Polícia acha ossada de adolescente que desapareceu após sair de festa de réveillon, em Salvador

/ Polícia

Vitória estava desaparecida desde dezembro. Foto: Facebook

A ossada humana encontrada na rotatória da BA-528, mais conhecida como Estrada no Derba, em Salvador, é da adolescente Vitória Charleane dos Reis Mata, de 17 anos, que desapareceu após sair de uma festa de réveillon no subúrbio de Salvador. Segundo o G1, a informação foi confirmada pelo Departamento de Polícia Técnica (DPT), onde foi feita a identificação da ossada por meio da análise da arcada dentária. A ossada foi achada no dia 15 de junho em um trecho da BA-528, em Águas Claras, mesmo bairro onde a garota morava com a avó. Vitória desapareceu após deixar a festa no bairro de São Tomé de Paripe, no dia 31 de dezembro de 2017. A ossada foi liberada e retirada pela família do DPT, na manhã desta segunda-feira (9). Não há detalhes do enterro. Segundo a Polícia Civil, ainda não há novidades sobre autoria do crime. O caso segue em inestigação pelo Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP). A adolescente Vitória Charleane dos Reis Mata foi vista pela última vez ainda durante o evento de fim de ano. De acordo com a família, a jovem estava na festa com uma prima e uma amiga, mas teria se desentendido com uma das garotas e foi embora. No entanto, ela não voltou para casa. Os familiares da garota registraram o desaparecimento dela na delegacia no dia 2 de janeiro. Vitória saiu do bairro de Águas Claras, onde morava com a avó materna, para ir para a festa.

Zé Ronaldo oferece vaga de vice ao PSC, com Lázaro na vice, mas o partido quer o Senado

/ Política

Lázaro não aceita ser vice de Zé Ronaldo. Foto: Bocão News

O pré-candidato ao governo da Bahia pelo DEM, Zé Ronaldo, ofereceu ao PSC a vaga de vice-governador na sua chapa majoritária. De acordo com publicação do jornal O Estado de S. Paulo desta terça-feira (10), o democrata cedeu à pressão do PSDB, que não concordava com a indicação do deputado federal Irmão Lázaro (PSC) para ocupar uma vaga destinada ao Senado. O PSC já deixou claro que o objetivo da legenda nestas eleições é disputar o Senado e não deve aceitar a oferta de Zé Ronaldo. Presidente do PSC na Bahia, o deputado estadual Heber Santana diz que a sigla se sente livre para negociar outras alianças. Entre as possibilidades, está a de integrar a chapa do pré-candidato ao governo pelo MDB, João Santana. Na composição liderada por Zé Ronaldo, uma vaga para senador já está definida para o deputado federal Jutahy Magalhães Júnior (PSDB). O tucano não concorda que a segunda vaga para o Senado fique com Irmão Lázaro.

Justiça Eleitoral: Já estão em vigor algumas proibições para os pré-candidatos deste ano

/ Justiça

No dia 7 de outubro, acontecem em todo o Brasil as eleições para os cargos de presidente, senador, governador, além de deputado federal e estadual. A três meses das eleições, pontos da Lei Eleitoral proíbe os agentes públicos, servidores ou não, de praticar condutas que possam causar desigualdade entre candidatos para as eleições deste ano. Segundo o Tribunal Superior Eleitoral (TSE), os candidatos ficam proibidos de comparecerem em inaugurações de obras públicas, realizarem propaganda institucional de atos ou serviços dos órgãos públicos. É vedada também a contratação de shows artísticos para eventos que sejam pagos com recursos públicos. Entre outras coisas, os agentes também ficam proibidos de fazer pronunciamento em cadeia de rádio e televisão fora do horário eleitoral gratuito. Além disso, fica vedada a transferência de recursos da União aos estados e municípios, e dos Estados aos municípios. O objetivo das proibições, conforme o TSE, é evitar o uso de cargos e funções públicas em benefício de determinadas candidaturas e partidos. No caso de desrespeito à norma, além da suspensão imediata da conduta ilícita, o candidato beneficiado, agente público ou não, ficará sujeito à cassação do registro ou do diploma.

Rui Costa segue na liderança dos governadores que mais cumpriram promessas de campanha, revela G1

/ Política

Rui Costa é o que mais cumpriu promessas. Foto: Mateus Pereira

O portal G1 divulgou nesta segunda-feira (9) o levantamento atualizado das promessas de campanha feitas por todos os governadores em 2014. De acordo com o G1, de 2015 até julho de 2018, o governador da Bahia, Rui Costa, é o que mais cumpriu as promessas feitas. Em três anos e meio, Rui executou, total e parcialmente, 74 promessas. O G1 se baseou no programa de governo registrado no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) , em sabatinas, entrevistas e debates. Ainda segundo o G1, quando analisadas apenas as promessas totalmente cumpridas, Rui Costa permanece na liderança em todo o país, com 54 ações completamente executadas. Em segundo lugar aparece o governador de São Paulo (38 promessas cumpridas) e em terceiro o da Paraíba (31 promessas cumpridas).

