Lula diz a deputados que Ciro Gomes é um bom quadro, ”mas não é um líder”, aponta coluna

/ Política

Lula diz que Ciro Gomes não é um líder. Foto: Ricardo Stuckert

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) não endossa o grupo dos petistas que defende um apoio à candidatura de Ciro Gomes (PDT-CE). Ao receber a visita de alguns deputados na terça-feira (29), ele deu seu parecer. ”Ciro é um bom quadro. Mas não é um líder”, teria dito o ex-presidente, segundo a coluna de Mônica Bergamo, na Folha de S. Paulo. Preso há quase dois meses na sede da Polícia Federal, em Curitiba, Lula disse aos parlamentares que passa a maior parte do tempo vendo televisão. ”Até a Globo eu estou assistindo, gente!”, confidenciou, fazendo os visitantes rirem – nos discursos, o petista sempre acusa a emissora de persegui-lo e agir com parcialidade. De acordo com a publicação, na oportunidade, Lula ainda mostrou ao deputado Silvio Costa (Avante-PE) sua leitura atual: ”A Poeira e a Estrada”, do autor e cantor pernambucano Maciel Melo.

Para baratear diesel, governo Temer corta despesas na saúde, educação, saneamento e moradia

/ Brasília

Temer aperta o cinto pra baratear o diesel. Fotos: Marcos Corrêa

Para bancar o bolsa caminhoneiro, o governo informou que decidiu quase eliminar incentivos para exportadores e acabar com benefícios para a indústria química, além de cancelar despesas com programas nas áreas de saúde, educação, saneamento básico e moradia. O presidente Michel Temer sancionou na quarta-feira a lei que prevê a chamada reoneração de setores da economia, que deixarão de pagar imposto sobre o faturamento para contribuir sobre a folha de pagamento. Temer vetou o trecho que eliminava a cobrança do PIS/Cofins sobre o óleo diesel até o fim deste ano, o que já era esperado. No entanto, ele editou três medidas provisórias para garantir o acordo com os caminhoneiros, que paralisaram as atividades e provocaram uma crise de abastecimento no País. Como o Estadão/Broadcast antecipou, o bolsa caminhoneiro terá um custo de R$ 13,5 bilhões aos cofres públicos. O governo publicou três MPs, que na prática reduzem o preço do litro do diesel em R$ 0,46, sendo R$ 0,16 como consequência de redução de impostos que incidem sobre o óleo e R$ 0,30 pelo programa e subvenção ao combustível. Entre as medidas editadas por Temer está a que abre crédito extraordinário de R$ 9,58 bilhões para compensar a Petrobrás e garantir a redução de R$ 0,30 no preço do litro do diesel. O presidente vetou a permanência de alguns setores na política de desoneração da folha. Com isso, voltarão a ser reonerados segmentos econômicos como as empresas estratégicas de defesa, empresas de transporte aéreo de carga e de passageiros regular, empresas de serviços auxiliares ao transporte aéreo de carga e de passageiros regular, empresas de manutenção e reparação de aeronaves, empresas de manutenção e reparação de embarcações e as empresas do comércio varejista de calçados e artigos de viagem. A aprovação do projeto de reoneração da folha de pagamentos vai garantir um impacto positivo nas contas públicas de R$ 830 milhões. O governo fez vetos no número de setores e produtos que manteriam a desoneração da folha. Segundo o secretário da Receita Federal, Jorge Rachid, permaneceram com a desoneração 17 setores. Entre eles, transporte de passeio, construção civil, empresas de comunicação, call center, indústria têxtil, confecções proteína animal, transportes de pessoas, couro, Tecnologia da Informação, transporte rodoviário de cargas, máquinas e equipamentos, fabricação de veículos e carrocerias. Rachid, porém, não quis especificar o número de setores que ficaram de fora ou que foram vetados, alegando a complexidade do modelo. Rachid citou o caso de confecção de paraquedas que se manteve na desoneração, mas ficou fora a fabricação de balões. Leia mais no Estadão.

