitido nota fiscal de R$ 333 mil em dezembro de 2016. A informação consta de uma planilha da JBS, de acordo com a PF.

Ciro diz que, em seu governo, ”general Villas Bôas estaria demitido” por sua fala pública

/ Política

Ciro critica postura do general Villas Bôas. Foto: Reprodução/Uol

O candidato do PDT à Presidência da República, o Ciro Gomes, disse nesta quarta-feira, 12, em sabatina no jornal O Globo, que em seu governo o general Eduardo Villas Bôas, comandante do Exército, teria sido demitido por sua fala pública sobre a instabilidade política no Brasil, e “provavelmente pegaria uma cana”. Villas Bôas afirmou, em entrevista ao Estado, que “a legitimidade do novo governo pode até ser questionada” e que o ataque ao candidato do PSL, Jair Bolsonaro, na quinta-feira, 6, “materializa” seu temor de que a intolerância e a polarização na sociedade afetem a governabilidade. “No meu governo, militar não fala em política. Ele estaria demitido e provavelmente pegaria uma cana. Eu conheço bem o general Villas Bôas. Ele está fazendo isso para tentar calar as vozes das cadelas no cio que estão se animando, o lado fascista da sociedade brasileira”, afirmou. “O general Mourão (vice de Bolsonaro) é um jumento de carga, que tem entrada no Exército. Quem manda nesse País é nosso povo. Tutela, sargentão dizendo que vai fazer isso e aquilo, comigo não acontecerá. Sob a ordem da Constituição, eu mando e eles obedecem. Quero as Força Armadas poderosas, modernas, altivas. Não quero envolvidas no enfrentamento do narcotráfico, isso é papo de americano.” O candidato do PDT criticou o acordo entre a Embraer e a norte-americana Boeing para a criação de uma empresa para tocar a viação comercial da companhia brasileira. Ele considera o acerto “clandestino”, e disse que a reversão não seria uma quebra de contrato. “Nem a pau, Juvenal”, disse. Ciro reafirmou ser preciso revogar a Proposta de Emenda Constitucional (PEC) do teto de gastos para que se possa investir em saúde e na educação. Ele pontuou que “outros candidatos” querem entregar a saúde pública à iniciativa privada, privilegiando ricos em detrimento de pobres. Ao falar sobre a crise fiscal nos Estados, citou o Rio de Janeiro, o Rio Grande do Sul e Minas Gerais e propôs um “redesenho do pacto federativo”, uma “grande negociação no atacado”. “O centro de gravidade da política brasileira não é Brasília, é a federação, estados e prefeitos”. Ciro criticou a desindustrialização do Brasil, e defendeu a proteção de setores da indústria. Citou o presidente dos Estados Unidos por seu protecionismo anti-importações: “Trump está errado e nós, brasileiros, estamos certos?” Ele defendeu “desratização” do Brasil ao falar das agências do governo aparelhadas politicamente. “As agências serão passadas pelo pente fino. Quem não for salvável, será fechada. Eu falo com o Congresso.”

Trânsito: Desconto de 5% no IPVA para carros com placas de final zero é válido até dia 26