Confira abaixo o ranking por números absolutos de promessas cumpridas

1º Bahia – 54
2º São Paulo – 38
3º Paraíba – 31
4º Goiás – 28
5º Maranhão – 24
6º Sergipe – 21
7º Paraná – 17
8º Roraima – 15
9º Rondônia – 14

10º
Pará – 12
Amapá – 12
Espírito Santo – 12
Mato Grosso do Sul – 12

11º
Pernambuco – 11
Mato Grosso – 11

12º
Alagoas – 9
Minas Gerais – 9

13º  Ceará – 8
14º Rio Grande do Norte – 7

15º
Rio Grande do Sul – 6
Distrito Federal – 6
Rio de Janeiro – 6
Amazonas – 6

16º
Piauí – 4
Santa Cataria – 4

17º Acre – 2
18º Tocantins – 40 promessas (nenhuma delas avaliadas)

Convenção em agosto homologará candidatura de Meirelles a presidente da República pelo MDB

/ Política

Meirelles será candidato à Presidência. Foto: Murilo Lima

O MDB marcou para 4 de agosto a convenção nacional que deve homologar a candidatura do ex-ministro da Fazenda Henrique Meirelles à Presidência. Embora Meirelles ainda esteja com 1% das intenções de voto, levantamento feito pela cúpula do partido indica que o apoio dos diretórios estaduais ao nome dele cresceu. Em reunião realizada nesta segunda-feira, em Brasília, os ministros da Casa Civil, Eliseu Padilha; de Minas e Energia, Moreira Franco, e o presidente do MDB, senador Romero Jucá, disseram a Meirelles que, agora, ele precisa fazer movimentos externos para ganhar a confiança do eleitor. Padilha apresentou ali uma planilha indicando que, se a convenção do MDB fosse hoje, a candidatura do ex-ministro seria aprovada por cerca de 70,4% dos presentes. Pelas contas do titular da Casa Civil, que também é vice-presidente do MDB, Meirelles tem aval de 443 dos 629 delegados. Ainda há, porém, resistências ao lançamento do ex-chefe da equipe econômica nos diretórios do MDB de Alagoas, Ceará, Sergipe, Paraná e Pernambuco. Jucá afirmou que o MDB não retirará Meirelles do páreo. “Não tem sentido o maior partido do Brasil ficar no banco de reserva”, disse o senador ao Estado. “Temos de jogar para a frente, mesmo porque o momento que vivemos não é de se eximir do debate. A sociedade cobra firmeza e coerência”. Sob forte desgaste, o presidente Michel Temer não entrará na campanha. Recente pesquisa Ibope, em parceria com a Confederação Nacional da Indústria (CNI), mostrou que o governo Temer é reprovado por 79% da população. Nesse cenário, a companhia do presidente no palanque é considerada tóxica até mesmo por aliados. Até agora, o MDB não fechou aliança com nenhum partido para ocupar o posto de vice e pode até apresentar uma chapa puro sangue. “Não tem problema. Nós temos o maior tempo de TV e, por enquanto, estamos tratando de reforçar nosso candidato”, insistiu Jucá. Na tentativa de se apresentar como alternativa entre os “extremos”, Meirelles vai reforçar o discurso da pacificação. Em novo vídeo da campanha para as redes sociais, dois grupos — um vestido de vermelho e outro, de azul — medem forças e protagonizam acirrada queda de braço, puxando uma retorcida bandeira do Brasil. O filme entra no ar na esteira da guerra de decisões sobre a prisão do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT). A batalha deste domingo para tirar Lula da cadeia jogou os holofotes para a disputa dentro do Judiciário e movimentou a corrida eleitoral. Ancorada pelo mote #ChamaOMeirelles, a propaganda do ex-ministro da Fazenda mostra dois pólos de força, com homens e mulheres tentando “conquistar” a bandeira. “De um lado, dizem que tudo não passou de um golpe. Do outro, dizem que a solução para o País são ideias radicais e perigosas, que não deram certo nem no século passado”, observa um locutor em off. “Em meio a tudo isso, a maioria silenciosa dos brasileiros, que não está nem de um lado e nem do outro, sofre com toda essa tensão”. O vídeo do “estica e puxa” termina com uma mensagem de otimismo, depois que a bandeira aparece, sã e salva, aberta. Ao lado dela, eleitores de todas as colorações estão juntos e sorridentes. “Você e o nosso país merecem muito mais do que isso. Merecem ter de volta um Brasil que cresça de verdade para todos. Com paz, diálogo e trabalho”, diz o filme. Com informações do Estadão

Doze dias após anunciar pré-candidatura, Datena desiste e diz que foi por causa da família

/ Política

José Luiz Datena desiste de candidatura. Foto; Reprodução

O apresentador José Luiz Datena reapareceu, na tarde desta segunda-feira (9), no comando do “Brasil Urgente” na Band. A volta do jornalista para a emissora deu um ponto final na sua suposta candidatura à vaga ao Senado pelo estado de São Paulo nas eleições deste ano. Durante o programa, o apresentador explicou o motivo que o fez desistir de disputar o pleito: “Resolvi que eu ainda não estou preparado para ajudar o meu país na política brasileira. A política brasileira depende de gente séria, capaz, que consiga ultrapassar a maior crise que nós já enfrentamos até hoje. Vamos esperar que apareçam quadros capazes de tirar o Brasil desta situação. É difícil? É quase impossível. Por isso que eu refleti. Ainda não me sinto preparado para ajudar o meu povo, a nação brasileira, em uma outra função que não seja esta. Assim que eu estiver, eu largo de uma vez o que estiver fazendo e me proporei a concorrer a algum cargo. Achei que não era a hora de participar dessa política do jeito que está”, justificou.