Polícia Civil do Rio apreende sumetralhadora do mesmo modelo usado contra Marielle Franco

/ Brasil

Marielle Franco foi morta no dia 14 de março. Foto: Reprodução

Um confronto balístico irá determinar se a submetralhadora HK-MP5 apreendida pela Polícia Civil numa ação contra milicianos em Itaguaí, na Baixada Fluminense, na tarde quarta-feira, 30, foi usada para matar a vereadora Marielle Franco (PSOL) e o motorista dela, Anderson Gomes, no dia 14 de março. De fabricação alemã, a submetralhadora, encontrada num apartamento vazio do condomínio Zafira, do programa Minha Casa Minha vida, na localidade de Chaperó, estava junto a outros armamentos da milícia que domina o conjunto: uma metralhadora, quatro pistolas, dois revólveres e munição. Diferentemente das demais, a HK-MP5 é dificilmente apreendida no Rio. O modelo é utilizado pelo Batalhão de Operações Especiais da Polícia Militar e pela Coordenadoria de Operações Especiais da Polícia Civil do Rio, além de grupos de elite das Forças Armadas. Desde que a reconstituição do crime, no dia 11, confirmou o tipo da arma do atirador de Marielle, foi determinada uma perícia em todas aquelas de que as forças de segurança dispõem atualmente. A submetralhadora HK-MP5 será periciada pelo Instituto de Criminalística Carlos Éboli (ICCE). ”Vai ser feito o confronto balístico com o projétil recuperado, que está amassado, e com estojos. Por micro-comparação, será possível identificar as ranhuras, que são individualizadas”, explicou nesta quinta-feira, 31, o promotor Jorge Luis Furquim, que investiga milícia em Itaguaí. ”Se as marcas forem iguais ao que foi coletado na cena do crime, há a certeza absoluta. A nível microscópico, é possível saber com precisão”. A apuração do caso Marielle está a cargo da Delegacia de Homicídios, e os passos da investigação são mantidos sob sigilo. O carro da vereadora foi atacado à noite no Estácio, região central do Rio, quando ela ia para casa. Gomes morreu porque estava na linha de tiro. O atirador estava num carro em movimento e conseguiu acertar quatro tiros na cabeça de Marielle, seu alvo, o que revelou sua perícia ao manusear a arma. O mandante teria motivação política e poderia estar ligado a milícias. Marielle norteava seu mandato na Câmara dos Vereadores pela defesa das populações de favelas e de mulheres. Uma das linhas de investigação da DH é de que ela teria contrariado interesses de milicianos que exploram áreas da zona oeste do Rio ao apoiar pleitos de moradores. O vereador Marcello Siciliano (PHS) é um dos investigados. Ele nega qualquer envolvimento nas execuções e afirma que tinha bom relacionamento com Marielle na Câmara, apesar de eles estarem em campos opostos na política. Na terça-feira, 29, a DH prendeu Thiago Bruno Mendonça, conhecido como Thiago Macaco, suspeito de matar um colaborador de Siciliano. O crime ocorreu três semanas depois do assassinato de Marielle. Os casos podem estar ligados. A operação de quarta-feira em Itaguaí foi desencadeada por policiais da 50ª Delegacia Policial, a partir de informações do Ministério Público, para desarticular a chamada Milícia de Chaperó. O grupo extorque moradores e explora serviços de fornecimento de água, gás, sinal de internet e também o transporte irregular. Ruan de Oliveira Dias, o Traquinas, foi preso quando tentava fugir por uma janela. Ele seria responsável pela guarda do material e já vinha sendo investigado pelo MP. O miliciano foi encaminhado para o complexo de presídios de Bangu. Também foram apreendidos dez rádio-transmissores, quatro coletes à prova de balas e grande quantidade de fardamento militar.

Petroleiros suspendem greve no Brasil e Petrobras informa que refinarias operam

/ Brasil

A Federação Única dos Petroleiros (FUP) classificou como ”vitoriosa” a greve temporária deflagrada nesta terça-feira (29) e suspensa hoje (31). Para o coordenador-geral da entidade sindical, José Maria Rangel, a paralisação chamou a atenção para uma pauta que extrapola às reivindicações da categoria. ”Conseguimos dialogar diretamente com a pauta da sociedade, que não aguenta mais pagar o preço abusivo que está sendo cobrado no litro da gasolina, do óleo diesel e também pelo botijão de gás”, disse Rangel em vídeo compartilhado pelas redes sociais. Esta tarde, a Petrobras informou que todas as suas unidades já voltaram a operar. Em 95% delas, a greve já havia sido encerrada. Nos 5% restantes, equipes de contingência estavam atuando para normalizar a situação. Segundo a estatal, não houve impactos para a produção e nem há risco de desabastecimento. No vídeo, o coordenador da FUP critica a gestão do atual presidente da Petrobras, Pedro Parente, pela política de preços atualmente em vigor. Os petroleiros criticam o aumento dos preços do gás de cozinha e derivados e cobram a retomada da produção plena das refinarias do país. Rangel também critica a Justiça trabalhista, que julgou a greve ilegal. O Tribunal Superior do Trabalho (TST) determinou uma multa diária de R$ 500 mil ao movimento. Posteriormente, aumentou o valor de eventuais sanções para R$ 2 milhões. ”A Justiça do Trabalho está ao lado do capital, da criminalização dos movimentos sociais.” Esta manhã, a FUP recomentou que os petroleiros de todo o país suspendessem a greve e retornassem a suas atividades. No primeiro momento, a entidade chegou a anunciar que a suspensão representa um recuo momentâneo e necessário para a construção de uma paralisação por tempo indeterminado. Com informações da Agência Brasil