/ Trânsito

Contribuintes que possuem veículos com placas de final zero têm até o dia 26 de setembro para quitar o Imposto Sobre Propriedade de Veículos Automotores (IPVA) com 5% de desconto, em cota única. O alerta é da Secretaria da Fazenda do Estado da Bahia (Sefaz-Ba), que dá ainda a opção de pagar o IPVA em três parcelas. Para aderir ao parcelamento, o pagamento da primeira cota deve ser feito também no dia 26 de setembro. Já a cota única sem desconto deve ser quitada até 30 de novembro. Os cidadãos devem ainda estar atentos a outras datas de vencimento do IPVA que ocorrem no mês de setembro. Nos dias 27 e 28, respectivamente, ocorre o vencimento da terceira cota para donos de automóveis com placas de final 7 e 8 que optaram pelo parcelamento. Estas também são as datas limite para que estes contribuintes quitem o IPVA em cota única sem desconto. Também no dia 26 deste mês ocorre o pagamento da segunda parcela para veículos com placas de final 9 cujos proprietários escolheram o parcelamento. O calendário do IPVA 2018 está disponível no site da Sefaz-Ba (www.sefaz.ba.gov.br), Canal Inspetoria Eletrônica, IPVA. Para efetuar o pagamento, o proprietário de veículo deve dirigir-se a uma agência ou caixa eletrônico do Banco do Brasil, Bradesco ou Bancoob, com o número do Renavam. A Sefaz-Ba ressalta que não encaminha boleto de pagamento do IPVA para os contribuintes. Em caso de dúvida, o contribuinte pode entrar em contato com o call center da Sefaz, pelo 0800 071 0071. O contribuinte que não pagar o IPVA dentro do prazo estabelecido no calendário divulgado pela Secretaria da Fazenda do Estado está sujeito a notificação e multa, mas pode obter um desconto de 70% no valor da multa caso o pagamento seja efetuado antes do ajuizamento da execução fiscal. Para realizar o pagamento do imposto após notificação, basta acessar o site da Sefaz-Ba, www.sefaz.ba.gov.br, na opção “Inspetoria Eletrônica” =>”IPVA”=> “DAE Para Pagamento” => “Exercícios Notificados”, imprimir o documento de arrecadação estadual (DAE) e quitar o débito em qualquer banco. Se preferir, o contribuinte pode se dirigir a um posto de atendimento da Sefaz-Ba nos SACs ou nas inspetorias fazendárias localizadas no interior do estado. Vale ressaltar que para obter o licenciamento do veículo é preciso, além de quitar o IPVA, realizar o pagamento da taxa de licenciamento, do seguro obrigatório e de eventuais multas de trânsito junto ao Detran.

Preço da gasolina comercializado nas refinarias da Petrobras subiu 1,02% nesta quarta

/ Economia

Depois de uma semana sem reajustes no preço da gasolina, a Petrobras anunciou hoje (12) aumento de 1,02% no preço do combustível comercializado em suas refinarias. A partir de amanhã (13), o litro da gasolina passará a custar R$ 2,2294, dois centavos a mais do que os R$ 2,2069 cobrados desde 5 de setembro. No mês, o litro do combustível já subiu nove centavos, ou seja, 4,3% a mais do que custava no fim de agosto (R$ 2,1375).

Ibope diz que Bolsonaro vai a 26% e amplia liderança; num 2º turno, perderia para Ciro Gomes

/ Política

Bolsonaro segue na liderança das pesquisas. Foto: Divulgação

Depois do atentado em Juiz de Fora, o candidato Jair Bolsonaro (PSL) subiu quatro pontos nas intenções de voto para a Presidência nas eleições 2018, segundo levantamento Ibope/Estadão/TV Globo divulgado noite desta terça-feira, 11. Bolsonaro mantém a liderança da disputa, agora com 26% — na pesquisa anterior, do dia 5 de setembro, tinha 22%. Atrás do presidenciável do PSL aparecem Ciro Gomes (PDT), com 11% — oscilação de um ponto para baixo em relação ao último levantamento — e Marina Silva (Rede), que caiu três pontos para baixo e aparece com 9%. Geraldo Alckmin (PSDB) segue com 9%, mesmo porcentual da pesquisa anterior. Já Fernando Haddad (PT), oficializado nesta terça-feira, 11, como candidato petista no lugar do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (condenado e preso na Lava Jato) oscilou dois pontos para cima e registrou 8% das citações no cenário estimulado — ou seja, quando os nomes dos candidatos são disponibilizados ao eleitor consultado pelo instituto. Bolsonaro foi ferido na última quinta-feira, enquanto participava de uma caminhada em Juiz de Fora (MG). Os entrevistadores do Ibope foram a campo entre o sábado e a segunda-feira, período que coincidiu com um aumento expressivo da exposição do candidato do PSL nos meios de comunicação. O levantamento também captou os efeitos de pouco mais de uma semana de exibição do horário eleitoral gratuito. Apesar de ser o detentor de quase metade do tempo de propaganda no rádio e na TV, Alckmin não cresceu em comparação com a pesquisa anterior. Considerando a margem de erro de dois pontos para mais ou para menos, Ciro, Marina, Alckmin e Haddad estão tecnicamente empatados na segunda colocação. Atrás deles aparecem empatados, todos com 3%, Alvaro Dias (Podemos), Henrique Meirelles (MDB) e João Amoêdo (Novo). Dada a margem de erro, os candidatos Cabo Daciolo (Patriota) e Vera Lucia (PSTU), com 1%, e Guilherme Boulos (PSOL), João Goulart Filho (PPL) e Eymael (DC), que não pontuaram, também estão empatados com Dias, Meirelles e Amoêdo. Na intenção de voto espontânea, em que os entrevistadores não apresentam a opção de nomes dos candidatos, Bolsonaro aparece com 23%, subindo seis pontos em relação à última pesquisa. Lula foi citado por 15% dos entrevistados, uma queda de sete pontos em comparação ao dia 5 de setembro. Ciro (5%), Haddad (4%), Alckmin (4%) e Marina (3%) estão empatados tecnicamente dentro da margem de erro. Amoêdo aparece com 2% das intenções de voto; Alvaro Dias e Henrique Meirelles têm 1%. Outros candidatos não pontuaram; 18% dos entrevistados disseram que votariam em branco ou nulo e 21% não souberam responder ou preferiram não opinar. A pesquisa foi realizada entre os dias 8 e 10 de setembro. Foram realizadas 2.002 entrevistas com eleitores de 145 cidades. A margem de erro estimada é de 2 pontos percentuais para mais ou para menos. O nível de confiança é de 95%. Isso quer dizer que há uma probabilidade de 95% de os resultados retratarem o atual momento eleitoral. A pesquisa foi contratada por IBOPE Inteligência Pesquisa e Consultoria LTDA e está registrada no Tribunal Superior Eleitoral sob o protocolo BR05221/2018.

Prisão de Beto Richa traz reflexo negativo para campanha de Alckmin, avaliam tucanos

/ Política

Prisão de Beto gera impacto negativo para Alckmin. Foto: Uol

A avaliação do PSDB é que a prisão do ex-governador do Paraná, Beto Richa, candidato da sigla ao Senado, traz impacto negativo para o partido e reforça o sentimento de indignação que induz ao voto de protesto, o que favorece Jair Bolsonaro, candidato do PSL à Presidência. O próprio ex-governador Geraldo Alckmin, candidato tucano ao Palácio do Planalto, reconheceu nessa terça-feira, 11, que a situação de Richa “fragiliza” o partido. ”Claro que isso fragiliza o partido. Todos os partidos estão fragilizados”, disse o candidato em entrevista coletiva após participar da sabatina da Folha, UOL e SBT, em São Paulo. O ex-governador do Paraná foi preso na manhã desta terça-feira em Curitiba na Operação Radiopatrulha do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco), do Ministério Público do Paraná. Também foram presos Fernanda Richa, mulher do tucano, Pepe Richa, irmão do candidato, e Deonilson Roldo, ex-chefe de gabinete do Estado. O casal foi levado para a sede do Gaeco e está à disposição da Justiça. A prisão ocorre no momento que a campanha de Alckmin planeja estratégias para retomar os ataques a Bolsonaro após o deputado ter sido de uma facada em um evento de campanha em Juiz de Fora (MG). ”Independente do mérito, isso abala profundamente a confiança nas instituições e cria clima para outsiders e populistas”, disse ao Estado o deputado federal Marcus Pestana (MG), secretário-geral do PSDB. Questionado sobre a situação de Richa no partido, o parlamentar foi sucinto. ”Tem que investigar. Quem tiver culpa que pague”. Outra preocupação do PSDB é com o impacto da prisão de Richa sobre os eleitores da região Sul, especialmente no Paraná, reduto do senador Alvaro Dias, candidato do Podemos à Presidência. ”A situação fica muito complicada no Paraná e impacta na região Sul. No Paraná, ficamos sem o palanque principal do Geraldo, que era o do Beto Richa. Ele vai ter que fazer campanha lá independente da situação do Beto. São as agonias da campanha”, disse o deputado Nilson Leitão (MT), líder do PSDB na Câmara. O comando da campanha de Alckmin vai apelar para que Ratinho Jr, candidato do PSD ao governo do Paraná, reforce a campanha de Alckmin para compensar o prejuízo político. O PSD está na coligação nacional do tucano.