Após aumento de multa para R$ 2 mi, petroleiros encerram greve na Bahia e outros dois estados

/ Bahia

Os petroleiros encerraram a greve. Foto: SindpetroBahia

Os petroleiros encerraram a greve e já retornaram aos trabalhos na manhã desta quinta-feira (31) em pelo menos três estados: Bahia, Paraná e Santa Catarina. O recuo acontece após o Tribunal Superior do Trabalho (TST) ter aumentado de R$ 500 mil para R$ 2 milhões a multa diária aplicada aos sindicatos que aderirem à greve. Nesta quinta, segundo o G1, a Federação Única dos Petroleiros (FUP) recomendou que os sindicatos suspendessem a greve de 72h iniciada na quarta. ”A decisão do TST é claramente para criminalizar e inviabilizar os movimentos sociais e sindicais. Diante disso, a FUP orienta os sindicatos a suspenderem a greve. Um recuo momentâneo é necessário para a construção da greve por tempo indeterminado, que foi aprovada nacionalmente pela categoria”, avalia a FUP em comunicado. A federação ainda fez críticas à diretoria da Petrobras. O movimento grevista fez críticas à “escalada descontrolada” de aumentos do gás de cozinha e dos derivados. São reivindicadas também a retomada da produção, a plena carga das refinarias e o fim das importações de derivados.

População de Maracás adere a protestos em apoia a caminhoneiros e grita ”Fora Temer”

/ Região

Moradores dizem ”Fora Temer. Foto enviada ao Blog Marcos Frahm

A quarta-feira (30), último dia da greve dos caminhoneiros, acabou sendo marcada por ato de protesto na cidade de Maracás. Moradores da Cidade das Flores aderiram à onda de manifestações em apoio aos caminhoneiros e saíram às ruas portando faixas com a frase Fora Temer. A mobilização dos caminhoneiros estimulou outras categorias Brasil afora a protestar, não apenas contra os preços altos dos combustíveis, mas contra a corrupção no país. O presidente Temer é mal visto de forma geral, não é carismático, não foi eleito diretamente, assumiu com índice de aprovação já muito baixo e viu sua rejeição aumentar nos próximos dias.

Derrota amarga: Vitória sai atrás, empata, mas falha no fim e perde para o Internacional

/ Esporte

Vitória perde no Barradão. Foto: Maurícia da Matta / EC Vitória

Após sair atrás no placar, o Vitória buscou o empate com o Internacional, mas voltou a falhar no fim. Em um contra-ataque cedido por Zé Welison, no último minuto, o Rubro-Negro sofreu o terceiro gol e foi derrotado pelo Internacional, no Barradão, por 3 a 2. Patrick, Aderllan, contra, e Nico López marcaram para o Colorado. O próprio Aderllan e Wallyson descontaram. Com o resultado, o Leão ficou nos seus oito pontos, na 14ª colocação, mas pode terminar a rodada na zona de rebaixamento.

Ministro Carlos Marun diz que preço do óleo diesel cairá R$ 0,46 a partir de sexta-feira

/ Brasília

O ministro da Secretaria de Governo, Carlos Marun, disse na noite desta quarta (30) que o compromisso do governo é com o preço que o diesel vai chegar aos caminhoneiros e não com ”a forma como isso vai acontecer”. O ministro deu a declaração aos jornalistas após a coletiva do ministro da Segurança Pública, Raul Jungmann, e do chefe do Estado Maior-Conjunto das Forças Armadas, almirante Ademir Sobrinho. Marun disse que o caminhoneiro terá, a partir de sexta-feira (1º), o preço do diesel R$ 0,46 mais barato em relação ao preço praticado dia 21 de maio, quando a greve da categoria foi deflagrada. Os postos terão que informar o preço antigo e o preço novo, com desconto. ”O nosso compromisso é com o valor do diesel no tanque. A forma como vai acontecer está sendo definida e redigida”. A declaração do ministro se dá no momento em que o governo avalia o que fará com o projeto aprovado no Senado e enviado para o presidente da República. O projeto aprova a reoneração da folha de pagamento de 28 setores e a isenção da Contribuição de Intervenção no Domínio Econômico (Cide) e do PIS/Cofins (respectivamente, as siglas dos tributos Programas de Integração Social e de Formação do Patrimônio do Servidor Público e Contribuição para o Financiamento da Seguridade Social) sobre o óleo diesel. Este último, no entanto, é um imposto de que o governo não pretende abdicar e não estava no acordo inicial entre Planalto e Congresso. Segundo Marun, a análise de vetos ao projeto está sendo feita pelo governo. A intenção do ministro é acalmar os caminhoneiros, que esperam pela publicação da isenção do PIS/Cofins conforme aprovado no Congresso, mas a isenção pode ser vetada por Temer. A tendência é que o governo vete a isenção do PIS/Cofins, como adiantou ontem (29) o presidente do Senado, Eunício Oliveira. Marun disse que ”“estão querendo diminuir o ímpeto dos caminhoneiros que estão voltando ao trabalho” ao divulgar informações sobre a possibilidade do veto. A expectativa do governo, de acordo com ele, é resolver a questão o quanto antes, talvez na amanhã de hoje (31).

Após fim da greve, atividades na Ceasa de Jaguaquara voltam a normalidade depois de 10 dias

/ Jaguaquara

Ceasa é reabastecida após paralisação. Foto: Blog Marcos Frahm

Com a greve dos caminhoneiros chegando ao fim, as atividades no Mercado do Produtor Ceasa de Jaguaquara começaram a voltar a sua normalidade nesta quarta-feira (30), com a comercialização de produtos hortifrutigranjeiros. Depois de 10 dias contabilizando prejuízos, produtores voltaram a transportar seus produtos para a Ceasa, muitos reclamando de perdas, pois a colheita não era feita desde o dia (21) de maio, quando teve início o movimento grevista que provocou o desabastecimento a Ceasa. ”Bastou a greve acabar, para a gente voltar a colheita, mas sofremos um prejuízo grande durante esses dias”, disse um produtor, que chegava da zona rural com produtos. O Mercado estará funcionando nesta quinta-feira (31), durante o feriado de Corpus Christi. O objetivo é minimizar os impactos da greve dos caminhoneiros que gerou o desabastecimento de vários itens, no local e nas feiras livres.

Itiruçu: Mãe e filho ficam feridos após motoneta bater com caminhão na Rodovia BA-250

/ Itiruçu

Equipe do SAMU socorreu vítimas. Fotos: Repórter Roberto Brito

Mãe e filho ficaram feridos após a motoneta Honda em que estavam trafegando na Rodovia BA-250 colidir com um caminhão Mercedes Benz de cor azul. O acidente aconteceu por volta das 08h30 desta quarta-feira (30), no trecho entre Itiruçu e o Entroncamento de Jaguaquara. Populares no local disseram que, a motoneta, de cor vermelha, conduzida pela mulher, identificada pelo pré-nome Marli, bateu na traseira do caminhão que seguia a frente e teria feito uma conversão na pista para ter acesso a uma estrada vicinal.

Motoneta conduzida por mulher ateu com caminhão na BA-250

Na garupa da moto, a mulher transportava o filho Robert . Ela sofreu escoriações na face, apresentando suspeita de fratura nas pernas e o filho ferimentos pelo corpo. Uma equipe do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência – Samu foi acionada e socorreu as vítimas ao Hospital Geral Prado Valadares – HGPV, em Jequié.

Vale do Jiquiriçá: Moradores de Santa Inês saem às ruas em apoio ao protesto dos caminhoneiros

Moradores protestam em Santa Inês nas ruas. Foto: Leitor do BMF

Na cidade de Santa Inês, no Vale do Jiquiriçá, moradores saíram às ruas nesta quarta-feira (30) em apoio à greve dos caminhoneiros, que chegou ao 10º dia, sendo encerrado o movimento nacional na maior parte das rodovias do país. Em Santa Inês, um grupo caminhou pelas vias da cidade e se aglomerou em frente a um dos postos de combustíveis desabastecido, gritando Fora Temer.

Trecho de Itatim na BR-116 foi o primeiro a liberar o tráfego de caminhões após à greve

/ Trânsito

Trânsito volta a fluir normal na BR-116 após greve de caminhoneiros

O trânsito na BR-116 voltou a fluir normalmente, nesta quarta-feira (30), sem bloqueios, sem retenção de veículos e com liberação do tráfego para caminhões e carretas, que estavam proibidos de circulação por manifestantes desde o dia (21), quando teve início a greve dos caminhoneiros. O trecho de Itatim, região do Piemonte do Paraguaçu, na BR-116, foi o primeiro a liberar o tráfego de caminhões após negociação da Polícia Rodoviária Federal (PRF) com manifestantes, por volta das 14h.